Conheça 5 fantásticos exemplos de copywriting para vendas

Atualmente, existem vários exemplos de copywriting para vendas. Os melhores deles são aqueles capazes de unir um bom conceito e estratégia de marketing com as técnicas de escrita persuasiva. Em nosso post, você terá contato com cases de empresas como Uber, Nubank e Apple.

exemplos de copywriting para vendas

Está procurando formas de melhorar as ações de comunicação da sua empresa? As conversões das campanhas ainda não te deixam totalmente satisfeito? Os exemplos de copywriting para vendas podem dar aquela inspiração necessária para melhorar o seu discurso e transformar visitantes em leads.

Neste post, listamos cinco grandes empresas que se tornaram cases de sucesso quando o assunto é escrita persuasiva. Além disso, você poderá entender as principais formas de aplicá-las na prática, conhecendo cinco estruturas de copy. Aqui, abordaremos os seguintes tópicos:

    Boa leitura!

    Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

    Não se preocupe, não fazemos spam.

    O que é copywriting?

    Copywriting é uma técnica de criação de conteúdo centrada na escrita persuasiva. Ela é executada a partir de uma série de estruturas e métodos diferentes, mas com o mesmo objetivo: captar o receptor da mensagem com gatilhos que vão gerar ações como:

    • baixar um ebook;
    • ir para um próximo artigo do blog;
    • indicar um produto para um amigo;
    • comprar um produto ou contratar um serviço.

    Devemos nos apoiar nas estratégias de copywriting porque elas são altamente capazes de aumentar o engajamento do usuário, transformar visitantes em leads e melhorar as métricas de venda.

    Quais são as principais estruturas de copy?

    Antes de listar os exemplos de copywriting para vendas, vamos entender um pouco sobre as estratégias que geram ótimas campanhas de marketing e comunicação.

    Atualmente, existem várias estruturas de copywriting para quem deseja aprender com a mão na massa. Vamos falar um pouco sobre as principais. Acompanhe!

    Modelo A.I.D.A.

    Começamos por um dos modelos mais famosos e utilizados. Esse acrônimo significa Atenção, Interesse, Desejo e Ação. O próprio nome já consegue nos dar uma pista sobre o seu funcionamento prático, mas vamos falar sobre cada um deles.

    A atenção pode ser executada a partir de uma promessa. Um “gostinho” tentador sobre o que será falado nos próximos passos. Depois, vem o interesse. É a hora de apresentar os benefícios iniciais do que você pretende comunicar. 

    Com a atenção inicial conquistada, chegamos ao Desejo: aprofunde aqueles benefícios já explorados e mostre para o leitor que a vida dele ficaria mais triste ou incompleta caso ele não cumprisse a Ação. Porque logo depois vem ela, com o famoso conceito de CTA que já conhecemos no Marketing de Conteúdo. 

    Modelo F.A.B.

    Trata-se de um modelo bem simples quando pensamos na execução. O acrônimo significa Características, Vantagens e Benefícios e o discurso deve seguir essa praticidade que já entendemos logo ao ler o nome.

    O momento inicial para conquistar o leitor é aquele em que você vai descrever as características do produto ou serviço que deseja explorar. Com a atenção já conquistada, é a hora de listar as principais vantagens, destacando aquelas mais impactantes. 

    Por fim, chega o momento de mostrar os benefícios do seu produto e de qual forma ele será importante para transformar a vida do seu cliente

    Modelo B.A.B.

    O termo B.A.B. está em inglês e significa Before, After and Bridge. No português, podemos traduzir para Antes, Depois e Ponte.

    A ideia é começar o discurso falando sobre um problema vivido pela sua persona. Explore essa dor e mostre o quão negativa é a sua realidade ou rotina no momento atual. Avançando o copy, é hora de levar o usuário à imaginação. Ele deve ser colocado frente a uma situação hipotética, em que o problema já não existe mais. 

    Depois desse momento de reflexão, é hora de apresentar a ponte, ou seja, a solução para o problema. Aqui, entra a sua empresa ou a proposta de valor que poderá resolver a vida daquela pessoa.

    Modelo P.A.S.

    Esse modelo trabalha com o Problema, ou seja, alguma questão negativa vivida pelo cliente. Depois, avança para a Agitação do problema, momento em que o discurso do copy enfatiza essa situação e mostra como ela pode gerar outros transtornos ainda piores.

    Nessa hora, imaginamos que o receptor já está desconfortável com a mensagem e seu subconsciente busca maneiras de não passar mais por aquela questão. É justamente aí que esse exemplo de copy entra com a solução, a famosa cereja do bolo.

    Modelo 4U’s

    O nome vem de um conjunto de expressões que começam com a letra U:

    • útil;
    • urgente;
    • único;
    • ultra específico.

    Copys que usam essa técnica vão direto ao ponto e tendem a ter uma certa agressividade (no bom sentido) em suas palavras. Vale destacar que não é necessário unir todos esses U’s em um único material, desde que um ou dois deles sejam trabalhados com qualidade.

    Você também pode se interessar por estes artigos:

    Afinal, quais são os melhores exemplos de copywriting para vendas?

    Chegou a hora de conhecer os melhores exemplos de copywriting para vendas executados por times de marketing de grandes empresas a nível nacional e internacional. Em alguns casos, mostramos também uma estrutura de copy que poderia estar relacionada com o material discutido. Acompanhe!

    1. Uber

    Quando pensamos no rápido crescimento da empresa, devemos dar boa parte do crédito para as estratégias de marketing da companhia. 

    Neste vídeo, a marca explora o conceito de ser uma empresa que está junto do cliente em qualquer ocasião e momento — desde uma rápida ida ao trabalho até aqueles encontros especiais com quem amamos. 

    O discurso usado na campanha, então, foi justamente a exploração desse termo. O serviço é para todos, não importa a forma de pagamento, o destino ou objetivo da viagem: a Uber estará junto do cliente. 

    Percebemos o reforço da palavra “vamos”, que é repetida diversas vezes ao longo dos trinta segundos de conteúdo. Ela, inclusive, é praticamente a única expressão que ouvimos até o finalzinho do vídeo, que amarra o conceito principal: “Para você. Para todos.”

    2. Nubank

    O Nubank é um exemplo de copywriting no mercado brasileiro. A marca trabalha com uma linguagem jovem, inclusiva e acessível. Essa estratégia está totalmente conectada com a proposta do banco digital, que é justamente acabar com as burocracias e barreiras que as instituições tradicionais carregavam consigo há muitos anos. 

    Mas neste post, vamos analisar uma estratégia em específico, o discurso usado nos primeiros anos de operação da empresa no Brasil. Para se tornar cliente e acessar o cartão de crédito que todo mundo estava curioso para conhecer, era necessário receber um convite de alguém que já havia sido aprovado.

    Esse é um gatilho de exclusividade, responsável por despertar ainda mais a curiosidade das pessoas. O próprio produto já era diferente do tradicional: até a criação do Nubank, a expressão fintech não era muito ouvida pelo público geral. 

    A comunicação abraçou essa ideia de um cartão:

    • moderno;
    • digital;
    • gratuito;
    • disponível para um grupo seleto de pessoas.

    Pensando nos modelos de copy, a estratégia de comunicação do Nubank, de forma geral, pode ser reconhecida no P.A.S., sigla para Problema, Agitação do problema e Solução.

    Perceba como grande parte dos materiais de marketing da empresa reforçam o fato de que, por muito tempo, os bancos tradicionais dominavam o mercado. Isso deixava a vida do cliente complicada, burocrática e gerava gastos desnecessários. Porém, agora que o Nubank existe, com a sua proposta inovadora, o problema pode ser facilmente resolvido.

    3. Trello

    A técnica de copywriting usada pelo Trello, plataforma que estimula a organização e produtividade, vai para o lado da simplicidade e clareza nas informações. Por ser uma ferramenta de nicho, é preciso recorrer ao óbvio quando queremos atingir um público maior de usuários. 

    E nesse ponto a comunicação da marca é excelente. Na página inicial do site, é possível entender a proposta do negócio e a funcionalidade da ferramenta em poucos segundos. Além de saber o básico, ou seja, para que o Trello existe, o usuário rapidamente percebe as vantagens em se cadastrar. 

    Alguns pontos de destaque são:

    • o CTA aparece logo no início da página e reforça a gratuidade do serviço;
    • a principal proposta de valor do Trello, que é a otimização das atividades, é destacada na primeira chamada;
    • as principais funcionalidades da plataforma — quadros, listas ou cartões —, já são expostas e detalhadas, gerando uma aproximação maior do usuário.

    4. Apple

    A Apple é um dos melhores exemplos de marcas que executam um excelente copywriting na atualidade. Para explicar o nosso ponto, te convidamos a fazer uma pequena reflexão. 

    Os aparelhos da marca têm funcionalidades muito boas e que realmente funcionam na prática, ou seja, não estamos falando de nenhuma propaganda enganosa. Porém, o valor dos produtos é alto, principalmente em mercados como o brasileiro.

    Caso seja feita uma busca na internet, encontramos uma série de celulares, por exemplo, com funcionalidades igualmente interessantes e com um preço bem menor. Porém, ainda assim, a Apple é considerada a terceira marca de celular mais vendida no país: ela domina quase 15% do mercado.  

    Um dos principais fatores que explicam a adoração à Apple é justamente a sua estratégia de marketing, extremamente consistente e persuasiva. A comunicação da marca reforça a autoridade e exclusividade, passando a mensagem de que os seus clientes são, praticamente, pessoas “diferenciadas” dos demais.

    Quando pensamos nos principais modelos de Copy, a Apple se encaixa bem no F.A.B, que reforça as características do produto, vantagens e benefícios. 

    5. Mailchimp

    Chegamos ao último dos exemplos de copywriting para vendas! A comunicação do Mailchimp, plataforma de automação de marketing, usa palavras de ação com frequência. Logo na primeira página do site, percebemos termos como:

    • transforme;
    • faça tudo;
    • coloque;
    • alcance;
    • crie;
    • automatize.

    Dessa forma, estão colocando o usuário em primeiro lugar e despertando a sensação de empoderamento. Seria possível transformar esses termos em atributos da marca, reforçando como são bons e como o Mailchimp pode “salvar” a sua estratégia, mas esse conjunto de palavras ativa gatilhos como o de desejo, interesse e atenção.

    Podemos ver esse exemplo como o copywriting A.I.D.A, que vem justamente dos termos:

    • atenção;
    • interesse;
    • desejo;
    • ação.

    Depois de conhecer os principais exemplos de copywriting para vendas, esperamos que você esteja mais próximo de conseguir escrever os melhores materiais de marketing com alto poder de conversão e, assim, alcançar melhores resultados no seu negócio.

    E aí, gostou deste post? Aproveite para avançar nos estudos e conheça as principais tendências do mercado de redes sociais e sucesso do cliente em 2022!

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Posts Relacionados

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!