Por Luiza Drubscky

Supervisora de Marketing na Rock Content.

Publicado em 6 de fevereiro de 2019. | Atualizado em 27 de novembro de 2019


CMS representa Content Management System, ou Sistema de Gestão de Conteúdos. De forma bem direta, um CMS permite que você crie, organize, publique e apague conteúdos do seu site. Neste artigo você vai entender como e por que usar um CMS na sua estratégia digital.

O mundo nunca esteve tão conectado. O cenário atual de consumo envolve aparelhos de todos os tipos, conexão de Internet forte e abrangente e empresas inovadoras dispostas a usar tudo isso ao máximo.

Estamos falando de uma série de recursos que permitem alavancar um negócio, gerar mais vendas de forma consistente e entregar mais opções aos consumidores. Tudo isso enquanto as empresas oferecem uma experiência de compra melhor.

Mas, ainda assim, muitos negócios ainda não têm um site ou não conseguem resultados expressivos

E talvez o principal motivo apontado por estes para a falta de sucesso com a Internet como canal de aquisição e fidelização de clientes seja a falta de conhecimento técnico para criar e gerenciar as páginas e conteúdos.

É aí que entra o CMS como solução definitiva para esse problema. E não tem problema se você nem faz ideia do que isso seja.

Criamos este artigo bem completo sobre o tema para te ensinar tudo que você precisa saber sobre o assunto. Nele, vamos falar dos seguintes assuntos:

Está preparado para essa dose gigantesca de conhecimento? Então vamos lá!

O que é um CMS?

O termo CMS vem do inglês Content Management System, que significa Sistema de Gestão de Conteúdo. Em resumo, é um sistema online que permite colocar um site no ar de forma prática e rápida.

Mas é claro que não é só isso, até porque dá para fazer a mesma tarefa com quase nenhum conhecimento técnico.

O grande diferencial do CMS, como o próprio nome diz, é a possibilidade de gerenciar conteúdo dinâmico de forma simples, ou seja, manter um blog, loja virtual ou outro tipo de site que precisa ser atualizado de forma constante.

Imagine ter de fazer atualizações semanais ou até diárias de forma manual. Não daria certo. 

Então o CMS é a solução ideal para todo mundo que precisa de um site que não seja 100% estático e momentâneo (feito para ficar no ar por pouco tempo).

Como funciona um Content Management System?

Imagine que você trabalha em um jornal ou em uma revista.

Seu público está sempre em busca de novas notícias e assuntos e, por isso, você e sua equipe precisam produzir novos textos a cada dia.

Mas esse processo de criação é complexo e, para cada novo conteúdo, vocês precisam criar toda a estrutura técnica da página. Para piorar, cada atualização tem de ser feita de forma manual.

Em um cenário desses, consegue imaginar o quanto esse trabalho seria caro e demorado? Ele tornaria inviável, em termos de tempo e dinheiro, que o veículo continuasse a existir.

Além disso, supondo que você conseguisse manter o projeto de pé, a necessidade de contar com profissionais altamente capacitados com os conhecimentos técnicos necessários também poderia limitar bastante o aparecimento de novos negócios.

Felizmente a nossa realidade é bem diferente. Para solucionar esse tipo de problema estrutural e operacional é que surgiu o CMS.

O conceito de CMS representa, na maioria das vezes, softwares livres, criados e divulgados por programadores espalhados por todo o mundo, em que uma pessoa pode criar seu site, blog e demais opções, com extrema facilidade.

E quando usamos a expressão “na maioria das vezes” é porque apesar de as principais opções de mercado (sobre as quais vamos falar mais a frente) serem gratuitas, também há opções pagas.

Um dos maiores trunfos do CMS é sua simplicidade de uso que permite focar mais na estratégia e menos na parte operacional. 

O usuário não precisa se preocupar com a parte técnica da criação. Ele só precisa alimentar um banco de dados com o conteúdo que deseja apresentar, de forma simples e rápida.

Todo o conteúdo é gerenciado de forma eficiente e a estrutura é feita para garantir um melhor desempenho das páginas, uma boa experiência do usuário e a possibilidade de escalar o site sem problemas no futuro.

