5 assuntos que todo redator deve dominar para se dar bem em 2018

assuntos que redator deve dominar

Ainda que não estejamos mais no inicinho do ano, temos tempo para nos preparar para o que vem por aí. Afinal, se você pensa que o redator web precisa dominar apenas a área ou assunto para o qual escreve, errou feio, errou rude. Ter conhecimento de atualidades e tendências é uma habilidade fundamental para uma processo importante, porém esquecido: o planejamento de conteúdo.

Para descobrir sobre quais tópicos as pessoas e mídias estão interessadas, dá-lhe pesquisa. Seja para colocar a persona por dentro desses assuntos, mostrar que o conteúdo é antenado ou até mesmo redigir sobre atualidades, não dá pra desconsiderar o contexto do momento na hora de escrever.

Já que não dá para tirar conclusões com base em nada (mesmo que você chame esse “nada” de “sexto sentido”, “instinto” ou “pensamento fora da caixa”), confira os assuntos que redator deve dominar e são tendência para este ano (quiçá, também para 2019, 2020, 2021…).

1. Blockchain

O assunto atingiu seu ápice no ano passado, mas é provável que você já tenha jogado este termo no Google e acabado com ainda mais dúvidas. Não é para menos: até alguns experts em programação se sentem confusos diante do assunto.

Para resumir, o Blockchain é uma cadeia de blocos (cê jura?) extremamente segura, mas instável. Cada um destes blocos possui informações específicas. No caso das criptomoedas, como o bitcoin, os blocos registram o recebimento e envio de valores.

Sim, a criptomoeda que bombou a partir de 2017, sendo comercializada a preço de Kinder Ovo, tem tudo a ver com o Blockchain. Devido ao fato de ser uma tecnologia transparente, sem intermediários e livre do controle de autoridades, este é um sistema que veio para ficar.

Falou em tecnologia, falou em copywriting, certo? Você pode aprender mais sobre o Blockchain em canais como Bitnada ou acessar o Media Sifter para entender como esse sistema funciona na prática.

Obs: não se preocupe. Não é preciso saber programar para aprender sobre este assunto.

2. Feminismo

Você pode dar o sangue por esta causa ou pensar que a autora é uma “feminazi” após ler o título deste tópico. Na real, não importa.

Sendo ou não um adepto ao feminismo, o redator precisa entender que escrever sobre “a mulher” ou o público feminino de qualquer forma estereotipada (ou pior: sexualizada) é um erro cada vez menos tolerado pelo tribunal da internet e pela sociedade em geral.

Divulgado em 2017, o estudo Compromisso Inegociável afirma que a mídia tem o papel de quebrar o padrão feminino submisso que criou no passado, já que o feminismo não é apenas uma causa conveniente, e sim um compromisso inegociável, que deve ser respeitado e levado a sério em todos os pontos de contato.

Ainda que o empoderamento feminino não seja uma novidade no marketing, desconstruir papéis de gênero, estereótipos, preconceitos e qualquer forma de sexismo deixou de ser um diferencial para se tornar uma obrigação de qualquer conteúdo que trate do assunto.

Na dúvida, evite enquadrar todas as mulheres ou homens em um só grupo, desconsiderando suas individualidades e generalizando comportamentos (ainda que se tratem de elogios ou características relativamente “boas”).

3. Grupos “glocais”

De acordo com as tendências para 2019 divulgadas pelo The Vision, as comunidades virtuais tendem a crescer ainda mais, priorizando valores e interesses em comum, e não a localização geográfica. Isso não é novidade. O grupo Redatores Web, da Comunidade Rock Content, é um exemplo!

O que dizer dessa tendência quando ela vai de encontro a “desglobalização”? Pessoas tendem a querer interagir com outras tanto localmente (na vida real), quanto virtualmente (por meio das redes sociais). Como o redator pode dialogar em um terreno comum?

A estratégia é compreender as diferenças e semelhanças de consumidores e cidadãos em um nível local. Isso permite a criação de uma verdadeira comunidade em torno da marca, blog ou conteúdo escrito. Compreender a relação entre ideias e culturas abre mais possibilidades para os grupos “glocais”, que não possuem fronteiras.

4. Eleições

Por incrível que pareça, o grande acontecimento do ano no Brasil não é a Copa nem o lançamento da nova temporada de La Casa de Papel, mas as eleições.

Desde 1989, a disputa nunca esteve tão aberta. A sociedade está cada vez mais dividida entre direita e esquerda, e cabe aos redatores evitar as colocações que gerem mal-entendidos em ambos. Naturalmente a disputa eleitoral irá aprofundar essa rivalidade.

Este é um dos assuntos que redator deve dominar porque a escrita exige, além de uma cautelosa investigação sobre os candidatos, um entendimento mais aprofundado do eleitor brasileiro. Isso implica no uso de colete à prova de preconceitos, nem contexto de corrupção e instabilidade política.

5. Conteúdo visual

Diversas marcas (principalmente no mercado B2B) que fazem sucesso com estratégias de marketing de conteúdo já sabem que os blog posts com boa escaneabilidade não são suficientes para conquistar sua audiência. Eles também usam abordagens midiáticas, como vídeos, infográficos e PDFs responsivos para dispositivos móveis.

Este ano, há ilustrações para lidar com dispositivos engajadores e interativos. Para isso, é preciso contar com uma criatividade que vai muito além da escrita para gerar experiências únicas e interessantes.

Manter-se atualizado sobre os assuntos que redator deve dominar em 2018 é essencial para o sucesso da sua estratégia. Se você gostou do post, aproveite para assinar nossa newsletter e receber todas as novidades do blog em primeira mão no seu email!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Como escrever o melhor briefing de e-book possível?

alt Gustavo Grossi
jun 20, 16 | Leitura: 5min

Vícios de linguagem: aprenda a se livrar deles!

alt Beatriz Fontenelle
jul 1, 15 | Leitura: 8min

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.