Como e por que fazer um plano de valorização de colaboradores

Já se foi o tempo em que o salário era mais importante do que a saúde e o bem-estar! Desenvolver um plano de valorização de colaboradores é importante para preservar a qualidade de vida do profissional, além de aumentar a sensação de pertencimento por parte da equipe.

Como e por que fazer um plano de valorização de colaboradores

    Se no passado a estabilidade e o salário eram fatores cruciais para permanecer em um emprego, hoje em dia eles podem valer muito pouco quando alguns pontos não são respeitados. A valorização de colaboradores talvez seja o mais importante deles.

    Especialmente a partir da transformação digital, diversas mudanças sociais foram responsáveis por alterar o comportamento — e visão de mundo — não apenas do trabalhador, mas do ser humano de forma geral. Diante disso, as empresas precisaram rever a sua cultura organizacional e, consequentemente, a forma de cultivar e preservar seus talentos.

    Neste post, você vai compreender a importância de promover ações que conversem de verdade com o seu colaborador e façam com que ele se sinta realizado o suficiente para conquistar resultados incríveis.

    Veja quais serão os principais tópicos abordados por nós:

    Vamos lá?

     

    O que é um plano de valorização de colaboradores?

    Um plano de valorização de colaboradores é o conjunto de ações que visam desenvolvimento genuíno do seu time. Ele ultrapassa o sistema tradicional de “recompensa” pela mão de obra, que é o salário, e preza por recursos capazes de tornar melhor a qualidade de vida não apenas dentro do ambiente trabalho, mas também fora dele.

     

    Por que ele é tão importante?

    Um estudo realizado em julho de 2019 pela empresa de recrutamento Randstad afirmou que 33% dos profissionais entrevistados pediriam demissão ou recusariam possíveis ofertas de emprego caso uma das exigências fosse o uso de roupas formais.

    Pesquisas do tipo já vêm sendo realizadas ao redor de todo o mundo. É o exemplo da recrutadora Robert Half, que afirma que 40% dos funcionários empregados e 44% dos desempregados definem que o principal fator para escolher uma empresa é a possibilidade de crescimento.

    O salário é preferência de apenas 22% dos empregados e 12% dos desempregados, mostrando que uma boa quantia monetária já não é mais a prioridade caso não existam perspectivas de desenvolvimento pessoal e profissional.

    Além disso, os transtornos relacionados ao estresse no trabalho — como é o exemplo do Burnout — são cada vez mais discutidos em meio ao mercado de trabalho. 

    A verdade é simples: as pessoas não estão mais tão dispostas a abandonarem sua qualidade de vida, saúde e realizações pessoais em troca de lugares que não as valorizem o suficiente. 

    Um salário menor pode ser visto como uma opção melhor, desde que acompanhado por uma equipe que acredita de verdade no potencial dos seus colaboradores e oferece suporte suficiente para que eles se desenvolvam.

    

     

    Como colocar esse plano em prática?

    Agora que você já compreendeu o que é um plano de valorização de colaboradores e visualizou o tamanho de sua importância, é hora de aprender a colocá-lo em prática!

    Estabeleça metas e suas respectivas bonificações

    É comum que empresas cobrem muito dos funcionários, mas ao alcançar os resultados nem ao menos demonstram reconhecimento e/ou gratidão, o que deveria ser natural. Afinal, aquelas pessoas trabalharam duro em prol de um objetivo em comum e foram capazes de desempenhá-lo com louvor.

    Por isso, é fundamental estruturar as metas com inteligência. Não basta definir os números e apresentá-los como “ou você supera, ou será demitido”. Se for feito dessa forma, será questão de poucos meses até que os níveis de baixo desempenho comecem a aparecer.

    Uma boa estratégia é unir o plano de metas aos planos de carreira. Estruture — e deixe transparente para a sua equipe — quais são os números satisfatórios e como alcançá-los. Isso será positivo não apenas para a empresa, mas também para a carreira daquela pessoa.

    Crie uma cultura de feedback

    Um bom feedback talvez seja uma das melhores maneiras de desenvolver e reter talentos. Afinal, ninguém é perfeito e sabe de tudo. O ser humano sempre pode melhorar, principalmente em meio ao universo profissional, que é repleto de mudanças diárias. 

    Além disso, as pessoas tendem a se desmotivar quando não são valorizadas. O reconhecimento do trabalho não é o ato de “alimentar o ego” com vários elogios públicos, mas, sim, mostrar que se importa com aquele colaborador e com a sua carreira — e que aquela pessoa pode contar com a sua equipe para se desenvolver de verdade, corrigindo pontos negativos e melhorando ainda mais os positivos.

    Estabeleça reuniões periódicas de feedbacks e estruture a forma como eles serão dados. Sempre que possível, se baseie em fatos que podem ser comprovados e tenha delicadeza para apontar questões de melhoria. 

    Lembre-se que o feedback é um processo de construção da carreira tanto do colaborador quanto do gestor, não apenas um amontoado de críticas e/ou elogios avulsos.

    Você também pode se interessar por este conteúdo!
    Teste DISC: o que é e como identificar o perfil comportamental? Plano de trabalho: o que é, como fazer e dicas de sucesso

    Reconheça as conquistas individuais

    Além do feedback, que é um momento a dois em que existe uma troca de percepções e planos de desenvolvimento de carreira, vá além e reconheça as conquistas daquelas pessoas.

    A equipe bateu a tão difícil meta de vendas do semestre? Ótimo! Afinal, o trabalho é um mérito de todos em conjunto, e cada uma das pessoas envolvidas no projeto contribuiu para o sucesso.

    É interessante, porém, ir além e valorizar cada pessoa que ajudou a construir o resultado. Quem — e como — foi um grande destaque no período? Quais foram as características pessoais e profissionais daquela pessoa que a fizeram se sair tão bem? Como os demais colaboradores podem aprender com ela?

    Quando as conquistas individuais são reconhecidas, saiba que você não estará simplesmente valorizando uma pessoa. Além de reconhecer o esforço daqueles que brilharam em suas funções, você estimula uma cultura de inspiração. Tenha certeza de que o restante da equipe vai se espelhar nas qualidades positivas e fará o possível para colocá-las em prática também.

    Ofereça benefícios para o bem-estar

    Além de benefícios que influenciam diretamente o desempenho profissional, pense também na qualidade de vida do colaborador fora do trabalho. Ofereça benefícios como Vale Cultura, flexibilidade no horário e convênio de descontos com clínicas, serviços ou restaurantes, por exemplo.

    Lembre-se que o marketing também pode — e deve — ser pensado para seu público interno. Essas ações, que compõem uma estratégia de endomarketing, fazem toda a diferença num plano de valorização de colaboradores.

    Será apenas questão de tempo até que a equipe comece a se sentir ainda mais motivada em ir trabalhar e entregar resultados. A oferta de maior qualidade de vida reduz níveis de estresse, permite que pessoas consigam adaptar melhor a sua rotina familiar ao dia a dia no trabalho, influencia a realização de atividades prazerosas e transforma possíveis imprevistos ruins apenas em detalhes.

    Por exemplo: uma pessoa acordou se sentindo muito indisposta. Às vezes, dormir um pouquinho mais ou ter um tempo maior para tomar café e se preparar já seria excelente. 

    Caso ela precise correr para bater o ponto religiosamente às 8h, tenha certeza de que o dia será muito mais improdutivo e estressante. 

    Disponibilize treinamentos

    Você dificilmente encontrará no mercado uma pessoa que atingiu o ápice de todo o conhecimento disponível em sua área de atuação. Além disso, o senso de permanecer em constante aprendizado e atualização ajuda muito a deixar os colaboradores realizados e motivados.

    Por isso, ofereça treinamentos, cursos, palestras e qualquer outra forma de compartilhar conhecimento que enriqueça a bagagem das pessoas que formam a sua equipe.

    Desenvolver as estratégias não é uma tarefa fácil. Muitas vezes será preciso “bater de frente” com outros setores, insistir no que será proposto e até mesmo repensar a cultura organizacional da empresa. Porém, tenha certeza de que os resultados serão os melhores possíveis! 

    Agora que você já sabe como fazer um plano de valorização de colaboradores, é hora de aprender ainda mais sobre processos interessantes que acontecem nas empresas! Conheça tudo sobre o modelo de negócio C2C e entenda todas as suas oportunidades.

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Posts Relacionados

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!