Por Cayo Woebcken

Redator freelancer da Rock Content.

Publicado em 15 de maio de 2020. | Atualizado em 15 de julho de 2020


A boa gestão das equipes globais é fundamental para que uma empresa atinja seus objetivos, sejam eles de caráter comercial, sejam eles focados em marketing. Para isso, é fundamental entender as particularidades desses tipos de times e se preparar para aplicar as melhores técnicas e ferramentas disponíveis.

Globalização. Esse termo é presença garantida em qualquer debate ou análise sobre o atual cenário econômico, marcado, entre outras coisas, pela crescente possibilidade de expansões comerciais.

Embora cunhada em meados dos anos 80, é preciso entender que a palavra globalização não fala sobre algo novo, mas sim, sobre um processo em pleno desenvolvimento há séculos. Com essa visão, é mais fácil compreender os desafios e particularidades da gestão de equipes globais.

Essa é uma atividade cada vez mais comum no cotidiano de gestores. Ao observar esse processo de internacionalização, fica clara, por exemplo, a influência da transformação digital.

Se hoje temos a possibilidade de gerenciar equipes em diferentes fusos horários, a quilômetros de distância, é porque temos acesso a técnicas e ferramentas voltadas para esse fim. Mas será que você conhece o suficiente sobre equipes globais para realizar uma gestão de modo eficiente?

Conhecimento nunca é demais! Neste post, vamos responder:

  • O que são equipes globais?
  • Como elas se diferenciam das outras?
  • Como fazer essa gestão de forma eficiente?

Continue a leitura!

O que são equipes globais?

Com a digitalização de processos nas mais diversas áreas de empresas, abriu-se a possibilidade de manter e coordenar equipes fora do país.

Terceirizados ou contratados, grupos de colaboradores podem ser destacados para realizar atividades de interesse da marca, agindo como representantes internacionais.

Definitivamente, não se trata de algo novo. Contudo, é inegável que, dado o ritmo acelerado de desenvolvimento tecnológico, realizar uma gestão integrada, com equipes locais e globais, é uma tarefa cada vez mais viável para empresas de diferentes segmentos.

Recursos, como aplicativos especializados em videoconferências e softwares de gerenciamento de times, atuam como aliados essenciais dos gestores. Com eles, é possível estabelecer uma comunicação eficiente com os diferentes integrantes, delegando tarefas e, se pertinente, monitorando os fluxos de trabalho.

Por outro lado, os colaboradores, mesmo à distância, têm recursos suficientes para compreender o que se espera deles, facilitando, assim, suas rotinas de trabalho.

Quando falamos nesses recursos, que proporcionam o ambiente adequado para o gerenciamento de equipes à distância, é inevitável pensarmos no cenário gerado pelas medidas de prevenção à pandemia de coronavírus.

Obrigados a entrar em rotinas de home office, diversas empresas tiveram primeiro contato com a gestão remota de equipes.

Contudo, é preciso ter cuidado ao realizar essas comparações, já que equipes globais apresentam peculiaridades que as diferenciam profundamente dos times mantidos fisicamente próximos da empresa. Entender essa diferença é fundamental, por isso, vamos falar sobre ela no próximo tópico.

Como elas se diferenciam das outras?

Ao lidar com equipes globais, é preciso ficar atento aos detalhes que, conforme citamos no último tópico, as diferenciam das demais.

Mesmo que sejam inseridos na mesma plataforma de gestão de outros colaboradores e sejam realmente integrados ao time, profissionais exercendo funções à distância precisam de um tratamento especial.

Isso não tem nada a ver com favorecimento, mas sim, com a adaptação do seu método de gestão para um cenário em que os colaboradores não têm tanto contato com os demais membros, com os diferentes departamentos e com os eventos corporativos.

Como você sabe, por mais qualificado e experiente que seja o profissional, a cultura da empresa, o modelo de gestão e a qualidade do ambiente de trabalho têm impacto direto em sua produtividade. Então, como contornar a situação e garantir uma gestão completa e eficiente?

Para começar, é preciso conhecer os principais fatores que geram esse cenário heterogêneo. Separamos alguns deles, a seguir.

Fuso horário

Em qualquer tipo de ação de publicidade, timing é fundamental. Isso não muda quando estamos falando em Marketing Global que, necessariamente, deve fazer parte da estratégia de uma empresa com atuação fora do país.

Afinal, tão importante quanto contar com soluções e profissionais de qualidade, é fundamental trabalhar no branding do seu negócio.

Então, entramos em um dos primeiros desafios da gestão de equipes globais: como gerenciar profissionais que estão em fusos horários diferentes do seu? Para isso, é preciso controlar com eficácia as rotinas de trabalho e se adaptar para dar tempo suficiente entre a delegação e a conclusão de uma tarefa.

Então, sempre coordene as suas atividades com os horários em que os colaboradores globais devem estar ativos. Para tal, é importante contar com uma agenda sólida, sempre considerando a diferença entre os fusos.

Em casos mais extremos, essa diferença de horário pode representar turnos de trabalho opostos. Na Ásia por exemplo, é comum se deparar com diferenças de 12 horas no fuso horário.

Em todas as situações, é importante se programar com antecedência e reservar tempo para realizar videoconferências e alinhar as metas e objetivos da empresa.

Cultura organizacional e local

Quando estão alocados em locais distantes, os colaboradores podem encontrar maior dificuldade para identificar e absorver a cultura da empresa.

Acontece que essa absorção é fundamental para que o profissional realize suas tarefas de acordo com os valores da marca, além de contribuir para o seu desempenho.

Como resolver isso? Por mais difícil que seja, é importante manter contato frequente com as equipes, analisar seus resultados e realizar ações necessárias para fortalecer sua identificação com a empresa.

É preciso, também, garantir que esses colaboradores tenham acesso a conteúdos da empresa que reforcem a cultura organizacional.

Além disso, é preciso considerar as diferenças culturais entre o país de origem da empresa e aquele onde as equipes estão alocadas. Diferentes regiões do mundo apresentam características distintas que, apesar de mais acessíveis graças à globalização, ainda apresentam um desafio para a expansão de negócios.

Plano de Carreira para equipes de MarketingPowered by Rock Convert

Ambiente de trabalho

Quando você lida com uma equipe que trabalha no mesmo prédio que você, é mais fácil garantir que o ambiente seja adequado.

Isso ajuda não apenas na produtividade dos profissionais, mas também, serve como uma ação de endomarketing, ou marketing interno. Assim, pode até se tornar uma vantagem para a atração e a retenção de talentos.

Com equipes globais, a história é diferente. É justo afirmar que a maioria dos trabalhadores envolvidos em processos assim trabalham por conta própria, o que pode dificultar a aplicação de técnicas para melhorar o ambiente de trabalho. É possível, contudo, contribuir para que as equipes tenham acesso aos recursos adequados.

Um exemplo prático é o investimento em softwares de gestão de equipes e projetosque prezem pela experiência do usuário. Quanto melhores forem as condições e ferramentas oferecidas para as suas equipes, melhores serão seus resultados.

Soft skills

Trabalhar à distância ou por conta própria não é para qualquer um. É preciso ter um nível mais elevado de organização, responsabilidade, resiliência, entre outras coisas. Além disso, o profissional deve ser capaz de se adaptar rapidamente a cenários desafiadores, manter boa comunicação com a gestão e ser proativo.

Todas essas características se encaixam na definição de soft skills, habilidades mais difíceis de desenvolver. Por isso, o processo de seleção e recrutamento de equipes globais é outro fator que as diferencia das demais. Afinal, mais do que competente e qualificado, o candidato deve ser capaz de cumprir as exigências de um cargo remoto.

Como fazer essa gestão de forma eficiente?

Agora que você já conhece as particularidades que adicionam um grau de desafio à gestão de equipes globais, vamos direto ao assunto: quais são as melhores técnicas para superar as adversidades e alcançar bons resultados?

Confira, a seguir!

Invista na comunicação interna

Se a comunicação interna já é um fator extremamente influente na performance de equipes locais, imagine quando falamos sobre colaboradores remotos. Por mais que eles consumam os mesmos conteúdos institucionais dos demais membros da empresa, sua experiência é bem diferente, como já deixamos claro.

Portanto, é preciso se esforçar para compensar a falta de proximidade e contato direto com outros meios. Por isso, você precisa estabelecer uma estratégia concisa, a fim de transmitir a essas equipes as mensagens que você quer. Existem diversas ferramentas que podem ajudar nessa missão.

Uma dica de ouro: priorize o uso de chamadas de vídeo, em detrimento de emails, ligações e outros tipos de canais. O recurso do vídeo permite uma comunicação mais humana, até por conta das expressões faciais e gestuais. Dessa forma, é mais simples gerar e manter conexões relevantes com os colaboradores.

Dê um propósito às equipes globais

Já é mais do que comprovado que metas e recompensas financeiras nem sempre são suficientes para motivar uma equipe. A forma mais adequada de fazer isso é a partir de uma gestão de departamento pessoal excelente, o que passa por fornecer um propósito maior às equipes.

Funciona mais ou menos como o estabelecimento da cultura organizacional. A ideia é fazer com que as pessoas envolvidas se sintam unidas por um objetivo maior, de modo a realizar suas tarefas com maior motivação.

Para introduzir a cultura da empresa, promova conteúdos e eventos corporativos. A partir de ferramentas de transmissão ao vivo, você pode garantir que todas as equipes globais tenham acesso aos materiais em tempo real.

Mantenha contato constante

Por fim, é crucial manter contato constante com as equipes globais. Como já falamos, o fuso horário é um fator que dificulta essa conexão, mas não deve impedir seus esforços. Estabeleça reuniões periódicas e destaque a relevância da participação de todos.

Esses encontros, que preferencialmente devem ser realizados via videochamada, são excelentes oportunidades para você garantir que todos estão na mesma página, passar e receber feedbacks, alinhar objetivos e fazer um apanhado sobre o que pode melhorar na atuação das equipes.

Essa troca de feedbacks é elementar para você monitorar o andamento da estratégia, que é o único caminho para manter seus resultados em contínua otimização.

A gestão de equipes globais, definitivamente, não é das tarefas mais fáceis. Contudo, trata-se de uma área muito motivante, pois impõe desafios diversos aos envolvidos.

Com o uso das técnicas e ferramentas mais adequadas, você vai ser mais efetivo nessa atividade e trazer mais oportunidades para o negócio.

A forma como você gerencia suas metas e resultados impacta as equipes globais. Por isso, é uma boa ideia conhecer as OKRs, metas que combinam estratégia com operação. Baixe nosso ebook sobre o tema!

OKR: Metas que Conectam Estratégia com OperaçãoPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *