JavaScript e SEO: como melhorar a configuração do seu site e melhorar seu posicionamento nos buscadores

A união dos conhecimentos sobre JavaScript e SEO permite a correta indexação das suas páginas pelo Google, melhorando seus posicionamentos no buscador.

JavaScript e SEO

    Nos últimos tempos do Marketing Digital tem surgido mais do que nunca a conexão entre os aspectos inerentes do mercado com o uso da tecnologia e o desenvolvimento web. JavaScript e SEO hoje em dia formam parte do mesmo tema de conversação. Por isso, nessa publicação abordaremos desde os conceitos básicos até como melhorar seu posicionamento por meio das boas práticas dessa linguagem de programação em sites e blogs.

    Em primeiro lugar, é importante entender que JavaScript e SEO são disciplinas que têm complicações e complexidades individualmente e que, normalmente, os departamentos trabalham elas de forma separada nas suas estratégias.

    Porém, quem deseja se tornar um profissional capacitado para responder às necessidades da indústria, deve dominar ambos campos, por isso decidimos fazer esse post. Nele você verá:

    Boa leitura!

    Quais são os conceitos mais importantes de JavaScript e SEO?

    A linguagem de programação JavaScript é uma das mais utilizadas no mundo, com o uso dela foram desenvolvidos os melhores sites que costumamos visitar. Mas bem, quais são os conceitos fundamentais que unem ambas disciplinas?

    Sobre JavaScript e SEO, o primeiro que deve ser esclarecido é que ao falarmos de posicionamento, os mecanismos de busca não são capazes de entender, assimilar ou processar o código em JavaScript completamente.

    Porém, existe uma forma de preparar um site para que, quando Google começar o processo de rastreamento e indexação possa decifrá-lo.

    De fato, o mecanismo de busca mais popular do mundo ocidental mostrou preocupação por esse assunto e foi assim que surgiu AJAX, que é basicamente um atualizador de conteúdo.

    AJAX permite que os aplicativos possam se comunicar com os servidores e indicar as novidades sem ter que rastrear ou refrescar a página inteira.

    Agora bem, como isso funciona?

    Em primeiro lugar, o robô que processa JavaScript funciona em três etapas:

    • rastreamento;
    • processamento;
    • indexação.

    Quando se identifica um URL que contem essa linguagem, o primeiro é verificar que o usuário tenha permitido a identificação.

    Para isso, é feita a leitura do arquivo robots.text e, se efetivamente foi autorizado, o Google começa o processamento. Por último, após a análise do HTML, passa a ser indexado.

    Tudo isso acontece porque o JavaScript não é executado para os servidores, e sim para os navegadores. Por isso, os buscadores devem assumir a posição de um navegador para poder capturar ou ler o conteúdo.

    Qual o papel que cumpre JavaScript nas páginas web com respeito ao SEO?

    Para responder essa pergunta, devemos voltar a AJAX, a sigla para Asynchronous JavaScript and XML.

    Essa técnica foi desenvolvida para dispositivos móveis e sites. Sua função? Inicialmente realizar as mudanças no conteúdo sem precisar carregar todo o HTML

    Então, afeta o SEO? A resposta é sim! AJAX “geralmente” — utilizando as palavras dos porta-vozes de Google — pode renderizar e indexar o conteúdo dinâmico, mas não sempre é assim. Isso acaba influenciando diretamente no posicionamento nos buscadores.

    Agora bem, nesse ponto é importante entender as limitações que tem o mesmo Google para processar JavaScript. Por exemplo, a maioria dos usuários utiliza navegadores como Chrome, Mozilla, entre outros.

    E o robô de Google no utiliza a última versão desses navegadores, e sim Chrome 41 para fazer o processamento, fato que pode afetar drasticamente o rastreamento.

    Para isso, existem ferramentas próprias de Google, como a prova de optimização ou a ferramenta de inspeção de URL de Search Console, de forma que você possa visualizar os recursos que são mostrados e as excepções que pode fazer ao JavaScript ou DOM.

    Quais são os problemas de SEO que acontecem com o mal uso de JavaScript?

    Apesar de o JavaScript ajudar a mostrar ao usuário sites web dinâmicos, cheios de gráficos interessantes, interfases agradáveis, entre outras coisas, existem vários erros que podem ser cometidos facilmente e que influenciam negativamente no SEO e, consequentemente, no potencial do site.

    Aqui mostramos os erros mais comuns nos que podem cair.

    1. Descuidar o HTML

    Se a informação mais importante do site está dentro do código em JavaScript, é possível que o rastreador tenha muita pouca informação para fazer o processamento devido, quando se trate de indexar pela primeira vez.

    É muito importante que todos os dados fundamentais para a web estejam criados em HTML para que possam ser indexados com rapidez por Google e outros buscadores.

    2. Utilizar mal os enlaces

    Qualquer profissional de SEO sabe da importância que os links internos têm para o posicionamento.

    Isso poque os buscadores e seus rastreadores reconhecem a conexão que há entre uma página e outra. O que aumenta o tempo de permanência do usuário.

    Para JavaScript e SEO é muito importante retificar que todos os links estejam estabelecidos de forma correta.

    Isso significa que devem se utilizar os textos ancoras, ou anchor texts, e as etiquetas de ancoragem HTML que incluam o URL da página de destino no atributo href.

    3. Evitar acidentalmente que Google indexe teu JavaScript

    Esse pode ser o mais comum dos três. Como já mencionamos, o Google não pode renderizar o JavaScript na sua totalidade.

    Por isso, muito sites podem estar cometendo o erro de incluir etiquetas de “não indexar” no HTML.

    É por esse motivo que quando Google passa por um site e lê HTML, pode ser que ache essa etiqueta e passe reto.

    Isso evita que o robô do Google volte para correr o JavaScript que está dentro do código, impedido que se mostre corretamente.

    O JavaScript continua sendo um aspecto atrativo e importante para o desenvolvimento web, tanto de marcas, empresas, e-commerces e muito mais.

    Para evitar que o Googlebot e outros rastreadores passem reto, é importante entender como funcionam e assim potencializar o SEO, favorecendo o posicionamento das páginas web.

    O que fazer para facilitar a indexação de páginas de JavaScript em Google?

    Apesar de que até agora pode parecer um resumo de más notícias, não se preocupe!

    Sim, é possível otimizar uma página web com JavaScript para que, não só seja mostrada corretamente, mas também para que o robô de Google possa rastreá-la, processá-la e indexá-la para conseguir o posicionamento nas SERPs que tanto você busca.

    A seguir, umas dicas para que você possa consegui-lo sem morrer no intento. Continue lendo!

    Otimize a estrutura do URL

    O URL é a primeira coisa do site que o Googlebot rastreia, por isso é muito importante. Nas páginas web com JavaScript é muito recomendável utilizar o método pushState History API, cuja função é atualizar o URL na barra de endereços e permite que as páginas com JavaScript possam se mostrar limpas.

    Um URL limpo consiste em um texto muito fácil de entender por aqueles que não são expertos no tema.

    Dessa forma, o URL se atualiza cada vez que o usuário clica em uma parte do conteúdo.

    Favoreça a latencia do site

    Quando o navegador cria DOM (Document Object Model) — uma interface que proporciona um conjunto padrão de objetos para utilizar e combinar HTML, XHTML e XML — pode criar um arquivo muito grande dentro do HTML, causando a demora para carregar e consequentemente uma demora significativa para o Googlebot.

    Ao acrescentar o JavaScript no HTML diretamente, são assinados valores para não sincronizar os elementos menos importantes da página, desta forma é possível reduzir o tempo para carregar e o JavaScript não entorpecerá o processo de indexação.

    Teste o site muitas vezes

    Como já foi falado, pode ser que JavaScript e SEO no começo não aparentem um problema para o processo de rasteamento e indexação, mas não pode se afirmar nada.

    Google é capaz de rastrear e entender muitas coisas de JavaScript, mas existem algumas que são muito difíceis para eles. Existem muitas ferramentas que servem para estudar e simular o carregamento da página e encontrar erros.

    É fundamental que você ache aqueles conteúdos com os que Google poderia ter inconvenientes e que podem afetar negativamente o posicionamento da sua página.

    Quais são as vantagens de configurar corretamente os elementos JavaScript para SEO?

    Por último, é importante destacar que, se você quer ter um site dinâmico com JavaScript, é fundamental seguir os passos recomendados nesse artigo e por outros especialistas.

    Ter opções é vital se continuamos nesse caminho. Se estão bem configurados os elementos de JavaScript, o Googlebot não terá problemas em rastrear seu conteúdo e começar o processamento do HTML e, finalmente, sua indexação.

    Porém, você deve considerar as recomendações desse post. Esse é um território ainda inexplorado pelos profissionais na sua maioria, inclusive, Google ainda não criou um sistema unificado para encontrar e ler bem o JavaScript.

    O mundo do SEO está cheio de mudanças e caminhos interessantes que você pode aprender para conquistar a posição sonhada nos buscadores, por meio de estratégias bem produzidas e executadas.

    Por isso como queremos que você tenha sucesso nos seus propósitos, deixamos nosso Guia Completa de SEO, nele encontrará tudo o que você deve saber para ser um profissional na área.

    Compartilhe
    Redator Rock Content Rock author vector
    um de nossos especialistas.

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!

    Nosso site é otimizado para cada país em que operamos.

    Ir para site em Português ->