Por Zuk Chagas

Analista de Marketing e Designer Gráfico

Publicado em 11 de abril de 2019. | Atualizado em 11 de outubro de 2019


Os infográficos são a mistura perfeita entre conteúdos verbais e visuais, de modo que seja possível transmitir informações de forma mais rápida e fácil, garantindo o entendimento do seu leitor.

A criação de infográficos pode parecer um desafio e tanto, afinal, é necessário mesclar um design atrativo com um conteúdo de qualidade. Mas não se preocupe, pois é muito mais simples do que aparenta!

Mas antes, para que você seja capaz de desvendar os mistérios por trás da criação de infográficos, é preciso primeiramente compreender porque eles se tornaram uma tendência mundial.

O uso e veiculação destes materiais cresceu exponencialmente nos últimos anos, mais precisamente, a partir do ano de 2011, quando as buscas pelo tema aumentaram cerca de 800%.

O motivo para que isso acontecesse, foi a percepção de que, em ambientes digitais, destacam-se os conteúdos mais objetivos e fáceis de serem absorvidos.

Após essa descoberta, a produção destes materiais tornou-se prioridade em muitas estratégias de Marketing Digital. A propósito, infográficos são 30 vezes mais aptos a serem lidos se comparados a textos corridos.

Sensacional, não é mesmo?

Agora que compreendeu o contexto da ascensão dos infográficos, confira quais serão os demais pontos abordados em nosso guia de infográficos:

O que é um infográfico?

Os infográficos são conteúdos visuais que utilizam tanto de textos verbais, quanto não verbais — que podem variar entre imagens, ilustrações, pictogramas etc.

Trata-se de uma mistura perfeita entre texto, recursos visuais e design, na qual um complementa o outro, com o objetivo de sempre melhorar a compreensão do leitor.

Por isso, não pense que apenas a informação textual é responsável por transmitir o conhecimento, uma vez que estamos nos referindo a um trabalho em conjunto desses elementos.

Na prática, vemos infográficos em diversos meios de comunicação presentes no nosso dia a dia. No jornal que lemos durante o café da manhã, nos noticiários, livros e principalmente, na internet (em ebooks, sites e redes sociais).

A internet é feita de informações e quando a informação que desejamos transmitir não é tão atrativa, ou apresenta uma nível de complexidade um pouco maior, infográficos são a saída perfeita para informar e atrair a atenção do usuário.

Quais são os benefícios de apostar em infográficos?

Já mencionamos aqui que se tratam de uma tendência e que são conteúdos altamente atrativos, certo?

Se ainda precisa de mais razões para adotar infográficos, confira só essa lista:

  • Infográficos representam dados estatísticos de maneira mais intuitiva e fácil de ser consumida, uma vez que traduzem ou expõem números de um modo mais agradável, até por que nada mais intimidador que linhas e mais linhas de dados e gráficos incompreensíveis;
  • Têm um potencial absurdo de se tornarem virais em vista da sua atratividade e facilidade de compartilhamento;
  • Por se tratar de sua natureza viral, número maior de pessoas irá ser redirecionado para a sua página, garantindo maiores oportunidades de atingir posições mais altas nos buscadores;
  • A disposição dos elementos nesse tipo de material facilita uma leitura mais dinâmica, pois cada informação possui seu determinado espaço na peça, sendo mais fácil de ser encontrada;
  • Os infográficos podem aumentar o tráfego do seu site em 12%;
  • Podem, também, ser ótimas ferramentas de branding, uma vez que você pode — e deve — usá-los para reforçar a identidade da sua marca.

Quais são os recursos visuais utilizados?

Para a criação de infográficos, alguns conceitos visuais devem ser compreendidos.

Infográficos usam linguagens visuais distintas com a finalidade de transmitir informações de maneira clara e rápida.

Entenda quais são e quando usar estas linguagens:

  • Linguagem verbal

Utilizamos a linguagem verbal quando a representação gráfica/imagética de um dos itens do infográfico se torna muito complexa ou simplesmente menos eficiente.

Em vez de correr o risco de tentar representar algo com uma forma que pode ser mal interpretada ou não compreendida, usa-se a palavra correspondente e isso pode ser texto escrito ou falado (no caso de um vídeo-infográfico com locução).

Esse recurso é utilizado quando o que se deseja representar é muito amplo ou abstrato. Ao contrário do que se pensa, não é por ser um infográfico que tudo nele precisa ser imagem.

Comumente utiliza-se linguagem verbal em títulos, legendas, blocos de textos, valores e quantidades (entre outras informações numéricas).

Ao utilizar essa linguagem, evite textos muito longos.

Em infográficos, textos tem a função de auxiliar a compreensão, e não a de passar a mensagem completa.

Se não, não seria um infográfico, mas sim uma página de livro com figuras.

  • Linguagem Esquemática

Nessa categoria podemos encontrar elementos que representam conceito abstratos como setas indicando direções, elementos que indiquem movimento (como linhas usadas para indicar que um objeto está se movendo, como o exemplo que segue).

como fazer um infografico

Também se enquadram nessa categoria elementos como gráficos, tabelas, diagramas, linhas, etc.

  • Linguagem Pictórica

A linguagem pictórica abrange representações mais literais de objetos concretos do mundo físico.

Podem ser representações fotográficas e realistas (como no exemplo dado do navio) mas também podem ser representações ilustrativas bem sintéticas e icônicas.

como fazer um infografico

É importante lembrar de que, quando falamos de representações visuais, principalmente nas menos literais, deve-se tomar muito cuidado pois pessoas diferentes interpretam coisas diferentes.

Essas interpretações são influenciadas por diversos fatores, como diferença cultural e o próprio contexto.

Isso significa que não devemos nos valer dos nossos próprios valores e tomá-los como absolutos.

Se você mostrar um ícone que representa uma borboleta para alguém e essa pessoa disser que, para ela, aquilo lembra um motor de carro, você deve repensar a imagem que você escolheu para representar a sua borboleta.

Agora que já sabemos sobre tudo isso, vamos para o próximo passo!

Quais são os tipos de Infográficos?

Com a vastidão de novas mídias que surgem no mundo digital todos os dias, infográficos também tomam novas formas e novas plataformas.

Isso nos possibilita explorar diversos recursos para a melhor transmissão da informação.

Basicamente, existem três tipos de infográficos: estáticos, animados e interativos.

Infográficos estáticos

Muito embora sejam os infográficos mais facilmente encontrados, isso não significa que a sua execução seja menos trabalhosa.

Quando o infográfico é apenas uma imagem estática, torna-se ainda mais desafiador expressar e definir as informações.

Os dados precisam ser bem organizados e, geralmente, existe bastante informação textual nos infográficos estáticos.

Veja o exemplo:

como fazer um infografico

Este infográfico foi feito para explicar a complexidade do porta aviões britânico Queen Elizabeth. Para isso, o próprio navio foi ilustrado para que cada parte fosse explicada.

Note que em partes internas, o corte do navio foi ilustrado ou então uma foto do interior acompanha a informação de texto.

Infográficos assim precisam ser muito bem organizados para que não fiquem confusos. As fontes, os espaçamentos e respiros devem ser muito equilibrados.

Muitos detalhes para se preocupar.

Infográficos Animados

Um recurso muito utilizado são os infográficos animados. Neles, pela mobilidade, as informações podem ser mais bem divididas e organizadas.

Tomando o infográfico do porta-aviões como exemplo, se fosse animado em forma de vídeo, todo o conteúdo de texto poderia ser substituído por locução.

As partes do porta avião poderiam ser mostradas em etapas lineares.

Recursos de animação em 3D poderiam ser utilizados para mostrar o interior do navio, por exemplo.

Tudo isso facilitaria a compreensão do conteúdo final.

Os problema são as dificuldades técnicas na execução desse material.

Profissionais que dominam animação e modelagem 3D são caros e um infográfico com um nível de complexidade muito alta pode custar bastante dinheiro.

Porém, infográficos animados não precisam ser assim tão complexos. Veja o exemplo:

Nesse vídeo infográfico, a locução explicativa é aliada aos recursos visuais animados para explicar o crescimento das redes sociais.

Neste exemplo de como fazer um infográfico, o tema é o mesmo, mas dessa vez sem locução, apenas dados escritos para serem lidos, auxiliados pela animação.

como fazer um infografico
como fazer um infografico

Os exemplos acima (feito pelo incrível site de infográficos Pictoline) são gifs animados que explicam temas diversos.

Gifs geram alto engajamento em redes sociais, saiba mais sobre como fazer Gifs clicando aqui.

Infográficos interativos

Esse tipo de infográfico também exige um nível técnico avançado, uma vez que envolverá, além de animações, conhecimentos de programação.

O infográfico deve ser manipulável pelo usuário, de forma que ele consiga “passear” pelas informações do infográfico por conta própria.

A revista SUPERINTERESSANTE – que é uma sumidade no quesito – tem alguns infográficos interativos excelentes, como o que pode ser acessado clicando aqui.

Como fazer um infográfico?

Agora que você já se inteirou sobre o maravilhoso mundo dos infográficos, chegou a tão aguardada hora de conhecer o nosso passo a passo!

1. Defina seus objetivos

Já percebeu que quando não estabelecemos um objetivo, seja em qualquer situação, tendemos a não sair do lugar?

Isso não só serve para a vida em geral, mas como também para a criação de infográficos, pois é essencial saber quais resultados pretende-se obter e, talvez ainda mais importante: por que e para quem produzir um material como esse?

Para encontrar a resposta desta pergunta, é necessário, ainda, obter as seguintes respostas:

Quem é a minha persona?

A definição da persona que deverá entrar em contato com o seu infográfico deve ser prioridade, afinal, esse dado determinará o tipo de abordagem, a linguagem a ser utilizada, o estilo visual e muito mais.

Aprenda como criar sua persona agora mesmo com o Guia para Criação de Personas:

Qual dúvida meu conteúdo pretende sanar?

Em seguida, entender qual problema você gostaria de solucionar é uma das bases para desenvolver o restante do material, pois só assim saberá sobre o que escrever e, melhor ainda, poderá refletir se o tema do conteúdo é, de fato, relevante para sua persona.

Nada mais frustrante do que gastar tempo desenvolvendo um infográfico incrível que simplesmente não interessa a ninguém, concorda?

Qual retorno quero obter com esse material?

Esse questionamento vai até mesmo além da criação do conteúdo, uma vez que ele se relaciona a toda a sua estratégia de marketing digital.

Portanto, não se preocupe em passar um tempinho a mais pensando na resposta e definindo os objetivos visados com o infográfico, pois é essencial que ele esteja bem alinhado com a sua proposta e negócio.

Onde ele será veiculado?

A resposta para essa pergunta está intrinsecamente relacionada a sua estratégia e a sua persona.

Por meio dela, você definirá as plataformas mais propícias para veicular seu material, a fim de ganhar engajamento por parte do público e, também, para determinar o formato do seu infográfico.

2. Colete dados, muitos deles

Os infográficos são considerados como materiais ricos, portanto é preciso que eles contenham informações e dados interessantes, atuais e, principalmente, confiáveis.

Assim, o próximo passo é sair em busca destas informações pela web. Consulte sites que são referência no tema proposto, pesquisas — como as produzidas pela Inteligência Rock Content — e também não deixe de extrair dados de sites estrangeiros.

Nesse momento, sinta-se livre para pegar quantas informações quiser, encher páginas e páginas de referências e favoritar milhares de sites, pois isso só vai te ajudar a ter uma compreensão ainda mais ampla sobre o assunto, além de facilitar o cruzamento de dados e a verificação de informações duvidosas.

Dica: não se esqueça de sempre deixar anotado quais são as fontes de cada informação, muitos infográficos expõem suas fontes de pesquisa no rodapé, conferindo credibilidade à peça e a sua marca.

3. Selecione e redija

Chegou a hora de desapegar!

Você se lembra de todos aqueles dados e números incríveis?

Então, é preciso selecionar entre eles os melhores, com base em quais se adequam a sua proposta e quais são mais interessantes para a sua persona.

Elimine também dados muitos parecidos, os menos atuais e os que não causam tanto impacto já que nosso objetivo com o infográfico é chamar a atenção.

Feito isso, prepare-se para encaixar tais informações em pequenos blocos de texto, além de criar um título memorável.

Aposte em palavras que transmitam a ideia de algo inédito, surpreendente.

4. Faça um esboço

Como qualquer artista, antes de pegar o pincel — ou o mouse — é preciso fazer um esboço de sua arte final.

Dessa forma, defina o lugar onde cada informação e elemento visual se encaixará. Se preferir, faça até mesmo variações e veja qual mais o agrada.

Trata-se de uma passo importantíssimo, pois poderá definir com antecedência a hierarquia das informações, disposição de alguns elementos, o estilo e muitas outras particularidades do seu material.

Para além disso, você conseguirá planejar com mais cuidado cada detalhe da peça, evitando errinhos bobos e garantindo a assertividade do seu conteúdo.

5. Crie seu infográfico! (finalmente)

Chegou o momento de dar vida ao seu infográfico! Mas antes deve escolher de que modo quer fazê-lo.

Existem duas opções: (1) utilizar softwares de design gráfico, como os da Adobe, ou (2) usar ferramentas de edição gratuitas.

Independente de que modo você decida prosseguir, deverá definir algumas características de design do seu material, como:

  • Layout: No caso dos templates não há muito o que fazer quanto ao layout. Mas para quem optar por construir seu o layout do zero, é preciso pensar em um fluxo natural de informação, que seja intuitivo e claro para o leitor. Para ajudar nessa missão, uma boa saída é usar grids.
  • Uso das cores: É importante que você siga a paleta de cores institucionais, a fim de garantir uma coesão entre seu conteúdo e a sua marca.
  • Tipografia: Selecione uma fonte que possua boa legibilidade e que se relacione bem com o estilo do infográfico. Ou seja, caso seu material siga por um caminho mais despojado, por que não investir em uma fonte que represente essa mesma ideia?
  • Tamanho: Esse elemento dependerá de onde divulgará sua peça — no Facebook ou seu próprio blog, por exemplo —. Por isso, atente-se aos tamanhos mais utilizados nesse meios e os que garantem maior legibilidade.
  • Ilustrações: Agora que já tem uma visualização de como seria seu infográfico, pense em quais tipos de elemento visuais gostaria nele. Você pode usar pictogramas, ícones, ilustrações vetoriais, fotografias e, também, GIF’s!
  • Respiro: A área de respiro no design parte da ideia de deixar alguns espaços em branco ou sem elementos, de modo que exista uma distância adequada entre cada um deles. Isso permite que a informação salte ao olhar mais facilmente.

6. Revise e faça testes

Já na reta final do processo de criação temos a etapa de revisão e testes. Muitas vezes ignorada, trata-se de uma fase essencial para o sucesso de todo e qualquer conteúdo. Afinal, pensar que não cometemos erros é o primeiro deles, concorda?

Por isso, leia e releia quantas vezes for necessário, confira se todos os textos e dados estão corretos, se as fontes de pesquisa foram inseridas, se é agradável aos olhos e se o infográfico apresenta um bom desempenho em diferentes dispositivos.

7. Gere tráfego e leads

Finalizados todos os passos anteriores, faltará apenas inserir um call to action — ou chamada para ação — direcionando sua persona ao que ela deverá fazer em seguida.

Seria ler um blog post? Baixar um eBook? Compartilhar o material nas redes sociais?

Você definirá isso de acordo com os objetivos da sua estratégia, traçados na primeira etapa deste guia.

A, e não se esqueça, divulgue e promova seu infográfico nas redes sociais. O engajamento do seu público ao compartilhar o material pode alavancar seus resultados e surpreender!

Gostou do nosso passo a passo? Então confira também o nosso infográfico metalinguístico de como fazer um infográfico:

Quais as melhores ferramentas para criar infográficos?

Assim como falamos no passo número 5, você pode fazer seus infográficos com ajuda de ferramentas online gratuitas, por exemplo:

Para utilizar qualquer uma delas basta se cadastrar, selecionar um layout que mais tenha a ver com o seu conteúdo e inserir as informações. Depois disso, é só ir adequando às suas preferências e voilá!

Quais as melhores dicas para fazer infográficos?

Para te dar um reforço ao longo desse processo todo, selecionamos algumas dicas bônus para te auxiliar a produzir o melhor infográfico possível. Confira:

  • Não existe um formato padrão para infográficos. Ao mesmo tempo, para que a peça se adeque melhor a diversas mídias, o ideal é que ela tenha, no máximo, 700 pixels de largura.
  • Na hora de buscar ícones e pictogramas para inserir no seu material, você pode utilizar o Freepik. E o melhor: ele é gratuito!
  • Utilize embed codes para que seu infográfico seja incorporado automaticamente ao seu blog. Dessa forma, você poderá divulgar também a rede social em o conteúdo foi postado e, ainda por cima, evita de ficar postando várias vezes o mesmo material em diferentes plataformas.

Espero que esse artigo tenha sido útil para você aprender a como fazer um infográfico e espero ver vários infográficos criados por vocês nos comentários. Ah, e não deixe de conferir nosso infográfico sobre a Jornada do Cliente, tanto para tirar ideias quanto para entender como o consumidor vai chegar até o seu negócio!

E se quer aprender mais sobre marketing digital, conheça os cursos da Rock University!

universidade rock content

Qualquer dúvida, estou a disposição. Um abraço!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *