Stakeholders: o que são, quais os tipos e como gerenciá-los

Stakeholders: o que são, quais os tipos e como gerenciá-los

Stakeholders são os indivíduos e organizações impactados pelas ações da sua empresa. Entenda por que eles são fundamentais para o sucesso do seu negócio.

Omarketing e o ambiente corporativo são dois exemplos de áreas recheadas de termos e conceitos novos, o que pode confundir quem não está habituado a utilizar essas palavras em seu dia a dia.

Muitas vezes, porém, têm um significado simples e podem fazer mais parte da rotina das pessoas do que elas imaginam.

Um exemplo disso é o stakeholder. Você sabe o que é um? Apesar de causar um grande impacto nas decisões tomadas pelas empresas, muita gente não sabe, ao certo, o que significa esse termo e qual a relevância dele para a sua organização.

Quer se inteirar sobre esse conceito? Então, continue a leitura deste artigo e entenda o que é um stakeholder, como eles influenciam o funcionamento das empresas, como identificar quem se encaixa nesse perfil e a diferença desse termo com outro muito parecido.

O que é um stakeholder?

Conceito criado na década de 1980, pelo filósofo norte-americano Robert Edward Freeman, o stakeholder é qualquer indivíduo ou organização que, de alguma forma, é impactado pelas ações de uma determinada empresa. Em uma tradução livre para o português, o termo significa parte interessada.

A teoria é de que, para ter sucesso, qualquer empresa precisa criar algum tipo de valor(seja ele financeiro ou não) para uma série de interessados: clientes, fornecedores, funcionários, comunidades e investidores são alguns exemplos. Esses, no caso, são os principais stakeholders de uma organização.

O conceito chegou para modificar um comportamento muito comum dentro de algumas organizações de se preocupar exclusivamente com números, lucros, prejuízos e resultados.

A partir da criação dessa teoria, as empresas passaram a se preocupar também com quem é impactado, mesmo que indiretamente, pelas suas ações.

Portanto, se você é cliente de algum banco, automaticamente, você se torna um stakeholder dessa instituição.

Afinal, qualquer ação tomada por esse banco vai gerar algum tipo de impacto em você, seja ele positivo, seja negativo. E, por ter esse interesse, você também se torna um stakeholder.

Ou seja, qualquer pessoa que seja influenciada — positiva ou negativamente — pelas decisões da sua empresa é um stakeholder.

E, de acordo com a teoria de Freeman, para qualquer organização alcançar os objetivos e metas traçados, é fundamental adotar políticas e ações que busquem atender aos interesses desse grupo.

Qual o impacto dos stakeholders na sua empresa?

Como dito, os stakeholders são um grupo que é impactado pelas decisões da sua empresa. Porém, o caminho contrário também precisa ser levado em consideração. A satisfação desses indivíduos ou organizações também tem forte influência nos resultados objetivos pelas empresas.

Por isso, é fundamental garantir que todas partes que compõe os stakeholders da sua empresa estejam satisfeitos com o trabalho realizado. Dos clientes até os acionistas, todos têm um valor elevado para o seu negócio e os seus desejos e demandas influenciam diretamente os resultados da sua organização.

O grande desafio para os gestores de empresas com uma grande variedade de stakeholders é justamente encontrar um objetivo em comum entre todos os indivíduos e organizações que são impactados pelo seu negócio. Apenas dessa maneira é possível garantir um crescimento sustentável da sua organização.

Portanto, o impacto dos stakeholders na sua empresa é enorme. E, ainda mais fundamental, é preciso alinhar os objetivos e expectativas de todos que compõe esse grupo para que as suas ações e projetos tenham o sucesso esperado.

Como a sua empresa vai ter sucesso se, por exemplo, os clientes, que também são stakeholders, não demonstram mais interesse pelo seu produto ou serviço? Ou então, se os funcionários da sua empresa não estão motivados e não conseguem atingir determinada produtividade? O impacto vai ser direto no valor do seu negócio.

Com a sua empresa gerando pouco valor, o impacto nos acionistas, investidores e bancos, por exemplo, também será enorme. Ou seja, todas peças que compõe os stakeholders da sua empresa estão conectados e a insatisfação de um grupo impacta diretamente no comportamento do outro.

Por isso, é essencial ampliar a visão em relação ao grupo de impactados pelas ações da sua companhia, a fim de entender o que buscam e você consiga traçar um objetivo em comum para guiar a sua organização de maneira sustentável.

Quais os tipos e como gerenciar os stakeholders da sua empresa?

