Jornalismo Digital ou Ciberjornalismo: o que é, características e desafios

O jornalismo digital adaptou técnicas tradicionais do jornalismo às redes sociais e ao ambiente digital como um todo. Saiba mais!

Jornalismo Digital

O jornalismo não está à beira da extinção. Na verdade, ele evolui graças à tecnologia. Hoje, o que conhecemos como jornalismo digital encontrou seu lugar em meio às redes sociais, ao marketing digital, à inteligência artificial e a todas as possibilidades da internet. 

Contudo, é seguro dizer que o jornalismo digital tem desafios bastante particulares em comparação com o jornalismo tradicional que existia há apenas uma década. 

Desde a forma como as notícias são planejadas até as etapas de produção de conteúdo e recepção pelos leitores, os profissionais da comunicação que desejam se tornar jornalistas na era digital precisam se familiarizar com muitas habilidades e ferramentas para competir com a concorrência. 

Abaixo, você encontrará nosso guia sobre o jornalismo digital, que abordará:

Continue a leitura!

O que é jornalismo digital?

Pode ser muito difícil definir o jornalismo digital (ciberjornalismo ou jornalismo online) em uma frase. No entanto, de forma geral, podemos dizer que qualquer forma de conteúdo jornalístico postado na internet é considerado jornalismo digital.

O conteúdo jornalístico pode estar em qualquer formato (texto, áudio, imagem ou vídeo), e sua distribuição na internet é muito mais rápida do que nas mídias tradicionais. 

Agora, os portais de notícia, os blogs e as redes sociais (Twitter, Facebook, Instagram etc.) são usados para informar às pessoas sobre os mais variados assuntos.

Os usuários têm a possibilidade de se manter atualizados com as informações mais recentes por meio de notificações de última hora na web, alertas de rede social e coberturas de notícias ao vivo.

Qual é a origem do jornalismo digital?

Para entender o jornalismo na era digital, precisamos compreender suas origens e como ele chegou a esse ponto.

No século XX e XXI, novas tecnologias revolucionaram a forma como os humanos se comunicam, acelerando um processo de centenas de milhares de anos.

Apenas alguns séculos depois que os livros se espalharam, as pessoas andam por aí com dispositivos capazes de conectá-las com qualquer pessoa ao redor do mundo.

Os avanços da comunicação mudaram o jornalismo, pois jornalistas e repórteres de todo o mundo operam de maneiras quase irreconhecíveis a profissão de um século atrás.

Um ponto de virada aconteceu quando, conforme a internet se tornou conhecida, a mídia a usou como forma de divulgar notícias e informações para as massas. 

No jornalismo tradicional, que costumava ser um processo unidirecional, tínhamos que confiar credibilidade nas informações fornecidas pelos editores, repórteres e fotógrafos

Quando os meios de comunicação mudaram, novas práticas nasceram. Assim, o jornalismo digital foi desenvolvido para tornar o jornalismo interativo, permitir discussões e debates entre leitores e escritores.

Quais as principais características do jornalismo digital?

Quando se fala em jornalismo como um todo, algumas coisas que geralmente vêm à mente são “coleta de dados”, “investigação” e “análise de informações”.

O jornalismo digital pode ser tudo isso, mas não apenas. Algumas particularidades advindas da adaptação dos processos jornalísticos à era digital surgiram com o tempo:

  • global: não existem barreiras geográficas quando se trata de jornalismo na internet. Os leitores podem acessar as notícias de qualquer lugar do mundo, quando quiserem e sempre que puderem;
  • rapidez: os eventos relevantes do mundo não demoram muito para surgir na timeline das redes sociais, porque no jornalismo digital tudo pode ser produzido em questão de minutos, evitando atrasos;
  • hipertextualidade: ao contrário do que acontece em textos das mídias impressas, os jornalistas digitais podem escrever de forma a dar aos leitores a liberdade de mergulhar mais fundo em um assunto clicando em hiperlinks;
  • multimídia: a internet oferece oportunidade aos jornalistas de apresentar formas não lineares de contar histórias, utilizando a hipertextualidade e diversas formas inovadoras de mídias: texto escrito, vídeo, infográfico, podcast etc.
  • interatividade — os portais de notícia já podem entregar conteúdos aos usuários de acordo com seus comportamentos nas plataformas. Os usuários conseguem interagir cada vez mais com a plataforma conforme as utilizam.

Quais sãos desafios atuais do jornalismo digital?

Na maioria das vezes, a forma como as notícias são relatadas e consumidas no jornalismo digital é semelhante à forma como é feita nas mídias impressas e televisivas.

Os desafios geralmente estão relacionados à velocidade com que as publicações acontecem, na competição que os jornalistas enfrentam e nas dificuldades de colocar as notícias diante de leitores e ouvintes. 

Abaixo, entenda mais sobre os principais desafios do jornalismo digital hoje em dia.

Desinformação e fake news

A capacidade de qualquer pessoa com um smartphone transmitir um evento ao vivo ou tuitar uma opinião cria um grande desafio para o jornalismo na era digital. 

Opiniões tomadas como fatos, sem nenhuma pesquisa, levam à disseminação de informações erradas que, muitas vezes, recebem mais atenção que os próprios fatos.

Nas redes sociais ainda se enfrenta o dilema da responsabilidade que as plataformas têm na disseminação de desinformação, plágio, discurso de ódio e conteúdo enganoso.

Identidade do jornalista

Os jornalistas de hoje estão mais sujeitos não apenas à opressão política, mas também a uma forma de pressão que vem das comunidades que eles tentam abordar. 

Na mídia antiga, a comunicação era principalmente de mão única, e a opinião pública era filtrada por muitos canais antes de afetar o trabalho de um jornalista. 

Hoje, a exposição direta dos jornalistas à opinião pública pode mudar diretamente a maneira como se relacionam com seus leitores ou telespectadores.

Para complementar sua leitura, você também pode gostar destes materiais:

Como evitar e combater fake news no jornalismo digital?

A ética e o compromisso com a verdade são princípios vitais do código que os jornalistas seguem em suas atividades diárias. Os jornalistas do futuro e do presente podem evitar a desinformação aderindo aos seguintes princípios e métodos.

Evitar publicações por impulso

No ambiente hipercompetitivo de hoje, há uma tentação de apressar as publicações, seja uma história sobre a tecnologia mais recente ou o tweet polêmico de um deputado.

Essa rapidez garantida pelo jornalismo digital pode ser importante e interessante, mas, muitas vezes, também pode gerar brechas para uma fonte de falsas alegações.

Realizar fact-checking

As notícias podem ser enviadas para a publicação sem um exame minucioso dos fatos, levando à disseminação de informações errôneas.

Por isso, o “fact-checking” ou “apuração dos fatos” é um dos procedimentos tradicionais do jornalismo que não merece ser esquecido na era digital.

Estatísticas, nomes, endereços, valores e outros dados críticos para uma notícia precisam ser apuradas a partir de fontes confiáveis.

Como usar as redes sociais no jornalismo digital?

Apesar dos desafios que estão envolvidos no uso das redes sociais, os jornalistas reconhecem várias maneiras pelas quais elas podem ser úteis em seu trabalho diário.  

Já ouvimos falar das fake news, e você pode argumentar que as redes sociais são um pouco culpadas, afinal, elas oferecem meios para que as pessoas digam literalmente qualquer coisa, sem necessidade de validação ou verificação de fatos. 

Mas as redes sociais também têm sido responsáveis por muitas coisas boas, dando aos jornalistas acesso a grandes volumes de dados de todo o mundo e colocando uma plataforma dos sonhos para distribuição de notícias na ponta dos dedos.

Não precisamos mais esperar pelo noticiário da noite ou pelo jornal da manhã antes de sabermos alguma coisa, pois agora os jornalistas podem reportar em tempo real para um público amplo. 

O jornalismo nas redes também pode se beneficiar da segmentação. Os jornalistas podem montar as matérias com imagens, vídeos e links preparados para seu público ideal. 

E, graças ao SEO e aos algoritmos, eles podem fazer com que suas mensagens sejam a primeira coisa que os leitores veem quando ficam online.

Como em qualquer meio de contar histórias, os jornalistas precisam aprimorar o estilo das publicações e estudar seu público, certificando-se de criar o conteúdo no formato mais atrativo para os leitores — e nas redes sociais em que eles estão em peso.

Qual a relação do jornalismo digital com o Marketing Digital?

Esta é uma relação interessante, pois não faz muito tempo que o marketing digital e o jornalismo pareciam dois peixes em tigelas diferentes. Agora, compartilhando ambientes digitais, bem como estratégias para alcançar o público, fica mais clara a relação entre eles.

Esse distanciamento do marketing do jornalismo é, por outro lado, apenas uma impressão, porque as técnicas e ferramentas do jornalismo sempre puderam ser aproveitadas pelo marketing e vice-versa. Afinal, as duas áreas lidam com produção de conteúdo.

Tanto jornalistas quanto publicitários estão sempre atentos às convenções do gênero textual que estão produzindo, às normas gramaticais, às questões de coerência e coesão textual.

Em ambos os casos, também existe a necessidade de usar um grande volume de dados para mapear preferências do público e segmentar o alcance das publicações.

Os pontos de contato entre as duas áreas são muitos. Eles seguem se transformando com o avanço das ferramentas de alcance e compartilhamento de publicações.

Foi o avanço das tecnologias de comunicação que abriu espaço para que o jornalismo se adaptasse à internet, criando desafios e oportunidades. Com as novas práticas, surgiu o jornalismo digital e suas particularidades para novos jornalistas.

Você é jornalista e está em busca de novas oportunidades na área de produção de conteúdo? Aproveite para se inscrever no nosso Banco de Talentos e participar da maior comunidade freelancer da América Latina.

freelancer
Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail
Copyediting

Thiago Murça

Briefing

Luciana Ribeiro Rodrigues

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Fadiga de Conteúdo: leia isto, pelo amor de deus!

alt Bianca Lopes
out 15, 17 | Leitura: 5min

4 áreas para trabalhar como motion designer

alt Renata Figueiredo
jun 4, 21 | Leitura: 5min

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.