Quadrante mágico Gartner: o que é e qual a aplicabilidade?

O quadrante mágico Gartner é um relatório anual disponibilizado pelo Grupo Gartner. Ele dá um panorama das empresas que compõem o mercado tecnológico, apontando os líderes, os desafiantes, os visionários e os competidores de nicho.

Quadrante mágico Gartner: o que é e qual a aplicabilidade?

    A transformação digital mudou para sempre a forma como encaramos o desenvolvimento estratégico de uma empresa. Com maior facilidade e agilidade para coletar, analisar e interpretar dados, companhias focadas em Business Intelligence apresentam soluções cada vez mais eficientes para direcionar tomadas de decisão.

    Nesse cenário, o destaque absoluto é o Gartner Group, uma organização de consultoria criada em 1979. Hoje com mais de 15 mil clientes, o grupo oferece seus serviços de tecnologia da informação ao redor de todo o mundo. Seu principal produto? O quadrante mágico Gartner.

    Conhecer e compreender como atua o quadrante pode trazer um diferencial importante para o seu negócio. Por isso, criamos este artigo para explicar alguns pontos importantes, como:

    Acompanhe!

     

    O que é o quadrante mágico Gartner?

    Para entender o produto, é fundamental conhecer a empresa e sua forma de atuação. O Gartner Group foi criado por Gideon Gartner, no final da década de 70. Adotando um modelo B2B, a companhia sempre teve seu público-alvo definido de forma bem clara: executivos do setor de tecnologia.

    Diretores de marketing, TI e distribuição são figuras frequentes entre os utilizadores das soluções desenvolvidas pelo Gartner. O motivo é fácil de entender. Por meio de ferramentas como o quadrante mágico, esses profissionais têm maior facilidade em tomar decisões eficientes, de modo a impulsionar os negócios da empresa.

    O quadrante mágico Gartner é uma representação gráfica das atividades do mercado tecnológico em um determinado período de tempo. A partir da coleta de dados de empresas do setor, o grupo divulga, ano a ano, uma relação dos 24 agentes mais relevantes do mercado.

    Estar posicionado entre os primeiros colocados dessa relação gera uma credibilidade inigualável para o negócio.

    Contudo, mesmo que o seu nome não figure na lista, o relatório é muito útil para o desenvolvimento e aprimoramento da sua abordagem estratégica. Para nos aprofundarmos nesse ponto, vamos entender como funciona a estrutura do quadrante. Siga a leitura!

     

    Como funciona o quadrante mágico Gartner?

    Um dos fatores que tornam essa ferramenta tão eficaz e popular é sua simplicidade. O quadrante é estruturado em um gráfico de dispersão, que utiliza dois eixos para separar os nomes incluídos na análise.

    quadrante mágico de Gartner

    O eixo horizontal, representado pela letra X, mostra a abrangência da visão da companhia em relação ao mercado de tecnologia. Para definir o posicionamento nesse eixo, o quadrante utiliza 8 critérios, que você pode conferir a seguir:

    • entendimento do mercado: habilidade da empresa de entender as necessidades do cliente e oferecer soluções adequadas;
    • estratégia de marketing: eficiência dos esforços de comunicação da empresa, tanto offline quanto online;
    • estratégia de vendas: as práticas adotadas pela empresa para desenvolver uma base de consumidores;
    • estratégia de abordagem: as técnicas utilizadas pela companhia para possibilitar a distribuição e desenvolvimento de um produto;
    • modelo de negócios: a eficácia e consistência da proposta do negócio para dominar uma parcela do mercado;
    • estratégia de indústria: a habilidade do negócio em satisfazer as necessidades de nichos específicos do mercado;
    • inovação: nível de investimento e expertise em soluções que possibilitem a criação de vantagens competitivas;
    • estratégica geográfica: habilidade do negócio em satisfazer as necessidades de regiões geográficas importantes para o mercado.

    Já o eixo vertical, que utiliza a letra Y, indica a capacidade de execução da empresa naquilo a que ela se propõe. Para posicionar cada nome, o Gartner emprega mais 7 critérios, que incluem os seguintes:

    • produtos e serviços: qualidade, funcionalidades e nível de diferenciação do mix de produtos e serviços oferecidos;
    • viabilidade: relação entre os custos envolvidos nas operações e a sustentabilidade financeira apresentada pela empresa;
    • vendas e precificação: habilidade da empresa para encontrar estratégias eficientes de venda, incluindo a eficácia da precificação;
    • responsividade ao mercado: capacidade do negócio de se adaptar às diferentes situações apresentadas pelo mercado;
    • execução de marketing: a qualidade, criatividade e efetividade da empresa em comunicar sua mensagem ao consumidor;
    • experiência do consumidor:o nível de satisfação do consumidor em relação ao serviço oferecido pela marca;
    • operações: a habilidade da empresa em atingir suas metas e objetivos.

    Uma vez que as marcas são avaliadas pelos critérios e posicionadas no gráfico, é possível observar a separação em 4 quadrantes: líderes, desafiantes, visionários e competidores de nicho. Confira o que representa cada um deles!

    Líderes

    Esse é o quadrante ambicionado por todos. Só entram nele as empresas que demonstram uma sólida compreensão das necessidades do mercado e que cumprem o compromisso de impulsionar o sucesso do cliente. Além disso, elas precisam apresentar um modelo comercial atrativo, claro e sustentável.

    Os líderes são companhias que podem direcionar os rumos do mercado. Suas ações tendem a ser refletidas nas estratégias de concorrentes, o que aumenta sua relevância. Tipicamente, as marcas incluídas nessa categoria adotam uma abordagem bem abrangente, deixando de lado nichos mais específicos.

    Como característica, os clientes dessas companhias costumam demonstrar satisfação com as soluções e as experiências apresentadas. Com uma base sólida de consumidores, as empresas líderes encontram maior facilidade para prosperar, mesmo com alterações bruscas no cenário econômico.

    Desafiantes

    Os nomes incluídos no quadrante de desafiantes são caracterizados pela capacidade de executar suas estratégias. Contudo, eles não contam com um planejamento capaz de manter uma proposta de valor para os seus clientes.

    Isso pode ser causado pela falta de esforço do departamento de marketing, pela inabilidade em estruturar vendas ou pela limitação de presença geográfica. Falta de entendimento do mercado ou pouca inovação são outras características facilmente encontradas em desafiantes.

    Em longo e médio prazo, essas companhias podem evoluir para líderes, desde que desenvolvam melhor sua visão. Porém, é comum que o sucesso obtido por eles seja limitado a segmentos grandes que passam por um processo de diminuição.

    Visionários

    As empresas caracterizadas como visionárias apresentam uma visão de desenvolvimento no mercado compatível com os critérios da Gartner. Ainda assim, elas apresentam dificuldades em executar essa abordagem.

    Esses negócios são dominantes em mercados em crescimento, já que apresentam alta taxa de inovação e muito potencial para desenvolvimento. Em mercados mais maduros, eles costumam adotar um papel mais coadjuvante, representando uma pequena ameaça às marcas estabelecidas.

    O desenvolvimento dos visionários depende diretamente do nível de aceitação alavancado por suas inovações. Como são, geralmente, empresas menores com alto potencial de expansão, as marcas incluídas nesse quadrante são frequentemente adquiridas por companhias maiores.

    Competidores de nicho

    Os competidores de nicho são as organizações que apresentam resultados excelentes em um nicho específico, mas mostram limitações para atuar em uma abrangência mais ampla. A falta de profundidade e inovação dificulta que essas empresas superem outros integrantes do mercado.

    Os fatores que podem levar uma empresa a atingir bons resultados em apenas um nicho são diversos. Em muitos casos, isso pode acontecer por conta do foco em apenas uma região geográfica. Em outros, a causa pode ser a mera falta de capacidade da empresa em acompanhar as mudanças do mercado.

     

    Qual a importância do quadrante Gartner para o seu negócio?

    O sucesso e a sobrevivência de uma empresa no mercado dependem diretamente das decisões tomadas pelas pessoas que a conduzem. A qualidade e a experiência de cada profissional são fatores importantes nesse processo, mas não funcionam sem uma análise clara, detalhada e baseada em dados.

    O quadrante mágico de Gartner é fundamental para embasar as tomadas de decisão em informações relevantes. Por meio da análise de líderes, desafiantes e outros agentes do mercado, é possível identificar oportunidades para sua empresa e até práticas que podem ser consideradas ameaças.

    Portanto, podemos entender o quadrante como uma ferramenta necessária para a tomada de decisões estratégicas. Contudo, algumas precauções são necessárias. Sempre que analisar um desses gráficos, certifique-se de que ele é a versão do ano vigente. Caso contrário, você vai basear suas ações em dados desatualizados.

    Além disso, é preciso focar sua atenção no mercado em que você está inserido. O quadrante mágico de Gartner é uma pesquisa realizada ao nível global, logo, você deve filtrar as informações e ficar atento apenas àquelas que tenham alguma relevância para sua empresa.

    O mercado tecnológico é caracterizado pelo alto índice de mudanças e inovações. As empresas mais preparadas para lidar com esse cenário costumam encontrar maior facilidade para crescer e aplicar suas estratégias. Para isso, é preciso ficar por dentro de tudo o que envolve o mercado, desde os consumidores até os concorrentes.

    O quadrante mágico Gartner estabelece um gráfico de fácil interpretação que classifica os principais agentes do mercado. Ao interpretar corretamente as informações dispostas na pesquisa, você adquire uma verdadeira vantagem estratégica e competitiva para sua companhia.

    Adotar ferramentas para mapear o mercado e entender as ameaças e oportunidades existentes pode alavancar os seus negócios. Então, que tal continuar o aprendizado? Neste artigo, ensinamos o que é e como fazer uma análise SWOT. Confira!

    Compartilhe

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!

    Nosso site é otimizado para cada país em que operamos.

    Ir para site em Português ->