Anúncios online durante a pandemia

A performance dos anúncios online se mostra diferente em meio à crise da covid-19

Performance dos anúncios online na pandemia

    A pandemia causada pelo coronavírus realmente alterou a forma com que as empresas fazem negócio. Muitas organizações precisaram mudar os processos internos e se adequar ao home office. Outras tiveram de cortar investimentos e gastos, o que inclui também os esforços de marketing.

    Com isso, os anúncios online na pandemia sofreram alterações: apesar de as pessoas estarem mais conectadas durante esse período, e o consumo por meio de e-commerces ter aumentado em algumas áreas, as empresas reduziram seus investimentos nesta estratégia e estão limitando cada vez mais a atuação da comunicação online — um caminho que talvez não seja o mais interessante, mas sabemos que é a primeira atitude de muitos negócios diante de uma dificuldade.

    O corte no investimento em comunicação é uma tradição: de pequenas a grandes empresas, o primeiro passo que muitas dão quando as coisas apertam é reduzir os esforços de marketing. 

    Queda ou aumento? O que tem acontecido com anúncios online

    Sem dúvida, empresas de todos os portes e de todos os mercados foram surpreendidas pelos efeitos da covid-19 no mundo. Tanto para quem atua a nível local, nacional ou mundial, a realidade foi quase a mesma: redução do consumo, da busca e da rentabilidade do negócio.

    Não raro, empresas de todo o mundo começaram a rever alguns hábitos, mudando não só a questão de processos internos como os investimentos, e foi aqui que começou a queda dos anúncios online.

    Da mesma forma que é “fácil” anunciar no Facebook ou no Google, é também fácil parar esse investimento. É comum que as empresas invistam uma verba altíssima nessas ferramentas para começarem a ter uma abrangência maior e aumentarem também a carteira de clientes.

    No entanto, no momento em que as coisas não parecem boas e é necessário rever alguns gastos, o investimento nesse tipo de anúncio é uma das primeiras áreas que sofre cortes — e sem previsão de retorno.

    A queda na área de anúncios foi notada principalmente nos países que estão tendo ações mais agressivas na prevenção à covid-19. O analista Michael Nathanson, da MoffettNathanson, escreveu que, considerando a redução dos investimentos que estão acontecendo nas mais diversas plataformas, é esperado que outras ferramentas também sintam uma desaceleração significativa dos investimentos em anúncios por parte das empresas.

    Anúncios para dispositivos móveis sofreram mudanças, mas nem tão negativas

    Além dos anúncios criados para desktops, aqueles focados em dispositivos móveis também sofreram uma redução. 

    O PubMatic fez um estudo em que analisou trilhões de lances durante o período da pandemia. Foi notado que os gastos globais com anúncios com dispositivos móveis atingiram cerca de 51% no fim do primeiro trimestre.

    No entanto, o sucesso desse modelo de anúncio também é relativo. A empresa percebeu que os gastos com ads para celular caíram cerca de 15% durante o período, enquanto os gastos com anúncios para computadores foram reduzidos em 25%.

    Porém, uma coisa é certa: com a pandemia e a quarentena, intensificou-se o uso do celular. Isso foi visto também pelo PubMatic na mesma pesquisa: o aumento das visualizações é uma realidade, e isso pode representar o crescimento do uso de dispositivos móveis pela população, para ocuparem seu tempo durante o período de isolamento.

    A previsão é de que as empresas identifiquem o investimento em anúncios para mobile a longo prazo como sendo uma boa alternativa.

    O que impactou a performance nos anúncios

    De acordo com o índice de Vendas de Marketing de Afiliados Pepperjam, os relatórios mostraram um declínio nas vendas, ao mesmo tempo em que o desempenho em vários segmentos do mercado de afiliados continuou crescendo.

    Esse mercado sentiu algumas mudanças, mas nem muito negativas: alimentos e bebidas tiveram um aumento de 352%, enquanto o mundo fitness cresceu 114%.

    A área de saúde e beleza marcou um aumento de 100%, e o segmento de computadores e eletrônicos caiu 14%. Essa queda, acredita-se, se deu porque muitas pessoas que começaram a trabalhar em casa já tinham os equipamentos e ferramentas adequadas.

    Um outro segmento que caiu consideravelmente foi o de viagens, com 85% a menos.

    O impacto na performance dos anúncios se dá, principalmente, pela situação das empresas: algumas reduziram drasticamente os investimentos em marketing para conseguirem diminuir os esforços financeiros da organização. Outras, por sua vez, identificaram nesse momento a oportunidade de conquistar um mercado que, até então, ainda não havia tido tempo ou oportunidade para olhar para novos horizontes.

    Para as empresas que reduziram os investimentos em anúncios online na pandemia, é interessante observar como anda o mercado, a busca dos clientes e as oportunidades nesse momento: o negócio realmente não terá público? Ou é interessante rever esse corte? Como otimizar a comunicação para se tornar essencial e apresentar os diferenciais competitivos da empresa?

    Todos estão focados em superar este momento e conseguirmos sair ainda mais fortes da crise. Nesse ponto, além de rever números, também é importante pensar no impacto emocional da crise e para isso, desenvolver a resiliência.

    Compartilhe

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!

    Nosso site é otimizado para cada país em que operamos.

    Ir para site em Português ->