Case de Sucesso: como crescemos o Blog da Rock Content North America em mais de 15x em menos de um ano

Em menos de um ano, conseguimos crescer o nosso blog em inglês em 15 vezes. Aqui, você vai ver um passo a passo da nossa estratégia, além de dicas para replicar em seu próprio blog!

Rock Content North America

    Como você já deve ter percebido, Marketing de Conteúdo é um dos pilares da Rock Content.

    Nós já ajudamos mais de 2000 clientes a alcançar as posições mais altas nas páginas do Google. E o mesmo acontece com nossas páginas.

    Usamos nossos blogs como vitrines e laboratórios de testes: as tendências mais novas, estratégias mais ousadas, formatos diferentes.

    Com boas práticas de otimização, conteúdos de qualidade e paciência, vimos nosso blog em português ultrapassar os 3 milhões de sessões em um mês. Já no blog espanhol, alcançamos a marca de 4 milhões de sessões mensais.

    E, agora, finalmente chegou a vez de compartilhar o primeiro case de sucesso do nosso blog em inglês: em 11 meses, aumentamos o nosso tráfego em mais de 15 vezes!

    Se você quer aprender um passo a passo de como traçar a sua estratégia de conteúdo, siga conosco!

      O (re)nascimento do Blog da Rock Content North America

      No ano de 2019, eu e Larissa Lacerda dividimos a editoria do Blog da Rock Content Brasil. Nosso blog passou por uma massiva migração no princípio do ano, e estávamos colhendo, aos poucos, os resultados de levar nosso domínio de volta para sua casa (o rockcontent.com).

      Nossa estratégia era extremamente bem consolidada: os freelancers do projeto sabiam o nosso guia de produção de conteúdo de cor e salteado, publicávamos em torno de 90 conteúdos por mês, tratávamos dos mais diversos clusters do mundo digital, nosso domain authority era alto e estável, e tínhamos o reconhecimento do mercado.

      Ao final do ano, a Rock fez duas aquisições, aumentando a nossa suíte de produtos oferecidos aos clientes.

      Uma dessas aquisições foi a da ScribbleLive. Uma empresa norte-americana, com sede nos Estados Unidos e Canadá, que oferecia plataformas para produção de conteúdo interativo e live experiences.

      Transformando o blog ScribbleLive em Rock Content

      Já no início de 2020, começamos um projeto para aplicar, no blog em inglês, as mesmas estratégias de Marketing de Conteúdo que usávamos nos blogs em português e espanhol.

      O domínio a ser usado seria o antigo domínio da Scribble. Mas o blog deles não tinha o volume de publicações dos nossos, e os conteúdos não eram tão focados em SEO.

      Assim, teríamos que começar do zero, fazendo a mesma construção pela qual nossos blogs irmãos já tinham passado. Esse era, então, o (re)nascimento do Blog da Rock Content North America — ou, como eu carinhosamente simplifiquei, o Blog NA.

      Assumi a editoria do blog com o desafio de transformá-lo em um gerador de leads nos EUA e no Canadá.

      No nosso primeiro mês, em abril de 2020, tivemos um tráfego mensal de pouco mais de 5 mil sessões.

      Rock Content North America

      Agora, em março de 2021, fechamos o mês ultrapassando as 79 mil sessões.

      Rock Content North America

      Esse crescimento foi totalmente orgânico, aumentando o reconhecimento da nossa marca no mercado americano e conquistando as principais posições do Google.

      Rock Content North America

      Tem sido uma jornada desafiadora, mas cheia de aprendizados.

      Vou detalhar aqui os principais pontos que trabalhamos, e você vai entender como dar início à sua estratégia. Se sua empresa está passando por um processo de internacionalização, esse conteúdo será ainda mais valioso!

      As 6 estratégias mais eficazes para crescer o seu blog

      Prometo que não vai ter clickbait aqui, viu?

      Listei as principais estratégias que usei, com uma breve explicação de como você também pode colocá-las em prática.

      Vamos lá?

      1. Entenda que localização e tradução são coisas diferentes

      O primeiro ponto é bem importante para quem está passando por uma estratégia de internacionalização.

      Por isso, repita comigo: você precisa localizar sua estratégia, não traduzi-la.

      As empresas americanas estão à nossa frente com o Marketing Digital. Isso não é conversa de cachorro vira-lata.

      A Hubspot criou o Inbound Marketing. E essa é a principal evidência que eu tenho para comprovar a frase acima. 

      No Brasil, a gente disputa a SERP de “Inbound Marketing” com outras empresas que aprenderam sobre essa técnica com a Hubspot.

      Já no Blog da Rock em Inglês, estou disputando a SERP com a empresa criadora da técnica. Consegue perceber a diferença?

      E como isso impacta nossa estratégia, na prática?

      O primeiro ponto é que as personas são diferentes. Não adianta traduzir a sua persona brasileira e oferecê-la a um mercado que não o brasileiro. Ela provavelmente estará defasada.

      A nossa persona que tem nível de conhecimento intermediário, no Brasil, corresponde, talvez, à persona com conhecimento básico dos EUA.

      O mesmo vai valer para os seus conteúdos. A intenção de busca no Brasil pode ser diferente da intenção de busca no Canadá.

      De fato, traduzir conteúdos já existentes é mais fácil que começá-los do zero. Mas não necessariamente vai trazer os resultados que você está esperando.

      Sempre que eu encontro um conteúdo bacana no nosso blog em português ou espanhol, procuro por aquela palavra-chave no Google e abro todos os resultados da primeira página.

      Se os intertítulos estão de acordo, eu entro com o processo de localização. Se eles estão destoando, coloco em produção um texto novo.

      O processo de localização

      O processo de localização é, justamente, você localizar o conteúdo dentro do novo país.

      É um trabalho muito mais focado em aspectos culturais do que apenas na tradução da língua. Você deve considerar referências e exemplos que ressonem com a audiência.

      Expressões, gírias, trejeitos, devem ser considerados. Expressões brasileiras não necessariamente são entendidas pelo público mexicano. Ou americano. E por aí vai.

      Nunca use ferramentas de tradução automáticas. Apesar de essas ferramentas terem avançado muito nos últimos anos, elas ainda não conseguem ser fiéis à naturalidade da nossa fala.

      Por fim, tente trabalhar com redatores e revisores nativos daquela língua com que você está trabalhando.

      Por mais que muitos redatores brasileiros tenham o inglês avançado e o texto fique gramaticalmente correto, ainda falta um toque nativo. Expressões que acabam sendo formais demais, ou que não são tão usadas pelos moradores daquele país, podem causar estranheza.

      Essa talvez tenha sido uma das lições mais valiosas que eu aprendi.

      2. Considere o link building como parte vital da sua estratégia de SEO

      A experiência do usuário é um dos fatores mais importantes da sua estratégia. Tempo de carregamento de página e responsividade do layout são pontos cruciais nesse aspecto. Além, é claro, da boa qualidade dos textos.

      Mas é justamente pela sua essencialidade que eu não focarei tanto neles aqui. Não adianta seguir todas essas dicas ao pé da letra se, no fim do dia, os seus conteúdos não levam valor ao usuário. Se eles não cumprem seu objetivo, não estão bem escritos ou têm informações superficiais.

      O que vamos dissecar aqui é a importância do link building.

      Essa estratégia, muitas vezes posta de lado, pode ser a peça que faltava para melhorar o seu rankeamento.

      Trabalhe com clusters

      Nos nossos blogs, trabalhamos na estrutura de clusters. Isso quer dizer que temos um post pilar, normalmente um guia sobre o assunto, e vários posts satélites. 

      Quando peguei o blog em inglês, fiz uma planilha com as palavras-chave mais importantes que começaríamos abordando. Esses eram os meus clusters.

      Vamos trabalhar com o exemplo, aqui, do cluster de Marketing Digital. O post pilar é um guia super completo sobre o assunto. Usei a técnica skyscraper para construí-lo, ou seja, busquei o que os demais concorrentes estavam falando e fiz um texto ainda melhor, abordando diversos pontos.

      Como é de se imaginar, a palavra-chave “Marketing Digital” tem um altíssimo volume de busca. Para ser mais precisa, mais de 60 mil buscas mensais.

      Rock Content North America

      Rankear para ela na SERP americana seria bem difícil. Afinal, estou competindo com nomes como Hubspot, Wikipedia, Marketo, Digital Marketing Institute, entre outros.

      Por isso, trabalhei muito bem esse cluster. Durante alguns meses, priorizei que grande parte do meu volume de postagens fossem posts satélites de Marketing Digital. Procurei equilibrar bem entre palavras-chave head e long-tail.

      As long-tails me davam mais oportunidades de rankeamento mais rápido, já que o volume de buscas era menor.

      No entanto, eu não podia trabalhar apenas com elas, já que, assim, não conseguiria o tráfego necessário.

      Usei a própria ferramenta do SEMrush, no campo de “Keyword Magictool”, para procurar as long-tails relacionadas a Marketing Digital. Esses foram alguns dos termos que encontrei:

      Perceba que todos esses textos estão linkando, nos primeiros parágrafos, para o post pilar de Marketing Digital. E que, dentro do post pilar, também busquei oportunidades de linkagem para os satélites.

      É essa costura de links que ajuda os bots do Google a encontrarem minha página mais rapidamente, indexando-as e aumentando as chances de rankeamento.

      Quando você faz um texto e não o linka a nenhum outro conteúdo, ele vira uma página órfã. E isso impacta diretamente o posicionamento dessa página.

      No pior dos casos, o Google não vai nem saber que ela existe, e não vai indexá-la. Em um cenário um pouco melhor, o Google apenas vai supor que ela não é importante, e priorizar o rankeamento dos seus concorrentes.

      Aplique a regra dos 5 links

      Essa é uma regra que usamos no Blog da Rock Brasil e rende bons resultados. Toda vez que eu posto um conteúdo novo, volto ao blog e procuro pelo menos cinco outros blog posts que possam ser linkados para ele.

      Quando fizer sentido, priorize os posts pilares dos seus clusters.

      Mas note que isso precisa ser feito de forma natural. Nunca force um link, porque isso vai deixar o seu leitor frustrado. E, como falei anteriormente, queremos oferecer a melhor experiência possível.

      Essa prática vai ajudar a indexar os seus conteúdos mais rapidamente.

      3. Aumente o reconhecimento da sua marca com guest posts e co-marketing 

      As parcerias de guest posts e co-marketing, quando feitas organicamente, trazem resultados super bacanas para o seu blog.

      No caso de internacionalização, são ainda mais úteis para aumentar o brand awareness no novo país.

      No caso dos guest posts, você pode procurar blogs que tenham correlação com o seu e oferecer conteúdos inéditos, que agreguem valor para o público daquele domínio.

      No caso do co-marketing, você também deve procurar por parceiros que tenham ressonância com a sua persona. A partir daí, juntos, vocês vão formular um tipo de conteúdo a ser produzido.

      Pode ser um ebook, uma ferramenta, um webinar — enfim, algo que traga relevância ao público das duas empresas.

      Afinal, esse é justamente o foco desse tipo de parceria: que novas audiências sejam apresentadas à sua marca.

      Mas, como falei, essa estratégia precisa ser feita organicamente. Você vai topar, em algum momento da sua carreira, com uma proposta oferecendo dinheiro pela inserção de um link. Nunca aceite essa proposta.

      O Google consegue perceber quando um domínio está fazendo esse tipo de troca, e ele penaliza não só o domínio infrator, mas também aqueles que se relacionam com ele. Aqui, vale aquele conselho de antigamente: “me digas com quem tu andas e eu te direi quem és”.

      Quando o assunto são parcerias, você só quer andar com gente do bem, que passe longe das estratégias de black hat.

      E, antes que você fique preocupado, existem ferramentas que nos ajudam a entender a saúde dos possíveis parceiros. Vou listar aqui os pontos principais que eu sempre checo antes de fechar um guest post ou co-marketing.

      Analisar os domínios do parceiro

      O primeiro passo é entrar no site e no blog. Leio as informações, entendo o que aquela empresa faz e analiso se existe um fit entre o serviço dele e o nosso.

      Se formos concorrentes em algum tipo de produto, repenso a parceira. Se a minha persona e a persona do parceiro forem muito diferentes, também recuso.

      É importante analisar também se o assunto em que você é especialista faz sentido para aquele blog. Certa vez, recebi uma proposta de contato de uma plataforma de gerenciamento de redes sociais.

      Ela ressonava super bem com o Blog da Rock. No entanto, o blog só trabalhava com assuntos de marketing offline e trade marketing.

      O parceiro avisou que eu não poderia falar de digital. Qual seria o sentido, então, de produzir um guest post para eles?

      Somos especialistas em Marketing Digital e Experiências de Conteúdo. Não seria estratégico, para mim, fazer um post sobre organização de gôndolas para supermercado, concorda?

      Conferir a frequência de publicações do blog

      Marketing de Conteúdo é uma estratégia que pede consistência. Se você posta um conteúdo a cada mês, dificilmente vai ver bons resultados.

      Por isso, eu só faço parcerias com empresas que têm uma estratégia de Marketing de Conteúdo ativa. O blog precisa ser constantemente atualizado, com conteúdos de qualidade.

      Do contrário, não vale a pena o esforço da nossa parte.

      Checar o domain authority (DA) e o spam

      Esse é o passo mais importante dentro da análise. É aqui que você entende se o domínio do parceiro é algo com que você quer ser associado.

      Eu uso a ferramenta gratuita da Moz, e recomendo que você faça o mesmo. Você instala uma extensão do Chrome, e, toda vez que quiser saber o DA de uma página, basta clicar no ícone da Moz.

      Com a ferramenta, você descobre o DA e o spam da página. Muita gente questiona o que é um bom domain authority, mas isso varia bastante dependendo do nicho de mercado.

      Rock Content North America

      Quando fizer essa análise, faça um comparativo com seus concorrentes — e com sua própria nota. Se todos estão na faixa dos 45 e o parceiro de guest post também, você pode ir em frente. No entanto, se o DA for 20, repense.

      Já o spam mostra se esse domínio está fazendo links inapropriados. Por exemplo, uma pessoa que deixa diversos links para seu blog nos comentários do site dos Correios. Isso é considerado spam de links, e a última coisa que você quer é ter seu domínio ligado a essas práticas.

      Eu não aceito parcerias com domínios que tenham acima de 4% de spam.

      Seguindo essas dicas, você garante que só está relacionando o seu blog com outros blogs de boa saúde.

      Esses indicadores mostram muito do quanto a pessoa está propensa a seguir as diretrizes do Google e oferecer uma boa experiência à sua audiência.

      4. Promova seus conteúdos nos canais certos

      A promoção de um blog novo é a mesma coisa de fazer uma festa na sua casa.

      Você compra comidas e bebidas, faz uma decoração bem bonita, coloca uma playlist animada no Spotify, mas não conta para ninguém o dia da festa ou o endereço dela. E, ainda sim, espera que várias pessoas apareçam — como em uma passe de mágica.

      Você pode ter o blog com os conteúdos mais educativos e o layout mais bonito, mas se não deixar que as pessoas fiquem sabendo, elas vão demorar demais a te encontrar.

      Isso porque, no momento que você cria o blog, o seu DA está baixo. Afinal, é preciso tempo e uma estratégia em movimento para ganhar autoridade. Por isso, dificilmente você rankeará bem logo de cara.

      E é aí que entram os canais de promoção de conteúdo. Para o Blog NA, usamos algumas redes sociais, um pouco de email marketing e push news.

      Eu recomendo que você use um feed no seu blog. Assim, os novos conteúdos serão enviados para os seus inscritos. Pode acreditar, isso traz um tráfego muito alto. Além de fidelizar os seus leitores, que constantemente serão relembrados de entrar na sua página.

      Outra dica de ouro é encontrar diretórios na web, que funcionam como pequenas curadorias de conteúdo. O próprio público vai sugerindo artigos que devem ser promovidos ali. Quanto mais pessoas clicarem no link, maior destaque ele ganha.

      Eu percebi que esse tipo de curadoria é muito comum nos Estados Unidos, e, graças a esses diretórios, recebemos mais de 2 mil sessões.

      5. Faça auditorias frequentemente

      O melhor jeito de encontrar erros é procurar com afinco por eles.

      Eu uso a parte de projetos do SEMrush para ter, constantemente, uma auditoria processando o nosso blog.

      Mensalmente, entro lá para ver quais são os erros, pontos de atenção e oportunidades de melhoria.

      É possível encontrar links quebrados, imagens sem alt text, páginas sem meta descrição, entre outros pontos que ajudarão o seu SEO.

      Você também pode — e deve! — rodar auditorias no PageSpeed Insights. Dessa forma, é possível ver melhorias na velocidade de carregamento da página.

      Afinal, o Google já deixou claro que esse é um dos principais fatores de rankeamento. Você pode até não ganhar posições por tornar o seu site mais rápido, mas certamente perde ao deixá-lo mais lento.

      Auditorias de SEO são o que seu blog precisa para dar uma alavancada na SERP. Para saber mais sobre esse assunto, leia nosso guia sobre o assunto!

      6. Tenha paciência

      Talvez essa seja a dica mais preciosa e mais difícil de executar que eu tenho.

      Marketing de Conteúdo é uma estratégia a longo prazo. Como eu disse anteriormente, nosso projeto do Blog NA começou em abril. Alguns conteúdos que foram postados naquela época começaram a rankear na primeira página do Google lá para outubro.

      Existem vários outros que eu ainda estou tratando do cluster para conseguir chegar nas primeiras páginas.

      Isso tudo considerando que nosso DA já era alto, uma vez que nosso blog estava dentro do domínio Rock Content. Ou seja, boa parte do caminho já tinha sido percorrido.

      Mas para ter uma estratégia duradoura, é preciso ter paciência mesmo. Cumprir com todas as diretrizes do Google e ser honesto.

      Não vou mentir, já vi sim blogs usando estratégias desonestas e rankeando mais rápido. Mas, depois que o Google descobriu e penalizou as páginas, não vejo mais esses domínios nas SERPs.

      Eu te garanto que é melhor esperar 6 meses para ter o primeiro lugar, mas se manter lá, do que conquistá-lo rapidamente e perdê-lo na mesma velocidade.

      Chegamos ao final do nosso primeiro case de sucesso do Blog da Rock Content Norte América!

      Tenho certeza de que ainda teremos muita história para contar e conhecimento para compartilhar.

      Começar uma estratégia de Marketing de Conteúdo do zero, em um mercado tão competitivo, me ensinou a seguir ao pé da letra tudo que aprendi nesses anos com o marketing.

      Prezar pela qualidade e construir uma relação de confiança com nossa base de leitores é minha principal métrica.

      Se você tem uma estratégia de Marketing de Conteúdo, e quer alavancar os seus resultados, converse com os nossos especialistas e veja como a Rock Content pode ajudar!

      Compartilhe
      facebook
      linkedin
      twitter
      mail

      Inscreva-se em nosso blog

      Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

      Posts Relacionados

      Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

      Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!