Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 8 de janeiro de 2020. | Atualizado em 2 de abril de 2020


O microempreendedor individual, MEI, é um empreendedor que está começando seu negócio, trabalha sozinho e possui um faturamento relativamente baixo. Se você é prestador de serviços como um redator freelancer, por exemplo, pode ser considerado um MEI. No entanto, quando entramos nesse assunto, sempre surgem dúvidas: se o microempreendedor individual precisar de ajuda no dia […]

O microempreendedor individual, MEI, é um empreendedor que está começando seu negócio, trabalha sozinho e possui um faturamento relativamente baixo. Se você é prestador de serviços como um redator freelancer, por exemplo, pode ser considerado um MEI.

No entanto, quando entramos nesse assunto, sempre surgem dúvidas: se o microempreendedor individual precisar de ajuda no dia a dia, como um MEI pode contratar um funcionário? O que muda com essa contratação? As obrigações legais se mantém ou são ajustadas?

Pensando em todas essas dúvidas, decidimos criar um conteúdo para esclarecer alguns pontos e te ajudar a formalizar o seu negócio na categoria MEI.

Continue a leitura.

Como um MEI pode contratar um funcionário?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o MEI realmente pode ter funcionário. No entanto, é preciso lembrar que de acordo com a legislação, esse profissional tem direito à contratação de um único colaborador, e seu salário também é limitado.

Isso significa que, de acordo com as regras, o colaborador contratado pelo MEI pode ter um salário de, no máximo, o piso de sua categoria. Se esse colaborador não tiver um cargo/área de atuação/piso salarial definido, o limite passa a se tornar o valor de um salário mínimo do momento presente.

Vale lembrar que o piso salarial é definido através de convenções coletivas, e é possível consultar os valores no Ministério do Trabalho e Emprego.

O limite de faturamento anual do MEI muda?

Ao contratar um funcionário, o faturamento anual do MEI não muda. Atualmente, o faturamento máximo de um MEI, independente de ter ou não um profissional contratado, é de até R$81 mil reais por ano.

Mesmo que você contrate um colaborador, o faturamento limite segue o mesmo. Caso o faturamento comece a superar o teto máximo previsto pelo regulamento de microempreendedor individual, será necessário avaliar a possibilidade de encaixar o negócio em uma outra categoria, para que você fique de acordo com as obrigações legais.

Quais são os documentos necessários para a contratação de um funcionário?

Caso um MEI decida ter um colaborador, é preciso ter alguns cuidados durante a contratação desse profissional.

O primeiro passo é conferir a lista de documentos necessários para iniciar o processo de contratação.

São documentos essenciais do funcionário:

  • RG
  • CPF
  • Cartão PIS
  • Atestado médico admissional
  • Certificado militar (para homens);
  • Certidão de casamento ou de nascimento;
  • Carteira de trabalho e Previdência Social (CTPS);
  • Declaração de rejeição do vale transporte;
  • Declaração de dependentes para imposto de renda na fonte.

Esses documentos são necessários para formalizar todo o processo de contratação e garantir que o colaborador esteja contratado dentro das obrigatoriedades legais.

Como é o processo de contratação?

Uma vez que você está com todos os documentos necessários em mãos, é hora de começar o processo para efetuar a contratação.

Powered by Rock Convert

Para isso, você precisará anotar qual foi a data de admissão na carteira de trabalho do profissional que está sendo contratado. Também é importante anotar condições especiais de cada caso, sempre que necessário.

Feito isso, a carteira de trabalho precisa ser devolvida para o colaborador com um prazo de até dois dias. Para garantir a segurança de ambas as partes envolvidas no processo, é interessante elaborar um termo de recebimento de carteira, para guardar como prova de que esse documento foi devolvido ao profissional contratado.

Caso o colaborador possua dependentes, é preciso que o MEI preencha a ficha de salário família.

Se o colaborador não tiver um cadastro no PIS, o MEI precisa cadastrá-lo.

Feito tudo isso, é preciso fazer o cadastro desse profissional no eSocial, assim como os dados do MEI, para garantir que o sistema de integração com o Governo Federal seja capaz de identificar essas informações.

O que muda para o MEI após a contratação de um funcionário?

Com a contratação de um funcionário, o MEI precisará se comprometer com outras obrigações fiscais e empregatícias: 

  • a primeira delas é a criação do arquivo de documentos corporativos de recolhimento de obrigações trabalhistas e previdenciárias referentes a esse colaborador, por pelo menos trinta dias;
  • também é necessário postar, mensalmente, o formulário referente à movimentação de colaboradores;
  • é necessário recolher o INSS referente ao valor pago ao colaborador;
  • é necessário recolher o FGTS, que corresponde à 11% referente à remuneração paga ao colaborador;
  • é necessário apresentar a guia de recolhimento à Previdência Privada (FGTS/GFIP);
  • é preciso apresentar a RAIS (Relação Anual de Empregados) ao Ministério do Trabalho.

O MEI precisa de um contador após contratar um colaborador?

De acordo com as obrigatoriedades, o MEI não é obrigado a ter um contador para cuidar das questões fiscais da empresa, visto que se trata de um micro empreendimento que pode ser gerido de forma simples e prática pelo próprio profissional.

Ao contratar um colaborador, isso não muda: o MEI continua tendo a liberdade de optar por não ter um contador. No entanto, é preciso ficar mais atento às novas demandas. 

Como citamos anteriormente, é necessário que o MEI se atente às novas obrigações provenientes da contratação de um colaborador. Em alguns casos, como essas tarefas aumentam, é comum que esses micro empreendedores busquem pela ajuda de um profissional contador. Mas não é obrigatório.

LEIA TAMBÉM
👉Confira tudo que você precisa para criar o site da sua empresa
👉 Saiba o que é banco de dados e a importância dele para o seu site
👉 Crie um blog para o seu negócio usando o Rock Stage

Qual a importância do marketing nas microempresas?

O marketing para microempresas é fundamental para que o negócio se expanda e o empreendedor consiga conquistar uma certa competitividade no mercado.

Muitas vezes, esse profissional acaba investindo muito mais tempo na produção dos produtos ou execução dos serviços e acaba se esquecendo de trabalhar nessa área. Afinal, é necessário ter algumas qualificações para conseguir executar uma estratégia com sabedoria e potencial real de resultados.

Por isso, é importante conhecer algumas alternativas que irão auxiliar no dia a dia desse microempreendedor. Empresas como a Rock Content oferecem cursos para ajudar na capacitação desses profissionais e permitir que pequenas empresas consigam executar diferentes estratégias de forma eficiente.

Conheça a Rock University e veja os cursos disponíveis para você.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

24 respostas para “Conheça os 172 principais fatores de rankeamento do Google em 2020”

  1. Gestão Mídias Sociais MBA disse:

    I liked !

  2. […] Google e ver os resultados. Mas esse método tem vários problemas. Um deles, como sabemos, é que o Google não é igual para todo mundo. O segundo problema: apenas usando o Google, é difícil comparar o seu site com os concorrentes, […]

  3. […] para derrotar os adversários do Google. A otimização no algorítimo era voltada para diminuir o rankeamento de sites que desrespeitavam as regras do Google, e que com práticas ilícitas (chamadas de black hat) […]

  4. […] pela comunidade de “Mobilegeddon”) a Google realizou alterações significativas em seu modo de rankeamento de sites. A partir dessa data, as páginas que não disponibilizarem uma navegação amigável para […]

  5. […] E se você ainda fica um pouco perdido sobre quais métodos ou utilitários poderia usar para melhorar a eficácia de seu programa de marketing on-line, saiba que há boas soluções disponibilizadas na própria Internet. O Google, por exemplo, traz muitos recursos que as empresas não devem ignorar ou perder de vista. E a maioria deles de forma gratuita. Por acaso você sabia disto? Pois descubra algumas propriedades que vão ajudá-lo a melhorar a posição de sua empresa e como r… […]

  6. […] para motores de busca – visa potencializar e melhorar o posicionamento de um site no rankeamento das pesquisas no Google e outros sites […]

  7. […] nas primeiras posições nos mecanismos de buscas da internet. É exatamente para proporcionar boas colocações nos rankeamentos que investir em SEO (Search Engine Optimization) é tão importante. Em um primeiro momento as […]

  8. […] Lembre se que nem sempre você deve tratar como uma regra máxima tudo aquilo que o Google diz a respeito de SEO, mas de qualquer forma é importante saber qual é a posição pública do Google é em relação às estratégias que você deseja empregar para estar bem posicionado nos rankings de busca. […]

  9. […] Mas não se preocupe. Com as ferramentas do Google Search Console, você pode deixar seu site tinindo. Vai melhorar a velocidade com que as páginas carregam, conseguirá entender melhor de onde vem o tráfego, identificará defeitos na pintura do HTML, recauchutará a lataria dos links, turbinará a linkagem interna e também poderá acelerar o SEO, melhorando o ranqueamento de suas páginas. […]

  10. […] marketing digital é quase um clichê falar da importância do seu site estar bem posicionado nos rankings das ferramentas de busca, como o Google. Afinal, você tem um conteúdo (ou produto) e precisa que ele seja visto e […]

  11. […] seu público alvo é a sua colocação nos mecanismos de buscas. Portanto, se é do seu interesse melhorar o seu posicionamento no ranking dos principais mecanismos de busca será necessário investir em uma ferramenta chamada SEO Pessoal. Com ela você poderá atingir […]

  12. […] conteúdo para elas utilizando táticas de SEO é o que pode fazer com que seu site tenha um melhor rankeamento nos mecanismos de busca, fazendo com que seus clientes o encontrem mais […]

  13. […] Ledo engano, e qualquer pessoa que tenha um blog e entenda o mínimo de SEO sabe disso. Uma URL bem estruturada é um dos fatores preponderantes para que os motores de busca melhorem a qualificação de um site diante do rankeamento. […]

  14. […] SEO, em mais de uma maneira. Com este post pretendemos te mostrar como trabalhar os vídeos de modo a se destacar nos rankeamentos de busca. […]

  15. […] em termos de SEO. O próprio Google dá dicas valiosas sobre o que e não fazer para que seu site obtenha bons resultados em seu buscador e em cima disso muitas pessoas criam seus websites achando que seu projeto vai deslanchar […]

  16. […] será automaticamente o que alavancará suas métricas. O importante é que você saiba que o Google gosta de artigos que procuram explicar por completo um tópico ao invés de apenas falar superficialmente sobre os […]

  17. […] de conteúdo vai muito além do que simplesmente postar artigos em um blog. São necessárias ações de otimização para mecanismos de busca, compartilhamento em redes sociais, estudos sobre a área, […]

  18. Mihail Tipa disse:

    Excelente artigo. Dicas muito boas. Nos já usamos algumas destas coisas citadas neste blog no nosso site http://www.dezireimoveis.co…, mas ainda falta muito para ser feito. Obrigado pelas dicas.

  19. Sergio Antonio Meneghetti disse:

    Excelentes dicas! Grato pelo trabalho. Prosperidade!!!$$$

  20. Renan disse:

    Ótimas dicas, conteúdo de extrema qualidade apontei o seu artigo no meu blog http://renansouza.com/
    Obrigado por ter ajudado.

  21. Meninas vips disse:

    Parabéns pelo texto e conteudo do site, estou sempre online vendo as novidades, irei indicar para a redação do site para dar destaque para o seu site, muito bom parabéns. quero fazer meu site subir http://www.scortvips.com.br/

  22. Rock Content disse:

    Ei Jefferson. O mercado de SEO ainda é relativamente novo no Brasil. Especialmente o SEO de qualidade.
    Essas coisas ainda acontecem, mas a cada dia ficará mais difícil de se deparar com esse tipo de coisa. O Google pensa na experiência dos usuários.

    Por exemplo, se você procurar palavras-chave relevantes no mercado de marketing digital, dificilmente encontrará resultados que não são de blogs de qualidade como o marketingdeconteudo.com, resultados digitais ou viver de blog, por exemplo.

    Quando os conteúdos de qualidade começarem a ganhar força nos demais mercados, esse tipo de site tende a perder o seu espaço.

  23. Rock Content disse:

    Que bom que gostou João! Espero que te ajude bastante!

  24. Andre Mousinho disse:

    Que bom que gostou Sergio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *