Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 15 de janeiro de 2019. | Atualizado em 6 de maio de 2019


A Inteligência Artificial já é usada em quase todos os segmentos de mercado, devido à flexibilidade e personalização da tecnologia que viabilizam que ela contribua tanto para o desenvolvimento de tarefas operacionais quanto para o uso estratégico na tomada de decisão.

De tecnologia futurista e filmes de ficção científica, a Inteligência Artificial tornou-se, na realidade, um recurso usado extensivamente no dia a dia, desde quando se realiza alguma função no smartphone, até no momento de realizar uma compra online.

As aplicações da Inteligência Artificial se popularizaram e foram difundidas. No entanto, quanto mais se pesquisa, mais a tecnologia releva novos potenciais e usos, mostrando que ainda há muitas possibilidades a serem exploradas.

Mesmo com a difusão da tecnologia, muitas pessoas ainda têm dúvidas de como ela funciona e como realmente pode ser aplicada em diferentes segmentos de negócios.

Continue a leitura deste post e entenda mais sobre o assunto!

O que é e como funciona a inteligência artificial?

O termo Inteligência Artificial não é tão recente como parede. Em 1956 o professor John McCarthy criou a expressão para referir-se à capacidade de as máquinas resolverem problemas que, até então, só poderiam ser solucionados por humanos.

O conceito de IA continua o mesmo: a viabilidade de as máquinas pensarem como os seres humanos, desenvolvendo a capacidade de aprender, raciocinar, perceber, deliberar e decidir logicamente sobre os fatos.

Outro aspecto importante da IA é que, devido à capacidade de aprender, ela precisa ser constantemente alimentada para que possa continuar em evolução, assim como uma pessoa.

Por mais complexo que esse processo seja, ele só é possível com processos de computação simples, como:

  • modelo de dados — estruturas para processar, categorizar e analisar dados de maneira inteligente;
  • big data disponibilizar grandes quantidades de dados para serem processados;
  • poder de processamento — capacidade operacional e logística de processar as informações de forma rápida e eficiente.

Apesar dessa prévia, para entender o funcionamento da Inteligência Artificial é preciso saber que há uma combinação de tecnologias que a torna possível.

Quais tecnologias permitem o funcionamento da IA?

A Inteligência Artificial é composta por códigos e dados, sendo que os primeiros são responsáveis pela leitura e interpretação dos segundos. No entanto, a IA é mais do que apenas análise de dados e, para cumprir uma infinidade complexa de comandos que resultam na capacidade de imitar os humanos, ela inclui diversas tecnologias.

Machine Learning

O primeiro pilar da IA é o Machine Learning, ou aprendizado de máquina, pelo qual os computadores tornam-se capazes de aprender e evoluir. Na tecnologia, o que ocorre é o processamento lógico dos dados e a identificação de padrões que geram inteligência.

Sem o Machine Learning o que entendemos como inteligência artificial não se concretizaria. Atualmente, por exemplo, a tecnologia é vastamente usada pela Amazon para fazer recomendações mais personalizadas e relevantes aos clientes.

O sistema funciona da seguinte forma: a máquina monitora todas as ações dos clientes no site e identifica padrões, como quando clientes que viram um produto X também demonstram interesse por Y.

Assim, quando um usuário faz a primeira pesquisa, o sistema indica o outro produto, pois reconhece que há uma relação entre as pesquisas.

No Machine Learning esses padrões são identificados em teias infinitas, de forma que existem milhares de pontos de intersecção que consistem nas conexões entre as informações, viabilizando inteligência em grande escala.

Deep Learning

Outro conceito essencial para realização da IA atual é o Deep Learning, que consiste em um aprofundamento do Machine Learning, tornando-o mais inteligente e complexo. A tecnologia utiliza ferramentas mais sofisticadas que tornam os resultados mais acertados.

Por exemplo, no mesmo exemplo da Amazon citado, a tecnologia identifica exceções para não realizar sugestões desqualificadas. Se de 1000 clientes que pesquisam smartTV, 800 continuam a busca com home theater, o software entende que essa é uma indicação relevante.

No entanto, se cinco usuários depois de pesquisar por smartTV iniciam uma busca por sapato, por exemplo, o Machine Learning poderia entender como uma indicação válida. Por sua vez, o Deep Learning entende que são produtos não relacionados e, dessa forma, evita que algumas exceções do comportamento do usuário tornem-se regras.

Assim, a tecnologia usa redes mais complexas para compreender que, apesar de existir ocorrência, não se trata de uma pesquisa causal e, portanto, não é um resultado relevante para o usuário. Com isso, o Deep Learning consegue entender os pensamentos humanos com mais detalhamento do que o Machine Learning seria capaz.

Processamento de Linguagem Natural (PLN)

O último pilar da IA é o Processamento de Linguagem Natural, que é responsável pela lapidação dos resultados, tornando-os mais naturais e mais humanos.

Por exemplo, atualmente diversos e-commerces usam os chatbots para atender aos clientes. No entanto, a qualidade da tecnologia está na presença ou não do PLN. Quando ele não é incorporado à solução, o robô fica artificial, incapaz de aprimorar a linguagem usada para torná-la mais semelhante a usada pelos clientes.

O excesso de perfeição da linguagem e a incapacidade de incorporar elementos mais informais é o que faz com que o robô se torne artificial, independentemente da capacidade de realmente auxiliar o consumidor.

Ebook Transformação Digital 360Powered by Rock Convert

Quais os benefícios da Inteligência Artificial?

A Inteligência Artificial tem viabilizado benefícios diretos e indiretos aos negócios, sendo incorporada em etapas operacionais e estratégias devido à multiplicidade de aplicações possíveis. Conheça quatro vantagens que a tecnologia tem proporcionado nas empresas.

Automação

A IA permite automatizar processos computacionais volumosos, evitando a necessidade de pessoas para executar as tarefas ou, até mesmo, identificar padrões. No entanto, para isso, são necessários profissionais capacitados para configurar o sistema.

O recurso também é usado na automação robótica e, nesses casos, substitui tarefas operacionais, como apertar um parafuso com precisão. Em ambos os casos a tecnologia otimiza os processos e melhora o desempenho do negócio.

Previsibilidade

Entre as aplicações da IA está a de previsibilidade de mercados, comportamentos e processos devido à grande análise de dados que identifica padrões e estabelece previsões a partir de eventos passados.

Por meio da análise preditiva utilizando Machine Learning e Inteligência Artificial é possível considerar infinitos dados e cenários para identificar os eventos mais prováveis, auxiliando em uma tomada de decisão mais efetiva e estratégica.

Aprofundamento dos dados

O Big Data já viabiliza, há alguns anos, uma análise sistemática dos dados. No entanto, a IA aprofundou essa capacidade interpretativa, gerando mais inteligência a partir da análise de informações.

Dessa forma, mesmo uma empresa que está competindo com uma concorrente usando técnicas semelhantes pode diferenciar-se enormemente se tiver um bom conjunto de dados e aplicar IA na identificação de padrões e previsões, permitindo extrair informações mais complexas e valiosas dos dados.

Melhora constante

A Inteligência Artificial viabiliza uma evolução constantemente no que se refere ao uso dos dados, pois utiliza redes neurais com diversas camadas que são usadas para construir estruturas interpretativas mais complexas e eficazes.

Para adotar o Deep Learning a empresa precisa de grandes dados para que o modelo possa aprender a partir dessas informações. Além disso, quanto mais dados são inseridos no modelo, mais efetivo ele se torna.

Como a IA funciona na prática?

A Inteligência Artificial já é usada em quase todos os segmentos de negócio devido à flexibilidade e personalização da solução. Com isso, os exemplos de aplicação da tecnologia incluem desenvolvimento estratégico, Marketing Digital, relacionamento com o consumidor, novos modelos de negócio etc.

E-commerces

Os e-commerces utilizam a Inteligência Artificial, principalmente, para fornecer uma melhor experiência ao consumidor. Entre os usos da IA nessa área destacam-se:

  • identificar as preferências dos consumidores de acordo com os hábitos de navegação e consumo e proporcionar uma melhor experiência de compra;
  • fazer recomendações aos clientes com base no comportamento dos demais;
  • realizar atendimento integrado, como usando chatbots e CRM.

A partir dessas aplicações da IA, o e-commerce torna-se mais eficiente no relacionamento do cliente.

Apesar de gigantes como a Amazon inovarem no uso das tecnologias, ganhando diferenciais competitivos, ferramentas e parceiros especializados, cada vez mais, viabilizam que esses recursos também sejam adotados por pequenos e médios lojistas.

Quem leu este conteúdo também se interessou por:
👉 Marketing para empresas de tecnologia: como atuar para o futuro?
👉 Cloud computing: o que é, para que serve e como usar no seu negócio?
👉 Transformação digital e o mercado SaaS
👉 Transformação digital para e-commerces: entenda o cenário

Automobilismo

Apesar de algumas aplicações da IA nos automóveis ainda estarem em fase de testes, como o carro autônomo do Uber, algumas empresas como o Google e Tesla já apresentam resultados sólidos do uso da tecnologia.

Esse recurso é usado para permitir que o carro cumpra diversos comandos sozinho, como estacionar, monitorar pontos cegos e detectar colisões. O objetivo é que a tecnologia aumente a segurança no trânsito e seja acessível no longo prazo.

Entretenimento

No segmento de entretenimento a IA tem sido usada inclusive para viabilizar novos modelos de negócios, como a Netflix. A empresa usa a tecnologia para fazer sugestões aos usuários e melhorar as recomendações que é um aspecto central da experiência na plataforma.

Além disso, o uso também se estende ao segmento de jogos, nos quais os personagens são dotados de personalidade, tornando a interação mais complexa.

Medicina

Diversas aplicações de Inteligência Artificial têm impactado a área médica para melhorar os serviços de saúde. Uma delas é o uso da IA para fazer a leitura de exames importantes, como a tomografia computadorizada. Com o treinamento do modelo, viabiliza-se que a tecnologia identifique alterações com tanta ou maior precisão que os médicos.

Além disso, algumas aplicações na saúde também referem-se à análise de dados dos pacientes para identificar precocemente doenças graves, como mal de Parkinson e Alzheimer.

Indústrias

Um dos primeiros segmentos a fazer uso da IA foi o industrial. Com a automação robótica tornou-se possível montar e embalar peças sem interferência humana, garantindo a qualidade do processo e, ao mesmo tempo, a otimização da produção.

A expectativa é que a tecnologia contribua não apenas para processos operacionais na indústria, mas seja cada vez mais determinante nas etapas de criação e planejamento, proporcionando inteligência produtiva e de mercado.

A Inteligência Artificial é uma tecnologia ampla e com aplicações tão diversas que, atualmente, está presente no dia a dia de todas as pessoas conectadas à internet, seja ao acessar uma rede social, site noticioso ou mesmo o e-mail.

Entender como ela funciona e quais os usos mais frequentes oferece insights e inteligência para que haja maior difusão dos recursos.

Entendeu o conceito de inteligência artificial? Agora, leia este post e saiba como implementá-la no seu software!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *