5 vezes que marcas usaram NFTs para branding, experiências únicas e para gerar resultados

marcas usando nfts

Os NFTs (os famosos Tokens Não Fungíveis) são uma realidade que não pode mais ser ignorada — e parece que marcas pioneiras estão se aproximando deles cada vez mais.

Embora algumas pessoas ainda estejam se familiarizando com o conceito (se você não entende completamente o que é um NFT, não se sinta um alienígena: pesquisas mostram que somente 12% dos americanos sabem o que o termo significa), o fato é que essas tecnologias estão em ascensão meteórica (em 2021, os NFTs cresceram 11.000%). E algumas marcas estão adotando estratégias muito criativas com isso — e gerando resultados igualmente meteóricos para si mesmas.

Coachella, Super Bowl, Adidas, Dolce & Gabanna e MAC são apenas alguns dos muitos exemplos de marcas e empresas que utilizaram os NFTs de forma estratégica para alcançar maiores resultados em suas campanhas e proporcionar uma experiência diferenciada e única aos seus clientes.

Neste artigo, exploraremos mais esses exemplos e mostraremos como as marcas estão usando NFTs, quais resultados estão obtendo e quais insights você pode absorver para sua marca — usando ou não essa nova tecnologia.

Só para lembrar… o que são NFTs mesmo?

NFTs (Non-Fungible Tokens), ou Tokens Não Fungíveis em português, são códigos únicos, distintos e insubstituíveis registrados pelo sistema blockchain, a mesma tecnologia utilizada em criptomoedas como Bitcoin e Ethereum.

Se você quiser explorar mais sobre o assunto, eu recomendo que você leia este artigo. Agora, vamos explorar como o NFT tem sido usado pelas marcas como parte de sua estratégia!

Coachella Music & Arts Festival e NFT Blooming Flower

Se você é uma daquelas pessoas que, assim como eu, gosta de um bom festival de música, provavelmente já percebeu que o grande hype deste mês de abril foi o Coachella Valley Music and Arts Festival. Este é um festival popularmente conhecido pela sua duração, realizado em dois fins de semana completos, e pela grande variedade de artistas de todo o mundo.

Este ano, além das grandes atrações e artistas convidados, uma atração específica chamou a atenção do público participante: os NFTs. O festival ofereceu a todos os participantes pagantes uma imagem digital NFT de uma flor que desabrochou nas duas sextas-feiras do festival.

O Coachella 2022 também trouxe outras tecnologias, como metaverso e pagamento sem dinheiro, para misturar experiências presenciais com marketing virtual, e se tornou um bom exemplo da importância do marketing de engajamento na era pós-pandemia.

NFTs como ingressos para eventos

Como você viu no exemplo anterior, os NFTs oferecem vantagens para o mercado de entretenimento hoje, como shows, cinema e esportes, pois são códigos únicos, distintos e insubstituíveis.

Um dos ganhos que as marcas podem ter é a geração de um item colecionável para os fãs, como um ingresso. De caixas de fósforos a carros de luxo, o mercado de colecionáveis ​​movimenta bilhões de dólares anualmente e desperta a curiosidade de pessoas ao redor do mundo. Algumas empresas perceberam a atração de seus consumidores pelos colecionáveis ​​de suas marcas e decidiram unir a paixão dos colecionadores de itens físicos ao mundo dos NFTs.

Para proporcionar a experiência de coleta de ingressos aos seus consumidores, algumas marcas já decidiram lançar seus ingressos em versão totalmente digital. É o caso da franquia NFL, que decidiu transformar ingressos de seu maior evento anual, o Super Bowl, em NFTs colecionáveis.

Fonte: NFL

O clube de futebol brasileiro Vasco da Gama recentemente fez parceria com a Block4 (empresa brasileira especializada na criação de NFT colecionáveis ​​) para emitir ingressos NFT para os torcedores do time.

No universo do entretenimento, a rede de cinemas AMC distribuiu 86 mil NFTs para quem comprou ingressos para o filme “Homem-Aranha: Sem Volta para Casa”. No caso do festival Coachella, foram lançados NFTs que garantem acesso vitalício ao evento. Isso só foi possível graças à tecnologia blockchain.

Usando as tecnologias NFT e blockchain para emissão de bilhetes, marcas e consumidores se beneficiam da segurança contra a falsificação dos itens vendidos. Com o blockchain, um código único é gerado no ingresso e esse código é facilmente verificado pelos organizadores do evento, podendo até ser criado como um código intransferível e bloqueado para revenda. Isso comprova a autenticidade do ingresso e verifica se ele está sendo vendido por um organizador legítimo, evitando a falsificação do ingresso e fornecendo rastreabilidade do ingresso para controle de fraudes.

NFTs como mercadoria digital

As empresas da indústria da moda estão em alta no hype da NFT. Em março passado, a plataforma virtual Descentraland realizou seu primeiro desfile, criando uma Semana de Moda totalmente virtual e imersiva. Marcas como Dolce & Gabanna, Tommy Hilfiger, Forever 21 e Paco Rabanne desfilaram na semana de moda e a plataforma gerou engajamento de fãs e abriu novos precedentes para desfiles e aproximação com o público. Além da experiência de participar de um desfile de moda, o evento também vendeu NFTs de roupas e acessórios das marcas presentes nos desfiles.

NFTs como exclusividade

Algumas empresas têm utilizado os NFTs como forma de proporcionar experiências únicas aos seus clientes. É o caso da vinícola californiana Robert Mondavi, que decidiu lançar o primeiro rótulo de vinho vendido pela NFT no mundo. Existem apenas 1996 garrafas colecionáveis ​​e rastreáveis ​​pela tecnologia blockchain.

Cada NFT de vinho é vendido por USD$ 3.500 e tem uma chave para desbloquear um resgate de garrafa. Isso seria uma receita potencial de USD$ 6,9 milhões de dólares. Nada mal, não é mesmo?

Fonte: Bloomberg

NFTs para angariação de fundos

Algumas marcas também são conhecidas por sua atuação em responsabilidade social. Os NFTs abriram novas oportunidades para eles mudarem a forma como arrecadam dinheiro para esses movimentos sociais que apoiam. A MAC Cosmetics, por exemplo, venderá NFTs colecionáveis ​​para arrecadar fundos para apoiar organizações na luta contra o HIV/AIDS.

NFTs abrem novas oportunidades não apenas para marcas, mas também para organizações sem fins lucrativos. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) iniciou a venda de uma coleção de 1.000 NFTs para arrecadar fundos para a promoção do acesso à internet para estudantes em escolas de todo o mundo. A Hope for Haiti em parceria com a FXG anunciou o lançamento de NFTs para arrecadar dinheiro para as vítimas de um terremoto no Haiti.

Quais são os resultados que as marcas estão tendo com os NFTs?

Hype ou não, os NFTs movimentam altos valores no mercado desde 2021, quando foram transacionados USD$ 25 bilhões, quebrando o recorde desde sua criação.

Marcas atentas pularam no hype da NFT e estão lucrando com isso. A Adidas, por exemplo, movimentou cerca de 43 milhões de dólares em NFTs em parceria com Bored Ape Yatch Club, Punks Comics e GMoney.

Além dos ganhos financeiros, as marcas vêm conquistando resultados de branding com seus clientes, entregando experiências exclusivas aos clientes, criando um senso de comunidade e aproximando com mais facilidade um público mais jovem sintonizado com as novas tecnologias.

A quebra de barreiras entre o universo físico e o digital proporcionou uma série de penetrações em mercados antes inimagináveis ​​para as marcas, como o mercado de games e entretenimento, e até visibilidade em ações de impacto social.

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!