Marketplaces para produtores de conteúdo: as melhores plataformas para oferecer os seus serviços

Produtores de conteúdo precisam se aprofundar em assuntos de nichos específicos, acompanhar as tendências de marketing digital, se atualizar e ainda assim, um dos grandes obstáculos na área é a garantia de trabalho constante. Os marketplaces vão de vitrines até plataformas completas que conectam o cliente ao freelancer de conteúdo. Saiba quais são as melhores para trabalhar.

Você já se perguntou o que separa produtores de conteúdo de sucesso daqueles que conseguem apenas uma renda extra por mês? Certamente a qualidade das entregas, comprometimento e dedicação ao trabalho contribuem para estes resultados.

Entretanto, sem o marketplace adequado, não é possível conseguir a visibilidade necessária para garantir a demanda ideal de serviços.

Se você já trabalha com marketing de conteúdo ou quer começar agora nessa área, é fundamental conhecer as melhores opções do mercado para conquistar suas metas de trabalho como freelancer.

Entenda o que faz um produtor de conteúdo, qual o caminho de sucesso nessa área e, claro, confira os principais marketplaces para garantir o sucesso do seu trabalho.


    Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

    Não se preocupe, não fazemos spam.

    O que fazem os produtores de conteúdo

    Podemos dizer que o produtor de conteúdo é um criador de conteúdo digital, ou aquele profissional que está envolvido nas diversas etapas da produção de estratégias de marketing de conteúdo.

    Para o trabalho como freelancer, ou freela, é comum encontrar alguns trabalhos padrão, mesmo que tenham nomenclaturas diferentes conforme o marketplace ou cliente que você atender.

    Os principais produtores de conteúdo trabalham como:

    • estrategista — define o que precisa ser desenvolvido, quando e como será a publicação e divulgação do material para alcançar os resultados esperados pelo cliente;
    • SEO — responsável em encontrar a palavra-chave que será trabalhada em cada conteúdo, conferindo e indicando também estratégias de link building. Em alguns casos, na própria elaboração da pauta também já é definido o título do conteúdo;
    • redator — profissional que escreve os textos ou roteiros que serão inseridos nos conteúdos. O redator também é responsável em aplicar as estratégias de SEO on page para otimizar os resultados do seu trabalho em mecanismos de busca como o Google;
    • revisor — por mais que seja uma das responsabilidades dos produtores de conteúdo revisar seus trabalhos antes da entrega, é comum que um ou outro erro passe despercebido. O papel do revisor é conferir o material, tanto nos quesitos gramaticais quanto em outros aspectos, como linkagem e tamanho do texto. A ideia é garantir a entrega de um trabalho alinhado com as expectativas do cliente e com a estratégia de marketing da marca;
    • designer — responsável por melhorar a experiência visual dos conteúdos, o designer pode ter funções desde a escolha da imagem que será usada em um blog post até a diagramação de um e-book ou infográfico;
    • filmmaker — cada vez mais solicitado, o filmmaker é o responsável por várias etapas de conteúdos em vídeo, que vão desde o briefing, roteirização, filmagem e edição para a entrega do vídeo completo. Obviamente, todo o processo também pode ser distribuído entre uma equipe de profissionais, assim como acontece com os conteúdos escritos.

    4 dicas para se tornar um produtor de conteúdo

    Sem uma formação específica, a área de produção de conteúdo tem ganhado cada vez mais profissionais devido à crescente demanda do mercado. Por este motivo, é importante conferir algumas dicas para se destacar em um setor com ampla concorrência.

    1. Busque especialização em produção de conteúdo

    O primeiro ponto é saber o que você está fazendo. Atualmente existem vários cursos e especializações focados nos produtores de conteúdo. Para garantir informações de qualidade e uma certificação que será reconhecida, busque instituições que sejam referência na área.

    A Rock University, por exemplo, oferece várias formações com certificação gratuita, como a Produção de Conteúdo para Web. Dessa forma, você atualiza seus conhecimentos e ainda se destaca para os clientes.

    2. Defina um processo de criação

    Assim como um processo de produção de conteúdo otimiza a performance das estratégias de conteúdo como um todo, o processo de criação é a forma que o profissional encontra para manter a produtividade com eficiência. Por mais que este seja um trabalho criativo, grande parte dos processos de criação estão ligados à rotina e ao ambiente.

    É importante definir uma rotina de trabalho e criar um ambiente que você usa para desenvolver seus projetos. Por mais tentador que possa ser as imagens de trabalhar na praia ou de pijama o dia inteiro, a longo prazo nenhuma das duas opções se validam como eficazes.

    Outros fatores também podem impactar no processo de criação, como a prática de atividades físicas com frequência e uma alimentação regular. O uso de estratégias de recompensas pelo trabalho também é importante, uma vez que a automotivação precisa se manter constante.

    3. Conheça seu público-alvo

    Outro ponto fundamental para o sucesso de um produtor de conteúdo é saber para quem ele trabalha. Em geral, é preciso lidar com 2 a 3 públicos. O primeiro é o cliente, outro público pode ser a plataforma de serviços. Ambos serão responsáveis pela contratação ou não do que você oferece.

    Entretanto, para garantir a excelência das suas entregas você precisa saber quem é a persona impactada pelo conteúdo produzido. Somente a partir dessa informação é que você poderá adaptar sua linguagem, estética e até mesmo humor para alcançar as pessoas certas.

    4. Comece trabalhando com um nicho de mercado

    Pode parecer tentador querer falar sobre muitos assuntos ao mesmo tempo, mas a verdade é que, para oferecer trabalhos de qualidade, você precisa ter informações atualizadas sobre o assunto que decidiu produzir. Então, o ideal é começar trabalhando com um nicho apenas.

    Produtores de conteúdo normalmente se especializam em 2 a 3 grandes nichos. Por exemplo: falar de marketing pode englobar marketing digital, marketing de conteúdo, inbound marketing, SEO, dentre tantas outras subáreas.

    Caso você sinta confiança para focar em vários segmentos de mercado, está tudo bem. Só é preciso ter atenção para manter a excelência do seu trabalho.

    6 principais tipos de conteúdo

    Existem muitos formatos de conteúdo que podem ajudar uma empresa a alcançar seus objetivos de marketing. Por este motivo, é esperado que você encontre clientes contratando profissionais para os mais diferentes serviços. Entretanto, alguns materiais têm maior procura.

    1. Postagens em redes sociais

    O social media é o profissional responsável pela gestão das redes sociais. O trabalho pode ser simplesmente da criação de postagens para uma determinada rede — como WhatsApp, Facebook ou LinkedIn —, porém, esse tipo de conteúdo é muito dinâmico e demanda outros processos.

    Por isso, é possível também oferecer o planejamento do conteúdo como uma estratégia, realizar funções como o agendamento dos posts e trabalhar o monitoramento da marca na mídia social. Pessoas que trabalham com esse tipo de conteúdo devem se manter sempre atualizadas, acompanhando as possíveis novas mídias em ascensão. 

    2. Artigos

    Conteúdo é rei e os artigos de blog ainda são o carro-chefe para estratégias de inbound marketing. O motivo é simples, essa é uma fonte de tráfego orgânico de qualidade. Você destaca as páginas da empresa, ajudando a conquistar uma boa posição nos resultados de busca do Google e ainda entrega valor para o público.

    Artigos aumentam a autoridade da marca e reforçam o domínio sobre os assuntos abordados. Desenvolvedores de pauta, redatores e revisores podem atuar nesse formato de conteúdo em equipe ou um único profissional pode desenvolver as várias etapas deste processo.

    3. E-books

    Materiais valiosos como e-books são outra grande demanda para os produtores de conteúdo. Isso porque a estratégia conta com a captura de leads com o uso de uma landing page. O e-book se destaca por ajudar nas etapas de conversão que acontecem no funil de vendas. Principalmente transformando visitantes em leads para a empresa.

    Outro ponto importante é que esse tipo de material, por ser maior, pode apresentar informações de forma aprofundada e até mesmo técnica.

    Para o produtor de conteúdo, isso pode significar em uma valorização no pagamento do serviço, transformando este tipo de material em uma excelente oportunidade. 

    4. Infográficos

    Assim como os e-books, os infográficos também são materiais valiosos. Entretanto, ao contrário do primeiro, o infográfico é um conteúdo leve, tende a ser mais informal e deve ser de rápido entendimento.

    Outra semelhança entre ambos conteúdos é o papel do designer no processo, que precisa diagramar as peças para que elas realmente ganhem o formato desejado.

    5. Vídeos

    Um grande diferencial do conteúdo em vídeo é que ele tende ser mais valorizado que os demais. Em contrapartida, este é um formato com ticket alto, que tende a demorar mais para fechar os serviços e costuma precisar de muito mais tempo para a realização das demandas solicitadas.

    Por ser um dos tipos de conteúdo mais consumidos nos dias de hoje, os vídeos se destacam por criar emoção mais facilmente e também por garantir maior interação como comentários e compartilhamentos do material.

    6. Imagens

    O aspecto visual é uma constante na produção de conteúdo. Banners, cabeçalhos de páginas e imagens para conteúdos são alguns exemplos nos quais essa produção ou curadoria é importante.

    Além disso, também é necessário aprender a trabalhar com imagens para a diagramação de outros materiais como landing pages, e-books, infográficos e apresentações.

    Este é um trabalho relativamente fácil, que nem sempre requer o conhecimento técnico de um designer. Entretanto, será bastante útil entender qual é o perfil de imagens que o cliente deseja usar em suas campanhas para facilitar a entrega de soluções relevantes.

    5 plataformas de marketplaces para produtores de conteúdo

    Com o crescimento na demanda de serviços de marketing digital, surgiram também muitos marketplaces para produtores de conteúdo. Por um lado, isso é extremamente positivo, pois tende a valorizar o profissional e aumentar as opções do mercado.

    Entretanto, monitorar a participação em várias plataformas, adaptando seu estilo aos detalhes de cada uma delas, pode ser um grande problema.

    Confira então os principais marketplaces no mercado para que você encontre aquele que tem maior afinidade com sua linha de trabalho.

    1. Writer Access

    A Rock Content é pioneira na oferta de marketplaces para produtores de conteúdo no Brasil! Isso significa não apenas dedicação e liderança, como também inovação. O Writer Access é o mais novo marketplace da empresa para melhorar a experiência de seus clientes e otimizar o trabalho dos produtores de conteúdo.

    Writer Access é uma plataforma norte-americana que foi adquirida pela Rock em 2022 com o objetivo de oferecer alguns diferenciais muito importantes como:

    • flexibilidade na precificação — a negociação do valor cobrado e tamanho do conteúdo poderão ser negociados diretamente entre o cliente e o produtor de conteúdo;
    • rankeamento — o produtor de conteúdo que oferece entregas de melhor qualidade (e automaticamente é melhor avaliado) se destaca, podendo aceitar jobs que são mais bem pagos;
    • lista VIP — os produtores de conteúdo poderão ser favoritados na nova plataforma da Rock Content, fazendo parte de um time especial escolhido pelo próprio cliente.

    O trabalho do produtor de conteúdo no Writer Access é valorizado, oferecendo um esquema de reconhecimento que valoriza aqueles que se destacam na plataforma.

    2. Workana

    A Workana é uma plataforma que oferece jobs para freelancers dos mais variados nichos, incluindo os produtores de conteúdo.

    Por ser um marketplace há bastante tempo no mercado, a empresa tem uma grande variedade de ofertas. Ao mesmo tempo, isso tende a desvalorizar o preço do trabalho do produtor de conteúdo.

    3. 99Freelas

    O 99Freelas é semelhante ao Workana, conectando freelancers e clientes para os mais diferentes trabalhos.

    O modelo mais comum de contratação nesse marketplace é o anúncio de projetos, seguido de uma seleção que o cliente faz a partir daqueles que se candidataram.

    4. Fiverr

    Assim como o Writer Access, a Fiverr é um marketplace estrangeiro que possui uma grande vantagem para o produtor de conteúdo que é o pagamento em dólar.

    Um fator que pode se mostrar como desafio é o fato do cadastro na plataforma ser em inglês. Para produtores de conteúdo que dominam o idioma, essa pode ser uma excelente oportunidade.

    5. GetNinjas

    O GetNinjas pode ser uma excelente oportunidade para iniciar o portfólio. A empresa é um abrangente marketplace para freelancers e os produtores de conteúdo podem aproveitar a grande demanda de jobs para iniciar o trabalho. Assim como os demais marketplaces, a negociação com o cliente fica por conta do produtor de serviços.

    Viu como um produtor de conteúdo pode se programar para aproveitar as melhores oportunidades que os marketplaces oferecem? É muito importante ter atenção à qualidade das entregas e ao relacionamento com os clientes, pois a avaliação do seu trabalho tende a ser o principal mecanismo de rankeamento nessas plataformas.

    Quer melhorar seus resultados? Leia nosso artigo sobre produção de conteúdo e descubra todos os segredos dessa atividade!

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!