Por Matheus Clemente

Gerente de Produto no Rock Stage

Publicado em 25 de agosto de 2019. | Atualizado em 6 de abril de 2020


WHOIS é o termo mais comum para o protocolo de consultas e respostas sobre DNS — domínios de sites. Sendo um dos protocolos mais antigos da web, sua maior importância é a segurança dos usuários e a proteção da rede mundial de computadores.

Se você está pensando em criar um blog ou site, saiba que o WHOIS é uma ferramenta essencial que você usará. Esse é um protocolo feito exclusivamente para identificar o endereço de recursos (domínios) da web.

Ou seja, em um banco de dados há informações registradas sobre o responsável por aquele endereço de internet e o WHOIS é quem pode encontrar ou expor esses dados. Porém, não é bem assim que funciona, pois são apresentadas apenas informações sobre a quem pertence o domínio de segundo nível — https://rockcontent.com, por exemplo.

As informações que não são mostradas são as de primeiro nível — como em “.com”, “.gov” e “.net” — e terceiro nível — como “/blog” em https://rockontent.com/blog —, pois se tratam de domínios globais e subdomínios, respectivamente.

Para entender mais a fundo sobre o tópico WHOIS, aproveite o post. Você vai encontrar aqui os seguintes tópicos:

Boa leitura!

 

Que tipo de informação eu encontro no WHOIS?

Antes de explicar como se executa uma pesquisa via WHOIS, é preciso saber quais informações podem ser encontradas e que tipos de endereços buscar. Os dados que retornam são:

  • data de criação do domínio;
  • data em que expira o registro;
  • informações de contato — administrativo, técnico e de cobrança;
  • status da transferência de domínio;
  • quais nomes de site estão disponíveis;
  • a quem contatar em caso de abuso.

Porém, ainda assim, há algumas restrições nos dados que são mostrados no resultado. Por exemplo, é possível contratar o serviço de Domain Privacy, que consiste na segurança de alguns dados que não podem ser expostos, como o endereço residencial do registrador. Além disso, há informações que dependem de outras empresas, como pagamento do domínio.

Geralmente, esses dados ficam disponíveis até expirar o registro do domínio — prazo anual — ou o registrador decidir ocultar com o Domain Privacy.

 

Como e onde pesquisar WHOIS?

Outro ponto importante é que existem diferentes ferramentas na internet que fazem a pesquisa WHOIS, pois, como dissemos, esse é um protocolo comum da web e feito exatamente para esse intuito. Porém, ainda assim existem aqueles sites mais populares, como:

  • Registro.br — para domínios registrados no Brasil, com denominação “.br” no final;
  • InterNIC — para domínios “.com” e “.net” registrados internacionalmente.

Na ferramenta brasileira é possível pesquisar:

  • domínios — basta digitar o nome completo do domínio “.com.br” ou “.br” e executar, respeitando as regras sintáticas para domínios
  • usuários (IDs) — só digitar o código do usuário (ID), sendo eles compostos por três ou cinco letras, seguidas ou não de algarismos;
  • titulares (entidades) — coloque o CPF ou CNPJ do titular, os quais devem ser digitados nos formatos padrão, com pontos, traço e barra;
  • IP ou bloco CIDR — pesquise por um número IP (exemplo: 200.200.200.200) ou um bloco CIDR (exemplo: 200.200/16).

Além disso, o WHOIS é muito usado quando as pessoas querem criar, por exemplo, uma landing page ou uma fanpage, servindo para entender a densidade de nomes semelhantes para domínio ou já registrados com os nomes pretendidos.

Já na ferramenta internacional, busca-se por:

  • domínios;
  • registros;
  • nomes de servidores.

As informações que o WHOIS para “.com” entrega na sua busca são:

Powered by Rock Convert
  • data de criação do domínio;
  • data em que expira o registro;
  • informações de contato de abuso;
  • status da transferência de domínio.
 

Por que o WHOIS brasileiro é diferente do internacional?

A ICANN — Internet Corporation for Assigned Names and Numbers, ou Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números — é a responsável pelo protocolo WHOIS, mantendo-o íntegro e funcional para seu propósito: registrar dados de todos os donos de domínios do mundo.

Como falamos na introdução, o motivo é segurança dos usuários, evitando problemas como fraudes e prostituição infantil.

Já a proteção da web garante a localização de indivíduos em desacordo com leis e regras, como os crimes cibernéticos, dando oportunidade para que as autoridades consigam atuar e prender essas pessoas.

Então, o WHOIS, essencialmente, não é diferente no Brasil e fora dele, pois é o mesmo protocolo que registra informações similares em todo tipo de domínio criado e mantido online.

A principal diferença está na atuação de Leis locais de Proteção de Dados Sensíveis, como a GDPR da Europa — sigla para General Data Protection Regulation. No Brasil, ainda não temos uma atuação de lei semelhante em 2019, mas já está previsto a vigência da LGPD — Lei Geral de Proteção de Dados em 2020, mudando o WHOIS em nosso país também.

 

Se o WHOIS é tão velho, não está na hora de aposentá-lo?

Olha, levando em conta esse fator, não. Uma tecnologia não fica obsoleta em função da idade que tem, mas sim pela substituição de suas funções por uma inovação mais completa, adequada e segura.

É exatamente o que acontecerá com nosso querido protocolo WHOIS, quando for substituído pelo RPAD — Registration Protocol Access Data, ou Protocolo de Acesso a Dados de Registro.

Trata-se de uma ferramenta mais moderna, que pode ser internacionalizada facilmente, agrupando bancos de dados espalhados pelo mundo. Além disso, haverá distinção entre as informações que podem ser exibidas publicamente e as que não podem, diferentemente do WHOIS, que é totalmente público.

Há ainda a questão da facilidade de compreensão dos dados apresentados. Atualmente, o WHOIS apresenta informações apenas em texto, sem hiperlinks, dificultando a transformação em dados rastreáveis.

Ademais, você pode registrar diferentes domínios, em diferentes países e bancos de dados com protocolo WHOIS, o que dificulta agrupar informações e encontrar o dono de múltiplos domínios — um exemplo é o Google.com.br e o Google.com.

Com o RPAD, essas informações serão únicas, listando todos os domínios registrados por uma mesma empresa, suas filiais e seu grupo.

Agora que você entende melhor o que é o WHOIS, já está preparado para criar seu site. Então, o que acha de baixar nosso material gratuito? Conheça nosso checklist para lançamento de sites!



Checklist para lançar sitePowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *