O ChatGPT pode tirar o seu emprego?

ChatGPT é um chatbot em desenvolvimento que utiliza recursos de Inteligência Artificial para compreender perguntas complexas e elaborar textos inéditos. A variedade e a qualidade dos seus conteúdos têm chamado a atenção do mercado, mas será que já podemos afirmar que o serviço é uma ameaça a algumas profissões?

O ChatGPT é o assunto do momento nos portais e blogs de Marketing e tecnologia. Em meio à febre promovida por artigos, matérias e vídeos publicados sobre o assunto, a ferramenta não está sendo capaz de lidar com o enorme volume de acessos simultâneos. O site enfrenta instabilidades constantes e tem ficado fora do ar com frequência. 

Até o momento, portanto, podemos dizer que nossos empregos estão garantidos ― pelo menos enquanto os proprietários do chat não investirem em novos servidores.

Brincadeiras à parte, o fato é que o ChatGPT e serviços similares que estão chegando ao mercado levantam questões importantes sobre o futuro da internet e das profissões inseridas nesse universo, em especial, os desenvolvedores e produtores de conteúdo.

Mas será que a Inteligência Artificial já é capaz de substituir programadores, redatores, jornalistas, copywriters, editores, designers e profissionais de SEO?  

Neste artigo, vamos discutir esse tema polêmico, além de apresentar um panorama sobre o futuro das ferramentas de Marketing e seus impactos.

Entre as especulações, há quem veja o ChatGPT como um aliado dos criadores, e não um inimigo ― essa, inclusive, é a “opinião” do próprio ChatGPT. Devemos confiar nele?


    Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

    Não se preocupe, não fazemos spam.

    O que o ChatGPT é capaz de fazer?

    É preciso dizer que a tecnologia por trás do ChatGPT não é tão revolucionária, como dizem por aí. Como em vários aplicativos de Inteligência Artificial da atualidade, as façanhas obtidas pelo chat são resultado de um modelo de linguagem de programação treinado com milhões de documentos, principalmente, da internet.

    Texto do ChatGPT descrevendo sobre sua própria criação.

    O que, realmente, chama atenção no ChatGPT é o brilhante trabalho desenvolvido em sua linguagem. O chat, de fato, entrega uma experiência de conversação próxima à humana ― embora muito polida, na maioria das vezes.

    Em resumo, a ferramenta é capaz de compreender e responder perguntas e solicitações, fornecer informações específicas, realizar traduções, elaborar resumos e textos inéditos e até criar poemas (não muito bons).

    Texto do ChatGPT descrevendo sobre sua própria criação.

    O que nos interessa, porém, é saber se essas habilidades podem ser usadas no dia a dia de algumas profissões populares ou, quem sabe, substituir algumas funções. Será?

    Que serviços o ChatGPT já pode realizar?

    O ChatGPT está sendo testado para uma enorme variedade de funções que, certamente, não caberiam neste artigo. Com base em nosso público, listamos alguns serviços envolvidos com o Marketing Digital para ilustrar os potenciais da ferramenta. Veja.

    Programação

    Embora os resultados ainda sejam bastante limitados, o ChatGPT é capaz de criar códigos de programação em várias linguagens, como Python, Java, C++ e HTML, e até desenvolver programas completos.

    Entretanto, os representantes da Open AI, proprietária do serviço, declaram que o chat é especialmente útil para identificar erros, corrigir e elaborar soluções pontuais de programação.

    SEO

    Já temos um artigo no blog que ensina como usar o ChatGPT para SEO. Em linhas gerais, o chat é capaz de atender a solicitações simples de planejamento, como listar palavras-chave relevantes, elaborar pautas para artigos e até sugerir títulos e intertítulos estratégicos.

    A questão é que boa parte da rotina de SEO consiste em monitoramento e otimização. O ChatGPT não tem acesso a estatísticas atualizadas e, pelo menos até agora, não pode ser vinculado a outras ferramentas. 

    Entretanto, é possível apresentar dados no diálogo e obter alguma ajuda na tomada de decisão, ainda que tomar decisões não seja o forte de sua IA.

    Produção de conteúdo textual

    Esse, provavelmente, é o ponto mais polêmico, tendo em vista que o que mais tem chamado a atenção da mídia é, justamente, a qualidade dos textos elaborados pelo ChatGPT.

    Como dito, o trabalho de linguagem natural realizado na ferramenta é realmente o seu grande diferencial, mas ainda há muitas limitações. 

    De maneira geral, podemos dizer que os textos gerados automaticamente pelo serviço são aceitáveis, mas ainda exigem muitas revisões e complementações. Um ponto importante é que quanto maior o conteúdo, mais difícil é para o chat manter a qualidade, a coesão e a coerência.

    Ainda assim, pode ser uma solução muito útil como ponto de partida para artigos, copys, descrições de produto e outros formatos, especialmente, durante um eventual bloqueio criativo.

    Design

    Embora o ChatGPT seja uma ferramenta de conversação baseada em textos, ela pode ajudar designers em algumas tarefas, como oferecer sugestões de elementos para fotos ou artes. O chat é capaz até de indicar uma imagem específica em um banco de imagem, baseando-se em um título, um assunto ou um texto.

    Para quem atua com webdesign, o ChatGPT pode ajudar a fazer ajustes em CSS e até criar novos elementos para as páginas de um site. É um uso mais restrito, mas ainda assim, útil em alguns casos.

    Como as pessoas estão usando o ChatGPT e quais são os seus potenciais?

    O ChatGPT foi disponibilizado para o público geral em novembro de 2022, e já está sendo testado por profissionais e empresas em diversas funções, especialmente, na produção de conteúdo. Ainda não há dados oficiais a respeito, pois o fenômeno é muito recente, entretanto, vários depoimentos e demonstrações estão viralizando nas redes sociais.

    Ainda não há nada que indique, porém, grandes mudanças na operação de agências, plataformas de serviço e outros negócios com alta demanda de produção de conteúdo. Na verdade, a ferramenta é frequentemente vista como uma espécie de “catalisador” para a produção de conteúdo.

    Ou seja, um instrumento para produzir mais rápido e, consequentemente, em maior quantidade, sem precisar aumentar o investimento. Essa, inclusive, é a visão do próprio ChatGPT sobre o assunto.

    Pergunta ao chatgpt se ele é uma ameaça aos produtores de conteúdo

    Não há dúvidas que o serviço pode ser muito útil e vantajoso em várias áreas, sobretudo, por ser gratuito (pelo menos, até agora).

    Entretanto, é preciso pontuar que o ChatGPT ainda não faz nenhum milagre. Se há, de fato, uma revolução em curso, estamos bem no início dela.

    O que o ChatGPT ainda não é, mas você pode ser?

    O ChatGPT surpreende, mas ainda tem muito a melhorar em vários aspectos, até porque ainda é um protótipo. Agora, é hora de você saber o que ele não é capaz de fazer, para investir nesses atributos e se manter um profissional de valor no mercado por muito tempo. Confira!

    Um exímio redator

    Os textos do ChatGPT, em geral, são bastante superficiais, sobretudo, por não trazerem nada de inédito e adotarem um estilo truncado, muito pouco fluido. Há, também, muitas repetições, embora a gramática (inclusive, na língua portuguesa) seja surpreendentemente bem apresentada.

    Vícios de linguagem podem ser corrigidos pedindo ao chat para evitar determinadas palavras ou frases, mas o resultado ainda deixa a desejar.

    Um consultor confiável

    É fundamental destacar que, a depender do assunto, o robô pode gerar informações incoerentes e até incorretas! Há, inclusive, um alerta sobre isso na tela de entrada da ferramenta, que também destaca que o chat pode gerar textos tendenciosos e que seu conhecimento é limitado até o ano de 2021.

    Um crítico acurado

    Um dos aspectos do serviço que mais rendem memes e deboches na internet é que ele é configurado para manter um posicionamento neutro sobre a maioria dos assuntos. 

    Isso foi feito para evitar episódios lamentáveis, como o do antigo projeto Tay, da Microsoft que, em poucas horas, tornou-se um robô racista, sexista e xenófobo por não conseguir lidar com perguntas controvertidas.

    Até o momento, o ChatGPT parece se dar bem com as ofensas e testes dos usuários, com poucas falhas. Entretanto, essa solução acaba tornando os textos ainda mais enfadonhos, o que nos leva ao próximo “ponto fraco” do sistema.

    Um bom argumentador

    Como o ChatGPT é “forçado” a soar imparcial em todas as suas respostas, isso cria uma linha de argumentação muito previsível e, frequentemente, tendenciosa. Ou seja, o chat tenta transparecer imparcialidade, mas parece apenas alguém se esforçando para não se autoincriminar.

    Isso não apenas limita a discussão (pois nada se acrescenta), como também, nos faz refletir sobre a qualidade dos conteúdos gerados dentro dessas regras. Esse é um dos grandes desafios envolvidos na criação de ferramentas inteligentes capazes de aprender com as interações dos usuários.

    Um produtor criativo

    Basta pedir ao ChatGPT para compor uma música, contar uma piada ou criar um poema, como fizemos, para perceber que criatividade não é seu forte.

    ChatGPT criando uma piada ruim

    A própria maneira como o sistema opera ― basicamente, consultando um banco de dados congelado ― denuncia essa limitação. Mesmo que novos mecanismos sejam adicionados em breve, como acesso a conteúdos atualizados, é difícil esperar um sistema com boa performance criativa.

    Esse, provavelmente, é o principal diferencial nas obras criadas por nós, humanos, de carne e osso. Os sistemas inteligentes são excelentes com tarefas repetitivas e podem, inclusive, nos livrar de trabalhos exaustivos. Entretanto, quando o objetivo é criar e inovar, podemos dizer que ainda estamos longe de sermos substituídos por máquinas.

    Que outras ferramentas de IA prometem agitar o mercado?

    E se o ChatGPT for só a ponta do iceberg? A organização responsável pelo ChatGPT chama muita atenção por ter o bilionário Elon Musk como um dos seus fundadores, embora ele tenha se desvinculado do projeto há alguns anos. 

    O que muita gente não sabe é que a Open AI também conta com uma ferramenta focada em criação e edição de imagens a partir de descrições textuais, a DALL-E 2.

    Uma solução semelhante é a Midjourney, que também é capaz de criar ilustrações, simplesmente, seguindo orientações textuais.

    A que mais chama a atenção, porém, é a Notion AI, uma plataforma completa para gerenciamento de projetos de Marketing de Conteúdo com um gerador de texto, ao estilo ChatGPT. 

    O diferencial dessa ferramenta é que ela não apenas cria textos inéditos, como também, os formata totalmente seguindo boas regras de uso de palavras-chave, heading tags e muito mais.

    Como você vê, há um novo mercado de ferramentas de Marketing surgindo e que pode significar um novo capítulo no processo de Transformação Digital em que estamos inseridos.

    O que esperar do futuro?

    A grande empresa por trás da Open AI na atualidade é a Microsoft, sua principal investidora, e o império criado por Bill Gates tem planos audaciosos para ela. 

    Segundo analistas de consultorias importantes, como Dan Miller, da Opus Research, é muito provável que a tecnologia do ChatGPT seja embarcada no buscador Bing. Isso pode mudar radicalmente a dinâmica das buscas, mercado em que o Google reina, soberano, há décadas. 

    Nesse cenário, as estratégias de SEO, muito focadas no Google Search, podem começar a dar mais atenção ao buscador da Microsoft. Além disso, espera-se que o atual líder apresente alguma solução parecida com o ChatGPT diante da pressão da concorrência.

    Você pode se interessar, também:

    Quais são as principais questões em aberto sobre o tema?  

    Para finalizar o artigo, vale destacar as principais questões envolvidas nessa suposta “revolução” da internet e que podem afetar a vida de empresas, profissionais e dos usuários da internet, em geral. Veja!

    A experiência nos buscadores vai mudar?

    Quando o Google lançou os Featured Snippets nos resultados de pesquisa, muitas críticas surgiram por parte dos webmasters, pois o destaque poderia desestimular os cliques e diminuir o CTR. Com o passar do tempo, porém, a maioria deles mudou sua opinião em vista da enorme autoridade que esse tipo de resultado agrega ao site.

    Mas o que esperar de um futuro próximo com respostas geradas automaticamente por Inteligência Artificial no topo das SERPs?

    E quanto às atribuições do produtor, tendo em vista que esses sistemas usam vários conteúdos publicados na web como referência?

    Quem vai pagar a conta?

    Outra questão importante são os custos envolvidos. Sam Altman, CEO da Open AI, já declarou no Twitter, em resposta a Elon Musk, que os “custos de computação do ChatGPT são de chorar e que será preciso monetizá-lo de alguma forma”.

    Que tipo de soluções poderão ser geradas para manter a popularidade de tais ferramentas e ainda gerar lucro para seus proprietários?

    Será que a Microsoft conseguirá fazer frente ao Google, mesmo sendo obrigada a cobrar algum tipo de “pedágio” por seu novo produto?

    A Inteligência Artificial vai roubar nossos empregos e clientes?

    É fácil imaginar um futuro no qual sistemas inteligentes são capazes de gerenciar equipes, lidar com burocracia e criar conteúdos belíssimos, quase indistinguíveis dos criados por seres humanos. Mas nessa linha imaginativa, não estão todas as profissões ameaçadas pela Inteligência Artificial?

    O fato é que as profissões mudam com o tempo e, no universo da tecnologia, as tranformações costumam ser mais rápidas e intensas. Como discutimos aqui, as ferramentas ainda não operam milagres, e é muito cedo para dizer que alguma categoria está ameaçada.

    O Google, inclusive, mantém-se contra a produção em massa de conteúdos por Inteligência Artificial, embora muitos deles já estejam rankeando nas SERPs.

    O que não sabemos é se ele manterá essa posição ― criando novos mecanismos para penalizá-los ― ou se acabará cedendo à pressão do mercado.

    Não há resposta certa para nenhuma dessas perguntas. Para além das especulações, o que podemos dizer é que o ChatGPT sinaliza uma nova fase da tecnologia e do Marketing Digital, em que sistemas inteligentes passam a atuar lado a lado com os criadores.

    Quer se aventurar um pouco mais nesse assunto? Então, continue no blog e saiba como a Inteligência Artificial pode impactar a sua estratégia de SEO!

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!