Por Leandro Abreu

Redator freelancer da Rock Content

Publicado em 18 de agosto de 2020. | Atualizado em 20 de outubro de 2020


Keyword Stuffing, ou “excesso de palavras-chave”, é uma má prática de SEO que consiste na repetição exagerada de palavras-chaves ou números com o propósito de manipular os mecanismos de pesquisa. Os atuais algoritmos dos buscadores, porém, são capazes de detectar essa técnica e penalizam os sites que a utilizam.

O papel das palavras-chave no SEO começa pelo próprio usuário. Por meio das palavras-chaves contidas nas pesquisas, os buscadores varrem a internet em busca de conteúdos que abordam palavras-chaves idênticas ou semelhantes para entregar os melhores resultados disponíveis para cada palavra-chave.

Percebe o problema no parágrafo anterior?

A informação é útil e verdadeira, mas há uma repetição descabida da palavra-chave — conhecida como Keyword Stuffing. Em muitos sites na internet, a prática também é vista em listas, grupos e até em meta tags e no corpo da página.

A primeira má notícia para os sites espertinhos é que isso não funciona mais! A segunda é que — como você deve ter percebido — isso prejudica a experiência do usuário. Além disso, sua página será penalizada e pode até sumir das páginas de resultado.

Mas o que realmente significa Keyword Stuffing? Existe alguma regra para a distribuição dessas palavras no texto? Como saber você está abusando ou não?

Esclarecemos tudo isso para você neste artigo. Confira o material que preparamos!

O que é Keyword Stuffing?

Keyword Stuffing é a tentativa equivocada de manipular o ranqueamento nos resultados de pesquisa concentrando palavras-chave no conteúdo.

Essa é uma antiga prática de Black Hat, as técnicas de SEO que prometem resultados rápidos, mas que são eticamente questionáveis ou infringem regras dos buscadores.

As primeiras versões dos mecanismos de pesquisa — com destaque para o líder absoluto, o Google — utilizavam sistemas de rastreio e rankeamento de páginas muito limitados em relação às avançadas plataformas da atualidade.

Como haviam muitas brechas na tecnologia, desenvolvedores e profissionais de Marketing Digital aproveitavam a deixa para tentar se promover facilmente.

Várias outras práticas “ilegais” já foram muito populares, como o cloaking e as fazendas de links. Em relação ao Keyword Stuffing, porém, os principais exemplos são:

  • blocos de textos com repetições constantes das palavras;
  • listas de itens ou números sem valor substancial;
  • repetição forçada (ou não natural) de palavras em frases;
  • inserção de palavras-chave de maneira excessiva em meta tags ou no HTML.
Exemplo de keyword stuffing em anúncio
Fonte: WordStream

Os atuais algorítimos dos buscadores, no entanto, detectam a distribuição anormal de palavras-chave por todo texto e na estrutura do site.

Além disso, vários outros fatores de rankeamento influenciam a posição das páginas nas pesquisas de hoje, como comportamento do usuário, compatibilidade com dispositivos móveis, bounce rate e, principalmente, o link building.

Quais são os riscos de exagerar no uso de palavras-chave?

Como adiantamos, sites que tentam se valer do Keyword Stuffing não tem mais vez nos buscadores. Tais conteúdos são identificados imediatamente e podem sofrer punições severas dos mecanismos de pesquisa.

A consequência mais esperada nesses casos é a perda crítica de posições na SERP da página na qual o abuso foi detectado. No entanto, em situações severas, ou quando a prática é recorrente nos conteúdos do site, o Google pode até deixar de indexar o link.

Independentemente das repreensões dos buscadores, porém, o que devemos ter em mente é que qualquer material que tenta se beneficiar de tal prática pode ser considerado um conteúdo de baixa qualidade.

Isso significa que o site não só está agindo de má-fé, como também não está se esforçando para oferecer uma boa experiência ao público.

Como saber se estou cometendo excessos?

Como em vários outros elementos de SEO, o Google não é claro quanto aos limites que separam um conteúdo “aceitável” daqueles que correm o risco de serem punidos pelo uso exagerado de palavras-chave.

Em determinados tipos de artigos, como aqueles em que são citados nomes de produtos ou serviços, essa preocupação é ainda maior.

O redator e o revisor responsáveis são capazes de detectar tais vícios e providenciar correções, mas como saber se os critérios dos profissionais são equivalentes aos “caprichos” do buscador?

Felizmente existem algumas estimativas para acabar com essa ansiedade. Em seu livro “SEM e SEO. Dominando o Marketing de Busca”, a consultora Martha Gabriel traz uma fórmula simples para termos certeza se estamos exagerando nas keywords ou não:

F = K / T

Sendo:

  • F = Frequência;
  • K = Número de vezes que a palavra aparece;
  • T = Total de palavras do texto.

De acordo com testes realizados pela autora, uma frequência entre 3% e 8% é considerada segura para garantir que os algoritmos não interpretem as repetições como uma prática de Black Hat.

Distribuição de palavras-chave em conteúdo
Fonte: WordStream

Na prática, porém, não é preciso se apegar tanto aos números. Embora as palavras-chaves sejam um elemento essencial do SEO, o ideal é sempre produzir conteúdos focados na experiência do usuário, tendo em vista que os buscadores estão cada vez mais equipados para entregar os resultados que melhor atendem as pessoas.

Em outras palavras: preocupe-se em oferecer o melhor conteúdo possível para o seu público e seu SEO ficará bem.

Como desenvolver uma estratégia de palavras-chave de sucesso?

Tratando especificamente da sua produção de conteúdo, existem boas práticas, ou White Hats, que podem ajudar você a obter grandes resultados nas buscas.

As principais delas são:

  • crie conteúdos realmente relevantes para o seu público;
  • cite apenas locais, termos, imagens e links que sejam coerentes com o assunto proposto;
  • respeite as regras gramaticais e utilize uma linguagem adequada para garantir uma leitura fluida e agradável;
  • não se prenda à exatidão, explore variações, sinônimos e palavras-chave secundárias;
  • utilize keywords long tail (permitem mais diferenciações);
  • procure inserir a palavra-chave (sem repetições próximas) ao menos na meta descrição, no título, na introdução, na conclusão e, se possível, em um ou mais intertítulos;
  • elabore textos com mais de 300 palavras;
  • insira links externos relevantes e obtenha backlinks de sites de qualidade do seu setor ou de áreas semelhantes.

Por fim, lembre-se de que as palavras-chave são apenas um dos diversos elementos que constituem uma boa estratégia de SEO.

Se você realmente deseja se classificar acima dos seus concorrentes, conquistar autoridade na web e obter mais oportunidades de venda, será preciso arquitetar um plano de Marketing de Conteúdo completo.

Além disso, seja como profissional, seja como empreendedor, é fundamental ficar atento às novidades do mercado e à evolução das estratégias para se manter à frente.

Neste post você aprendeu o que é Keyword Stuffing e porque não deve recorrer a esse tipo de técnica. Que tal continuar essa jornada de SEO conosco?

Confira agora o nosso guia definitivo e atualizado para conquistar a primeira página no Google!

Powered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *