O que é XML?

Entenda o que é XML e quais as utilidades dessa linguagem de marcação

Por trás do design e do texto dos sites, sempre há uma linguagem própria, e uma delas é o XML. Essa sigla significa Extensible Markup Language, ou seja, é uma linguagem de marcação que define um conjunto de regras para codificação de documentos.

Ao criar o site da sua empresa, você faz dele a representação do seu negócio nos meios digitais. O layout, imagens, texto e outros itens que o compõem fazem parte de um conjunto de leitura que são interpretados pelas máquinas para mostrar aos seus clientes o site tal como ele é. O XML faz parte desse conjunto.

E, para que você saiba o que ele é, quais são as suas principais funções e como abrir esse tipo de arquivo, fique conosco até o fim deste blog post!

O que é XML?

XML é a sigla, em inglês, de Extensible Markup Language, ou seja, é uma linguagem de marcação que define um conjunto de regras para codificação de documentos. Complicado? Então, vamos simplificar.

Linguagem de marcação é um conjunto de códigos que podem ser aplicados na leitura de dados ou textos feitos por computadores ou pessoas. A linguagem XML fornece uma plataforma para definir elementos de marcação e gerar uma linguagem personalizada.

Um arquivo XML é dividido em duas partes: “prolog” e “body”. A parte do “prolog” consiste em metadados administrativos, como declaração XML, instrução de processamento opcional, declaração de tipo de documento e comentários. A parte do “body’ é composta por duas partes — estrutural e o conteúdo (presente no texto simples).

O design do XML tem foco na simplicidade, generalidade e usabilidade, sendo, portanto, usado para diversos serviços na web. Tanto que há sistemas voltados para auxiliar na definição de linguagens baseadas em XML, assim como APIs que ajudam no processamento de dados XML, que não deve ser confundido com HTML.

O que é HTML?

HTML (Hypertext Markup Language) é a linguagem de marcação para a construção de páginas da web. Assim, os comandos de marcação empregados no conteúdo para web referem-se à estrutura dele e também ao layout que será exibido no navegador.

Ou seja, os navegadores leem o documento com a marcação HTML e o processam na tela ao examinarem os elementos HTML inseridos no documento, que é considerado como um arquivo de texto com as informações que precisam ser publicadas.

Por isso, é possível até mesmo gerar um arquivo HTML usando o aplicativo Bloco de Notas do computador, por exemplo.

As instruções incorporadas são conhecidas como elementos que mostram a estruturação e a apresentação do documento no navegador. Esses elementos são compostos de tags dentro do colchete angular que envolve algum texto.

As tags geralmente vêm em um par: tag inicial e final. Por exemplo: para deixar o texto assim em negrito, são utilizadas as tags <strong> no começo e </strong> no final.

E quais são as diferenças entre XML e HTML?

Para ficar claro o que distingue um do outro, listamos aqui as principais diferenças entre XML e HTML:

  • XML é uma linguagem de marcação baseada em texto que possui a estrutura autodescritiva e pode efetivamente definir outra linguagem de marcação. Por outro lado, HTML é uma linguagem de marcação predefinida e tem capacidade limitada;
  • o XML fornece estruturação lógica do documento, enquanto a estrutura HTML é pré-definida, com uso das tags “head” e “body”;
  • quando se trata de linguagem, o tipo HTML é insensível a maiúsculas e minúsculas. Em contraste, o XML faz distinção entre maiúsculas e minúsculas;
  • HTML foi projetado com ênfase nas características de apresentação dos dados. Em contraste, o XML é específico de dados;
  • XML não permite nenhum erro no código. Em contrapartida, em HTML, pequenos erros podem ser negligenciados;
  • os espaços em branco em XML são usados ​​para um uso específico, já que o XML considera todos os caracteres. Por outro lado, o HTML pode ignorar os espaços em branco;
  • as tags em XML são obrigatoriamente fechadas, enquanto em HTML uma tag aberta também pode funcionar completamente bem;
  • o aninhamento em XML deve ser feito corretamente, pois tem uma grande importância na sintaxe XML. O HTML, por sua vez, não se importa muito com esse aspecto.
Quem leu este conteúdo também se interessou por:
👉 Marketing e programação: por que ser um profissional que sabe programar
👉 Canonical Tag: O que é, como funciona e quando usá-la
👉 Confira como funcionam os algoritmos das principais Redes Sociais
👉 Embed Code: um passo a passo para incoporar mídias em seus posts

Quais são as funcionalidades do XML?

Agora, veja a seguir as principais características e vantagens do XML:

XML separa dados de HTML

Se você precisar exibir dados dinâmicos no seu documento HTML, será preciso muito trabalho para editá-lo sempre que os dados forem alterados.

Com o XML, os dados podem ser armazenados em arquivos XML separados. Dessa forma, você pode se concentrar no uso do HTML para exibição e layout.

Com algumas linhas de código JavaScript, é possível ler um arquivo XML externo e atualizar o conteúdo de dados da sua página da web.

XML simplifica o compartilhamento de dados

Tanto sistemas de computador quanto bancos de dados contêm informações em formatos incompatíveis.

Dados XML são armazenados em formato de texto simples, oferecendo uma maneira independente para armazenamento de dados. Isso facilita muito a criação de dados que podem ser compartilhados por diferentes aplicativos.

XML simplifica a troca de dados

Um dos desafios mais demorados para os desenvolvedores é trocar dados entre sistemas incompatíveis pela Internet.

Trocar dados como XML reduz bastante essa complexidade, pois os dados podem ser lidos por diferentes aplicativos incompatíveis.

XML simplifica a mudança de plataforma

A atualização para novos sistemas (plataformas de hardware ou software) sempre consome tempo. Grandes quantidades de dados devem ser convertidas e dados incompatíveis são geralmente perdidos.

Dados XML são armazenados em formato de texto. Isso facilita a expansão ou a atualização para novos sistemas de informação, novos aplicativos ou novos navegadores, sem perda de dados.

XML aumenta a disponibilidade de dados

Diferentes aplicativos podem acessar seus dados, não apenas em páginas HTML, mas também em fontes de dados XML.

Com o XML, seus dados podem estar disponíveis para todos os tipos de “máquinas de leitura” (computadores de mão, máquinas de voz, feeds de notícias etc.) e é mais fácil torná-los acessíveis a pessoas cegas ou com outras deficiências.

XML pode ser usado para criar novas linguagens de Internet

Muitas novas linguagens da Internet são criadas com XML. Aqui estão alguns exemplos:

  • XHTML;
  • WSDL;
  • WAP e WML;
  • RSS (usado em feeds de notícias);
  • RDF e OWL;
  • SMIL.

Como abrir os arquivos XML?

Embora existam leitores desse tipo de arquivo como, por exemplo, o XML Explorer, aqui seguem 3 maneiras de abrir os arquivos XML no seu computador.

Com o bloco de notas

Como os arquivos XML são codificados com texto simples, abra o bloco de notas (no caso do Windows) ou editor de texto (no Mac), clique em “arquivo” e em seguida em “abrir”.

Na parte superior deverá aparecer a informação <?xml version=”1.0″ encoding=”UTF-8″?> revelando que o conteúdo é no formato XML.

As tags são usadas para armazenar fragmentos de dados. Note que algumas tags podem estar contidas em outras, criando uma “árvore de tags”. Por exemplo, para criar uma Heading Tag 2 em negrito, a formação será <h2><strong>aqui o título é inserido</strong></h2>

Usando um navegador

Clique com o botão direito no arquivo XML salvo no seu computador e escolha a opção “Abrir com”. Escolha o navegador para abrir o arquivo.

Nesse caso, não é possível editar o documento. Em contrapartida, ele é visualizado de uma forma mais clara que no bloco de notas, já que o navegador usa cores variadas para exibir o documento no formato de texto.

Pelo Excel

Como o Excel não é o programa ideal para a leitura desse tipo de arquivo, é preciso abrir o Excel primeiro para, em seguida, abrir nele o documento XML.

Portanto, clique em “arquivo”, depois em “abrir”. O Excel mostrará uma mensagem cuja primeira opção é abrir como uma tabela XML. Confirme e o XML será convertido em tabela, tomando como base as tags do arquivo.

Agora, caso a sua estratégia digital tenha arquivos XML, você já sabe como lê-los. Aproveitando, conheça também o nosso conteúdo completo sobre lançamento de sites e saiba exatamente o que você precisa fazer para lançar o seu!

Checklist para lançar sitePowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo