Novos padrões de anúncios do Google Ads: o que são e como se preparar

Google vai implementar uma nova política que impõe padrões para as landing pages de seus anunciantes. Se os requisitos não forem atendidos, seus anúncios serão reprovados.

Novos padrões de anúncios do Google Ads

Recentemente, os anunciantes da plataforma de anúncios do Google Ads receberam uma nova atualização na política de requisitos de destino.

A ideia é fazer com que os anunciantes atendam aos chamados “melhores padrões de anúncios” descritos na Coalition for Better Ads.

O Google deu aos profissionais de Marketing o prazo de outubro de 2022 para realizar as ações que forem necessárias e cumprir esses novos requisitos.

Este foi o e-mail enviado pela empresa no início de setembro:

“Em outubro de 2022, a política de requisitos de destino será atualizada para incluir uma nova política exigindo que as experiências de anúncios estejam em conformidade com os padrões de anúncios melhores da Coalition for Better Ads. Destinos que contenham experiências de anúncios que não estejam em conformidade com os Better Ads Standards serão informados por meio do relatório de experiências de anúncios, e quaisquer anúncios que levem a esses destinos serão reprovados.”

Neste post, vou contar um pouco sobre o que mudou e minhas percepções sobre o que está por vir.

Por que o Google Ads está mudando suas políticas de padrões de anúncios?

Como o próprio Google enfatizou, o “Better Ads Standard” da Coalition é resultado de uma pesquisa com mais de 150 consumidores que identificaram experiências de anúncios que estavam abaixo dos limites de aceitação e que poderiam levar o usuário a instalar bloqueadores de anúncios.

A lógica é simples.

Quanto maior o número de pessoas insatisfeitas, maior o número de pessoas bloqueando anúncios ou utilizando menos a ferramenta de busca.

Com menos pessoas vendo anúncios, fica cada vez mais caro para as empresas anunciarem na plataforma, levando essas empresas a investir menos ou até mesmo deixar de investir nela.

É uma via de mão dupla.

Além disso, a pesquisa realizada por eles também indica quais tipos de anúncios são mais “desejados” pelos consumidores. Assim, forneceram informações valiosas ao Google sobre quais tipos de anúncios a empresa deve investir mais e inovar nos próximos anos.

O que muda nos padrões de requisitos dos novos destinos?

Eu tenho certeza de que você já se irritou com alguns dos exemplos de anúncios que mostrarei a seguir.

Não é por acaso que o Google está trabalhando duro para melhorar a experiência dos usuários e sua interação com determinados tipos de páginas e anúncios.

Aqui está uma lista dos principais padrões de anúncios que serão reprovados pelos novos requisitos de destino:

Destinos ou conteúdo que são desnecessariamente difíceis ou frustrantes de navegar:

  • Sites com pop-ups que impedem o usuário de ver o conteúdo da página;
  • Sites que bloqueiam o botão voltar do navegador;
  • Sites que não carregam rapidamente nos principais navegadores e dispositivos;
  • Sites que exigem que você baixe um aplicativo para visualizar a página de destino.

Anúncios em pop-up:

Fonte da imagem: https://www.betterads.org/standards/

Reprodução automática de anúncios em vídeo com som

Anúncios presticiais com contagem regressiva

Anúncios que impedem os visitantes de ver o conteúdo principal (com ou sem contagem regressiva):

Anúncios grandes fixos que permanecem em uma página enquanto o visitante rola:

Densidade do anúncio superior a 30%:

Anúncios animados piscando:

Anúncios disruptivos em aplicativos:

Esses são apenas alguns dos principais padrões estabelecidos pelo Google. Se você quiser conhecer todos eles, leia o conteúdo completo em: Requisitos de destino e The Initial Better Ads Standards.

Como se preparar para essas mudanças?

Em muitos casos, o Google não exemplifica claramente seus requisitos e restrições. Sempre há espaço para questionamentos e dúvidas.

Muitas vezes, anunciantes e sites parceiros são surpreendidos por terem seus anúncios reprovados ou, em casos mais extremos, suas contas suspensas por não cumprirem as regras impostas pela plataforma.

No entanto, se analisarmos todas as mudanças feitas pelo Google nos últimos anos, o foco é, e sempre será, um: o usuário.

No passado, a plataforma era infinitamente menos robusta do que é hoje. Muitas mudanças não puderam ser feitas devido às limitações tecnológicas e a sofisticação da empresa e do mercado como um todo.

Atualmente, ações que priorizam o usuário estão se tornando cada vez mais frequentes e poderosas. Elas são totalmente orientadas pelos dados.

A experiência do usuário é tão importante para a empresa que, no principal documento da filosofia do Google, “foco no usuário” é a primeira de todas as verdades que ela afirma acreditar.

Então, não se concentre apenas em se adaptar às novas regras e se surpreender a cada nova mudança em suas políticas.

Comece a pensar como o Google!

Se seus anúncios e páginas de alguma forma criarem uma experiência ruim para os usuários, espere, porque mais cedo ou mais tarde você precisará procurar novas formas de trabalhar. É uma questão de tempo.

Então, pensar como o Google significa colocar o usuário acima de tudo, porque as regras mudam, mas o foco é sempre o mesmo.

Parafraseando a primeira das 10 verdades da empresa: “Foco no usuário. Todo o resto é consequência.”

E, se você quiser continuar se atualizando em relação às práticas recomendadas do Google, sugiro fortemente que você assine a newsletter interativa do The Beat, Rock Content. Nela, você encontrará todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!