Microsite e minisite: afinal, qual é a diferença entre os dois?

Como um especialista em marketing, independentemente do seu nível de conhecimento em web design, você precisa saber a diferença entre um microsite e um minisite para delimitar melhor a sua estratégia de Marketing Digital.

microsite minisite
Estratégias de Conteúdo com Patrícia Moura

A diferença básica entre microsite e minisite é bem evidente, se considerarmos os seus nomes: está relacionada à robustez do ativo digital. Apesar disso, também pode ser salientada pela sua natureza temporária ou sazonal.

Embora a quantidade de recursos e funcionalidades seja bem parecida, o microsite é mais indicado para estratégias focadas em conversões, pois contém palavras-chave consistentes, que ajudam a alcançar o topo das SERPs, além de apoiar as campanhas em redes sociais. Entretanto, ele não negligencia a relevância das informações disponibilizadas aos visitantes.

O microsite pode ser facilmente confundido com uma landing page, página que tem como principal objetivo coletar dados dos leads para ajudá-los a avançar pelo funil de conversões, seja por meio da aplicação de estratégias como Marketing de Conteúdo, seja por meio de boas práticas de email marketing.

Tanto o microsite quanto o minisite podem ser úteis em campanhas pagas, como as do Google Ads. Se o objetivo for aumentar a visibilidade de um produto ou serviço específico, o microsite é a melhor escolha. Entretanto, se a empresa tiver como principal foco melhorar o brand awareness, pode ser interessante investir em um minisite e permitir ao usuário uma navegação mais completa e abrangente.

Se você ainda não entendeu a diferença entre microsite e minisite, mas quer saber qual é a melhor escolha para a sua estratégia, continue a leitura. Neste artigo, falaremos sobre:

    O que é um microsite?

    Microsite é um site de página única, ou seja, um ativo digital que reside fora do site institucional de uma empresa e, por isso, tem uma URL diferente. Sua principal característica é a efemeridade, pois, geralmente, eles são criados com o intuito de basear uma campanha por tempo determinado.

    Por isso, microsites tendem a ser páginas focadas em um objetivo específico na estratégia de Marketing Digital, como aumentar a conscientização sobre um produto recém-lançado ou um evento. Microsites podem assumir várias formas, pois são delineados conforme os objetivos da campanha. Entretanto, o mais comum e conhecido é a landing page.

    A landing page é projetada para incentivar a ação dos usuários, seja fazer o download de um material rico, como um e-book, seja para assinar a newsletter ou adquirir um produto ou serviço da marca.

    Por isso, os elementos da página são estrategicamente pensados para chamar a atenção e conduzir o lead até o botão de CTA (Call To Action), quando ela realmente faz a sua inscrição para seguir sua jornada de conhecimento.

    Landing pages, assim como os microsites, não estão vinculadas à navegação do site principal. Entretanto, elas não têm conexões plausíveis para que o lead tome outra atitude durante a visitação, que não seja clicar na CTA.

    Embora esse tipo de configuração seja ideal para aumentar as conversões, ela não ajuda com o brand awareness, uma vez que não fornece informações relevantes suficientes para atestar a credibilidade da empresa.

    Já o microsite fornece dados significativos e conteúdo útil para embasar as decisões dos clientes, mesmo que em menor volume, se compararmos com os minisites, blogs e sites, conforme você verá, a seguir.

    Quando um microsite é indicado?

    Geralmente, os microsites são criados junto a um site ou domínio pai, embora tenham seu próprio nome de domínio. Eles oferecem experiências únicas para as pessoas em um mercado-alvo, pois ficam à parte do site principal.

    Ao focar determinado produto ou ideia e, em seguida, limitar a quantidade de informações compartilhadas a apenas uma página, a empresa potencializa as suas campanhas e a qualidade dos resultados, mesmo reduzindo a abrangência da estratégia. Como os microsites são de fácil consumo, eles devem ser a sua opção quando o objetivo for:

    • embasar a campanha de um novo produto ou serviço;
    • aumentar a relevância e o impacto de um produto específico;
    • estabelecer a comunicação com um público segmentado;
    • compartilhar informações urgentes;
    • promover um evento especial;
    • promover produtos sazonais;
    • configurar uma campanha PPC (Pay Per Click) para produtos ou serviços mais famosos do seu portfólio, que elevam o reconhecimento da sua marca;
    • compartilhar informações de competições ou concursos.

    Quais as vantagens e desvantagens do microsite?

    Microsites usam um conceito que se tornou tendência no Inbound Marketing e no design de páginas. Existem inúmeros templates de página única que elevam a qualidade e a usabilidade desse tipo de site. Apesar disso, essa não deve ser a escolha quando o objetivo principal da estratégia for se tornar referência no mercado.

    Além disso, eles geram um custo extra para a empresa, tanto na formulação de conteúdo e desenho dos elementos visuais quanto na contratação do domínio. Outro problema potencial dos microsites está relacionado ao risco de ser confundido com o site principal, e despertar a frustração dos visitantes.

    Por isso, ao ser criado, o microsite deve ter elementos específicos, mas também, identitários, na medida certa para ser realmente funcional. Apesar disso, a opção é de grande valia para oferecer experiências únicas ao público, testar campanhas e conteúdos. Ele favorece a segmentação da estratégia de marketing e vendas, aumenta o controle sobre o conteúdo compartilhado e facilita a aplicação de boas práticas de otimização.

    Outra vantagem do microsite é a desassociação com o site principal, o que reduz o risco de impacto na reputação da empresa, caso algo dê errado na estratégia. Você também pode coletar informações úteis para o branding: determinar qual domínio leva a mais visitantes para o site ou quais características das campanhas (cores, elementos interativos, entre outros) seus clientes mais gostam ou interagem.

    Para evitar que os microsites afetem a forma como as pessoas se sentem a respeito da sua empresa, é importante manter conformidade com a sua plataforma de marca, mesmo que esse seja um canal secundário de contato com o público. Por isso, tenha cuidado ao escolher o tom de voz, as cores e a tipografia, por exemplo, a menos que o objetivo seja, realmente, testar uma nova estratégia.

    O que é um minisite?

    O minisite tem mais páginas que o microsite e menos que um site institucional. Geralmente, são duas a cinco páginas, com informações bem organizadas, que comunicam o objetivo da estratégia de forma clara e concisa. O minisite também pode assumir formas variadas, dependendo do conteúdo e da estratégia aplicada.

    Por exemplo, uma empresa com um portfólio pequeno pode ter um minisite funcionando como e-commerce, desde que adicione uma seção de checkout e integre a página a plataformas de pagamento.

    Por sua natureza mais longeva, os minisites devem ter a mesma atenção que sites institucionais: segurança, usabilidade, responsividade e velocidade de carregamento das páginas.

    Logo, é essencial contar com um servidor dedicado, com hospedagem e recursos que suportem o volume de tráfego e garantam o desempenho requerido por uma excelente experiência de visitação. O Stage é uma hospedagem gerenciada WordPress e, além de ser uma plataforma otimizada, conta com profissionais especializados para orientar os proprietários de sites na criação e implementação das melhores estratégias.

    Quando é indicado usá-lo?

    Optar pelo minisite é mais vantajoso quando o objetivo for o compartilhamento de conteúdos mais persuasivos, que visem a orientar os usuários em suas jornadas nos estágios mais profundos do funil de conversões. Como os leads, nesses estágios, têm conhecimento profundo sobre suas necessidades e problemas e, por isso, consideram os produtos ou serviços da empresa como uma opção no mercado, o minisite precisa ter:

    • informações bem direcionadas e segmentadas;
    • conteúdo visual mais objetivo e compactado;
    • menor número de direcionamentos;
    • base em boas práticas de CRO (Conversion Rate Optimization) e SEO (Search Engine Optimization.

    Quais são as vantagens e desvantagens do minisite?

    Provavelmente, você se perguntou por que uma empresa com reconhecimento de marca e boa participação de mercado criaria um minisite fora do espectro do negócio, em vez de investir em seu domínio principal. Embora pareça contraprodutivo, essa é uma forma de experimentação que desassocia o conteúdo, os produtos ou serviços focados na estratégia da marca e, assim, permite avaliar práticas que nunca foram atestadas.

    Assim, o minisite possibilita que uma empresa utilize estratégias de conteúdo alternativas para atingir determinado público. Em muitos casos, negócios cujos sites institucionais já são conhecidos se comunicam melhor com um público diferente por meio de outro canal.

    Por exemplo, o banco Itaú. A instituição criou, recentemente, o Iti, uma carteira digital desassociada da sua plataforma de marca e tradicionalmente conhecida pelas cores azul e laranja.

    Para comunicar melhor sua mensagem e linguagem ao público para o qual a estratégia foi direcionada, o Iti assume as cores rosa e laranja, entretanto, ainda carrega o peso e a credibilidade da marca Itaú no nome. Nesse caso, seria interessante criar um minisite exclusivamente para o Iti? Às vezes, faz sentido ter um site assim para:

    • ser mais criativo;
    • direcionar a comunicação a um público específico;
    • compartilhar mensagens diferentes do padrão da marca;
    • experimentar diferentes formatos de mídia (blogs, vídeo, áudio etc.);
    • ter outra plataforma para potencializar a abrangência e aumentar a visibilidade online da marca;
    • dar mais atenção a um novo produto ou serviço;
    • ter uma forma alternativa de capturar dados dos leads;
    • comunicar um “lado alternativo” da marca;
    • ser uma plataforma que funciona como parte de outro serviço mais abrangente e completo (o Iti, por exemplo).

    As desvantagens do minisite são as mesmas que as do microsite: risco de confusão do público com a marca, falta de credibilidade e custos adicionais de manutenção.

    Qual é a diferença entre microsite e minisite? Qual o melhor?

    A principal diferença entre o microsite e o minisite é o tamanho. Enquanto o microsite tem, basicamente, uma única página, que funciona de forma independente da URL principal, o microsite pode ser integrado ao domínio e ter mais páginas (mesmo sendo menor que o site institucional tradicional).

    Outra diferença que, talvez, não seja discutida pelo ponto de vista do design é a usabilidade de cada modelo em uma estratégia de marketing. Enquanto o microsite é mais indicado em estratégias de atração de leads, como landing pages e divulgação de um conteúdo promocional ou evento, os minisites são mais efetivos em estágios mais avançados do funil, da consideração até a decisão, quando o lead já sabe que o produto ou serviço da empresa é útil para a sua jornada de consumo.

    Além disso, embora o minisite também tenha capacidade de chamar a atenção para os produtos ou serviços da empresa, o microsite se concentra na especificidade. Por isso, ele é destinado a um público específico ou tem o objetivo de destacar informações exclusivas.

    Microsites e minisites são iguais em um nível mecânico ou fundamental: você ainda precisa de um nome de domínio, um pacote de hospedagem para mantê-lo ativo e pronto para ficar online. Além disso, ambos exigem manutenção e atualizações regulares, se você quiser que permaneçam relevantes.

    Antes de escolher o melhor para a sua estratégia, pergunte-se:

    • Em qual estágio da jornada estão os leads da empresa?
    • Por quanto tempo o site precisa estar ativo?
    • Você deseja criar um novo conteúdo de longo prazo ou esse será apenas um canal efêmero?
    • Seu ponto de contato facilitará a jornada do seu público-alvo?
    • O conteúdo compartilhado pode confundir ou frustrar o público?
    • Você usará uma marca diferente?
    • O objetivo é direcionar um novo público para o site oficial?

    A combinação de diferentes ativos para construir uma campanha maior e mais extensa de marketing e vendas, com microsites, landing pages, minisites, blogs e sites institucionais, é comum na Internet e operacionalizada, principalmente, por grandes empresas.

    Entretanto, quando falamos dos pequenos negócios, os gestores preferem investir em um minisite, em vez de um microsite, já que apenas uma das opções é financeiramente possível. Essa preferência é embasada na possibilidade de o minisite aumentar o reconhecimento de marca e a presença online da empresa, o que não acontece em páginas únicas e landing pages.

    Independentemente da sua escolha, é sempre importante contar com a robustez de uma hospedagem gerenciada. Por isso, conheça, agora, o Stage, e veja como podemos garantir o sucesso da sua estratégia digital!

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Posts Relacionados

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!