Rock Content adquire WriterAccess nos EUA. Saiba mais ->

Instagram anuncia Stories de 60 segundos e pode virar cópia do TikTok

instagram videos de 60 segundos

O Instagram virou uma espécie de curinga para o Facebook (ops, Meta; desculpe, Zuckerberg!). A empresa agora pode considerar o serviço como um TikTok killer. E isso não é algo novo: o Instagram também foi “assassino” do Snapchat e do YouTube no passado. O Snapchat ficou muito ferido, mas o YouTube sobreviveu e está mais forte do que nunca.

Agora, o Facebook (desculpe, Meta!) está dando sinais de que abandonará em breve uma de suas mais famosas ferramentas “inspiradas”: o Stories. Essa foi uma ideia que o Snapchat desenvolveu pela primeira vez em meados da década passada, e a empresa de Zuckerberg decidiu incluí-la em todos os seus serviços sem pagar nenhum royalty.

Desde 2016, como no Snapchat, você pode postar vídeos de 15 segundos que desaparecem após 24 horas. Agora, a empresa confirmou que em breve será possível postar vídeos de 60 segundos no Stories — o mesmo que no Reels, outro recurso “inspirado” do Instagram (dessa vez, do TikTok).

A notícia chega no mesmo trimestre em que o Instagram decidiu fechar o IGTV. E podemos dizer que a empresa que pretende fazer uma “revolução” com o seu metaverso não foi tão original com o recurso de vídeos longos. Há uma grande semelhança entre o IGTV e o YouTube, não acha?

Uma curiosidade: antes de adquirir o Instagram por US$ 1 bilhão em 2012, a empresa já era gigante e começou a desenvolver um aplicativo móvel que capacitasse os usuários a postar fotos com filtros. Isso te lembra de alguma coisa?

Sim. Em caso de falha na aquisição do Instagram, o Facebook já tinha um “assassino” para tudo o que incomodava a empresa de Zuckerberg. Era o Facebook Camera, lançado um mês após a aquisição do Instagram, e algo que quase ninguém lembra hoje.

Essa estratégia agressiva acabou transformando o serviço em que antes víamos fotos tipo food porn e filhotes de cachorro com filtros de hipster em algo mais parecido com um Frankenstein. Não com essas palavras, claro, mas é algo com que até a empresa concorda.

“Fizemos muitas novas apostas (no aplicativo)”, disse Adam Mosseri, chefe do Instagram, ao The Verge no início do ano. Segundo ele, “a maioria das pessoas” não sabe a diferença entre os vídeos postados no Instagram e no IGTV, por exemplo. “Temos que voltar ao nosso foco na simplicidade e na habilidade.”

De volta ao básico

Até algum tempo atrás, apenas para vídeos, você tinha 4 maneiras de postar no Instagram: feed, Stories, IGTV e Reels. Todas elas foram “inspiradas” em algum concorrente. As fotos, que eram o núcleo do app social, ainda estão lá, mas não são tão importantes para a empresa como antes.

Mosseri, ao explicar os planos de vídeo, declarou em junho que o serviço “não é mais um aplicativo de compartilhamento de fotos”: “Sejamos sinceros, há uma competição realmente séria no momento. O TikTok é enorme, o YouTube é ainda maior e há muitos outros estreantes também. As pessoas procuram o Instagram para se divertir, há uma competição acirrada, há mais o que fazer, e temos que abraçar isso.”

Isso vai fazer o Instagram mudar radicalmente, de acordo com especialistas. Encerrar o IGTV foi o primeiro passo. Agora, tornar o Stories muito semelhante ao Reels — Mosseri disse que o recurso já não o deixava satisfeito — pode ter um único propósito: mesclar tudo isso para oferecer uma ferramenta simples para vídeo em tela cheia e um feed quase infinito de conteúdo de entretenimento para rolagem. Parecido com o quê? Com o TikTok, é claro!

O Instagram mudou muitas vezes. Seu logo, no início, era uma câmera fotográfica Polaroid, por exemplo. Mas quando o chefe de produto diz que a função antes primária do aplicativo não é mais importante e fala especificamente sobre o TikTok (na competição com o YouTube, nós já sabemos, eles fracassaram), o que você espera que aconteça?

Logo original do Instagram | Fonte: Reprodução

Por que o TikTok?

O Facebook foi criado em 2004, menos de um ano antes do YouTube. Mas, naquela época, o Facebook era principalmente para estudantes, o MySpace era a maior rede social e o YouTube se tornou mundialmente famoso — antes do Facebook.

Quando Mark Zuckerberg teve força para lutar contra grandes empresas, ele procurou serviços de mídia social como MySpace e Snapchat, mas não o YouTube. O YouTube foi adquirido por outro gigante, o Google, com a estratégia manter seu domínio nos vídeos.

O Facebook tentou competir recentemente com o YouTube. Em 2018, lançou o IGTV, uma ferramenta do Instagram para vídeos longos, dizendo que era “o futuro do vídeo”. O Facebook falhou e abandonou esses planos em outubro passado. Então, a empresa não estava nem perto de ser uma ameaça ao YouTube.

Mas, depois que o Facebook ultrapassou o MySpace em número de usuários em 2009, o TikTok é o único serviço que foi capaz de chegar perto do público de suas marcas, Facebook e Instagram. Não pense no Twitter — de quem o Facebook se “inspirou” para sua linha do tempo — ou no LinkedIn, que copiou o feed do Facebook também: essas duas plataformas ainda são para nichos.

O TikTok está se tornando enorme, gigantesco mesmo. E isso de forma rápida. O aplicativo chinês alcançou 1 bilhão de usuários em setembro. É muito parecido com o Instagram, que tem 1,4 bilhão de usuários hoje. Mas, o Facebook ainda é a maior plataforma social global, com quase 3 bilhões de usuários.

O que torna o TikTok ainda mais impressionante é a velocidade de crescimento. Como podemos ver no gráfico abaixo, levou quase 9 anos para o Facebook atingir 1 bilhão de usuários; para o Instagram, quase 8 anos; para o TikTok, apenas 5 anos.

Fonte: Axios

Existem alguns outros problemas, também. O Facebook enfrenta polêmicas há cerca de 2 meses, desde que documentos internos da empresa foram a público e mostraram que seus executivos sabiam que seus serviços estavam causando problemas de saúde mental, ameaças à democracia e até estimulando guerras.

O Instagram vai testemunhar perante o Senado dos EUA em dezembro, depois que o The Wall Street Journal publicou uma pesquisa interna mostrando que 1 em cada 3 garotas acha que o Instagram piora os problemas de imagem corporal e que o aplicativo social estava causando ansiedade e depressão.

A empresa sabia desses problemas e, aparentemente, pouco fazia para ajudar seus usuários, pensando mais nos lucros do que no bem-estar do público. Por causa disso, cada vez menos pessoas confiam na empresa, conforme mostram as pesquisas. O Facebook foi a empresa de rede social menos confiável nos levantamentos dos anos anteriores. E, depois desse evento, esse número diminuiu ainda mais.

Mais do que isso, os serviços do Facebook estão enfrentando uma diminuição no uso entre os jovens. Hoje, 63% dos americanos entre 12 e 17 anos usam o TikTok. Entre eles, apenas 57% usam o Instagram, de acordo com pesquisa da Forrester.

Por que isso é um problema? Historicamente, os jovens são responsáveis ​​pelas tendências e estão mais engajados com as redes sociais. E caso eles não estejam presentes em uma mídia social, as pessoas de outras idades tendem a migrar para outras opções, buscando ambientes com pessoas mais descoladas. Para impedir isso, o Instagram está tentando se transformar no TikTok.

O que os profissionais de marketing devem fazer?

Em primeiro lugar, vamos falar sobre vídeo. Se você ainda acha que o vídeo é o futuro da internet, por favor, mude de ideia. O vídeo não é o futuro, é o presente! De acordo com a Cisco, o vídeo será responsável por 82% do tráfego de internet em 2022. Então, se você ainda não começou a investir nisso, já está correndo contra o relógio.

Você precisa estar no TikTok? Tenha cautela em relação a isso. Antes de decidir, é importante examinar a sua persona. O seu público está lá? Não siga as tendências cegamente. Não é apenas o TikTok que está crescendo. O YouTube continua enorme, mas você tem outras opções. O Spotify está crescendo muito com podcasts, por exemplo. De novo, você precisa estar lá? Pergunte ao seu público, já que você tem que estar onde ele se encontra!

Se você é muito dependente do Instagram, deveria se preocupar? A resposta é sim. Primeiro, o aplicativo de mídia social está mudando seu core business para atrair os jovens. Então, talvez o seu público que adora fotos vintage no feed procure outro lugar, como o Pinterest — que continua crescendo como um serviço de nicho e hoje tem mais usuários do que o Twitter.

Tem mais: o Instagram conseguiu desacelerar o Snapchat no passado ao copiá-lo. Mas isso não funcionou com o YouTube. Sim, a empresa tem muito dinheiro, mas o MySpace, vendido para a News Corp. em um momento de alta popularidade, também foi superado pelo Facebook no passado.

Tivemos outro caso semelhante em todo o mundo. Os principais países no uso de mídia social são os EUA, Índia e Brasil. Em 2004, o Google lançou um serviço de mídia social chamado Orkut, que apenas Brasil e Índia abraçaram. Foi muito popular nesses dois países, com quase 80% dos internautas dentro dele. Mas, 6 anos depois, o Orkut começou a diminuir, e o Facebook o superou.

Por quê? Ninguém quer ficar onde você não pode interagir com seus amigos. Quando os jovens começam a usar outro serviço, rapidamente outras faixas etárias começam a descobri-lo. Então, à medida que muitas pessoas passaram a adotá-lo, seus amigos também. Isso levou a uma migração massiva.

O fenômeno vai acontecer com o Instagram? Posso ajudar com alguns dados históricos, mas não posso prever o futuro. Assim como o Instagram fez com o Snapchat, ele tem chances de ter sucesso contra o TikTok. Mas o TikTok é muito maior hoje do que o Snapchat jamais foi. Então, posso dizer que, se você depende muito do Instagram, é arriscado continuar com essa estratégia.

Talvez o Instagram tenha sucesso agora. Quem garante o mesmo no futuro? Por isso, é muito importante diversificar sua marca e seus canais de aquisição, e não estou falando apenas sobre redes sociais.

Procure outros canais sociais, mas garanta também uma ótima experiência em seu site e blog. Também é importante ter sua própria lista de contatos interessados no que você vende. Assim, pode enviar e-mails quando quiser, sem depender apenas de ambientes de terceiros. Não confie em apenas uma tática ou fonte de tráfego e aquisição: com uma estratégia diversificada, seu negócio estará mais seguro!

E, claro, se você quiser ficar por dentro dos principais assuntos relacionados a Marketing Digital da semana (e como isso afeta diretamente sua marca e estratégias), convido você a se inscrever na nossa newsletter!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Posts Relacionados

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!