CTA-fale-com-um-vendedor

O que os mais bem-sucedidos IPOs têm em comum?

Fazer uma abertura pública inicial não é uma decisão tão fácil quanto parece, mas há características comuns entre IPOs bem-sucedido

IPOs bem-sucedidos

Precisando de conteúdo para sua empresa? Encontre os melhores escritores em WriterAccess!

Abrir IPO é um grande passo para uma empresa. A abertura do seu capital na Bolsa de Valores significa que a organização é um sucesso de mercado, mas todo o processo para iniciar a venda de ações tem que ser planejado e cauteloso para não colocar em risco e credibilidade do negócio.

Recentemente, a Uber e a WeWork tornaram as suas ações públicas, vivendo um período bastante turbulento, o que se deve ao fato de terem se precipitado. Os IPOs bem-sucedidos estão relacionados a um bom planejamento que, acima de tudo, inclui paciência para entender qual é o melhor momento para vender as suas ações de forma segura.

Ignorar esses fatores pode sair caro para a empresa, pois implica em consequências negativas para a marca e para executivos e funcionários.

Paciência é indispensável

As empresas que optam pela abertura do capital passam por um rigoroso filtro da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), devendo cumprir todas as exigências estabelecidas pelo órgão. Para tanto, é necessário construir um planejamento sólido, que comprove que a organização está pronta para vender as suas ações na Bolsa de Valores e para que esse processo impacte o mínimo possível suas atividades.

Tudo isso requer muita paciência para não se apressar e acabar cometendo erros que comprometem a imagem da companhia. Antes de qualquer coisa, é importante analisar alguns fatores que indicam que a empresa tem condições de abrir IPO, tais como:

  • boa gestão do negócio;
  • consolidação da marca no mercado;
  • administração transparente;
  • aceitação perante os consumidores.

Também vale ressaltar que o Mercado de Ações é exigente. Logo, é necessário ter objetivos e um plano de negócios contundentes e claros. Sem falar que a abertura do capital influencia na maneira como o negócio é gerenciado, haja vista que os acionistas têm acesso a informações sigilosas, além de se envolverem na tomada de decisão dependendo do tipo de ação adquirida.

Sendo assim, é fundamental montar um time especializado e preparado para esse processo. É preciso combinar a competência dos colaboradores internos com experiência em capital aberto dos profissionais externos. Isso ajuda a ter um bom relacionamento com os investidores e maior transparência nos processos.

Os IPOs bem-sucedidos de 2019 não foram feitos repentinamente

O ano de 2019 foi excepcional para o mercado de IPO. Diversas empresas populares entraram no mercado público. De acordo com o levantamento da Renaissance Capital — órgão de pesquisa e fundos negociados em bolsas de valores — a abertura de capital de novas empresas gerou US$ 25 bilhões de dólares.

Os IPOs que obtiveram sucesso não conseguiram isso de uma hora para outra. Tratam-se de empresas que estudaram o melhor momento para iniciar a venda de ações e se estruturam para realizar essa transição.

Beyond Meat

A Beyond Meat, startup de carne vegetal, triplicou a sua receita após abrir o capital. Segundo o Business Insider, desde a primeira oferta de ações feita em 02 de maio de 2019, a marca teve uma valorização de 550%.

As ações da empresa seguem subindo no mercado. Essa tendência já era evidente antes mesmo da precificação das ações. No final do mês de abril, a instituição tinha como estimativa alcançar US$ 1,2 bilhão com o IPO. No dia da abertura, esse número praticamente dobrou e a ação que inicialmente era negociada por US$ 25 passou a ser vendida por US$ 46.

Zoom Video Communication

Sediada na Califórnia, nos Estados Unidos, a Zoom Video Communication oferece serviços de conferência remota por meio de computação em nuvem, e no ano passado esteve entre as empresas de tecnologia mais valiosas do mundo. Ela se tornou pública em abril de 2019, emitindo 20 milhões de ações por US$ 36, o que a fez levantar US$ 752 milhões. O seu retorno após o IPO é de 139,8%, conforme informações do Business Insider.

Um dos principais diferenciais da companhia é focar em vendas, marketing, contratação e desenvolvimento de produtos para aumentar os seus negócios. A sua maior concorrente é nada menos do que a Microsoft. Levando isso em consideração, a Zoom está sempre atualizando as suas ferramentas para se manter competitiva.

O que as empresas podem aprender com a Uber e a WeWork

Startups de grande sucesso no mercado, a Uber e a WeWork derraparam ao abrirem o capital, tendo que lidar com várias turbulências.

A primeira tinha uma expectativa elevadíssima antes de ser lançada na Bolsa de Valores, com uma possível valuation de US$ 120 bilhões, mas que na realidade alcançou apenas metade da previsão. Já a segunda foi analisada em detalhes ao solicitar seu IPO, o que apontou que a expansão da empresa não estava de acordo com a expectativa de rentabilidade prevista, isso gerou crises e um prejuízo de US$ 1,9 bilhão.

O fiasco da Uber mostra ansiedade dos investidores com relação à liquidez do negócio. A companhia tem um balanço instável, com muitas perdas registradas a cada mês, necessitando de uma mudança na gestão para que o seu crescimento seja devidamente alinhado com a lucratividade.

No caso da WeWork, há uma série de erros. Isso porque a empresa tinha gastos extremamente elevados, além de enfrentar problemas em decorrência da falta de ética do seu CEO, Adam Neumann. Ele detinha alguns imóveis alugados para a WeWork e pegou uma linha de crédito pessoal na própria organização a juros muito baixos. O dinheiro foi usado na aquisição de mais prédios, que em seguida foram alugados para o negócio.

Empresas que devem solicitar IPO em 2020

Em 2020, novas empresas devem solicitar IPO, com o máximo de cuidado para não errar da mesma forma que as companhias citadas anteriormente. A Renaissance diz que a Private Company Watchlist (PCW) tem 243 companhias que podem se tornar públicas este ano, além de outras 60 que contrataram bancos ou entraram em sigilo com a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA.

Airbnb

A startup que se transformou em uma plataforma global de reservas de viagens é um dos negócios mais esperados a abrir capital neste ano. Entre seus diferenciais está buscar uma listagem direta, o que quer dizer que não vai arrecadar dinheiro.

Nesse cenário, a Airbnb deve seguir os caminhos do Spotify e do Slack. Se essa estratégia tiver êxito, poderá estimular uma tendência que tem reformulado o setor com o Wall Street. O venture capital é de US$ 3,1 bilhões.

Wish

Discretamente, a Wish se converteu em uma enorme plataforma de e-commerce, vendendo objetos sem marca e com descontos para compradores de barganha. É um sucesso estrondoso e faz frente à Amazon, que inclusive já fez ofertas para comprá-la. O venture capital é de US$ 1,6 bilhão.

Credit Karma

Essa startup financeira oferece relatórios de crédito online gratuitos e ferramentas para gestão financeira. O negócio vem sendo objeto de especulações sobre IPO há alguns anos, mas só evidenciou o interesse nesse processo em 2018. Uma grande colocação privada terminou atrasando esses planos. O venture capital é de US$ 869 milhões.

De forma geral, os IPOs bem-sucedidos estão alicerçados em um planejamento aprofundado, que compreende desde os aspectos internos até os fatores externos que podem impactar a venda de ações da empresa. Somente com paciência, ética, transparência e uma boa gestão é possível alavancar a valorização da marca no mercado.

Nesse sentido, aprender com o caso WeWork é essencial para as empresas que vão solicitar IPO em breve.

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

CONTEÚDO CRIADO POR HUMANOS

Encontre os melhores freelancers de conteúdo no WriterAccess.

CONTEÚDO CRIADO POR HUMANOS

Encontre os melhores freelancers de conteúdo em WriterAccess.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Posts Relacionados

Compre conteúdo de alta qualidade com a WriterAccess.

Tenha acesso a mais de 15.000 freelancers especializados em redação, edição, tradução, design e muito mais, prontos para serem contratados.

Fale com um especialista e amplie seus resultados de marketing.

A Rock Content oferece soluções para produção de conteúdo de alta qualidade, aumento do tráfego orgânico e conversões, e construção de experiências interativas que transformarão os resultados da sua empresa ou agência. Vamos conversar.