O que é a hospedagem SSD?

As tecnologias SSD, quando aplicadas à hospedagem de sites, relacionam-se à capacidade de armazenamento de dados e à velocidade no processamento das informações, bem como a maior credibilidade e desempenho da página.

O que é a hospedagem SSD?

    Você sabe o que é a tecnologia SSD? O consumidor 4.0 anseia por experiências personalizadas e por agilidade no atendimento de suas demandas. Para tal, passou a ser mais digital: aumentou sua confiabilidade no consumo online por meio de sites e nos meios de acesso a bens e serviços baseados em tecnologia.

    A presença online é cada vez mais importante para atender a esse novo modelo de consumo, mas a capacidade de apresentar conteúdo relevante e alta disponibilidadepara as informações ainda é limitada às ferramentas e às parcerias utilizadas nesse processo.

    O modelo de hospedagem SSD favorece essa estratégia digital, uma vez que mantém a estabilidade do site e a velocidade para o acesso das informações.

    Neste artigo, vamos apresentar algumas informações pertinentes a essa tecnologia, para que você possa escolher a opção mais vantajosa segundo a sua demanda:

     

    Diferenças entre as tecnologias SSD e HDD

    As tecnologias SSD e HDD se relacionam ao armazenamento de informações, mas a forma de processamento, a capacidade de gravação e a leitura de dados acontecem de forma diferente. Essas especificidades são determinantes na hora de escolher o melhor modelo.

    O HDD — Hard Disk Drive, também chamado de HD ou disco rígido — é uma memória não volátil, ou seja, os dados armazenados são mantidos mesmo quando cessado o fornecimento de energia ao sistema. Por isso, é um componente usado em notebooks, desktops e servidores.

    Conforme o nome hard disk indica, sua parte física, conhecida como platter, é composta por discos rígidos de cerâmica, alumínio ou vidro e coberta por uma fina película magnética.

    No centro do disco fica um eixo, para que o componente gire em alta velocidade, e o braço mecânico na extremidade tem uma cabeça formada por ímãs a nanômetros de distância da película magnética, que realiza a leitura e a gravação dos dados.

    Já o SSD — Solid-State Drive ou Solid State Disk, em português Disco de Estado Sólido —, é formado por circuitos integrados e não discos. Como não tem componentes móveis, é extremamente silencioso e mais rápido do que o HD.

    Nos SSDs, os dados são armazenados em memória flash (também não volátil). Por ser mais compacto, é o modelo escolhido para compor smartphones e tablets.

    Existem algumas unidades SSD que salvam dados em memória RAM ou no semicondutor. Caracterizada por memória volátil, essa nunca deve ser a opção de arquitetura para demandas em que é preciso manter as informações mesmo com os sistemas desligados.

    A célula da memória flash é composta pelo controlador (control gate), que comunica com o computador e onde a carga elétrica é aplicada. Essa tensão chega à outra parte, o floating gate, que armazena os dados e permanece inalterado enquanto uma nova carga não é ativada, o que faz com que os dados possam ser lidos da mesma forma várias vezes.

     

    Vantagens e desvantagens de cada tecnologia

    Descreveremos essas vantagens e desvantagens tanto para uso em ativos de TI, como dispositivos móveis e computadores quanto para infraestruturas de processamento e armazenamento de dados, como servidores e data centers.

    O SSD é uma evolução em relação ao disco rígido. A eliminação das partes mecânicas do componente reduziu as vibrações e fez com que os SSDs se tornassem silenciosos, menores e mais leves.

    Além disso, a gravação e a leitura dos dados acontecem mais rapidamente; o risco de a tecnologia sofrer danos físicos por agitação ou por queda, por exemplo, é menor — não ter o braço de leitura como o HDD permite que ele não seja danificado com facilidade, e o consumo de energia é mais eficiente.

    Mas a maior vantagem da tecnologia SSD em relação ao HDD é a velocidade. Como no SSD os dados são adicionados digitalmente, em qualquer ponto, não requer a fragmentação e a leitura da informação pode acontecer de qualquer lugar da memória. Esse desempenho pode chegar a ser até dez vezes maior que em um HDD sem comprometer o consumo de energia.

    Em contrapartida, os SDDs ainda têm um custo maior no mercado e apresentam capacidade de armazenamento menor do que a do disco rígido, pois a maioria usa tecnologia MLC (Multi-Level Cell), que registra dois bits por célula.

    Existem alguns modelos com capacidade de armazenamento maior, como o TLC (Triple-Level Cell), que registra três bits por célula, mas ainda assim o HD nesse quesito se torna superior.

    Um problema da memória flash que compõe o SSD (NAND Flash) é que sua utilidade é limitada pelo número de gravações (a cada nova tensão elétrica, o floating gate reduz sua capacidade) e isso não ocorre com o HDD.

    Apesar disso, com nivelamento de desgaste e o recurso TRIM, um SSD pode durar mais do que o próprio sistema em que foi instalado. Segundo Sheila Valente, analista de recursos tecnológicos da Kingston, em entrevista para a Terra.

    “Um usuário que grava 40 GB por dia, o que já é um número bem elevado e bastante fora do padrão se consideramos um uso cotidiano, demoraria quase 135 anos para chegar ao limite teórico de regravações. É praticamente impossível para usuários esgotarem esse limite em uso regular de unidades SSD.”

     

    Motivos para fazer um site hospedado em SSD

    Agora você vai entender os motivos pelos quais o SSD é mais vantajoso como tecnologia para servidores e data centers, especialmente para a hospedagem de sites. Descreveremos algumas vantagens relacionadas a essa aplicação a seguir.

    Confiabilidade

    Como o SSD é mais resistente em função da ausência de partes físicas pequenas e mecânicas, na ocorrência de qualquer tipo de impacto, a perda dos dados é improvável. Além disso, as chances de falha são menores. Por isso, os arquivos mais requisitados devem ser sempre salvos no modelo SSD, que são mais seguros.

    A recuperação de arquivos também acontece normalmente, exceto quando as informações são sobrepostas ou quando a formatação não é realizada de forma segura.

    Performance

    Como falamos, a maior vantagem da tecnologia SSD é a velocidade, e essa diferença que caracteriza a agilidade no tempo de acesso aos dados em sites pode ser um grande diferencial para páginas que realizam um grande número de solicitações ao servidor e/ou banco de dados.

    O tempo de resposta, se comparado ao de uma hospedagem HDD, pode ser até vinte vezes maior. Isso porque a performance do disco rígido está condicionada à velocidade de giro dos discos. Em desktops, por exemplo, isso ocorre entre 5.400 e 7.200 rotações por minuto (RPM).

    Em servidores, as rotações por minuto chegam a 15 mil, o que faz com que os dados sejam acessados a 20 milissegundos após a solicitação do usuário. Já em SSD, esse valor reduz para 0,2 milissegundos.

    O modelo SSD também pode ser executado com maior performance em ambientes mais quentes (até cerca de 70°C).

    Desempenho

    Esse desempenho está relacionado ao banco de dados, mesmo com a demanda por processamento simultâneo de várias informações, na hospedagem SSD não ocorrem lentidões comuns aos modelos HDDs.

    Isso também torna o banco de dados mais organizado, o que contribui para o desempenho de todo o restante do sistema.

    Durabilidade

    A vida útil de um HDD é grande, mas pode ser menor que a de um SSD devido ao seu mecanismo físico, que suporta um número limitado de rotações e pode apresentar falhas após essa quantidade ser atingida. Como o SSD utiliza memória flash, evita a ocorrência de falhas que podem causar a perda permanente de dados importantes.

    Uptime

    Uptime é o tempo em que o site fica “no ar”, ou seja, a disponibilidade das informações para acesso do usuário. O modelo SSD otimiza essa característica, uma vez que apresenta maior taxa de leitura de dados. Isso é um grande diferencial para sites com muito tráfego.

    Já o HDD pode não suportar uma alta demanda de solicitações e resultar na queda da aplicação, o que compromete consideravelmente a credibilidade da marca, especialmente no caso de e-commerces.

    Economia

    Por ser mais leve, o SSD tem um consumo reduzido de energia, que pode ser muito alto em servidores. Além disso, desgasta minimamente, o que reduz a necessidade de substituição dos componentes e, como consequência, o custo do serviço de hospedagem. Outro ponto que podemos destacar é o menor consumo de energia.

    Melhor experiência

    Quando tratamos de experiência, falamos primeiramente de velocidade de acesso. Isso interfere na credibilidade da empresa perante os seus usuários, mas também na sua estratégia de SEO (Search Engine Optimization), que, por sua vez, influencia os resultados de mecanismos de busca e visibilidade de marca.

    Se seu site demora a carregar as informações, o usuário pode desistir do acesso à página. Esse comportamento interfere no rankeamento da página nos motores de busca.

     

    Indicação da hospedagem em SSD

    Qualquer site que demanda um alto volume de solicitações ao servidor deve optar pelo modelo SSD. Alguns exemplos são:

    Com a Transformação Digital, em que os usuários demandam um alto de volume de informações e agilidade no acesso, ter um site com melhor desempenho é sempre um grande diferencial.

    Por isso a tecnologia SSD é importante: não só para manter a disponibilidade da sua página, mas também para conquistar a confiança de seus usuários e a credibilidade da sua marca.

    Para seguir os estudos sobre o assunto, confira também nosso artigo que analisa a importância da boa hospedagem para seus resultados na web!

    [rock_performance]

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Posts Relacionados

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!