Quais são as principais funcionalidades de um CMS?

Pode até não parecer, mas há muita coisa envolvida na produção e publicação de um simples conteúdo ou página de um site. E cada um desses elementos precisa ter o suporte do CMS para aparecer.

Isso fica claro quando olhamos para algumas das funcionalidades principais desse tipo de sistema, que incluem:

  • criação e publicação de páginas;
  • edição de texto e de código do site;
  • moderação de comentários;
  • controle de estoque e sistema de vendas (caso seja e-commerce);
  • instalação de plugins e extensões para aumentar as funções do site;
  • biblioteca de mídias, para carregar imagens e vídeos que serão usados no site;
  • e muito mais.

Quais são os benefícios do CMS? Conheça 7 deles

O CMS tem vários benefícios para os empreendedores que desejam criar suas páginas na Internet, conheça 7 deles!

1. Facilidade de criação e manutenção

Pode ser que a principal vantagem de usar um software CMS seja a grande facilidade que ele oferece para quem deseja desenvolver uma página e manter a sua atualização em dia.

O acesso ao trabalho é diretamente no navegador, ou seja, você não precisa baixar nenhum sistema específico e complexo. Nada de ocupar espaço do seu computador ou celular. 

Isso permite que você crie suas páginas com rapidez e aproveite melhor as oportunidades de mercado por entregar conteúdos de maior qualidade aos usuários.

2. Facilidade de uso

Quem tem um site sabe que é preciso prestar atenção constante às novidades e às tendências que aparecem no mercado.

Diante disso, as suas páginas precisam ser flexíveis para aproveitar essas novas possibilidades e usar os recursos inovadores em todo o seu potencial.

Com um bom sistema de gestão de conteúdos, além da facilidade que citamos, qualquer pessoa da sua equipe consegue ajudar na manutenção da sua estratégia digital. 

Isso inclui criar páginas do site da empresa, adicionar imagens, vídeos, depoimentos de clientes e muito mais.

Tudo isso pode ser feito com extrema facilidade e rapidez, sem a necessidade de um conhecimento aprofundado em lógica de programação, design ou diagramação.

E tem mais: um dos principais recursos do CMS está, como o nome diz, na sua capacidade de gerenciar o conteúdo em vez de apenas criá-lo.

Em outras palavras, não adianta nada ter muitas possibilidade e fazer uso do sistema de modo simples sem acompanhar sempre o progresso dos resultados. 

E mais uma vez um CMS de qualidade facilita essa parte do trabalho. Afinal, tudo pode ser testado e otimizado para dar resultados melhores e mais rápidos.

Você se interessar por este material:

👉 Dashboard de Marketing Digital: saiba como analisar e acompanhar as métricas da sua estratégia

3. Quantidade enorme de recursos adicionais

Os principais CMS do mercado têm uma gama extensa de recursos adicionais. Estes podem ser incluídos no site com poucos cliques para criar a melhor experiência possível ao consumidor e tornar a gestão seja mais eficiente.

Aqui só vale um alerta, sobre o qual vamos nos aprofundar mais abaixo: vale a pena observar as características do software escolhido para ter certeza de que elas atendem todas as suas necessidades.

Se perceber algum elemento importante em falta, procure por plugins e ferramentas adicionais. Caso realmente não encontre, talvez seja o caso de procurar outro CMS.

4. Possibilidade de otimização para busca orgânica

Todo empreendedor que busca estabelecer o seu site como uma referência no mercado online sabe (se não sabe, deveria saber!) que é preciso conhecer e aplicar as técnicas de otimização para a busca orgânica, ou Search Engine Optimization (SEO).

O trabalho de SEO visa aumentar as chances de as páginas do seu site serem encontradas pelos mecanismos de busca, como o Google.

E quanto mais gente encontrar seu site de forma orgânica (sem anúncios), melhor para o seu processo de aquisição de clientes, desde que você tenha uma estratégia sólida de conteúdo e um plano de marketing adequado.

É possível usar diferentes técnicas, como:

  • link building para aumentar a autoridade e melhorar o posicionamento nos rankings;
  • otimização de imagens para que seu conteúdo seja encontrado também pelas buscas visuais;
  • uso estratégico de palavras-chave, principalmente de cauda longa; 
  • e estruturação dos conteúdos de forma agradável à leitura, para aumentar o tempo de retenção dos leitores.

É muito importante que cada página do website receba esse trabalho, com bastante atenção.

Se o seu site é complexo, feito com um software específico, pode ser bastante difícil manter essa otimização de forma correta, ainda mais conforme o site escala.

Já com o CMS isso pode ser feito de forma muito simples e prática. Alguns minutos bem trabalhados por dia podem ser suficiente para que as suas páginas apareçam nas primeiras posições da busca orgânica, sem precisar investir 1 centavo em links patrocinados.

5. Versatilidade para projetos de todos os tipos e tamanhos

Não importa o que você quer que o seu site seja, é provável que consiga de forma tranquila com um bom CMS. 

Quer criar um blog para publicar conteúdo relevante toda semana? Tudo bem. Precisa criar uma loja virtual integrada com vários recursos? Sem problemas! 

E essas são apenas algumas das possibilidades. Você pode criar áreas de membros, landing pages e até criar um tipo de rede social, dependendo do seu objetivo.

Esse é mais um trunfo do CMS: ele consegue comportar diferentes projetos de variados portes com a mesma estrutura e funcionamento interno.

Tudo que você precisa fazer é moldar os recursos oferecidos pela plataforma de sua escolha de acordo com a necessidade do projeto.

6. Boa velocidade de carregamento

Outro grande benefício de contar com uma solução de CMS é que ele geralmente contribui para aumentar a velocidade de carregamento das páginas.

Esse elemento é crucial para oferecer uma boa experiência do consumidor, sem contar que é um fator considerado no rankeamento de SEO!

Quanto mais as páginas demoram a carregar — e estamos falando de diferenças de segundos — , maior será a chance de o potencial cliente fechar a janela e buscar uma outra opção na Internet.

Por isso, é muito importante que você sempre monitore o tempo de carregamento de suas páginas, buscando otimizá-las. 

Isso fica ainda mais importante nos dispositivos móveis, que vêm recebendo atenção especial do Google com o novo modelo de rankeamento. 

Conhecido como Mobile-First Index, ele prioriza páginas que carregam rapidamente em aparelhos móveis. Felizmente, os CMS de ponta já oferecem total suporte a sites Mobile First.

7. Baixo custo de atualização e manutenção

Por último, mas não menos importante, não podemos nos esquecer dos custos de manutenção.

Imagine que você construa seu site com um programador específico, em uma linguagem complexa que poucos profissionais dominam em todo o mercado.

Consegue perceber como isso poderá tornar mais caro manter a estrutura funcionando e sempre bem atualizada? Afinal, a escassez do profissional vai permitir que ele cobre mais caro pelo serviço.

Já com o CMS tudo é mais barato, desde a implantação até a atualização e a manutenção.

O software utilizado, em geral, é livre, pois a maioria dos sistemas de gerenciamento de conteúdo são criados por programadores espalhados ao redor do mundo, que trabalham de forma colaborativa.

É claro que você ainda pode contratar um desenvolvedor ou designer para adaptar o site desejado aos seus interesses e necessidades. Mas isso não é diferente de criar um site 100% personalizado. 

Aliás, mesmo as alterações para um CMS costumam ser mais em conta que a criação do zero.

Então, a diferença dos valores fica na atualização e manutenção, tornando o CMS uma opção muito mais vantajosa em termos financeiros.

O ROI do Blog CorporativoPowered by Rock Convert

Como escolher um CMS?

A tarefa de escolher um CMS pode ficar um pouco nebulosa pela quantidade de opções disponíveis no mercado, e pela similaridade entre o que eles oferecem. 

Quando você olha para 10 opções e todas prometem coisas parecidas, qual escolher? A verdade é que você precisa de poucos elementos para tomar sua decisão.

A escolha é muito importante, não estamos dizendo o contrário. Mas em vez de passar muito tempo na dúvida, siga essas recomendações práticas:

  • qual o histórico do sistema? Descubra se a comunidade de usuários é grande e ativa, o sistema tem boa reputação e o suporte técnico é elogiado;
  • qual a proposta básica do sistema? Se o foco central do CMS em questão é muito diferente do que você busca, parta para outra. (exemplo: você quer um blog e encontra um CMS voltado para e-commerce);
  • como é a experiência de uso? De nada adianta ter o melhor CMS, em teoria, mas não gostar da experiência de uso todos os dias. Teste e veja o que funciona para a sua empresa.

Nós, aqui da Rock, temos um CMS favorito: o WordPress. Ele é o mais usado no mundo e tem soluções para tudo que é tipo de projeto. 

Mas isso não deve impedir você de pesquisar outras opções e escolher a que acha melhor.

Como migrar o seu CMS?

E o que fazer caso você já tenha um CMS em uso, mas perceba que faz mais sentido usar outra solução? A resposta é: migrar para o novo CMS. 

E se você está se perguntando como fazer isso, não vamos dar um passo a passo, até por que não temos como fazer isso aqui. 

A quantidade de opções de CMS é imensa, o que torna impossível saber qual você usa hoje e para qual quer migrar.

Mas há apenas 2 regras de ouro para a migração de CMS:

  1. Faça backup das suas informações e bancos de dados: se tudo der errado, você ainda vai conseguir restaurar seu site no CMS antigo com os bancos de dados 100% preservados.
  2. Procure o suporte do CMS novo: em geral, a documentação dos CMS de ponta é muito boa, assim como a comunidade de membros. Isso pode dar a você a direção necessária para migrar sem dificuldades.

Como avaliar a melhor hospedagem para o CMS?

É claro que o CMS não é o único elemento importante na manutenção do seu site. 

A hospedagem tem papel de destaque nisso também, até porque se a hospedagem não oferecer suporte ao CMS que você quer usar, nada feito.

E mais uma vez entramos na questão da quantidade de opções disponíveis. Não dá para analisar uma a uma neste artigo, mas dá para te dar um passo a passo simples para orientar sua escolha:

  • decida primeiro qual tipo de hospedagem quer. Existem 4: compartilhada, em núvem, VPS e servidor dedicado;
  • reduza a lista de opções para as empresas mais bem avaliadas do setor, que oferecem suporte ao CMS que você busca;
  • compare recursos, atendimento e preços entre as “finalistas” da sua seleção.

Quais são as diferenças entre CMS, WCM, ECM, DAM e DXP?

O CMS é um sistema que abrange vários tipos de softwares e cada um deles foi pensado para atender necessidades diferentes.

Por isso, mostraremos a seguir algumas dessas subcategorias e suas diferenças.

WCM — Web Content Management

O WCM é um software utilizado para criar, gerenciar, armazenar e exibir conteúdo em páginas da web.

Ele tem a capacidade de projetar e organizar sites para que os conteúdos continuem sempre atualizados e fáceis de acessar a qualquer momento.

Ainda, permite o controle e a preparação do conteúdo para publicação, possibilitando a avaliação e aprovação antes da divulgação.

O WCM também possibilita a automação do conteúdo para a publicação, gerando um melhor desempenho.

ECM — Enterprise Content Management

O ECM é a tecnologia por trás da captura, do gerenciamento, da preservação e da distribuição de conteúdos e documentos relacionados aos processos das empresas.

As ferramentas e estratégias de ECM permitem estruturar as informações das organizações durante todo o tempo que elas existirem.

Entre essas ferramentas estão o WCM, que acabamos de ver, e o DAM, que vamos conhecer a seguir.

DAM — Digital Asset Management

O DAM, ou Digital Asset Management, é um conceito bem similar ao ECM, mostrado logo acima.

A principal diferença é que o DAM tem o foco mais especializado e é usado principalmente no gerenciamento de rich media, como vídeos, áudio, imagens, entre outros.

Enquanto isso, o ECM trabalha no gerenciamento de arquivos em geral. Então, se você precisa de uma solução que concentra arquivos multimídia com eficácia, o DAM é relevante.

DXP — Digital Experience Platform

Com o crescente número de canais de acesso aos clientes, criar estratégias de integração entre eles para melhorar a experiência de compra não é mais opção.

