Conheça 5 tipos de websites

Entender os tipos de websites mais comuns da internet é fundamental para qualquer profissional que trabalhe com o ambiente digital. Conheça os principais neste post!

Co nheça 5 tipos de website

A disponibilização de conteúdo na Internet mudou bastante nos últimos anos. O que víamos antigamente eram páginas estáticas que demoravam para ser atualizadas. Quando era necessário mudar algo, a empresa ou instituição deixava isso a cargo de um programador que fazia as alterações diretamente no código-fonte.

Hoje, no entanto, existem inúmeros tipos de website, sendo importante conhecê-los e compreender as suas finalidades. Neste artigo, vamos falar sobre 5 dos principais tipos de websites. Cada um deles tem suas próprias características, sendo importante entender para quais propósitos eles podem ser desenvolvidos. Continue a leitura até o final!

1. Blog

O blog nada mais é que um website voltado para a publicação recorrente de conteúdos. É usado por empresas dos mais variados portes e segmentos para atrair o público e nutri-lo de informações durante a sua jornada de compra. Em outras palavras, antes de acessar o site e solicitar contato com alguém da empresa, o potencial cliente costuma primeiro acessar os conteúdos relacionados aos seus interesses e ao negócio. 

O uso de blogs, portanto, é um excelente meio de usar o marketing de conteúdo para iniciar um relacionamento com os clientes. Muitas pessoas têm dúvidas sobre certos assuntos ou pesquisam bastante antes de comprar um produto ou serviço na Internet. Com o auxílio de um blog com conteúdos claros, objetivos e bem estruturados, as chances de fechar negócio tendem a aumentar, principalmente a médio e longo prazo. Além do texto, outros formatos de conteúdo podem ser usados em uma postagem de blog, como:

2. Loja virtual

A loja virtual é um dos principais componentes de um e-commerce. É por meio desse tipo de website que uma empresa disponibiliza os seus produtos, além de suas características, especificações técnicas e o preço. Não faltam exemplos para citar de lojas virtuais, sendo que a Amazon e a Americanas podem ser considerados dois dos principais players do segmento. 

Em relação a um blog, existem diferenças relevantes de uma loja virtual. Uma delas é a área de checkout, na qual o cliente finaliza o pedido e inicia o processo de entrega da sua encomenda. Outro ponto que diferencia os dois é que na loja virtual as empresas geralmente inserem uma área com dúvidas mais frequentes dos consumidores, também conhecido por FAQ.

Também vale destacar as questões de segurança da informação, que costumam ser tratadas com mais cautela em um site de comércio eletrônico. 

O lojista deve lançar mão dos chamados certificados SSL e TLS, que são responsáveis por assegurar a segurança das transações, evitando que terceiros façam a interceptação dos dados. Portanto, a loja virtual tem uma estrutura bastante complexa, mas a empresa pode usar a estratégia de blog para segmentar melhor o público que acessa o site do seu comércio eletrônico.

3. Portfólio

Pessoas e empresas podem adotar um website do tipo portfólio para divulgar seus produtos e serviços. Em muitos casos, um Curriculum Vitae não transmite aos empregadores e potenciais clientes as informações que demonstrem os conhecimentos e habilidades de um candidato a uma vaga de trabalho, por exemplo. Além disso, existem várias plataformas na Internet que permitem às pessoas em geral montar portfólios de forma rápida e disponibilizá-los na rede.

Trazendo para a realidade das empresas, o portfólio pode ser composto pelos melhores serviços prestados aos clientes no passado. Dessa forma, demonstra-se profissionalismo e seriedade aos potenciais clientes, aumentando, assim, a chance de fechar negócios. 

Muitos websites do tipo portfólio têm um botão para entrar em contato com a empresa, no intuito de pedir um orçamento, tirar dúvidas ou conhecer outros trabalhos que não foram publicados, por exemplo. 

4. Site institucional

O site institucional é aquele que apresenta as informações de uma empresa, como endereço e contato. Além disso, deve apresentar a logo da companhia, bem como os seus produtos, serviços e uma área de “sobre”, para que as pessoas saibam como surgiu a empresa, um pouco da sua história, seus valores, visão e missão. 

Como falamos, muitas pessoas que acessaram antes o blog da empresa tendem a visitar o site institucional. Trata-se, portanto, de um tráfego não só mais qualificado, mas também com chances maiores de fechar um negócio. No entanto, existe a possibilidade de alguém acessá-lo diretamente e já querer comprar. 

Nesse sentido, uma tendência em crescimento é o uso de chatbots, que são robôs programados para fazer um atendimento inicial a quem acessa o site institucional. Vale destacar que eles podem ser usados também em blogs e lojas virtuais, sendo um meio bastante eficiente de solucionar dúvidas recorrentes e construir um relacionamento de longo prazo entre cliente e empresa.

5. Site dinâmico

Os websites antigamente, em sua imensa maioria, eram estáticos, sendo bastante usados no meio acadêmico em geral, por exemplo. No entanto, com a popularização da Internet, surgiu a necessidade de tornar as páginas dinâmicas, de modo que uma pessoa sem conhecimento em HTML possa fazer alterações sempre que desejar. Um dos principais exemplos de site dinâmico é o Facebook, pois se ele fosse estático, seria impossível postar fotos, textos e vídeos, sendo um dos fatores que mais contribuiu no sucesso da plataforma. 

Embora seja mais complexo de manter, um site dinâmico oferece muitas vantagens aos proprietários e usuários. Uma das razões disso é que eles costumam ter o chamado CMS, ou gerenciadores de conteúdo. Com o auxílio de um CMS, é possível fazer atualizações em publicações de blogs e a inserção de novas postagens sem precisar mexer no código fonte ou conhecer HTML, CSS e Javascript. O WordPress é um dos principais gerenciadores de conteúdo, sendo usado por pessoas e empresas dos mais variados segmentos de mercado. 

Os 5 principais tipos de websites citados no texto podem trazer melhores resultados pelo uso de mídias interativas. Trata-se de uma excelente forma de cativar o público e promover uma experiência de navegação única e personalizada. Existe um grande mercado esperando por freelancers dispostos a tirar projetos do papel e explorar o uso de mídias interativas em websites. 

Gostou do artigo? Então, não perca tempo e venha fazer parte do nosso banco de talentos!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail
Rafael Pinheiro
Briefing

Kamila Silva

Rafael Pinheiro
Copyeditor

Thiago Murça

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.