Como trabalhar com dropshipping: 5 dicas para aprender

O dropshipping é um dos caminhos para montar um empreendimento online. Por isso, confira neste artigo como trabalhar com dropshipping!

como trabalhar com dropshipping

    O dropshipping é, sem dúvidas, uma das melhores portas de entrada para quem quer se aventurar no mundo do e-commerce e iniciar seu próprio negócio, o que torna fundamental saber como trabalhar com dropshipping.

    Isso acontece por conta do baixo investimento necessário para começar de fato a operação, já que você não precisa investir em estoque. Mas isso não significa que seja um caminho fácil que qualquer pessoa pode seguir sem o mínimo de preparo.

    Nesse artigo queremos mostrar quais são os principais pontos que você precisa estar atento e quais passos seguir para abrir sua própria loja de dropshipping.

      Antes de começar: o que é dropshipping?

      O dropshipping é uma modalidade de vendas online (e-commerce) que consiste em fazer vendas sem ter um estoque do produto. Pode parecer estranho, mas há uma boa explicação. Em vez de cuidar da logística dos pedidos, o seu fornecedor faz isso por você.

      Na prática, o cliente faz a compra em sua loja, você faz o pedido no fornecedor e ele manda esse pedido direto para a casa do cliente. Em outras palavras, você deixa toda a responsabilidade da entrega por conta do fornecedor.

      Esse processo todo acontece por trás das cortinas, o seu cliente não vai ter ideia de que seus produtos estão sendo enviados por terceiros. Mas se sua operação estiver rodando da maneira correta, isso não vai causar nenhum impacto.

      Quais as vantagens do dropshipping?

      A principal vantagem de ter uma loja de dropshipping é realmente a possibilidade de começar uma loja sem ter que investir praticamente nada.

      Tudo o que você vai precisar é de um domínio, uma plataforma para criar sua loja virtual e o orçamento para rodar anúncios. A parte de estoque, que costuma ser um dos maiores custos, não vai ser uma preocupação para você.

      Além do benefício financeiro, delegar toda a logística para o fornecedor deixa você muito mais livre, tanto em tempo como em responsabilidades. Já pensou você ter que cuidar dos pedidos, vendas, anúncios, atendimentos e logística? Seria quase impossível.

      Afinal, não é todo mundo que pode abrir uma loja online e já contratar vários funcionários para ajudar com isso.

      E uma vantagem que passa despercebida por bastante gente é a grande variedade de produtos que você pode escolher. Pense bem, você pode ir atrás de qualquer fornecedor e usá-los para vender qualquer produto, sem quantidade mínima e sem compromisso.

      Se o produto que você acha que vai vender muito bem acaba não vendendo nada, é só trocar e ir para o próximo. Você não corre o risco de ficar com estoque encalhado nas mãos. E com a popularização do dropshipping internacional, está cada vez mais fácil conseguir bons fornecedores que cumpram os prazos de entrega e ainda oferecem ótimos preços por conta da grande concorrência entre si.

      Passos iniciais para abrir sua loja

      Não conseguiremos abordar absolutamente todos os pontos necessários aqui nesse artigo pois se não ficaria extremamente extenso, mas nós separamos algumas dicas e passos que você não deve pular de jeito nenhum.

      Por serem os passos mais cruciais para o sucesso da sua futura loja, recomendamos que pesquise bastante sobre cada assunto abaixo até que esteja bem confiante para seguir em frente. Estar bem preparado antes de iniciar sua operação faz toda a diferença.

      1) Escolha seu tipo de loja

      A primeira coisa que você deve fazer é definir o tipo de loja que você quer ter: genérica ou de nicho. 

      Como o próprio nome sugere, na loja de nicho você vai trabalhar com apenas um segmento de produtos, como o ramo de pets, por exemplo. Já numa loja genérica você pode vender diversos produtos juntos mesmo que eles não combinem muito entre si.

      2) Compre um domínio

      Com isso em mente você já pode partir para o segundo passo: adquirir um domínio próprio

      Embora algumas plataformas de criação de loja virtual ofereçam um domínio básico, como é o caso do CartX, você definitivamente vai querer investir num domínio próprio. Isso ajuda a fortalecer sua marca e passa mais autoridade para o cliente.

      3) Estratégia de marketing

      Feito isso, é hora de começar a estudar sua estratégia de marketing. Você vai fazer tráfego orgânico ou vai investir no tráfego pago

      Recomendamos fortemente que utilize o tráfego pago, pois é o melhor jeito de garantir que sua loja seja vista por várias pessoas. Isso faz toda a diferença na hora de conseguir as primeiras vendas.

      4) Crie sua loja numa plataforma de e-commerce

      E por fim, é hora de arregaçar as mangas e partir para a prática. É hora de criar sua loja. Você pode contratar alguém para criar um site para você (o que costuma sair bem caro) ou fazer por conta própria. 

      Busque utilizar plataformas de e-commerce que facilitem a criação da loja e ofereçam ferramentas para aumentar sua conversão e automatizar a operação.

      5) Dica extra: estude muito sobre precificação

      Depois de ter a loja pronta você deve começar a buscar produtos e estudar a precificação deles para garantir que você tenha uma boa margem de lucro nas vendas. Esse é um dos passos mais importantes e pode levar a sua loja à falência caso você não faça corretamente. Tome bastante cuidado aqui.

      Dropshipping: CPF ou CNPJ?

      Essa é uma pergunta bem comum entre as pessoas que estão começando a se aventurar agora no dropshipping. Muita gente quer começar mas não tem os recursos necessários para abrir uma empresa, aí vem a clássica pergunta: posso começar vendendo apenas com meu CPF?

      A resposta curta é: sim, é possível, mas não é muito recomendado. Isso porque vender por CPF dificulta muito escalar o seu negócio, principalmente quando pensamos na carga tributária. Dependendo do seu nível de faturamento é possível que os impostos cheguem até 27,5%, e isso é um pedaço enorme da sua receita.

      Além de existir um limite em plataformas como o Aliexpress, que não deixam você gastar mais de 3 mil dólares por mês por CPF, o que obriga você a deixar de vender ou depender de conhecidos emprestarem seu CPF, o que não é nada fácil.

      Você até poderia tentar se arriscar e manter sua loja vendendo apenas pelo CPF na informalidade por meses ou até anos, mas se você for pego no pente fino da Receita Federal, pode ter certeza que a punição e a multa não vão ser nada bonitas.

      E se você está pensando em começar formalizado desde cedo e já iniciar tudo nos conformes, existem dois caminhos: ME (microempresa) ou MEI (microempreendedor individual). Com o MEI os custos são super baixos, ficando em torno de R$60/mês apenas, sem necessidade de contratar um contador para lhe ajudar a iniciar.

      Já na Microempresa as coisas começam a ficar um pouquinho mais complicadas e a burocracia aperta um pouco, é recomendado contratar um contador caso você não tenha plena confiança de que pode fazer sozinho. E os custos iniciais já sobem lá pra casa dos R$1300, dependendo dos preços da sua região.

      Uma prática bem comum é vermos as pessoas começando seu site diretamente por CPF e assim que conseguem lucrar seus primeiros dois ou três mil reais já fazem a transição para CNPJ, o que é uma das melhores coisas a se fazer, pois evita que você tenha grandes problemas com a Receita no futuro mas também não coloca nenhum risco na sua operação.

      O que fazer após minha primeira venda de dropshipping?

      Vamos supor que você já conseguiu fazer a sua primeira venda e agora chegou a hora de entregar o pedido do cliente. Você tem ideia de como fazer isso?

      Bom, a resposta depende de alguns fatores, como o lugar onde você encontrou o fornecedor e a plataforma que você escolheu para criar sua loja, mas vamos dar um exemplo mais genérico e que deve se aplicar à maioria dos casos.

      Depois de receber o pedido do cliente é possível prosseguir de duas maneiras: entrar em contato com o fornecedor pedindo para que ele faça o pedido e entregue no endereço do cliente, informando que você é dono de uma loja de dropshipping e gostaria de que ele não colocasse nada sobre sua própria marca na embalagem. Ou simplesmente pegar os dados do cliente e fazer o pedido manualmente sem falar com o fornecedor.

      Ou ainda melhor: você pode ter uma ferramenta que deixa esse processamento de pedidos quase 100% automático, onde a própria ferramenta recebe o pedido do cliente que comprou na sua loja e gera um pedido com o fornecedor, deixando para você apenas o trabalho de fazer o pagamento do pedido. Com certeza essa é a melhor opção para quem vai lidar com um alto volume de pedidos diariamente.

      Conclusão

      O dropshipping é um ramo muito promissor e que está atraindo cada vez mais novos empreendedores para esse mundo do comércio eletrônico. Poder abrir uma loja virtual sem ter que investir em estoque é um excelente negócio atualmente.

      Destacamos algumas das coisas que não podem faltar em nenhuma loja de sucesso aqui nesse artigo e mostramos pontos que não podem ser ignorados de maneira alguma, ou causarão sérios problemas no futuro. 

      Mas se você seguir as dicas que foram passadas e buscar estudar e/ou conhecer mais sobre dropshipping, temos certeza que você terá sucesso em sua jornada e poderá ser uma daquelas grandes lojas que faturam 6 ou 7 dígitos mensalmente!

      Compartilhe

      Inscreva-se em nosso blog

      Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

      Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

      Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!

      Nosso site é otimizado para cada país em que operamos.

      Ir para site em Português ->