Trabalho remoto: o remédio para a natureza?

trabalho remoto impactos ambientais
Estratégias de Conteúdo com Patrícia Moura

Nos últimos dois anos da pandemia, a humanidade enfrentou provações extenuantes e dificuldades angustiantes. Desde a propagação do vírus, aos períodos de bloqueio, às trágicas vidas perdidas nos últimos anos.

Com as provações e tribulações que a humanidade enfrentou… existe um lado bom disso?

Olhe para os céus de Nova Délhi, Wuhan, Londres, Madri e outros, enquanto o ar estava esgotado de poluição.

Olhe para as águas de Veneza, enquanto os sedimentos nos canais agitados pelo tráfego finalmente se acalmam e clareiam.

Durante o período de confinamento, vimos um estudo de caso em tempo real sobre nosso impacto no meio ambiente. Como nós, como passageiros comuns, usuários de energia e poluidores do ar, contaminamos nosso planeta natal… mas também como podemos ajudá-lo.

Embora dependente da natureza humana, a Harvard Business Review afirma que as empresas podem agir mais por meio de um modelo remoto para ajudar a natureza. Mas primeiro, vamos ver algumas das estatísticas para esquematizar melhor os impactos ambientais.

Detalhando o esgotamento de recursos

Carbono e Gás de Efeito Estufa

Como trabalhador remoto e pessoa que só se desloca no ambiente digital, é óbvio que fazer o trajeto da manhã e da noite é praticamente inexistente. Embora ainda tenha que dirigir para resolver questões do dia a dia, não ter que ficar parado no trânsito por horas a fio reduz não apenas o gasto de tempo e dinheiro, mas também sua pegada de carbono.

A lógica pode parecer tão fácil quanto 1 + 1 = 2. Sem deslocamento + Sem veículo em movimento = Menos emissões de gases de efeito estufa. Mas você já pensou em expandir as ações de uma única pessoa para uma escala global? Ou até mesmo em seu próprio país?

A Agência de Proteção Ambiental dos EUA divulgou um comunicado em 2017 dizendo que 29% das emissões de gases de efeito estufa nos EUA vieram do transporte, com uma grande parte sendo o seu carro de passeio comum.

Para enfatizar ainda mais o ponto, o Digital Nomad explica que os trabalhadores remotos evitam emitir 3,6 milhões de toneladas do mesmo gás todos os anos e que, se você quisesse fazer a mesma compensação, seriam necessários 91 milhões de árvores plantadas.

Combustíveis fósseis

Além das emissões de gases de efeito estufa que interferem no deslocamento, vale destacar também o uso de combustíveis fósseis. As famílias e as empresas não utilizam combustíveis fósseis apenas para eletricidade e calor, mas também para transporte.

Nos tempos pré-pandemia de 2018, a Statista estimou que cerca de 97,2 milhões de barris de gasolina eram consumidos POR DIA! Cada barril contém aproximadamente 20 galões, então multiplique isso e pense no pesadelo nas bombas de gasolina.

Depois de refletir sobre esse número, faça um pequeno exercício de pensamento comigo. Feche os olhos e considere se apenas metade das empresas que poderiam trabalhar remotamente fizesse isso.

Consumo de energia reduzido

Mas se todos trabalhassem em casa, não estaríamos usando uma quantidade exorbitante de energia elétrica? A resposta curta: possivelmente, mas depende da população.

Em um estudo de caso mostrando os efeitos positivos do uso de energia solar, a Sun Power forneceu estas estatísticas para uma residência comum:

Uma casa média nos EUA usa cerca de 900 kWh por mês.

Então são 30 kWh por dia.

Ou 1,25 kWh por hora.

Esta é apenas uma média das famílias dos EUA, não contabilizando quaisquer indivíduos que super ou subutilizem dentro ou fora dos EUA.

Mas quanta eletricidade uma empresa usa?

A Forbes diz que grandes empresas, escritórios, fábricas, etc. podem usar 100 kWh… a cada meia hora.

Embora seja difícil medir com precisão quanta eletricidade a força de trabalho remota global usa em um dia, a média de 1,25 kWh por hora a 100 kWh a cada meia hora é gritante em comparação.

Luzes da cidade ou noites estreladas?

Alguns podem migrar para uma cidade maior na esperança de um acesso mais fácil a empregos. Alguns podem se mudar para outra cidade para reduzir o tempo de deslocamento, trocando o custo do gás por um custo mais alto de aluguel.

É fácil ver como o trabalho remoto pode resolver esses dois problemas de uma só vez.

De acordo com o U.S. Census Bureau, cerca de 80% dos americanos vivem em áreas urbanas. Mas em um estudo recente, parece que muitos não estão fazendo isso por sua própria vontade. No Brasil, a procura por imóveis a mais de 100 quilômetros de distância dos grandes centros cresceu 340%.

Sinceramente, não posso culpá-los. Há muito menos poluição sonora e luminosa, melhor qualidade do ar, para não mencionar o custo de vida marginalmente mais baixo.

Trabalhar remotamente remove restrições que grandes áreas metropolitanas tendem a ter quando se trata de oportunidades de trabalho e fatores financeiros e ambientais atrelados a um escritório físico.

Trabalho remoto para um bem maior

O impacto que os trabalhadores remotos podem ter no ambiente só pode ser tão útil quanto relevante para o funcionário. Mas quem pode inclinar a balança a favor das iniciativas ambientais são os próprios empregadores.

A Harvard Business Review descreve isso em três considerações simples:

  • incorporar uma cultura de sustentabilidade — reiterar rotineiramente as iniciativas de sustentabilidade de sua empresa em toda a organização;
  • fornecer políticas de apoio — incentivar e apoiar os funcionários que usam fontes de energia renováveis ​​e iniciativas ambientais ativas;
  • pensar globalmente, agir localmente — se envolver na comunidade e praticar ações ambientais para além dela que reflitam a imagem da sua empresa.

Os benefícios dessas práticas são muitos. Uma empresa pode se tornar líder em iniciativas de sustentabilidade e meio ambiente, promovendo uma cultura que faz com que as pessoas não apenas queiram trabalhar para elas, mas também com elas. Acima de tudo, não só parece bom para a empresa, mas é a coisa certa a fazer.

Em 2020, a Rock Content deixou de ser uma empresa que prioriza o escritório para uma organização que prioriza o remoto, com centenas de Rockers (como chamamos todos os colegas de trabalho!) trabalhando em todo o mundo.

A decisão da Rock Content foi tomada com base na ideia de que o futuro do trabalho é remoto, não apenas para uma força de trabalho globalmente integrada e diversificada, mas para a melhoria do planeta.

Os funcionários recebem um subsídio mensal de trabalho remoto, que cobre o custo do consumo de energia elétrica de um indivíduo. Definindo nosso próprio horário de trabalho, somos incentivados a desconectar, desligar a estação de trabalho e respirar ar fresco.

Sendo uma startup colaborativa e orientada para as pessoas, a Rock Content está sempre aberta para evoluir suas práticas, encontrar maneiras de engajar funcionários e promover práticas ambientais saudáveis ​​em todo o mundo. Seja desligando dispositivos em sua casa ou limpando e atendendo sua comunidade, a liderança da Rock inspira seus funcionários a “pensar globalmente, agir localmente” para melhorar o mundo.

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Posts Relacionados

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!