Por Thiago Xavier

Redator Freelancer na Rock Content

Publicado em 17 de janeiro de 2019. | Atualizado em 17 de junho de 2019


Uma estratégia de Answer Engine Optimization (AEO) tem como função conseguir que os conteúdos da sua marca apareçam nas respostas das pesquisas por voz. Entenda como isso se encaixa nas suas ações de marketing digital e confira algumas medidas para começar a executá-la.

Se você gerencia o website de uma empresa, certamente conhece os benefícios do SEO como estratégia para aumentar o reconhecimento da sua marca.

Contudo, com a evolução dos métodos de consulta dos mecanismos de busca — e dos próprios algoritmos dos buscadores —, temos observado a ascensão de um novo tipo de tática de marketing digital: o Answer Engine Optimization (AEO).

Continue conosco para saber por que ela merece a sua atenção e como colocá-la em prática para incrementar a sua estratégia.

O que é Answer Engine Optimization?

À medida que as pesquisas por voz ganham terreno, os mecanismos de busca têm se aperfeiçoado para entregar a resposta mais apropriada e confiável possível aos questionamentos do usuário.

Por isso, é seguro dizer que estamos observando uma propensão dos buscadores em se especializar também como mecanismos de respostas.

Então, ainda que as técnicas de SEO continuem importantes, tem sido necessário criar novas ações para otimizar o site para essa nova realidade, dando origem ao AEO.

Experimente fazer uma solicitação ao Google em forma de pergunta — mesmo que seja digitada — e veja como ele já procura entregar uma resposta definitiva ou uma lista com os fatos mais pertinentes. Repare como você não precisou clicar em nenhum resultado para ter acesso a essa informação.

Como a busca por voz é utilizada?

Assistentes digitais como a Siri e o Google Assistant são exemplos de aplicações que, dependendo da requisição, podem dar uma resposta proveniente do Google ao usuário de dispositivo móvel.

Amazon Echo, Google Home e outras caixas de som com assistentes controladas por voz também podem precisar recorrer ao mecanismo de busca quando o usuário faz uma consulta.

Por fim, quando acessamos o próprio Google a partir de um navegador web, temos a opção de usar a pesquisa por voz.

Será, então, que a busca por meio da fala é uma evolução natural da busca por digitação?

A evolução da busca

Uma excelente maneira de entendermos a evolução das buscas é estudando as atualizações do algoritmo de rankeamento do Google. Os constantes aprimoramentos têm o objetivo de entender melhor o que o usuário deseja e, com base nisso, entregar os resultados mais relevantes.

Um marco para o Google nesse sentido foi a atualização Hummingbird, que foi ao ar em 2013. Entre diversas finalidades, ele procurava interpretar a intenção e o contexto de quem faz a busca, e não só a correspondência de palavras-chaves.

Ou seja, a semântica passou a ter um papel fundamental no algoritmo. Ainda que o Google já contasse com a busca por voz nessa época, essa atualização trouxe ainda mais precisão às pesquisas por meio da linguagem falada.

Talvez você tenha mais familiaridade com a busca textual, afinal, por muitos anos esse era o principal tipo de interação com as máquinas. Porém, a fala é uma forma de comunicação mais natural, sem contar que também é bem mais ágil que a digitação.

O comportamento dos usuários

Além de ser um meio habitual de se comunicar, a busca por voz se relaciona com a popularização dos smartphones e das conexões móveis.

No desktop, em geral, temos mais paciência para olhar os resultados e fazer uma busca mais aprofundada. Por outro lado, quando fazemos uma pesquisa a partir de um aparelho mobile, é comum querermos uma resposta rápida para alguma pergunta ou uma solução imediata para um problema.

Outra possibilidade é quando não podemos ficar olhando para a tela ou quando estamos com as mãos ocupadas, como ocorre enquanto dirigimos.

Já em relação aos assistentes por voz — que ainda estão em ascensão —, o que temos é a praticidade de realizar uma consulta enquanto estamos fazendo alguma outra tarefa, como lavar a louça, limpar a casa ou cozinhar.

Seja qual for a situação, podemos observar que as buscas por voz costumam ser mais específicas e ter um tom de conversa que as buscas textuais normalmente não tem. Isso tende a revelar a intenção do usuário com mais clareza.

Enquanto uma consulta digitada tende a ter menos termos, como em “relevância marketing de conteúdo”, a busca por voz tem mais sentido com frases completas na forma de questionamento, como em “por que o marketing de conteúdo é tão importante para as empresas?”.

Diante de todas essas mudanças, o AEO ganha destaque como mais uma competência fundamental para os profissionais de marketing digital — e, por que não dizer, de audio marketing.

Mas como ele se diferencia do SEO?

Quais são as diferenças entre AEO e SEO?

A função do SEO é otimizar um site para determinadas palavras-chave e temas que estejam relacionados ao seu negócio, de modo a obter o melhor posicionamento possível nos resultados das buscas.

Ao contrário do que possa parecer, o AEO não tem a função de substituir o SEO. O que ele traz é uma mudança de enfoque no seguinte sentido: cuide da credibilidade da sua marca e dos seus conteúdos, que por sua vez deverão ser elaborados tendo em mente os questionamentos do seu público.

Lembre-se que a ideia é ranquear em uma colocação ainda mais especial que a primeira posição. No caso do Google, chamamos esse resultado de featured snippet, ou posição 0.

Um featured snippet pode aparecer quando o usuário faz uma pergunta. A diferença para os outros resultados é que ele é o único que aparece em destaque e com um resumo da resposta. Assim como os demais, ele tem o título da página de onde a informação foi retirada e a sua URL.

O trabalho de AEO também precisa considerar que o mecanismo de busca deve interpretar com clareza as informações que a sua empresa tem a oferecer. Logo, criar materiais mais específicos e detalhados precisa ser mais uma preocupação.

Qual é a importância do Answer Engine Optimization para a sua estratégia?

Segundo um estudo da consultoria PwC, nos Estados Unidos, 65% das pessoas entre 25 e 49 anos utilizam um dispositivo ativado por voz pelo menos uma vez ao dia.

Somado a isso, uma pesquisa encomendada pelo Google revelou que 72% das pessoas que têm um assistente digital afirmam que o dispositivo faz parte de suas rotinas diárias.

Esses dados mostram que as buscas por voz têm um ótimo potencial de crescimento. A tendência é que nos próximos anos elas superem as consultas por texto, assim como as buscas no Google a partir de aparelhos móveis já superaram as buscas via desktop em alguns países.

Logo, incorporar o AEO à sua estratégia pode ser um grande diferencial nas suas ações de marketing digital.

Como utilizar o AEO em minha estratégia?

Agora que já entendemos o contexto em que o Answer Engine Optimization aparece e qual é a sua importância, vamos ver como você pode colocá-lo em prática.

Use a semântica HTML5

Quando o buscador precisa oferecer uma resposta ao usuário, além de escolher os sites mais relevantes, ele procura por informações organizadas, que ajudem o mecanismo a interpretar a estrutura daquele conteúdo da melhor maneira possível.

Os elementos semânticos do HTML5 são tags que definem o tipo de conteúdo que está dentro delas. A tag <section>, por exemplo, define uma seção de um documento, enquanto a tag <div> não diz muito sobre o que ela pode conter.

Utilize o schema.org

Outra maneira de organizar melhor as informações dentro das suas páginas é por meio da marcação de dados estruturados usando o schema.org. Trata-se de uma espécie de codificação que complementa o HTML, auxiliando os mecanismos de busca na compreensão do conteúdo.

Uma das maneiras mais simples de fazer isso é usando a ferramenta de marcação do Google Search Console, que ajudará a gerar essa codificação para você.

Guia do Google Search ConsolePowered by Rock Convert

Fortaleça a credibilidade

Lembra quando falamos que o AEO tem muito a ver com a credibilidade do seu site? Já que esse é um dos pilares dessa estratégia, garanta que os materiais que você publica tenham informações confiáveis e de qualidade.

Faça pesquisas com o seu público para descobrir quais são os seus principais questionamentos e crie conteúdos esclarecedores com base nisso. Uma ferramenta de enquete online, como o Typeform, pode ser bastante útil.

Inclua também botões de redes sociaise incentive o compartilhamento. Quando muitas pessoas espalham seus materiais, é um forte sinal de aprovação.

Do mesmo modo, procure inserir funcionalidades de avaliação do conteúdo, como a nota de 0 a 5 estrelas. É um outro indicativo para o mecanismo de busca saber se o que você publica é fidedigno ou não.

Por fim, invista em uma estratégia de link building. Assim, você aumenta as chances de conseguir que sites de maior autoridade — e, portanto, mais confiáveis — apontem para o seu.

Portanto, saia na frente! Coloque o Answer Engine Optimization no seu radar e comece já a otimizar o seu site para as buscas por voz.

Quer conhecer outros fatores que vão direcionar a indústria da comunicação online? Então confira as maiores tendências de marketing digital esperadas para os próximos meses.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *