Por Thaís Costa

Jornalista.

Publicado em 4 de fevereiro de 2019. | Atualizado em 29 de julho de 2019


Como otimizar seus conteúdos para gerar mais conversões dentro de uma estratégia de Inbound Marketing? Confira 9 técnicas de copywriting que vão ajudar a alavancar seus resultados!

Todos os dias parece surgir uma nova técnica que promete trazer mais resultados para seu negócio, não é mesmo?

E, apesar de sabermos que não existe mágica quando o assunto é gerar resultados com consistência, a verdade é que muitas ações podem potencializar as ações que já são executadas ou, até mesmo, abrir novas brechas de oportunidade.

Um exemplo disso são as técnicas de copywriting. Quando o assunto é Marketing de Conteúdo, essa técnica é essencial para otimizar seus posts e materiais ricos, além de guiar o prospect pelo funil de vendas e gerar mais oportunidades de conversão.

Neste artigo, trouxemos 9 técnicas valiosas de copywriting para você começar a aplicar agora mesmo. Mas antes de começar, vamos relembrar o conceito de copywriting.

O que é copywriting e como isso pode me ajudar com as vendas?

Copywriting é uma técnica muito empregada em estratégias de marketing. Por meio de otimizações no conteúdo, objetiva-se persuadir o leitor em direção a conversão.

Essas otimizações vão desde a estrutura do texto até a escolha de palavras, passando pela elaboração de pontos de atenção atraentes, de pontos de conversão estratégicos e pelo estilo de linguagem usados.

Você pode se perguntar: mas como isso contribui para aumentar as vendas? Bom, é simples! Em uma estratégia de inbound marketing, sabemos que o poder da persuasão e de um bom trabalho de engajamento não pode ser subestimado. A ideia não é empurrar o produto para o potencial cliente, mas sim ajudá-lo a identificar uma demanda e supri-la.

É por isso que aproximação e relacionamento com esse potencial cliente é fundamental. Dentro de uma estratégia de blog, e-mail marketing, mídias sociais e vários outros canais digitais, desenvolver esse relacionamento deve ser prioridade para as empresas.

Nesse contexto, o copywriting contribui tanto para criar essa relação quanto para gerar pontos otimizados de conversão dentro dos conteúdos.

Quais são as principais técnicas de copywriting?

Agora, confira 9 técnicas de copywriting que vão ajudar você a estabelecer um relacionamento com o leitor, otimizar seus textos e criar mais pontos de conversão.

1. Elabore títulos atraentes

Em grande parte dos casos, o título é o primeiro contato que o leitor terá com o seu conteúdo. Por esse motivo, garanta que seu título chame a atenção e desperte o interesse em consumir o conteúdo como um todo.

Isso não significa que você precise usar palavras bonitas ou títulos gigantes. Fazer um título atraente é mais simples do que parece: o segredo é ter clareza, ser objetivo e fazer uma promessa que você vá cumprir no conteúdo.

Veja o exemplo deste post: o título é “9 técnicas de copywriting para aumentar as vendas”. Se você chegou aqui por meio desse título, seu interesse provavelmente está em conhecer quais são essas técnicas e/ou como aumentar suas vendas. E essas duas informações serão entregues aqui!

Lembre-se: nunca faça uma promessa que você não pode cumprir, especialmente ao vender uma ideia ou produto. Garanta que seus títulos transmitam a realidade do conteúdo.

2. Conheça sua persona

Essa é uma dica que vale para todas as estratégias de Marketing Digital: saiba exatamente com quem você se comunica!

Conhecer bem sua persona, entender suas dores, demandas e exigências, saber quais são suas expectativas, quais plataformas ela acessa etc., é fundamental para uma comunicação mais acertada.

No caso do copywriting, entender a persona é importante para definir a linguagem que você vai usar, quais as preferências de comunicação e quais gatilhos funcionam para ela.

3. Crie uma conexão com o leitor

A partir do momento que você segue o passo 2, fica muito mais fácil criar uma conexão com quem lê seu conteúdo.

Dessa forma, você pode abordar temas que combinem com sua persona, fazer uma escolha de palavras adequada ao universo ao qual ela pertence e, até mesmo, trazer gatilhos e figuras de linguagem com as quais ela se identifica.

Imagine que sua persona seja um Analista de Recursos Humanos Sênior em uma grande empresa, que consome conteúdos sobre inovação e empreendedorismo e que gosta de assistir palestras online, como TEDx.

No seu conteúdo, você pode trazer uma frase de alguma palestra sobre inovação de algum TED Talk para criar uma relação, ou fazer uma escolha de palavras voltada para o universo de transformação digital.

4. Não exceda no uso de termos “do momento”

“Disruptivo”, “inovador” e “sentimento de dono” são termos interessantes e relevantes para se usar nos conteúdos, mas apenas se fizerem sentido para a realidade do seu negócio e se traduzirem a realidade por trás do contexto de escrita.

Não use uma palavra apenas porque está “na moda” ou porque ela soa legal. Ao fazer isso, você corre o risco de parecer pedante, o que pode afastar alguns leitores céticos. Além disso, evite o uso em excesso de qualquer termo: busque sinônimos e variações para criar uma leitura mais interessante.

5. Desenvolva estilo e tom únicos

Sabe quando vemos uma foto e sabemos quem tirou? Ou quando reconhecemos uma música como sendo de uma banda antes mesmo de chegar até o final? Isso acontece porque esses artistas criaram uma identidade própria para o que fazem.

Você pode — e deve — fazer o mesmo com os seus textos. Ao adotar estilo e tom únicos, é possível se diferenciar da concorrência e ainda criar uma audiência que reconheça sua marca. Além disso, você cria um posicionamento seu e poderá agregar valor em seus conteúdos por meio da linguagem.

Lembre-se: ao fazer isso, você pode não agradar a todos, mas terá um grupo fiel que, com certeza, estará mais predisposto a consumir seus conteúdos e, futuramente, converter.

6. Conte uma história

O poder do storytelling é inegável: ao contar uma história, você engaja o leitor desde o primeiro momento e cria uma trajetória para que ele siga pelo seu conteúdo até descobrir o fim daquela narrativa.

Pode até parecer fácil, mas o storytelling exige planejamento e prática. Afinal, uma história inspiradora, com propósito e que ainda ajude a cumprir um objetivo de conversão não surge do nada, não é mesmo?

Para isso, o melhor é ler conteúdos e entender quais tipos de história sua persona gosta. Ela prefere conteúdos motivadores ou fantasiosos? Ela gosta de esportes ou filmes de ação? Faz sentido usar um personagem herói? Todas essas perguntas podem ser respondidas com base na sua persona.

Após essa pesquisa, é ideal estruturar sua história e entender em que pontos você pode criar oportunidades de conversão, além de como você vai relacionar isso com seu produto. A história vai guiar o leitor e fazer com que ele sinta-se interessado em continuar na jornada de leitura.

7. Utilize metáforas e comparações

Metáforas e comparações são recursos de linguagem que, além de chamar a atenção, tornam a compreensão do texto mais fácil. Isso faz com que o leitor capte a mensagem e esteja mais apto a tomar decisões, inclusive as decisões em direção ao seu produto.

Busque sempre fazer metáforas e comparações que façam parte do universo da persona, assim como no caso do storytelling.

8. Evite parágrafos longos

Estamos expostos a um volume gigantesco de informações, especialmente quando se trata do ambiente digital.

A estruturação da informação faz toda a diferença nesse contexto. Quando acessamos um site desorganizado, com um layout desagradável e um menu sem estruturação, por exemplo, dificilmente permaneceremos muito tempo por ali.

Também é possível estruturar seu conteúdo de uma forma melhor, o que faz com que o leitor entenda melhor a informação desde a primeira “batida de olho”.

Uma das melhores estratégias para isso são os parágrafos mais curtos, com duas a cinco linhas. Os parágrafos também não devem ocupar toda a tela: o ideal é que o layout do site “compacte” essa informação.

9. Use heading tags

Outro ponto essencial é o uso das heading tags: elas são essenciais tanto para SEO quanto para copywriting.

As heading tags ajudam a estruturar o conteúdo, guiando a leitura e tornando a informação mais facilmente assimilável. Dessa forma, o usuário consegue buscar melhor o que procura e entender se o seu texto é útil para ele ou não.

Elas aumentam o tempo de permanência na página e ajudam o leitor a chegar até o fim. Já pensou o tanto de oportunidades de conversão você pode criar ao longo do seu texto?

Tenha em mente um ponto chave: para gerar mais vendas com conteúdo, você não precisa (e nem deve) mencionar excessivamente seu produto ou serviço, tentando empurrá-lo a qualquer custo para o leitor. Também não é necessário citações contínuas a sua marca.

O maior segredo é criar conteúdos interessantes, com técnicas de copywriting consistentes e que tenha pontos de conversão estratégicos.

Quer aprofundar ainda mais seus conhecimentos em copywriting? Então, confira nosso guia completo sobre o assunto e torne-se um mestre na arte de persuadir por meio das palavras!

ebook de copywriting

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *