Por Lucas Amaral

Redator Freelancer na Rock Content

Publicado em 5 de março de 2020. | Atualizado em 23 de junho de 2020


SEM é estratégia de Marketing Digital que usa da visibilidade dos buscadores (como o Google, Bing, Yahoo!) para divulgar um site, negócio ou outro. Também é conhecido como Search Engine Marketing ou Marketing de Busca.

Quando você tem alguma dúvida e as pessoas ao redor não podem solucioná-la, qual é a sua fonte de pesquisa favorita?

Se você respondeu o Google, ou qualquer outro mecanismo de busca da internet, seja Bing, Yahoo!, Youtube — sim ele também é um buscador — saiba que você está acompanhado de mais uma grande parcela da população mundial.

Nesse cenário, surge o SEM (Searching Engine Marketing, em português Marketing de Mecanismos de Buscas), um conjunto de técnicas que tem como objetivo utilizar-se desses motores para promoção na internet.

Nesse artigo, explicaremos os seguintes pontos:

Vamos lá?

O que é SEM?

O SEM (Search Engine Marketing) pode ser descrito como toda a estratégia de Marketing que tem como base os motores de busca. Essa estratégia pode ser usada para divulgar negócios online ou offline, e também para promover ações que acontecem virtualmente ou fisicamente.

O SEM é dividido em duas partes. Uma delas é o SEO, que tem como objetivo gerar mais tráfego orgânico para um determinado domínio. E a outra são os links patrocinados.

Estamos falando dos anúncios que são exibidos no Google e em outras plataformas. Esses materiais envolvem estratégias como a pesquisa de palavras-chave e outras técnicas em comum com o SEO.

Mas envolvem também a análise de segmentação do público e estratégias mais alinhadas com a da compra de mídia da publicidade tradicional.

De forma resumida,o SEM pode ser descrito como uma espécie de guarda-chuva. Debaixo dele, estão inseridos o SEO e outras técnicas que auxiliam a empresa a aparecer e ficar bem posicionada nas pesquisas nos principais motores de busca.

Uma estratégia de Marketing Digital só estará completa e bem desenvolvida se houver investimento de qualidade e esforços usando ambas as dimensões.

Conheça um pouco mais sobre elas a seguir:

SEO — Search Engine Optimization

O SEO, ou Search Engine Optimization (em português, Otimização para Mecanismos de Buscas), reúne as estratégias que envolvem a otimização de sites, blogs e páginas para que eles possam rankear bem nos buscadores e, consequentemente, atrair mais visitantes.

Para que tudo isso seja possível, o SEO conta com um grande aliado, o Marketing de Conteúdo, a partir da criação de páginas relevantes para o público em questão.

Assim, além das otimizações para os sites de buscas, que envolvem aspectos de estrutura do site, escaneabilidade, uso de palavras-chave, responsividade, velocidade de carregamento e outros, é preciso também produzir textos ou outros tipos de materiais realmente valiosos.

Vale ressaltar que o investimento nas técnicas de SEO é fundamental, pois, pesquisas mostram que 90% das pessoas clica em somente um link entre os resultados da sua busca.

Além disso, outros estudos de comportamento do usuário verificaram que a primeira posição no Google fica, sozinha, com cerca de um terço dos cliques feitos sobre a busca.

Vamos dar um exemplo: suponhamos que você esteja trabalhando a palavra-chave “Marketing de Conteúdo” na sua estratégia, e que essa palavra-chave tenha cerca de 8.000 buscas mensais.

Um terço desse número, ou seja, aproximadamente 2.666 cliques, será do primeiro colocado no Google. O restante dos cliques ficará dividido entre os demais resultados, sendo que a primeira página tem a maioria esmagadora dos cliques totais.

Guia do SEO 2.0

Links patrocinados — mídia paga

Os links patrocinados são anúncios, ou seja, fazem parte de uma ferramenta de mídia paga. Você provavelmente já fez uma pesquisa e se deparou com alguns resultados de anúncios.

No Google, por exemplo, eles geralmente vêm antes dos resultados orgânicos e na barra lateral.

Caso você não saiba como eles são, é possível fazer uma pesquisa a qualquer momento, digitando uma palavra-chave comercial, como “celular” ou “geladeira”.

Para fazer uso dessa estratégia, é preciso cadastrar-se em uma plataforma de anúncios, como o Google Adwords ou o Bing Ads, e inserir os dados do cartão no qual serão debitados os valores.

Essa estratégia geralmente utiliza a cobrança por cliques, mas existem técnicas mais avançadas que permitem a otimização para conversões (vendas) ou impressões (visualizações no anúncio).

O sistema utilizado para definir qual anúncio será exibido funciona da seguinte maneira: A cada vez que um usuário faz uma pesquisa pelo termo de busca anunciado, o Google realizará um leilão.

Sendo assim, é preciso definir os valores máximos que o anunciante está disposto a pagar, levando em consideração fatores como a concorrência e a relevância da palavra-chave.

Guia Completo do Google Adwords

Por que o SEM é importante?

Não há dúvidas de que os motores de busca compõem uma parcela considerável de todo o tráfego gerado na internet.

Para se ter uma ideia, são 2.3 milhões de pesquisas realizadas no Google a cada segundo.

Assim, fica fácil imaginar o potencial dessa ferramenta quando se fala em negócios.

Os mecanismos de buscas são, sobretudo, plataformas de informações e, como tal, servem de alicerce aos questionamentos dos usuários.

Por isso, eles incentivam à criação de conteúdo na web, trazendo ao alcance do internauta a maior quantidade de conhecimento possível.

Por outro lado, sendo a maior plataforma de publicidade online do mundo, o Google também é reconhecido por seu eficaz modelo de negócio, que visa gerar rentabilidade para as contínuas pesquisas da empresa e oferecer uma boa experiência ao usuário.

Você também pode se interessar por estes outros conteúdos!
👉 12 técnicas antigas de SEO que não funcionam mais!
👉 Como rankear em primeiro no Google para qualquer palavra-chave?
👉 SEO on page: o guia completo para você começar agora
👉 SEO ou PPC: quando usar de cada uma das estratégias digitais

Como fazer SEM?

Algumas práticas são recomendadas em estratégias de Search Engine Marketing. Abaixo, você confere algumas delas:

Usando links patrocinados

Para elaborar uma boa estratégia de links patrocinados, você precisará começar com uma boa análise do seu produto ou da sua marca. Uma das grandes vantagens dos anúncios na internet é o fato de eles permitirem uma segmentação detalhada do público.

Assim, você deverá conhecer bem para quem deseja falar. O ideal é pensar na sua buyer persona na hora de fazer o recorte do seu anúncio no Google AdWords ou outra plataforma de anúncios. A partir daí, poderá elaborar uma comunicação eficiente para esse público.

Os links patrocinados permitem fazer campanhas por um valor bastante baixo. Então, se ainda não tiver muita segurança, comece com campanhas envolvendo um investimento pequeno e vá fazendo testes sobre o que traz melhores resultados.

Usando SEO

O SEO tem duas dimensões, chamadas On Page e Off Page. Veja a seguir o que cada uma delas quer dizer.

SEO On Page

Aqui estamos falando sobre todas as técnicas que você aplica dentro do seu próprio site ou da sua página.

A produção de um conteúdo de qualidade, um site rápido e otimizado para plataformas variadas, a meta descrição do seu post e a URL são alguns exemplos dessas ações.

SEO Off Page

No Off Page estão incluídas todas as técnicas que têm a ver com a relação do seu site com todo o ambiente da internet. Essas ações são realizadas fora do site. Veja alguns exemplos:

  • Link building: estabelecer uma rede de links internos entre as páginas do seu site melhora o rankeamento, pois o Google lerá todas as páginas como uma única coisa, mais forte do que uma página isolada;
  • Guest posts: nesta estratégia, você publica conteúdos em blogs e sites de outras empresas, com o objetivo de fortalecer ambos os domínios;
  • Campanhas e ações de comarketing: assim como nos guest posts, o objetivo aqui é fortalecer os dois domínios. Nessas ações, você pode lançar materiais ricos em parceria com a outra marca ou desenvolver ações crossmedia.

Assim, para que você obtenha sucesso com a sua estratégia, vale a pena seguir algumas boas práticas, como:

  • Utilize o conceito de cauda longa (long tail), ou seja, palavras-chave específicas. Termos de buscas muito específicos tendem a ter um baixo volume de buscas e concorrência, então o ideal é investir em palavras-chave mais extensas.
  • Nunca se aproveite de técnicas não recomendadas, o chamado black hat. Ou seja, práticas de repetição de palavras-chave, títulos que não condizem com o conteúdo, etc.;
  • Analise dados recolhidos pelo Google Analytics regularmente e faça modificações nos seus artigos, postagens e anúncios;
  • Não se esqueça de utilizar chamadas para a ação nas estratégias de SEO. Uma boa CTA pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso da sua campanha;
  • Observe a concorrência por uma palavra-chave tanto nos links patrocinados quanto nas estratégias orgânicas. Muitas vezes, você poderá descobrir termos relevantes nos quais você pode superar os adversários.
  • Coloque o usuário sempre em primeiro lugar e tente resolver aos seus problemas. Lembre-se: estratégias de SEM devem sempre beneficiar o usuário!

A aplicação de todas essas técnicas de SEO, aliadas à consistência do seu trabalho, vão garantir que o seu site conquiste posições nas buscas no Google. Aliados, o SEO e SEM trarão resultados expressivos para a sua marca.

Ficou entusiasmado e quer entender ainda mais sobre o assunto? Informe-se sobre o rankeamento de SEO local! Nos vemos no próximo post!

SEO LocalPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *