Aprenda mais sobre localhost: o que é, quais as vantagens e como aplicar ao WordPress

Localhost é uma alternativa para replicar servidores em um ambiente offline, em que a gestão de sites fica limitada a um computador. Isso possibilita maior autonomia a desenvolvedores, além de oferecer mais recursos de gestão, testes e alterações de sites em WordPress.

Digital Ocean: o que é, como usar, vantagens e desvantagens

Quem trabalha com WordPress em estratégias de Marketing Digital se depara constantemente com termos que nem sempre são tão acessíveis. Entre eles, localhost com certeza é um dos mais recorrentes e que geram mais dúvidas.

Apesar de ser desconhecido para muitos, esse é um conceito importante que, quando entendido, se torna uma ferramenta importante para o usuário.

Trabalhar com WordPress é cada vez mais comum a profissionais que precisam gerenciar sites e páginas de seus clientes. No entanto, para ter a amplitude de funcionalidades acessíveis à posição de administrador, é preciso dominar o que é o localhost e como ele pode ser devidamente usado.

Neste conteúdo falaremos mais sobre o assunto, detalhando por meio dos tópicos:

Continue a leitura e entenda melhor!

 

O que significa localhost?

No contexto de web, localhost pode ser entendido como o computador local que está rodando um programa. Não necessariamente ele é o do usuário, mas aquele que executa alguma aplicação que está sendo usada. Se você usa uma ferramenta que roda direto da nuvem, por exemplo, a sua máquina é o localhost. O mesmo acontece quando um navegador da web é utilizado.

Quando você acessa um site, há um local remoto que faz toda aquela infraestrutura funcionar e aparecer no seu computador ou dispositivo mobile. Nesse caso, se trata de um servidor, esse que também se conecta ao banco de dados para poder rodar todos os arquivos necessários para que o site funcione. Aqui, o servidor é o localhost em questão.

A relação com o WordPress

O WordPress tem seu painel de administração que permite ao usuário realizar as alterações e ajustes que preferir em relação ao site. No entanto, ele não é um localhost, já que é o servidor que garante que as páginas estejam no ar funcionando com a estrutura completa.

Nesse caso, é necessário configurar um ambiente de host para permitir que o WordPress assuma esse papel de localhost, replicando o que o servidor faz. Assim, o painel de comandos do WordPress, mesmo funcionando remotamente, sem estar instalado no computador, consegue se tornar esse ponto de acesso.

 

Para que serve um localhost?

O localhost é voltado para programadores que tenham contato direto com a parte de código e de edição de sites geridos no WordPress. Quando o desenvolvedor consegue obter esse maior controle que o localhost proporciona, naturalmente ele estará apto a fazer mudanças e testes no desempenho do site.

Sem esse recurso, ele não teria um ambiente ideal e completo, algo que só é possível quando se replica a atividade do servidor. Por exemplo, o localhost permite que se tenha acesso ao banco de dados MySQL, que fornece os arquivos utilizados para carregar as páginas do site em questão.

É como se o desenvolvedor conseguisse captar toda a infraestrutura utilizada na hospedagem e na execução daquele site para centralizar na sua máquina. Para isso, ele cria esse localhost e aplica no seu WordPress, tendo um painel de gestão totalmente detalhado e completo.

Acesso direto na máquina

Servidores são remotos e podem ser acessados por meio de uma página da web. Sendo assim, qualquer pessoa que tenha o endereço do servidor está apta a fazer alterações. Por mais que isso pareça vantajoso e interessante, é também um limitador: a administração daquele site só pode ser feita quando há uma conexão à internet, já que ele é remoto.

Essa situação muda completamente quando há a aplicação do localhost, ou seja, o computador em questão é que se torna o servidor que, nesse caso, é local, em vez de remoto. Assim, é possível trabalhar offline em qualquer alteração ou configuração na plataforma WordPress.

Como medida de segurança, tornar o computador um localhost também serve para limitar ao máximo a possibilidade de alterações indevidas. Isso acontece porque, uma vez que essa aplicação do servidor na máquina é feita, somente por meio dela é possível gerenciar o site.

 

Quais as vantagens de usar um localhost?

Entender mais a fundo as vantagens do localhost pode ser importante para quem ainda está em busca de saber como criar um site e, posteriormente, gerir no WordPress. Desenvolvedores têm maior autonomia para administrar sites e também para realizar configurações, testes e mudar o que entenderem como necessário.

O localhost torna o computador em questão um verdadeiro centro de comando para um trabalho que pode ser feito como o desenvolvedor quiser. A seguir, entenda melhor quais são as vantagens aproveitadas quando esse modelo é aplicado!

Fazer testes de velocidade

A velocidade de resposta e carregamento de um site é algo fundamental quando se pensa em experiência de navegação. Usuários esperam não ter problemas nesse sentido, então é papel do desenvolvedor garantir que as aplicações estejam em pleno funcionamento. Um localhost facilita muito a realização desses testes, trazendo a autonomia necessária para o trabalho.

Testes de ping são aplicados no localhost, usando comandos básicos que cada sistema operacional do computador oferece, como o Prompt de Comando no Windows, ou no Terminal, em um macOS.

Otimizar o tempo de desenvolvimento

O desenvolvimento offline é uma das vantagens mais atrativas quando o desenvolvedor tem todo o ambiente de um servidor concentrado em sua máquina.

A razão é simples: realizar alterações online demanda muito tempo, uma vez que há a constante troca das informações. Esse upload e download contínuo gera ociosidade, fazendo o desenvolvedor esperar.

Ao usar o localhost, nada disso acontece, já que o registro das informações é dinâmico e feito no momento exato em que as alterações são executadas. O trabalho se torna mais ágil, já que tudo é salvo no computador e as mudanças são transmitidas de uma só vez.

Restringir o acesso

O trabalho local no desenvolvimento e gestão de um site também limita o número de pessoas que podem acessar o servidor. Quando ele é remoto, basta entrar no endereço para realizar alterações.

Ainda que o uso do localhost seja um limitante, pode ser usado de forma benéfica para garantir que as alterações sejam feitas somente a partir daquele computador especificamente.

Além de evitar o acesso de pessoas não autorizadas, o localhost também tira o acesso facilitado ao cliente. Por vezes, pode acontecer de ele acessar o servidor, mesmo sem ter algum objetivo. Isso pode atrapalhar o andamento do trabalho e atrasar as demandas que o desenvolvedor tem.

Aumentar a capacidade de armazenamento

Servidores remotos costumam limitar o armazenamento de bancos de dados que são usados em sites. Para quem gerencia vários clientes no WordPress, certamente esse é um fator que pode causar problemas. Os servidores conseguem acomodar apenas 10 sites, no máximo, em pacotes de serviços mais básicos e que são, geralmente, os mais acessíveis.

Isso não acontece quando o desenvolvedor utiliza o localhost. O espaço de armazenamento é aquele que o computador capacita, ou seja, pode ser ampliado da maneira que for necessário. Sem restrições, a gestão de sites em WordPress se torna muito mais ampla!

 

Como aplicar o localhost no seu WordPress?

Se você deseja aplicar o localhost no WordPress, há um processo com algumas etapas que precisa ser realizado. Ele garante que o seu computador receba esse servidor local e então consiga executar todo o trabalho de administração e configuração dos sites. Confira o processo a seguir!

Instale o XAMPP

O XAMPP é o programa mais utilizado para realizar esse trabalho. Ele fará a configuração automática e básica do servidor durante esse processo de aplicação do localhost. Ele é gratuito, basta baixá-lo e instalar antes de seguir com as outras etapas.

Baixe o WordPress e extraia os arquivos

O WordPress, nesse caso do localhost, precisa ser baixado como um programa. O site oficial tem o arquivo necessário, que está no formato .ZIP. Uma vez baixado, é necessário descompactá-lo e colar a pasta “WORDPRESS” no servidor, que nesse caso é o diretório “C:/xampp/htdocs” do seu computador. Crie uma pasta nesse local e insira “WORDPRESS” nesse destino.

Acesse o localhost para instalar

Com a pasta devidamente criada, basta digitar “localhost/nome da pasta criada” no seu navegador para acessar o painel do WordPress, esse que já está no seu computador. Assim, o processo de configuração e instalação será conduzido sem maiores dificuldades.

É necessário também criar um banco de dados para seu site. Ele ficará salvo no seu computador, mas precisa ser acessado também pelo navegador, usando o endereço “localhost/phpmyadmin”. Esse banco de dados vai armazenar todos os arquivos utilizados nos sites que você gerir.

O WordPress é atualmente uma das plataformas mais acessíveis para que profissionais de Marketing Digital consigam gerenciar páginas sem maiores complicações. De fácil configuração e operação, ela também mostra que seus recursos podem ser convidativos a desenvolvedores.

O uso do localhost traz mais segurança, agilidade, autonomia e até mesmo a possibilidade de ter uma plataforma que facilita testes e alterações. Agora que você sabe como realizar essa transição, fica muito mais fácil optar pelo servidor local em vez do remoto.

Você conhece o Stage? A plataforma é voltada para gerenciar sites em blogs do WordPress! Saiba como ela pode ser útil para sua estratégia!

[rock_performance]

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Posts Relacionados

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!