Por Laura Bernardes

Analista de Marketing na Rock Content

Publicado em 9 de setembro de 2020. | Atualizado em 14 de outubro de 2020


Data Storytelling ou Storytelling baseado em dados é uma técnica que transforma as informações disponíveis em uma história. A técnica combina formatos de visualização de dados — como gráficos, quadros, mapas animados, entre outros — com elementos narrativos. O objetivo é usar uma quantidade de dados um tanto complexa para contar uma história de forma simples e concisa.

Em uma cultura cada vez mais orientada para a informação, contar uma história por meio de dados adiciona credibilidade a qualquer estratégia de Marketing.

Outro benefício dessa metodologia é o alto grau de atração desses conteúdos. Como veremos mais adiante, essas histórias cativam o público, ajudando a melhorar as conversões e a fidelidade à marca.

Continue lendo e aprenda mais sobre o Data Storytelling! Neste conteúdo vamos abordar:

O que é Data Storytelling?

É uma técnica que usa dados para contar uma história. É uma forma útil de apresentar a informação, o que significa que pode ser utilizada tanto para o público interno como para o externo.

No entanto, é importante diferenciar a narração de dados da visualização de dados. A visualização de dados trata de representar os dados graficamente, não necessariamente contando uma história.

Se você está apresentando um relatório, por exemplo, é possível vender melhor uma ideia usando gráficos, tabelas ou infográficos, já que esses conteúdos prendem a atenção do seu público de uma forma que um texto ou inclusive um vídeo não podem fazer. 

Isso facilita o processamento de todas as informações de uma só vez e a tomada de decisões.

O Data Storytelling vai além de representar os dados de forma atraente. Consiste em mostrar como ou por que os dados mudaram durante um período, e para isso é necessário coletar:

  • uma narrativa;
  • um contexto;
  • personagens.

Esses são os principais fatores para que seu público realmente se envolva com o conteúdo!

Por que contar uma história com dados?

Nunca foram produzidos tantos dados como hoje. O Big Data já é uma realidade e, a cada dia, mais e mais empresas investem em uma cultura baseada em evidências tangíveis e reais.

Com tanta informação disponível, a narrativa baseada em dados é uma forma de organizar e apresentar tudo de forma mais agradável e acessível.

Por ser mais fácil absorver informações dessa forma, o Data Storytelling também faz com que o conteúdo tenha uma vida útil mais longa e gere mais engajamento, seja por meio de compartilhamento online ou gerando marketing boca a boca.

Além de ser visualmente atraente, o Data Storytelling também fortalece sua credibilidade. Infelizmente, todas essas informações que temos também têm sua versão negativa: fake news ou notícias falsas.

Nesse contexto, não demorará muito para que a abordagem baseada em dados também seja solicitada pelo cliente.

A interatividade é outra tendência atual do Marketing Digital e funciona como uma via de mão dupla, pois as empresas também podem coletar informações sobre seus clientes nesse processo.

Muitos elementos de visualização de dados não apenas permitem a participação do consumidor, mas também a encorajam, e existem muitos softwares de visualização de dados que podem ajudar você a encontrar o formato mais adequado para seu público.

Rock Content Magazine 4º ediçãoPowered by Rock Convert

Como criar um Data Storytelling relevante?

Já vimos os princípios básicos relacionados com o storytelling baseado em dados e sua importância para uma estratégia de Marketing, então agora vamos discutir o que precisamos ter em mente ao implementar esse conceito. Continue lendo!

Seja claro e conciso

A ideia de investir no storytelling baseado em dados é facilitar a leitura de grandes e complexas quantidades de dados. Portanto, é essencial usar uma linguagem clara e concisa.

Pense na carga cognitiva de sua buyer persona e escolha imagens que forneçam o máximo de informações com o mínimo de esforço possível. Quanto mais você conhece seu público, maiores são suas chances de acertar nessa escolha.

Ressalte os insights

Como já mencionamos, tornar os dados mais acessíveis é muito útil para expressar um ponto de vista ou vender uma ideia.

É essencial que você identifique quais são as principais informações que seu Data Storytelling está tentando transmitir. Sem isso, as chances de que seja um conteúdo de visualização de dados, e não uma história, é grande.

Esse “momento insight”, em que criamos uma estrutura para a divulgação de informações, geralmente surge da combinação de dois ou mais conjuntos de dados.

Determinar um objetivo para o Data Storytelling pode ser útil: você quer inspirar seu público ou prefere contar uma história engraçada?

Combine palavras com imagens

Contar um Data Storytelling não significa que devemos contar uma história sem palavras. Ao contrário, palavras devem ser usadas para tornar as imagens ainda mais atraentes.

Ao mesmo tempo que desejamos reduzir a carga cognitiva do público, também queremos destacar as informações que precisamos fixar em sua mente, portanto, apresentá-las por meio de texto e imagens tem suas vantagens.

Faça-o compartilhável

Se você deseja que sua história alcance mais pessoas, deve criá-la de uma forma que seja simples de compartilhar. Como fazemos isso? Dois recursos são essenciais aqui:

O primeiro é o apelo visual, é claro. Descubra os gostos do seu público e identifique os formatos e padrões de design mais adequados para eles.

Em segundo lugar, não subestime o contexto. Por que estou contando essa história para essas pessoas por meio desses dados?

Em outras palavras, por que eles deveriam se importar? Não importa o quão bonita ou interativa sua história seja se você estiver abordando algo que o seu consumidor não quer ouvir.

3 exemplos de Data Storytelling

Agora que você sabe quais dados relevantes deve ter um bom Data Storytelling, vamos ver três ótimos exemplos de marcas bem-sucedidas que apresentaram informações por meio de uma combinação de dados e narrativa.

1. Spotify

A campanha anual “Wrapped” pode ser um dos melhores exemplos de Data Storytelling de todos os tempos.

Desde 2016, o Spotify apresenta a seus usuários uma linha do tempo elaborada que mostra os artistas, músicas e, mais recentemente, os podcasts mais ouvidos do ano.

O aplicativo de streaming usa os dados de seus usuários não apenas para falar individualmente com seus clientes, mas também para demonstrar o quão interessante o Big Data pode ser.

Não importa o quão específico seja um padrão de consumo, ele pode ser identificável e divertido. Quem não gostaria de saber quantas vezes se ouviu “Total Eclipse of The Heart” durante uma semana de eclipse?

Esse caso se torna ainda mais interessante quando vemos que, mesmo sendo um produto online, o Spotify conseguiu tirar seu Data Storytelling dessa esfera, levando-a também para a mídia tradicional, como você pode ver na imagem a seguir.

Anúncio Sportify

2. Google Maps

O Google Maps fornece um relatório mensal de viagem aos usuários que ativam o recurso “Histórico de localização” em seus dispositivos móveis. É possível explorar esse recurso interagindo com o Google Maps.

Você pode conhecer os locais e cidades que mais visitou, ver as fotos tiradas em cada local e obter informações sobre os meios de transporte mais utilizados.

Você sabe quanto tempo gastou no transporte público ou no carro no último mês? Talvez você ande mais de bicicleta do que caminha, ou não?

Todas essas informações podem ser rastreadas por meio desta ferramenta. Como você pode ver, o Google Maps possui todas as características principais que um bom Data Storytelling deve ter: contexto, narrativas e personagens (você!).

Consultar timeline no Google Maps

3. Hospital John’s Hopkins

Sim, estamos enfrentando uma pandemia global. Embora pouco se saiba sobre a doença até o momento, pessoas em todo o mundo recebem diariamente muitas informações sobre o assunto.

Mais uma vez, notícias falsas são um perigo, então como podemos ter certeza de que coletamos todas as informações necessárias de uma fonte confiável?

O Hospital universitário de Maryland Johns Hopkins criou um mapa em tempo real mostrando dados relevantes sobre a situação do COVID-19 em todo o mundo.

Dashboard Johns Hopkins

Se você acha que isso não é realmente um Data Storytelling, mas um exemplo de visualização de dados — já que aqui não temos o fator narrativo — você está certo!

No entanto, também é possível consultar uma seção de tendências críticas, na qual podemos monitorar a propagação do vírus ao longo do tempo em uma combinação de vídeos animados, mapas interativos e pequenos parágrafos de texto.

Como você pode ver, o Data Storytelling já é uma tendência e continuará a distinguir marcas relevantes de seus concorrentes.

Além de ser visualmente atraente, é uma abordagem inteligente que transmite credibilidade e pode ser usada de muitas maneiras e para uma variedade de finalidades, desde uma perspectiva divertida de exemplificar o comportamento do consumidor de um aplicativo até uma demonstração oficial do crescimento da pandemia, por exemplo.

Você achou este post interessante? Então, baixe nosso Guia de Conteúdo Interativo para diversificar suas possibilidades ao criar conteúdo com o estilo Data Storytelling.

Tudo sobre conteúdo interativoPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *