A gigante empresa chinesa Tencent ganha cada vez mais espaço no mercado digital

Companhia entende que sua atuação no mercado digital tem ampla interferência no lado social dos consumidores

Tencent, a gigante empresa chinesa

    Para os profissionais brasileiros e de todo ocidente de um modo geral, ainda há muita surpresa quando nos deparamos com o tamanho de empresas chinesas que, talvez, nem mesmo tenhamos ouvido falar até pouco tempo.

    A Tencent é, provavelmente, o maior exemplo dessa voracidade do mercado chinês e de como ele vem abocanhando público e marketshare rapidamente. A empresa se tornou uma das grandes players globais em investimentos digitais, refletindo em diversas posições ligadas ao setor.

    Para entender melhor essa ascensão, conheça os números impressionantes da Tencent, sua estratégia para o futuro e um exemplo de como ela lida com a concorrência.

    O surgimento da Tencent

    Como muitas das empresas do Vale do Silício, a Tencent existe há muito pouco tempo comparada com o sucesso que obteve até o momento atual.

    A iniciativa nasceu em 1998 e seu primeiro produto veio um ano depois: o QQ, um mensageiro instantâneo para ser a versão chinesa de redes como ICQ e MSN. A partir daí, podemos traçar paralelos similares a empresas que se estabeleceram no ocidente, como Google e Facebook.

    Com visão de futuro sobre as conexões sociais que a internet tornaria possível, o CEO Ma Huateng passou do aplicativo de mensagens para a rede Qzone e, em seguida o WeChat — uma mistura de Facebook com WhatsApp.

    Todas essas redes se tornaram, rapidamente, as mais utilizadas dentro do território chinês — o WeChat, recentemente, ultrapassou a marca de 1 bilhão de usuários ativos mensalmente na plataforma.

    Esse seria mais um caso de ascensão meteórica de startups voltadas para a internet, o mercado digital e as redes sociais em seu país. Mas a empresa tinha ambições maiores: ganhar o mundo. 

    O tamanho atual da empresa

    O sucesso da Tencent na China permitiu que eles expandissem seus negócios de maneira global. Com foco em interações humanas por meio da tecnologia, começaram a buscar oportunidades de investimento em outras empresas, asiáticas e ocidentais.

    O resultado é uma marca que já vale 130 bilhões de dólares, segundo estudo norte-americano que avalia performance financeira e brand awareness em milhões de entrevistas, o que a coloca entre as 10 maiores do mundo. Essa consolidação veio, principalmente, pela aquisição de partes das operações de mais de 700 empresas.

    Alguns números da Tencent no mercado digital e social

    Dominação mais de 50% do mercado de social ads na China.

    Responsável por 15% de todo o faturamento global com jogos digitais em 2018.

    Dona de mais de 60% do mercado musical chinês.

    Durante a temporada de 2018-2019 da NBA, 490 milhões de usuários na China assistiram a mais de uma partida em plataformas de streaming da empresa.

    Esses números dão uma boa noção do que a Tencent se tornou nos últimos anos. Redes sociais, jogos, música, esportes, o objetivo da empresa é se consolidar cada vez mais como uma gigante do entretenimento

    A área de atuação da Tencent

    Pode parecer uma estratégia meio sem foco a da Tencent de investir em tantas áreas diferentes, mas o objetivo de seu CEO fica claro quando o ponto de vista muda: a Tencent atua no mercado social.

    Essa, possivelmente, é a grande aposta da gigante chinesa. Tudo a que assistimos, ouvimos, jogamos, conversamos sobre e compartilhamos está sempre conectado a uma vontade de buscar conexões com outras pessoas. De participar de um grupo, de um momento.

    Além de suas redes sociais, hoje a empresa investe pesado em outras plataformas de destaque, como participação na criadora do Snapchat, por exemplo.

    Seus investimentos mais notáveis nos últimos anos têm sido nos jogos online, uma estratégia que a empresa vê como muito lucrativa para aposta no engajamento social e faturamento com Ads.

    Os dois jogos mais populares do mundo, hoje, têm relação com a Tencent: ela é dona da Riot, desenvolvedora de League of Legends, e tem uma parte da Epic, criadora de Fortnite.

    O propósito da Tencent é apostar cada vez mais no mobile: jogos, apps e redes. A empresa entende que, nesse canal, está o centro das interações sociais na rotina das pessoas em todo o mundo.

    Os novos negócios da companhia

    Com uma presença tão massiva no mercado digital, a Tencent não demorou para perceber que tem tudo o que precisa para dar o próximo passo e investir no futuro.

    Se os usuários ativos do WeChat estão na casa do bilhão, quantos dados a empresa tem disponíveis para transformar em tecnologias e estratégias?

    A inteligência artificial é uma de suas apostas. A ideia é usar machine learning, com uma base tão grande de informações, para construir desde chatbots com linguagem mais natural até a aplicação em serviços de saúde — passando, claro, por tornar seus ads mais eficientes, utilizando dados de hábitos e interesses do público para encontrar as abordagens que mais geram engajamento para cada pessoa.

    A tendência é de que o investimento em tecnologia e interações humano-máquina aumente ainda mais. Sinais disso vêm da aquisição de uma empresa chinesa de produção de veículos elétricos, além de 5% de participação na americana Tesla Motors. Esse é considerado mais um passo da Tencent em direção ao desenvolvimento de carros autônomos.

    A relação da Tencent com a ByteDance, dona do TikTok

    Nenhuma empresa no mundo está livre de ser pega de surpresa por ideias disruptivas que ameacem seu marketshare. O que define as companhias com sucesso perene é sua capacidade de reagir a essas mudanças bruscas de mercado.

    Um grande exemplo disso foi a explosão do TikTok, mistura de aplicativo de vídeos curtos e rede social que dominou a China e agora vem se tornando popular também em outros mercados.

    O faturamento da ByteDance, empresa desenvolvedora do TikTok, ainda é modesto se comparado com a Tencent, mas já é suficiente para incomodar. Como agir perante uma iniciativa que está dominando o mercado rapidamente?

    A resposta da gigante chinesa foi se reposicionar e consolidar sua visão sobre o que acha importante em seus serviços. Para seus gestores, a febre dos vídeos curtos veio para adicionar às atividades de um usuário na internet, não substituí-las.

    Claro, a empresa respondeu com seu próprio serviço similar, mas o foco é em qualidade sobre quantidade, como eles mesmos frisam, além da prioridade em investimento tecnológico e em pesquisa.

    Pensando no futuro, a Tencent quer valorizar as conexões sociais entre pessoas, apostando em serviços e produtos que se tornem, cada vez mais, parte da rotina das pessoas — seja vídeo, seja música, jogos ou carros autônomos, é com essa postura que estão ganhando o mundo.

    O exemplo da Tencent de se posicionar como uma empresa que atua no mercado social é uma oportunidade para entender melhor como o foco em relacionamento na internet pode se tornar uma nova estratégia de atendimento e comunicação com o cliente. Leia nosso conteúdo sobre a nova era das comunidades online e veja uma abordagem possível desse tópico.

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Posts Relacionados

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!