Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 16 de outubro de 2020. | Atualizado em 16 de outubro de 2020


Evitar os principais erros em sites de compras é fundamental para aumentar o tráfego na sua página e a taxa de conversão. O melhor é que não é preciso gastar muito para isso.

Se você está aqui, é porque ficou preocupado com os resultados do seu e-commerce ou ainda não criou o seu site para embasar uma loja virtual. Em geral, as pessoas temem falhar no desenvolvimento dessas páginas, eliminando suas chances de competitividade nesse modelo de negócios tão crescente na era digital.

Por isso, sem nenhuma enrolação, resolvemos listaros erros em sites de compras mais comuns para que você aumente as vendas da sua empresa e tenha sucesso nos negócios. Veja, agora, quais são eles:

1. Falta de ajuda especializada

Ter presença na Internet não significa colocar um site no ar e esperar que os clientes encontrem você. Existem muitas táticas que podem ser usadas para garantir que a alta visibilidade e a conversão sejam características do seu e-commerce.

A primeira ação de um proprietário de sites que deseja ter bons resultados é contar com ajuda especializada. É preciso uma hospedagem gerenciada, por exemplo, que ofereça infraestrutura, recursos para otimizações de SEO e suporte profissional.

A equipe do Stage é preparada e entende de todas as boas práticas usadas para aderir à estratégias de Marketing Digital. Os sites com maior volume de visitantes, como os marketplaces, devem ter um acompanhamento adequado para que nenhum requisito de desempenho, segurança, responsividade ou aparência seja negligenciado e interfira nos resultados almejados do projeto.

2. Escolha de um CMS pouco funcional e sem poder de personalização

A escolha da plataforma em que a loja virtual será baseada também é crucial nesse processo inicial de planejamento. O CMS (Content Management System) mais usado do mundo é o WordPress. Sua superioridade está na alta capacidade de personalização.

Como é um software de código aberto, vários desenvolvedores participam de processos de incremento de códigos, correção de bugs e testes. Além disso, existem muitos elementos disponíveis que podem ser adicionados para que o seu site seja único na aparência e eficiente em termos de desempenho.

Plugins, temas e widgets, por exemplo, podem ser adicionados facilmente, sem que o usuário saiba digitar uma linha de código. Considere todas essas facilidades no momento de escolha da plataforma para basear o seu e-commerce.

3. Negligência às estratégias de design web

O design da página é um dos maiores requisitos para uma boa experiência de navegação. Além disso, a primeira impressão do visitante sobre o seu site ditará os próximos passos do lead para se tornar um cliente em potencial: esse é o momento mais crítico em que o visitante decide se deixa a página ou continua em sua jornada de consumo.

Por isso, é imprescindível prover uma boa experiência nessa primeira visualização, para que a percepção do cliente seja positiva desde o início da relação com a marca. Existem boas práticas para possibilitar essa boa impressão e aumentar a conversão de leads, que passam pela escolha das cores, da tipografia e da disposição dos elementos na página:

  • design em F ou a regra dos terços: são exemplos de técnicas que podem ser aplicadas. Elas se referem à manutenção estratégica do conteúdo em áreas de maior visibilidade e propensão de cliques da página;
  • espaço negativo: mantém a legibilidade do conteúdo com o espaçamento adequado entre letras, palavras, parágrafos e outros elementos do conteúdo;
  • cores: refere-se à contraposição adequada entre a cor da fonte e do fundo, por exemplo;
  • tipografia: a fonte ou família tipográfica escolhida para títulos e descrições dos produtos.

4. Falta de informação sobre os produtos

O ambiente digital é diferente do físico, pois não contempla as experiências sensoriais, como o cheiro ou a maciez dos produtos, que ajudam o cliente em sua tomada de decisão. Para minimizar essa falta, é importante disponibilizar um grande volume de informações sobre os itens vendidos, para que as pessoas não tenham nenhuma dúvida quanto à sua escolha.

Por isso, descreva os materiais de composição, o tamanho, o peso e qualquer outra informação que ajude o cliente nesse processo. Use termos descritivos simples, em vez de resenhas altamente técnicas. Também é importante deixar essa descrição em um local visível para que o usuário tão tenha que efetivar muitos cliques ou fique perdido na página.

5. Lentidão no carregamento da página

Outra questão essencial para o desempenho em motores de pesquisa e para a percepção positiva do cliente no momento em que ele acessa o site é a velocidade de carregamento. Em resumo, a demora desse processo de carregamento dos elementos principais, como imagens e botões, é crucial para que o consumidor opte por deixar um site ou não.

Cada milissegundo conta para o acréscimo de tráfego à página. Para otimizar esse desempenho, é importante pesquisar e instalar os melhores plugins, como os de minimização de CSS e JS e os de armazenamento de cache. Geralmente, os plugins de SEO, como o Yoast SEO, contam com esses recursos.

6. Descrições redundantes de produtos

Do ponto de vista de SEO, o problema mais comum de uma loja virtual é a redundância nas descrições dos produtos. Se as descrições principais são apenas republicações fornecidas pelo fabricante, a possibilidade de baixo desempenho nas SERPs e a falta de credibilidade junto aos clientes será grande.

Isso porque os algoritmos do Google entendem que uma descrição duplicada diz respeito a uma página sem autenticidade e, dessa forma, o site é penalizado com baixo desempenho de rankeamento nos resultados de busca. Além disso, o cliente pode ter a impressão de descuidado da empresa com a disponibilização de informação e considerar isso como uma falta de empenho para a venda.

7. Falta de uma área de prova social

Também é comum que a empresa não demonstre esforço para superar as objeções dos clientes. Para que isso não ocorra, o proprietário do site evita as provas sociais, outro requisito que embasa as decisões dos consumidores.

Por mais que você tenha medo de incluir as avaliações dos usuários em seu comércio eletrônico, a falta de prova social demonstra que a empresa não tem capacidade de compreender o consumidor em cada etapa da sua jornada.

Além disso, as provas sociais podem aumentar consideravelmente o volume de vendas, pois não existe uma forma mais eficiente para atestar a qualidade de um produto do que a experiência anterior de outro cliente. O feedback ajuda a mensurar o nível de satisfação das pessoas e, se as avaliações forem negativas, essa pode ser uma oportunidade de identificar o problema e implementar melhorias antes de perder oportunidades de venda e market share.

8. Responsividade ignorada

Juntamente ao aumento do uso de dispositivos móveis como canal de acesso à Internet, cresceu a importância de manter sites com design responsivo, que se adaptam bem a qualquer tamanho de tela. Além disso, é necessário que você se preocupe com a usabilidade da página e a funcionalidade de botões e recursos disponíveis em todos os meios de acesso ao conteúdo.

Ter um site que se adapta bem aos dispositivos móveis não é suficiente. A usabilidade da página deve ser contemplada em todas etapas do processo de compras, desde o momento em que o cliente acessa a área de produtos até o momento do checkout:

  • usar botões clicáveis de um tamanho suficiente para dispositivos móveis;
  • ter categorias acessíveis no menu superior;
  • possibilitar que o usuário classifique os recursos da página por importância, assim como preço ou a pontuação das resenhas dos produtos;
  • dar destaque ao botão “comprar” em qualquer dispositivo;
  • dar ao usuário uma função de pesquisa;
  • separar as seções para facilitar a localização de um tipo específico de produto.

Logo, é preciso fornecer recursos para que o cliente não tenha dificuldade em visualizar os itens, sanar objeções de compra e finalizar o processo de aquisição por meio de dispositivos móveis. A navegabilidade também é um requisito crucial para uma boa classificação do site em motores de pesquisa. Por isso, ela é imprescindível para a visibilidade da página quanto às estratégias de SEO.

9. Destinação a um público generalizado

Você também precisa criar diferenciais para garantir a competitividade no ambiente digital. Alguns itens como eletroeletrônicos, brinquedos e roupas têm boas referências de e-commcerces, ou seja, sites que os clientes usualmente buscam em demandas específicas. Por isso, a sua loja virtual precisa se diferenciar de algum forma e isso começa com a delimitação da estratégia, cujo sucesso depende da determinação do público alvo.

Powered by Rock Convert

A persona é um referencial semi-fictício desse público. Ela retrata o cliente ideal da empresa e para quem todos os esforços de venda e de marketing devem ser direcionados. As questões mais pertinentes relacionadas à delimitação desse público se referem a:

  • interesses pessoais;
  • aspectos relacionados ao modo de vida;
  • valores pelos quais eles lutam;
  • produtos que eles mais desejam ou compram;
  • lugares que eles frequentam;
  • canais usados por eles como ponto de contato com a sua marca.

A maneira mais adequada de criar esse público é combinar a análise de dados precisos com a sua intuição. Quanto mais real for a persona, maior será a conexão que a sua marca criará com ela.

10. Burocracia no checkout

A burocracia no checkout é um dos principais entraves para um processo de compra eficiente. É, também, um dos principais motivos pelos quais os clientes abandonam os carrinhos nos e-commerces.

Por isso, você deve eliminar ao máximo o número de etapas que compõem esse processo e evitar longos formulários de cadastro. Além disso, mantenha os botões de finalização de compra acessíveis na página e grandes o suficiente para serem percebidos sem poluir o layout.

A transparência em todo o processo também é imprescindível. Nunca cobre taxas ou valores adicionais sem que essa informação esteja clara desde o início, no primeiro contato do cliente com o produto. Se o registro dos dados for pertinente para a continuidade da sua estratégia, dê aos clientes a opção de deixar um email ao final do processo de compra.

11. Falta de uma estratégia de marca

Uma estratégia de marca forte abrange logotipos, cores e tipografia adequados com a mensagem que você deseja passar e o seu projeto de branding. Por isso, escolha templates e elementos personalizados, que se adaptam facilmente ao design escolhido.

Em relação a esse requisito, também vale a pena investir na ajuda especializada de um designer. Assim, o profissional pode indicar a você as melhores combinações para tornar a sua marca memorável.

12. Negligência à página “sobre a empresa”

Empresas novas nunca devem negligenciar a seção “sobre a empresa”, pois essa é uma forma de o cliente conhecer a sua história e se identificar com a marca. Essa é a área ideal para divulgar uma proposta de venda consistente, compartilhar os objetivos, missão e valores do negócio, ou seja, falar um pouco mais sobre a organização, mesmo que ela seja exclusivamente digital.

Os consumidores se sentem mais seguros ao negociar com uma marca conhecida, que se esforça para demonstrar que entende e realmente importa com os seus clientes. Isso é fundamental, principalmente, se as próximas etapas da transação exigirão informações críticas, como dados pessoais e financeiros.

Por isso, deixe as informações da sua empresa visível, as formas de contato, como número de telefone e email, assim como a possibilidade de o cliente escrever para sanar dúvidas ou fazer elogios e reclamações. Isso aumenta o nível de confiabilidade do negócio e faz com que o cliente se sinta mais confiante para avançar em sua jornada de compra.

13. Dificuldade ou falta de atendimento adequado ao cliente

O atendimento adequado também é um ponto crucial, que ajuda a manter o cliente satisfeito e confiante com a marca. Além disso, pode ser uma forma de estabelecer uma relação mais próxima com o seu público, principalmente, se o canal de atendimento puder ser estendido para um ponto de contato permanente, como o WhatsApp.

O que os clientes desejam é que seus problemas sejam resolvidos rapidamente, de preferência, com uma única ligação, sem ser repelidos ou ter que acessar várias páginas para isso. O formulário de contato é uma opção, mas não deve ser a única forma de realizar atendimento, porque inibe esse imediatismo do consumidor 4.0.

Se o seu e-commerce é baseado em WordPress, saiba que existem plugins que integram a página ao aplicativo de mensagens, para que o consumidor seja atendido instantaneamente, em qualquer oportunidade de contato.

14. Insegurança

A segurança é o principal requisito em transações que envolvem dados financeiros. Os sites que não transmitem essa confiança são abandonados rapidamente. Afinal, o cliente não quer expor dados pessoais e de cartão de crédito e correr o risco de ter esses informações roubas, sequestradas, ou usadas indevidamente.

Por isso, preze sempre pela segurança da sua loja virtual. Busque opções de hospedagem com recursos como certificados SSL e TSL, que adicionam uma camada de proteção por meio de criptografia no tráfego de dados entre o usuário e o servidor. Além disso, jamais armazene as informações de seus clientes em repositórios sem rígidos critérios de acesso.

Outra dica importante: tenha uma política de privacidade e de uso de cookies em concordância com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) para evitar qualquer responsabilização quanto ao compliance e a legislação do país.

15. Oferta de poucas opções de pagamento

Outro ponto crítico para o sucesso de lojas virtuais, e um dos principais erros em sites de compras, é não ter várias opções de parcelamento e pagamento. É preciso fornecer muitas alternativas, pois os clientes, ainda que tenham um perfil semelhante, administram suas finanças de forma distinta.

Integre seu site com uma plataforma de pagamentos confiável ou forneça essas opções por meio de plugins como o WooCommerce.

16. Logística ineficiente

A logística ineficiente é mais um erro em sites de compras que compromete os resultados de venda. Os clientes querem saber que valor precisam pagar de frete antes de finalizar a compra. Além disso, a empresa deve trabalhar com prazos de entrega realistas, pois a partir do momento que o consumidor finaliza o processo, ele cria uma expectativa pela chegada do produto em sua casa.

Para isso, também existem plugins e widgets, que executam os cálculos de frete instantaneamente depois de o cliente informar o CEP da sua residência. Pense em estratégias para fornecer frete grátis acima de determinado volume de compras — isso também pode incrementar os resultados da sua empresa.

As boas práticas de vendas, marketing e SEO sempre devem ser aplicadas em lojas virtuais para aumentar a visibilidade da sua página, garantir um grande volume de conversões, evitar a objeção dos clientes e o mais temido abandono do carrinho. Entretanto, qualquer erro pode resultar em penalidade pelos motores de pesquisa e, por isso, é importante que você possa contar com ajuda especializada.

O Stage tem uma equipe de profissionais pronta para repensar todos esses requisitos com você e adequar o seu site a esse novo contexto da Transformação Digital.

Aproveite que agora você sabe quais erros em sites de compras não pode cometer, que tal escolher o template para loja virtual que gere mais resultados para o seu negócio?

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *