‘Para criar uma cultura em que pessoas negras prosperem, precisamos abrir nossas mentes para pontos de vista diferentes’, diz fundadora de associação negra de Marketing

Entrevista com Natalie Gullatt, presidente e fundadora da Black Marketers Association of America (BMAA)

entrevista com natalie gullatt

Estamos em 2022 e, infelizmente, ainda recebemos notícias de crimes de ódio contra a comunidade negra. Em 14 de maio, um atirador branco matou 10 pessoas em um supermercado dentro de uma comunidade predominantemente negra em Buffalo, nos Estados Unidos. Postagens em redes como Discord e 4Chan mostraram que ele planejava o ataque desde março. O evento foi até transmitido ao vivo no Twitch.

Nós, como profissionais de Marketing, temos a obrigação de mitigar o preconceito e promover a diversidade racial no conteúdo que criamos e no cenário profissional. Pessoas consumidoras em todo o mundo estão se tornando cada vez mais conscientes dos tópicos de Diversidade, Equidade e Inclusão (DEI). Uma pesquisa da McKinsey descobriu que a comunidade negra está disposta a pagar mais e priorizar marcas que atendam às suas necessidades.

Para falar mais sobre isso, convidamos Natalie Gullatt, fundadora e presidente da Black Marketers Association of America (BMAA) e gerente de Marketing da Hubspot. Ela também atuou até recentemente como presidente do Caucus of Emory Black Alumni (CEBA) e diretora de Marketing da National Black MBA Association, divisão de Atlanta.

O que mudou nos últimos anos em relação à população negra na publicidade e no Marketing?

Desde 2020, as empresas parecem trabalhar para incluir clientes da comunidade negra em suas personas-alvo no Marketing. Por causa disso, há uma demanda por mais pessoas negras no Marketing a serem contratadas e o talento é procurado. Infelizmente, o setor de Marketing ainda não descobriu como realmente elevar e valorizar estas pessoas.

O que, em sua opinião, precisa ser feito para incluir mais pessoas negras no Marketing, especialmente em cargos de decisão?

Acho que uma das primeiras coisas que as organizações podem fazer é padronizar suas qualificações para talentos de Marketing. Por exemplo, se houver certas faixas de pagamento para determinadas funções, tenha “faixas” de experiência. A experiência de um especialista em Marketing pode ser de um a quatro anos, por exemplo, e de um gerente de cinco a oito anos.

Ter alguns padrões e ser transparente não apenas ajuda a eliminar o preconceito, mas também responsabiliza as empresas.

Quais desafios as pessoas negras enfrentam no mercado de trabalho?

Desafios existem para qualquer pessoa em busca de um emprego, mas os desafios que a comunidade negra enfrenta são ainda mais estressantes. De preconceitos inconscientes a microagressões, o caminho para o sucesso pode ser mais difícil para uma pessoa negra. 

Uma forma de ajudar a mudar isso é patrocinar as pessoas negras, apostar nelas. Dê uma chance a profissionais de alto potencial que tenham experiências diferentes.

Se você ou sua empresa não estão contratando, patrocine especialistas da comunidade indo a uma conferência; patrocine para palestrar, patrocine um curso do setor, porque é assim que todos podemos trabalhar para criar uma mudança sistêmica.

Que impacto o movimento Black Lives Matter teve na indústria de Marketing?

Como a maior parte da América durante o auge de 2020 e o assassinato de George Floyd, as empresas começaram a fazer declarações e compromissos públicos para abordar os problemas de longa data envolvendo racismo.

Pela primeira vez, pelo menos que eu saiba, todos estavam dizendo estar comprometidos em tornar a afirmação “Black Lives Matter” (Vidas Negras Importam, em português) verdadeira. Contudo, isso não é necessariamente uma grande coisa.

As declarações são um começo, mas não são suficientes e podem parecer falsas. O melhor do aumento da conscientização é que, em dois anos, muitas iniciativas evoluíram. Assim, as empresas podem causar um real impacto positivo dentro do setor de Marketing.

Quais impactos organizações como a Black Marketers Association of America (BMAA) e a African-American Marketing Association (AAMA) têm para promover a representatividade negra no setor?

Antes de 2017, não havia uma organização profissional negra dedicada a profissionais de Marketing, então é incrível ter tantas opções agora.

Uma das primeiras prioridades de organizações profissionais negras como o BMAA é ser uma comunidade, um espaço seguro e capacitar profissionais de Marketing da comunidade a se destacarem e se tornarem líderes, se assim desejarem. Organizações como essas ajudam a eliminar a pergunta: “onde estão as pessoas negras no mercado?”

Esta entrevista também está na nova edição da Rock Content Magazine, lançada agora em agosto. Neste número trazemos conteúdos incríveis sobre diversidade, inclusão e acessibilidade, tema extremamente importante para marcas e para a sociedade hoje. Você pode baixar a revista aqui, é totalmente gratuita! Boa leitura!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!