O sistema DXP torna isso realidade e faz com que a mesma sensação seja experimentada em qualquer ponto de interação com a empresa, o que fortalece a identidade da marca.

Estamos falando de uma plataforma feita para criar e oferecer experiências integradas e otimizadas para o usuário. 

Isso deve acontecer em diversos canais e levar sempre em consideração não só as preferências do cliente, mas também todo o ciclo de vida dele.

Quais são os melhores CMS’s do mercado?

Agora que você já sabe o que é um sistema de gestão de conteúdo, vamos te mostrar quais são as principais opções no mercado. Como já dito, vamos começar pela nossa recomendação, o WordPress:

WordPress

O WordPress é a plataforma de CMS mais utilizada em todo o mundo. Mas não é só por isso que gostamos tanto dele. Para começar, se trata de uma opção gratuita, usada para blogs, lojas virtuais e muitos outros projetos.

Existem diversos recursos adicionais, como plugins e templates já montados, para que os usuários possam customizar a solução de acordo com suas necessidades e estratégias de negócios.

Uma das grandes vantagens do WordPress é sua comunidade ativa. Há milhares de programadores que têm o conhecimento necessário para manter o sistema atualizado, agregando melhorias.

Apesar disso, nunca deixe de prestar atenção a segurança. Como se trata de uma solução de código aberto, pessoas mal intencionadas podem buscar brechas no sistema para atacar informações sigilosas.

É recomendado contar com recursos extras para garantir a confiabilidade do sistema.

Para que você fique ainda mais familiarizado com a plataforma, confira o nosso vídeo exclusivo de como criar um blog usando o WordPress em 2019:

Joomla

Outra grande opção para sistema de gestão de conteúdo é o Joomla, utilizado por grandes empresas e marcas. Entre elas está a aclamada Universidade de Harvard, dos Estados Unidos.

Assim como o WordPress, é um sistema gratuito e baseado em PHP, que tem inúmeros recursos adicionais. 

Apesar de a comunidade e o suporte não serem tão massivos quanto a opção mais famosa, o Joomla é sim uma alternativa robusta e confiável de CMS.

Drupal

O que dizer de um CMS que é usado pelo governo dos Estados Unidos? Isso mesmo, o governo norte-americano escolheu o Drupal como plataforma de conteúdo.

A plataforma funciona em módulos que interagem entre si, o que permite um alto poder de customização do sistema.

Uma das vantagens do WordPress (ampla comunidade de programadores com o conhecimento no sistema) também se aplica com o Drupal.

TextPattern

Quem pensa em criar páginas simples e busca por alta velocidade de carregamento certamente deve considerar o TextPattern como uma das principais opções.

Ele perde um pouco para as opções mostradas anteriormente no quesito de variedade de templates prontos, mas ainda têm vários recursos extras disponíveis.

Radiant

Por fim, não podemos nos esquecer do Radiant, um sistema de gerenciamento de conteúdo e permissões baseado em Ruby, mais indicado para projetos de menor tamanho.

Ele tem uma linguagem própria, bem próxima ao HTML, e oferece boas opções de plugins.

Por que as empresas devem adotar um sistema de gestão de conteúdos?

O ambiente virtual é bastante disputado, com uma concorrência ferrenha entre as empresas.

Os empreendedores e responsáveis pelas organizações devem sempre buscar novas maneiras para melhorar a experiência dos usuários em seus sites e fornecer novos recursos, mantendo uma boa gestão das ações.

Esses objetivos são mais facilmente conquistados com o uso de um sistema de gestão de conteúdos. Porém, no mercado existem diversas opções.

Mas não pense que a escolha do sistema pela organização pode ser feita de qualquer maneira.

O grande desafio das empresas é alinhar a necessidade com os recursos disponíveis. Não há uma melhor plataforma para uso geral. O que é preciso notar é a necessidade da companhia em atender o seu público e oferecer as soluções certas.

Então, deve-se analisar qual CMS conta com tais atribuições, de forma mais acertada ao seu negócio.

Então, agora que você já sabe o que é o CMS, suas características e aplicações, confira o nosso outro artigo sobre o que é a inteligência de conteúdo e aprenda como orientar seus materiais de forma inteligente, usando dados!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *