Por Camila Casarotto

Redatora Freelancer da Rock Content

Publicado em 21 de janeiro de 2020. | Atualizado em 14 de maio de 2020


Conteúdos interativos são um tipo de conteúdo que exige do usuário alguma ação, trazendo como vantagem o aumento do engajamento e a produção de dados relevantes para as equipes de venda. Alguns exemplos de conteúdo interativo são: quizzes, calculadoras e vídeos interativos.

(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post! Deixe nos comentários o que achou.)

Quem nunca se pegou fazendo um teste para saber que tipo de amigo você é ou se divertiu com infográficos animados na web?

Não adianta: conteúdos interativos como esse conquistam a nossa atenção!

As pessoas gostam de estímulos criativos, que fujam do comum e que as façam interagir.

Para as marcas, eles podem ser muito mais eficientes que as abordagens tradicionais de publicidade e vendas. Por isso, esse tipo de conteúdo está conquistando espaço nas estratégias de marketing. 

Conteúdo interativo é a nova força do Marketing de Conteúdo. Até então, essa estratégia englobou principalmente materiais consumidos passivamente, como ebooks e blog posts.

Chegou a hora de estimular a sua audiência a participar do seu conteúdo. E é sobre isso que vamos falar neste artigo.

A seguir, você vai saber:

Quer entender tudo isso? Então, acompanhe!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert
 

O que é conteúdo interativo?

Conteúdo interativo são materiais dinâmicos que estimulam a participação do usuário para transmitir suas informações.

Eles não precisam ser necessariamente digitais, mas é na internet que esse tipo de conteúdo ganha uma infinidade de formatos — calculadoras, quizzes e infográficos animados, por exemplo — e novas possibilidades de interação.

Se você viveu a década de 1990, deve se lembrar do programa “Você Decide”, certo?

Já tínhamos aí um exemplo de conteúdo interativo: antes de terminar o episódio do dia, os telespectadores podiam ligar para a emissora e escolher o final a que queriam assistir.

programa você decide

Porém, o poder de interatividade da mídia deu um salto com o surgimento da internet, especialmente após a popularização dos blogs e redes sociais.

A partir daí, as marcas passaram a conviver com a participação dos consumidores em seus conteúdos.

Porém, o Marketing de Conteúdo se apoiou preponderantemente em uma lógica de consumo passivo. Ou seja, as marcas publicam conteúdos e aguardam o feedback dos usuários, por meio de likes, reações, comentários e compartilhamentos ou pelo comportamento de navegação em sites e blogs.

Já é muito mais interatividade que tínhamos no marketing offline ou no início da internet, mas as marcas podiam ir além.

O conteúdo interativo, então, surgiu para proporcionar uma abordagem mais instigante e divertida para o consumidor, diante da enorme quantidade de materiais que ele tem para consumir na web.

Esse tipo de conteúdo demanda que o usuário interaja com o material para receber a informação que deseja, de uma maneira muito mais atrativa para ele do que apenas ler um texto.

Cada interação com o conteúdo representa um sinal do usuário para a marca. Em entrevista para a Rock Content, Mary Ward, CMO da Scribblelive, definiu o conteúdo interativo como algo que leva as pessoas a darem feedback.

É diferente, por exemplo, do download de um PDF ou da leitura de um texto no blog, quando não há feedbacks durante o consumo do conteúdo.

Assim, o conteúdo interativo permite entender se as pessoas realmente consumiram o seu material, ao mesmo tempo em que proporciona uma experiência muito mais interessante para o consumidor.

Para explicar esse conceito com mais precisão, nosso CMO, Vitor Peçanha, gravou um vídeo especialmente para apresentar o que significa conteúdo interativo. Confira!

 

Quais são os benefícios de um conteúdo interativo?

Conteúdo interativo está cada vez mais ganhando força no marketing. Mas você quer entender melhor se vale a pena investir nesse tipo de material nas suas estratégias?

Vamos elencar agora quais são os principais benefícios do conteúdo interativo.

Aliar conteúdo e experiência

Ebooks, infográficos e blog posts são valiosos para educar o consumidor, porque trazem muita informação.

Quando se tornam interativos, eles agregam um valor que atrai e engaja as pessoas: a diversão.

Conteúdo interativo, portanto, alia informação e entretenimento. Assim, o usuário se sente estimulado a consumir aquele conteúdo, que contém atrativos para prender sua atenção até o fim.

Um quiz, por exemplo, exige que a pessoa percorra todas as perguntas e vá até o fim para receber a resposta — o que pode ser mais difícil em um ebook ou artigo de blog.

Então, o conteúdo deixa de ser passivo e estático para proporcionar uma experiência de consumo às pessoas.

Essa mudança é ainda mais relevante se considerarmos a geração Y — os millennials, nascidos entre 1980 e 1995, que estão no mercado ditando tendências e influenciando comportamentos de consumo.

Esses jovens viram a internet nascer e o mundo se tornar mais veloz. Por isso, essa geração é dinâmica e imediatista.

Então, não adianta oferecer conteúdos estáticos, entediantes e irrelevantes — eles precisam de inovação, desafios e experiências. O conteúdo interativo, portanto, atende aos seus anseios.

Sobre as gerações que vêm na sequência, a dinâmica dos conteúdos já não vai mais ser uma escolha, e sim uma necessidade para se comunicar com eles.

Aumentar o engajamento

Oferecer uma experiência de consumo em vez de um conteúdo estático é o caminho para aumentar o engajamento com a sua marca. Esse é o grande benefício do conteúdo interativo, que passa a ser uma solução no marketing.

O Marketing de Conteúdo cresceu tanto que saturou os consumidores com muitos estímulos e posts em blogs e redes sociais, muitas vezes sem qualidade ou relevância.

Com pouco espaço para ganhar esse consumidor abarrotado de informações, as marcas precisam de formas criativas para atrair sua atenção. Então, o conteúdo interativo resolve essa questão.

O conteúdo passivo dá espaço para o surgimento de formatos interativos, que aumentam o tempo de engajamento e o nível de envolvimento com a marca.

Ao ler um infográfico interativo, por exemplo, o usuário é surpreendido com uma nova forma de consumir informações, muito mais leve e divertida. Isso estimula que ele leia todo o conteúdo, apreenda a mensagem e ainda queira compartilhar com a sua rede.

Esse aumento no engajamento fica evidente ao analisar métricas como o tempo de permanência no site ou os compartilhamentos do link (tráfego de referência).

Além disso, você também pode analisar as métricas de consumo para entender se os usuários realmente consumiram todo o conteúdo interativo.

Receber mais feedbacks dos usuários

Outro benefício do conteúdo interativo é receber uma grande riqueza de dados de feedback dos usuários.

Como falamos, conteúdos passivos não mostram se o consumidor realmente consumiu um material.

Você só sabe, por exemplo, quantos usuários fizeram download ou rolaram até o fim de uma página de blog. Mas não sabe dizer se eles realmente leram o conteúdo, não é?

Já o conteúdo interativo fornece dados durante o consumo do conteúdo. Você pode identificar visualizações, cliques e interações com cada elemento do seu material interativo, além de avaliar pontos de saída.

Segundo levantamento da Scribblelive, 60% das organizações que usam conteúdo interativo conseguem medir melhor a sua eficiência, enquanto esse percentual é de apenas 25% entre as que usam conteúdo passivo.

Digamos, por exemplo, que você tenha criado um questionário para o cliente entender qual solução precisa para resolver seu problema. Então, cada questão respondida representa uma métrica para verificar a eficiência da sua estratégia e conhecer melhor o usuário.

Assim, você pode verificar se os usuários percorreram todo o seu conteúdo, além de coletar dados valiosos sobre o seu público, seus comportamentos, dores e necessidades, que depois podem ser usados para otimizar suas estratégias.

Portanto, os benefícios do conteúdo interativo não se limitam ao Marketing de Conteúdo — eles podem contribuir para toda a estratégia de marketing.

Otimizar a geração de leads e conversões

Conteúdo interativo não gera apenas mais engajamento — ele também traz resultados em leads, vendas e faturamento para as empresas.

Afinal, um conteúdo dinâmico, com apelo visual, que proporciona uma experiência mais rica é capaz de despertar o desejo dos consumidores. Além disso, ao prender a atenção deles, esse tipo de conteúdo também consegue guiá-los na sua jornada até a conversão.

Para isso, você pode contar com ferramentas para criar conteúdos interativos (mais adiante, você vai conhecer algumas delas).

Algumas dessas ferramentas oferecem recursos para otimizar as conversões e testar aplicações para saber quais funcionam melhor.

Você pode testar, por exemplo, duas versões de layout da sua landing page para saber qual delas gera mais conversões.

Assim, você torna a experiência do usuário mais interessante e colhe melhores resultados do seu conteúdo.

Tudo sobre conteúdo interativoPowered by Rock Convert
 

Quais tipos de conteúdo interativo produzir? Veja alguns exemplos

Para entender melhor o que é um conteúdo interativo, vamos mostrar quais tipos de materiais você pode publicar e alguns exemplos para inspirar a sua produção.

Alguns desses materiais são interativos por natureza, como os quizzes e as calculadoras. Por outro lado, existem conteúdos que podem ser tornados interativos, como ebooks e infográficos. 

Note também que você pode mesclar diferentes tipos de conteúdo interativo em um só material. Uma mesma página pode apresentar um infográfico interativo e, ao final, incluir um quiz para o usuário testar seu conhecimento sobre aquele assunto (e para você verificar a eficiência do conteúdo).

Agora, então, conheça alguns tipos de conteúdo interativo e se inspire!

Quizzes

Quiz é um tipo de conteúdo interativo que já conquistou muitos adeptos! Eles se popularizaram na web com os testes do Buzzfeed e se tornaram ferramentas de interatividade para as marcas.

Eles podem ser usados para educar e entreter o público, geralmente com uma linguagem leve e divertida, além de capturar insights sobre a sua maturidade no tema.

Quando são criativos e relevantes para o público, eles têm também um alto poder de viralização!

Veja, por exemplo, esse quiz que busca resolver uma série de mitos sobre máquinas de lavar roupas.

Aqui na Rock Content, já criamos diferentes tipos de quiz. Um dos materiais de maior sucesso foi o teste Carreira Freelancer, que gerou mais de 1000 leads já no primeiro dia no ar.

Calculadoras

Calculadoras são conteúdos interativos que ajudam a mostrar como o seu produto pode ajudar no bolso do consumidor.

Você pode mostrar como ele pode economizar, ganhar dinheiro ou se planejar financeiramente, dependendo do tipo de solução que você oferece.

Esse tipo de conteúdo pode ser combinado com um material que explique o valor do seu produto para o mercado, de maneira que a calculadora corrobore o que você está falando.

Um bom exemplo é essa calculadora que mostra quanto dinheiro você economiza ao amamentar o seu bebê em vez de usar fórmulas prontas.

Esse material é combinado com dados e estatísticas que provam os benefícios da amamentação.

Aqui na Rock Content, criamos uma Calculadora Freelancer para ajudar a nossa comunidade de freelancers a calcular os seus ganhos e se planejar para alcançar seus objetivos.

Ebooks

Em vez de entregar um PDF estático para o seu público, que tal criar um conteúdo interativo para apresentar as informações de um ebook?

Você pode combinar o texto com vídeos, imagens, gráficos e animações. Com interatividade e apelo visual, o consumo do ebook se torna muito mais interessante e prazeroso.

Aqui você pode ver um exemplo da Salesforce, que transformou um ebook em uma página atrativa e cheia de animações.

Neste exemplo, quem ainda quiser guardar o material em formato PDF pode baixar o arquivo depois de informar seus dados de contato.

Infográficos

Infográficos já são uma forma de transmitir dados e informações com apelo visual. Mas você sabia que pode torná-los ainda mais atrativos?

É só adicionar pontos de interatividade com o material, de maneira que o leitor participe do conteúdo.

Veja, por exemplo, esse infográfico interativo que busca educar desenvolvedores sobre a segurança de aplicativos. O material traz gráficos animados, botões interativos, testes e, ainda, a possibilidade de download.

A Netflix tem outro bom exemplo de como transmitir informações e dados de maneira atrativa para o leitor.

Cocainenomics é um case de branded content que foi usado para promover a série Narcos e trouxe uma série de dados sobre narcotráfico. Ao final, inclui ainda um quiz sobre as informações apresentadas.

Você pode se interessar por esses outros conteúdos
👉 Aplicações do software Ion para gerir os updates da Covid-19
👉 Como gerar receita com conteúdo interativo
👉 4 tipos de conteúdos interativos para fase de consideração
👉 Conteúdos interativos para a fase de decisão da jornada

White Papers

White papers costumam apresentar conteúdos mais técnicos que ebooks e blog posts. Eles vão direto ao ponto e funcionam como um manual ou guia para executar uma estratégia ou ação. Por isso, torná-los interativos é um caminho para que esse material seja mais atrativo e apreensível.

Esta página, por exemplo, apresenta os capítulos de um white paper em diferentes páginas, com botões para navegar pelo conteúdo.

Landing Pages

Uma landing page tem um objetivo claro: gerar conversões. Então, adicionar interatividade nessas páginas pode ajudar a despertar o desejo do visitante e convencê-lo a deixar seus dados de contato para tornar-se um lead.

Aqui você pode ver um exemplo de landing page da DHL com conteúdos visuais e animados para tornar a experiência mais interessante.

Lookbooks

Lookbook é um material bastante visual, geralmente composto por fotografias, bastante usado por marcas de moda para apresentar produtos, modelos, fotógrafos e estilistas (embora possa ser usado em qualquer nicho).

Só que os lookbooks costumam ser estáticos, em formato PDF ou até mesmo impressos.

Para que eles sejam mais atrativos, você pode criar lookbooks interativos.

A operadora de viagens Northstar Travel criou um lookbook interativo para apresentar o destino de Los Cabos e ainda incluiu um quiz e um formulário de contato ao final.

Questionários

Os questionários são parecidos com os quizzes, mas geralmente apresentam uma linguagem mais séria e um conteúdo mais aprofundado. A intenção não é apenas entreter, mas principalmente ajudar o consumidor na sua jornada.

No início da jornada, o questionário pode ajudá-lo a identificar suas necessidades. No fim da jornada, o material pode ajudar a mostrar qual solução ele deve adotar para o seu problema.

Dessa forma, você também pode coletar dados sobre esse consumidor para saber em que etapa da jornada ele está e qual abordagem de marketing e vendas deve utilizar.

Este questionário, por exemplo, ajuda as empresas a identificarem suas necessidades na área de gestão de contratos, por meio de seis perguntas estratégicas.

Ao final, o usuário fornece seus dados para receber os resultados e as recomendações da empresa.

Biblioteca de recursos

Uma biblioteca de recursos reúne diferentes conteúdos que uma empresa já produziu para a sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

Em vez de oferecer uma lista de links para os usuários acessarem esses materiais, você pode criar uma página interativa para facilitar que eles encontrem facilmente o que desejam.

Foi isso, por exemplo, que a Symantec fez com a sua biblioteca de recursos, que é dividida em categorias e inclui também áreas de acesso restrito.

Buscador de soluções

O buscador de soluções também lembra um quiz ou um questionário. Porém, ele tem um objetivo mais específico: guiar o consumidor por meio de perguntas para que ele encontre a solução certa para o seu problema.

Este site, por exemplo, ajuda os consumidores a escolherem a garantia estendida certa para o seu carro — o que pode ser um conteúdo difícil e chato de explicar.

Com a resposta final, o usuário é direcionado para contratar os planos que a empresa oferece.

Vídeos

Vídeos já são um tipo de conteúdo envolvente, por ter um visual e uma narrativa mais dinâmicos que conteúdos textuais ou estáticos. Mas eles podem ser ainda mais atrativos se convidarem as pessoas a interagirem com o conteúdo.

O programa “Você Decide”, que mostramos antes, é um exemplo de conteúdo interativo em vídeo. No YouTube, porém, as possibilidades de interação são mais imediatas.

A plataforma permite inserir botões de interação que direcionam os usuários para outros vídeos que eles queiram assistir.

Foi com base nesse recurso que uma pizzaria da Nova Zelândia criou uma experiência interativa para os usuários no YouTube.

O conteúdo convida as pessoas a ajudarem um entregador de pizza a fazer seu serviço sem ser morto por zumbis. Ao longo da história, o usuário é convidado a escolher a alternativa que o levará para o próximo conteúdo. Bacana, né?

 

Resultados de pesquisas

Apresentar os resultados de uma pesquisa, cheios de dados e gráficos, pode se tornar enfadonho para o público-alvo.

Por isso, criar um conteúdo interativo para apresentar esses dados pode ser mais eficiente para que as pessoas apreendam as informações.

Um exemplo interessante é o projeto selfiecity, que pesquisa as formas como as pessoas tiram selfies em diferentes cidades do mundo.

No site, é possível navegar pelos dados coletados em gráficos interativos e entender melhor os resultados da pesquisa.

resultado de pesquisas interativas

Mapas

Desde que o Google Maps surgiu, mapas interativos se tornaram cada vez mais usados para diferentes fins. Eles podem servir para entreter ou para informar, de maneira semelhante a um infográfico interativo, só que com dados de geolocalização.

Quer um exemplo? No projeto Cocainenomics, que apresentamos anteriormente, a Netflix utilizou um mapa interativo, baseado no Google Maps, para mostrar as rotas do narcotráfico nas últimas décadas.

mapas interativos
 

Como produzir conteúdo interativo? 5 dicas para aproveitar essa estratégia

Para produzir conteúdos relevantes, você precisa pensar primeiramente na persona. Quem é o seu público, como ele se comporta, quais são suas dores e necessidades? A partir daí, você tem um público em mente para produzir seus materiais.

Para produzir conteúdos relevantes, você já sabe que precisa criar uma persona, conhecer as dores do seu público e definir objetivos antes de qualquer coisa. Esses passos valem para qualquer tipo de conteúdo.

Agora, selecionamos algumas dicas que valem também para toda a sua estratégia de Marketing de Conteúdo, mas que podem ajudar mais ainda nos conteúdos interativos. Acompanhe!

1. Utilize conteúdos que você já tem

No começo de uma estratégia de conteúdo interativo, você pode usar materiais que já possui e que tenham potencial para a interatividade. Assim, você dá um novo formato e um novo propósito para eles.

Selecione, por exemplo, algum ebook que tenha gerado bastante engajamento para transformá-lo em uma página interativa. Ao final, você pode adicionar um quiz para testar os conhecimentos do visitante.

2. Produza conteúdo interativo para as etapas do funil

De olho nas dores da persona e nos seus objetivos de marketing, defina quais conteúdos você vai produzir pensando nas etapas do funil.

Isso é essencial para que o seu conteúdo interativo cumpra sua função no ciclo de vendas — fazer o lead avançar no funil mais rapidamente —, em vez de desperdiçar esforços com publicações sem propósito.

Um lookbook, por exemplo, pode ser usado no topo do funil, para que o lead comece a se aproximar da sua empresa com um material bastante visual e atrativo.

Já uma calculadora é ideal para o fundo do funil, quando o lead já está no momento final da decisão de compra e precisa perceber os benefícios financeiros de adquirir a sua solução.

3. Crie conteúdos interativos com layout responsivo

Você já sabe como é importante adotar layouts responsivos na web, em um contexto em que o consumidor utiliza o celular para tudo, em todas as etapas da jornada de compra.

Por isso, a responsividade vale também para o conteúdo interativo.

Como esse tipo de conteúdo envolve muitos botões, animações e interações com o usuário, é preciso se certificar de que todos os elementos funcionem bem em qualquer tamanho de tela. Geralmente, as ferramentas de criação dos conteúdos já incluem essa funcionalidade, mas é sempre importante testar antes de publicá-los.

4. Otimize as estratégias com os dados coletados

Os materiais interativos permitem coletar uma infinidade de dados sobre o consumidor. Como já dissemos, você identifica não apenas se o usuário baixou um conteúdo, mas também se ele leu todo o conteúdo e se absorveu as informações.

Mas esses dados só têm valor para a sua empresa se forem utilizados para gerar insights e otimizar as estratégias de marketing.

Eles podem ajudar a:

  • conhecer melhor o consumidor;
  • construir a persona da marca;
  • otimizar a segmentação das campanhas de marketing;
  • personalizar as abordagens de marketing;
  • melhorar as abordagens de vendas.

5. Capture os dados de contato dos visitantes

Não perca a chance de coletar os dados dos visitantes para nutri-los ao longo do funil de vendas.

Quando oferecer um quiz ou um questionário, por exemplo, você pode liberar as respostas somente depois que o usuário informar seu contato.

Em um buscador de soluções, você pode solicitar o e-mail do visitante para enviar orientações personalizadas a ele.

É importante mostrar o benefício que você vai oferecer se ele informar os dados de contato.

 

Ferramentas para produzir conteúdos interativos

Então, você quer começar a produzir conteúdo interativo, mas não sabe por onde começar? Existem ferramentas que podem ajudar você nessa tarefa!

Em vez de contratar um desenvolvedor para criar cada peça de conteúdo interativo, você pode criar dezenas delas por conta própria, com o uso de templates e recursos fáceis de usar.

Vamos mostrar agora algumas opções.

ion Interactive

A ion Interactive, ferramenta da Rock Content, é a principal referência de plataforma para produção de conteúdo interativo.

Ela oferece templates com layout responsivo para os diferentes tipos de conteúdo interativo que apresentamos neste artigo, sem que você precise criar uma linha de código sequer.

Além disso, também oferece recursos de testes de otimização, para saber quais materiais vão gerar mais conversões, e de mensuração, para saber se eles atingiram os resultados que você gostaria.

Abaixo você pode ter uma ideia do visual da ferramenta e de como ela é fácil de usar:

ferramenta ion

Dot

A Dot é outro exemplo de plataforma que permite criar conteúdos interativos. Com recursos simples, você pode criar quizzes, calculadoras, lookbooks, questionários, entre outros tipos de conteúdo interativo, tudo por conta própria, a partir de templates.

Thinglink

Thinglink é mais uma opção de plataforma para criação de conteúdo interativo. A ferramenta permite criar infográficos, apresentações, mapas e vídeos interativos, além de incluir recursos para fotos e vídeos em 360 graus.

Typeform

O Typeform já é um velho conhecido para a criação de formulários online com um layout simples, bonito e responsivo.

Mas talvez agora você perceba com outros olhos essa ferramenta, que permite criar conteúdos interativos e embedar os formulários, pesquisas, quizzes e enquetes onde você quiser.

Leia o nosso artigo sobre Typeform para entender melhor como aproveitar essa ferramenta.

Quizur

Quizur é uma ferramenta específica de criação de quizzes. Você pode criar quizzes de certo e errado (ex.: o que você sabe sobre Dragon Ball?) ou de personalidade (ex.: quem você seria em um filme de terror?).

Para aproveitar melhor essa ferramenta, use a criatividade nas perguntas!

Mapme

O Mapme serve para criar mapas interativos. Você pode adicionar fotos, vídeos e construções em 3D, criar categorias de locais (ex.: restaurantes, escolas, museus etc.) e customizar o mapa com cores, formas, ícones e desenhos.

Enfim, agora você já sabe a importância do conteúdo interativo para as suas estratégias e como começar a produzir esse tipo de material.

Perceba que estamos falando de um tipo de conteúdo que pode diferenciar suas publicações dos concorrentes, diante de tantos posts de blog e ebooks que sobrecarregam o consumidor de informações.

Mary Ward, em entrevista para a Rock, afirmou que essa é uma tendência para os próximos anos, que já se percebe fora do Brasil. Criar menos conteúdo, mas com mais precisão e impacto, é o que vai trazer mais qualidade para as estratégias digitais.

Se você gostou de conhecer sobre conteúdos interativos, peça uma demonstração e descubra novas possibilidades para a sua empresa!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *