Como identificar bons clientes: veja como encontrá-los

Para obter sucesso na carreira de freelancer, não basta ter uma clientela formada, é preciso que a parceria seja produtiva. Pensando nisso, você sabe como identificar bons clientes? Aprenda algumas dicas que podem ajudar a reconhecê-los!

Como identificar bons clientes

Independentemente de qual seja o nicho de negócio, é fundamental manter parcerias que sejam benéficas para todos os envolvidos. Caso contrário, em vez de resultados satisfatórios, é possível ter muitos problemas. E, como freelancer, isso não é diferente. Por essa razão, é imprescindível saber como identificar bons clientes.

Ter uma clientela que valoriza o seu trabalho e preza por um bom relacionamento profissional faz toda a diferença na sua motivação e produtividade. Consequentemente, a sua carreira também é impactada positivamente.

Para ajudar você a reconhecer esses clientes interessantes, elaboramos este post. Aqui, você encontrará dicas práticas para captar os indícios de uma parceria de sucesso. Continue a leitura e confira!

Por que é importante identificar bons clientes?

Antes de aprender como identificar bons clientes, você deve saber a importância disso. Na prática, os freelancers estão acostumados a entender que todos os parceiros são bem-vindos. No entanto, essa concepção pode mais atrapalhar do que ajudar o profissional.

Afinal, existem clientes bons e ruins. O primeiro tipo é aquele em que a parceria gera bons frutos e o relacionamento é agradável para ambas as partes. Desse modo, você se sente valorizado profissionalmente e não sofre aborrecimentos desnecessários.

Obviamente, como em qualquer relação, é possível que haja divergências mesmo com o bom cliente. Contudo, as soluções costumam ser mais viáveis e todos os envolvidos saem satisfeitos. Em contrapartida, um mau parceiro resulta em um trabalho desgastante em diversos sentidos.

Em relação aos pagamentos, por exemplo, um cliente ruim pode ser aquele que exige descontos — mesmo que você precifique justamente ou, até mesmo, abaixo da média — ou o que demora a efetuar os pagamentos. Além disso, há o cliente que pede mais do que o acordado, sem pagar pelo serviço extra.

Há também o parceiro que entra em contato nos horários inapropriados, que pede ajustes infundados, que não entende o propósito do projeto e coloca defeitos incoerentes, entre tantas outras atitudes que dificultam o trabalho do freela.

Ao lidar com clientes ruins no dia a dia, a tendência é se sentir sugado mentalmente e procrastinar as tarefas. Consequentemente, a sua produtividade cai e seus ganhos vão junto. Por esse motivo é que é tão importante prospectar bons clientes.

Como identificar bons clientes?

Agora que você já sabe a importância de conquistar bons clientes, é a vez de aprender como identificá-los. Afinal, os bons parceiros não surgem com selo de identificação de boa parceria, não é mesmo? A seguir, você confere características que indicam um bom cliente!

Não solicita testes grátis

O portfólio do freelancer é a ferramenta para demonstrar as suas capacidades. No entanto, é comum que as empresas peçam testes para entender se o profissional está alinhado com suas expectativas. Se essa amostra for paga, isso não deve ser um problema, pois você será remunerado pelo trabalho.

Entretanto, há clientes que solicitam uma avaliação gratuita, e essa atitude é um alerta vermelho para maus clientes. Isso porque pode ser um indicador de que essas empresas querem obter trabalho gratuito, pois utilizam os testes em suas estratégias.

Além disso, pode significar que esse parceiro não concede o devido valor ao freelancer. Lembre-se: bons clientes valorizam o trabalho do profissional, e uma das formas de fazer isso é remunerando justamente.

Respeita sua precificação

Por falar em valorização por meio da remuneração, é interessante entender por que um bom cliente respeita a sua precificação. Como cada freelancer cobra o valor que acha justo pelo seu trabalho, pode haver grandes diferenças entre os preços. Isso se deve ao fato de que o profissional inclui não somente seus custos e a média do mercado de trabalho no cálculo, mas também sua experiência, cursos e treinamento.

Dessa forma, o bom parceiro entende que você precisou se dedicar para entregar um trabalho de excelência e deve ser remunerado por isso. Sendo assim, se o cliente em potencial já começa a reclamar do preço, colocando o valor do seu trabalho abaixo do que é justo, é recomendável dispensá-lo.

Oferece termos de contrato justos

Um bom cliente faz questão de que todas as suas transações comerciais sejam realizadas nos conformes. Ou seja, nada é combinado apenas “de boca”, mas sim por meio de contratos objetivos e justos. O documento deve conter os preços acordados, a data para pagamento, descrição do trabalho e possíveis penalidades para desacordo mútuo.

Se ao ler o contrato você sentir que pode ser prejudicado de alguma maneira ou não conseguir entender o que está descrito com exatidão, é interessante pedir alterações no documento. Se o cliente se recusar, pode ser o sinal que você precisava para dispensar o serviço.

Respeita os limites profissionais

Por mais que a relação com o cliente seja próxima, ela deve ter um limite profissional. Caso contrário, você pode sofrer com ligações em horários inconvenientes, cobranças sem fundamento ou pedidos de favores sem a devida remuneração.

Uma vez ou outra que isso acontece pode até ser irrelevante. No entanto, um mau cliente torna essas atitudes um hábito, sendo prejudicial ao seu trabalho. Afinal de contas, ninguém quer ter que deixar um domingo de folga para socorrer um pedido que poderia ter sido feito em outra hora, não é verdade?

Além disso, é importante reparar comportamentos que podem gerar problemas futuros, como brincadeiras de cunho sexual e assédio. No começo, isso pode parecer apenas piadas sem noção, facilmente contornadas. Entretanto, com o tempo, esse hábito pode se agravar, deixando você desconfortável.

A verdade é que um bom parceiro entende qual é o limite entre o pessoal e o profissional, mantendo um relacionamento respeitoso. Isso é fundamental para que você se sinta confortável e tenha prazer em continuar com essa parceria.

Ao longo deste post, você aprendeu como identificar bons clientes e se desvencilhar das parcerias ruins. Agora, basta colocar as nossas dicas em prática para conquistar uma clientela que valoriza o seu trabalho e renda bons frutos para todas as partes.

Está procurando uma parceria que pode ajudar você a atingir os seus objetivos profissionais? Então se inscreva em nosso banco de talentos e venha ser um parceiro Rock Content!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail
Briefing

Luciana Ribeiro

Copyeditor

Thiago Murça

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Checklist de SEO para redatores freelancers

alt Redator Rock Content
ago 5, 15 | Leitura: 5min

Tradutor freelancer: o que é preciso para se tornar um?

alt Julyana Andrade
fev 18, 19 | Leitura: 5min

Encher ou Enxer: como se escreve? Veja a forma correta!

alt Amanda Gusmão
mar 22, 17 | Leitura: 3min

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.