Agora que você já entendeu como um stakeholder é importante para uma empresa e vice-versa, é importante saber diferenciar os variados perfis existentes nesse grupo. Afinal, não é preciso, necessariamente, fazer parte de uma empresa ou de outra organização para ser considerado um stakeholder.

Porém, existem diferentes tipos e importâncias dentro desse mesmo grupo. De acordo com a situação, alguns stakeholders podem se tornar primários ou secundários — o que indica o grau de dependência. Os investidores, por exemplo, geralmente se encaixam na primeira opção, afinal, exercem influência direta sobre a sua empresa.

Clientes, investidores, funcionários, fornecedores, concorrentes e proprietários têm maior poder de interferência direta dentro de qualquer organização. Portanto, geralmente são os grupos que fazem parte dos stakeholders primários.

Já a imprensa, comunidade, analistas financeiros, governo, ONGs e outras instituições se encaixam no segundo grupo. São impactados, influenciam e têm uma relação com a sua empresa, porém, não são determinantes para que a sua organização consiga alcançar os objetivos e metas planejados.

Outro fator que precisa ser destacado é que o nível de importância de um stakeholder varia de acordo com a empresa ou o tipo de projeto que está sendo executado.

A comunidade pode ser tratada como secundária para o seu negócio como um todo, porém, em determinado projeto, pode ganhar maior importância e mudar de nível.

Apesar de alguns grupos serem, na maioria das vezes, tratados como primários ou secundários, nada impede que, em determinada situação ou projeto, ele ganhe mais ou menos importância e poder de impactar os resultados do seu negócio.

Hipoteticamente, a sua empresa vai construir uma fábrica em determinada cidade e isso vai impactar a rotina dos moradores ou a geografia do local.

Nesse caso, a comunidade envolvida no processo que, geralmente, é considerada um stakeholder secundário, passa para o grupo dos primários, afinal, tem um grande grau de participação e interferência.

Portanto, gerenciar todos os stakeholders envolvidos com a sua empresa não é uma tarefa simples e é importante ficar atento ao tipo de trabalho que está sendo executado para garantir que todos os impactados estejam alinhados ao mesmo objetivo.

Para uma gestão eficiente, é fundamental muito poder de negociação e equilíbrio entre todas as partes envolvidas para tentar, à medida do possível, sempre encontrar um meio termo que satisfaça todos os stakeholders. Somente assim a sua empresa conseguirá prosperar de maneira sustentável.

Quais as diferenças entre stakeholder e shareholder?

Alguns termos utilizados no mercado corporativo, muitas vezes, são parecidos e confundem quem tem pouca familiaridade com o assunto. É o caso do conceito de shareholder, que, em português, é utilizado como acionista. Ou seja, alguém que tem parte (ação) de uma empresa.

Apesar de serem palavras muito parecidas e um shareholder ser considerado um stakeholder, esses dois conceitos muito utilizados no mundo empresarial são bastante distintos. Um shareholder é, portanto, um dos indivíduos ou grupos que compõe os stakeholders de uma organização.

O grau de influência que esse stakeholder tem é imenso, o que o coloca, quase sempre, entre o grupo dos primários.

Afinal, o shareholder, além de realizar investimentos de capital, pode também ganhar ou perder dinheiro de acordo com as ações e estratégias adotadas pela sua empresa.

Um stakeholder insatisfeito pode resultar em prejuízos — financeiros ou não — para o seu negócio. Um shareholder, com todos os seus recursos e investimentos é, portanto, quem tem o maior grau de influência desse grupo. Uma atitude que não o agrade pode significar menos recursos na sua empresa.

Por muito tempo, gestores e tomadores de decisão se baseavam apenas nos interesses dos shareholders.

Essa visão, porém, está se modificando e um panorama geral de todos os impactados pelas ações da empresa se tornou o modelo mais utilizado.

O conceito de stakeholder é muito importante dentro do mundo corporativo. Cada vez mais, é visto como um caminho eficaz para conquistar resultados positivos e sustentáveis. Afinal, cada um desses indivíduos e organizações são fundamentais para o sucesso da empresa.

Agora que você já tirou as suas dúvidas sobre o que é um stakeholder, qual o impacto dele nas decisões da sua empresa e os diferentes perfis que compõe esse grupo, que tal conferir outro termo muito relevante?

Você sabe qual é a realimportância da Customer Experience com a sua marca e como isso pode impactar no sucesso do seu negócio? Não? Então confira!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo