Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 7 de janeiro de 2020. | Atualizado em 16 de dezembro de 2020


Com tanta concorrência no mercado, é imprescindível utilizar diferentes métodos para chamar a atenção do seu público. Ao construir um mídia kit certeiro, sua empresa tem mais possibilidades de atrair novos clientes. Continue lendo e aprenda o passo a passo para montar um mídia kit bem-sucedido!

Para se destacar no mercado, é fundamental apresentar diferenciais ao seu público-alvo. Nesse sentido, o mídia kit é um grande aliado das empresas que trabalham com publicidade e propaganda, uma vez que se trata de um documento que mostra todo o potencial do seu negócio.

Esse recurso é indispensável para atrair e converter novos clientes. Quer usufruir dos seus benefícios? Confira, neste post, tudo o que você precisa saber para criar um mídia kit de sucesso!

A seguir, vamos abordar os seguintes tópicos:

O que é um mídia kit?

O mídia kit é uma apresentação comercial que deve conter informações como dados sobre a empresa, informações do público-alvo que o veículo consegue atingir, tipos de informações que costuma veicular, formatos e tempos de anúncios que são permitidos, entre outras.

A ferramenta também pode incluir o preço de cada formato, estatísticas de consumo e valores por grade de horário, por exemplo.

Quais são as vantagens de ter um mídia kit pronto?

Cada vez mais, o mídia kit é considerado uma estratégia poderosa no ambiente da publicidade. Assim sendo, ter esse documento pronto para apresentar quando seu público procurar por seus serviços é extremamente vantajoso.

Em primeiro lugar, o mídia kit permite mostrar, de forma simples, visual e criativa, tudo o que sua empresa pode oferecer aos parceiros. Também ajuda a padronizar a comunicação com possíveis clientes. Além disso, com essa ferramenta, você pode divulgar sua proposta de valor.

Devido à diversidade de formatos que podem ser usados para criar o mídia kit, há espaço para ser criativo e demonstrar toda a sua essência e personalidade ao seu público.

Como montar um mídia kit?

Apesar de o mídia kit não ter um formato específico, é importante ressaltar que existem algumas diretrizes a serem seguidas na construção desse material. Na sequência, acompanhe o passo a passo para montar o seu.

1. Faça um levantamento das informações do seu negócio

Em primeiro lugar, é imprescindível que você tenha todas as informações sobre o seu negócio em mãos. Para tanto, é necessário fazer uma pesquisa minuciosa sobre a sua marca, a performance do site e do blog e os dados de atuação no mercado.

Entre as informações a serem consideradas estão:

  • cobertura: a localidade que você consegue atingir com as suas atividades;
  • formato: os formatos de anúncios e materiais que você pode produzir, bem como valores;
  • estatísticas e dados de alcance: informações que comprovem o alcance das suas mídias;
  • hábitos do público: as características comportamentais e de consumo do seu público;
  • disponibilidade de pontos: os pontos disponíveis para veicular os anúncios do cliente.

2. Apresente a história e um informativo da empresa

Disponibilize todas as informações relevantes sobre a sua empresa, como há quanto tempo ela atua no ramo, em quais negócios está presente, entre outras.

É recomendado incluir dados que mostrem a seriedade e a qualidade do seu trabalho, como eventuais prêmios conquistados. Todas as informações que foram coletadas no passo anterior podem ser incluídos nessa etapa.

Baixar Modelo de Briefing

3. Aponte as empresas que já anunciam com você

Para imprimir credibilidade, nada melhor do que apontar outras empresas que já confiam no seu trabalho. Esse processo é chamado de prova social. Se possível, é indicado coletar o depoimento de alguns clientes contando os resultados que obtiverem ao anunciar nos seus veículos.

4. Fale sobre o seu mercado

Muitas vezes, você vai se deparar com empreendedores resistentes quanto a investir na divulgação dos produtos ou serviços deles. Pensando nisso, recomenda-se falar sobre o seu mercado, deixando claro como ele funciona e quais são os resultados que pode gerar para o cliente.

Nesse ponto, também é preciso dizer qual é o seu nicho. Afinal, as empresas precisam saber se o seu público coincide com o delas. Do contrário, podem não ficar convencidas de que estão fazendo um bom negócio.

5. Mostre quem é seu público

Quanto mais dados você disponibilizar sobre o seu público, mais chances terá de convencer o cliente a adquirir os seus serviços. Então, faça uma descrição do público, incluindo dados como procedência dos visitantes nas suas páginas, gênero, média de idade, localização, interesses, nível econômico e produtos e serviços que chamam sua atenção.

Caso tenha uma persona definida, esse é um bom momento para incluí-la, pois isso facilita o entendimento do cliente.

6. Exponha os seus diferenciais

O que faz você ser diferente dos concorrentes? Essa é a sua hora de brilhar, logo, não hesite em expor todas as conquistas, capacidades e ferramentas que a sua empresa tem.

Busque oferecer aos parceiros uma proposta de valor única. Lembre-se de que, assim como a sua agência de comunicação, existem outras opções no mercado que também estão lutando para atrair marcas e anunciantes. Por isso, não perca a oportunidade de oferecer algo que seja irrecusável.

7. Cuide do visual do mídia kit

O visual do documento é tão importante quanto as informações contidas nele. Use as cores da sua marca, templates e imagens ilustrativas em harmonia. Afinal, um mídia kit confuso, com elementos destoantes, vai prejudicar a sua imagem como empresa de mídia.

Com a ajuda de um designer, desenvolva templates apropriados para o seu tipo de negócio, que transmitam a sua identidade visual e facilitem a distribuição das informações.

8. Organize o documento corretamente

Antes de finalizar o documento, verifique se as informações estão organizadas corretamente. Certifique-se de que os assuntos estejam agrupados por categorias, de maneira coesa e de fácil compreensão para quem vai acessá-lo.

9. Faça a distribuição do mídia kit

Após muito trabalho, é necessário divulgar o mídia kit pronto. Comece disponibilizando-o em formato PDF no site da empresa, de preferência, em destaque no menu principal. O documento também pode ser enviado por email para o público do seu interesse. Outra possibilidade é imprimir e encadernar as informações e distribuí-las nas visitas de vendas.

Quais erros devem ser evitados em um mídia kit?

Tão importante quanto saber fazer um mídia kit é prestar atenção nas armadilhas a se evitar ao elaborar o material. Existe uma série de erros comuns que impedem o destaque de uma empresa justamente porque não permitem entregar aquele argumento a mais para os potenciais clientes.

Veja os 7 erros mais comuns e entenda como você pode corrigi-los para criar um mídia kit matador.

1. Não pensar nele como parte do seu trabalho

Talvez esta seja uma das falhas mais comuns quando uma empresa prepara seu mídia kit: o material não é um compilado de informações, é parte do seu conteúdo e do seu trabalho.

O que mais espanta é ver esse erro sendo cometido por profissionais e agências inseridos no ambiente de publicidade, que sabem o valor de forma e função para conquistar as pessoas.

O mídia kit deve transparecer valores, capacidades, objetivos e a cultura do negócio, como dissemos no tópico anterior sobre a necessidade de imprimir sua identidade visual. Mas é preciso ir além para se destacar.

O conteúdo é um reflexo da sua marca e de como ela se conecta com o público que o potencial cliente quer atingir. É comum que um mídia kit seja descartado sem uma análise mais profunda sobre o que ele contém, justamente porque, de cara, a apresentação já não se conecta com as expectativas dessas empresas.

2. Entregar um mídia kit desorganizado

Também não adianta trabalhar o visual e a linguagem do seu material com tanto cuidado se o próprio conteúdo não está bem organizado.

O mídia kit que converte é aquele que cria uma verdadeira experiência de navegação. Por isso, facilite a vida de seus possíveis clientes. Crie uma indexação para os tópicos, separe as categorias de serviço e dados relevantes, e deixe claro a relação entre as duas coisas.

É interessante também investir no multimídia, com a integração entre um kit digital e um físico quando possível e necessário. O mercado é tão competitivo que basta uma dificuldade na hora de encontrar uma informação ou analisar um trabalho para que essas pessoas pulem para a próxima proposta.

3. Não priorizar os dados mais relevantes

Este é um erro que poderia muito bem estar no item anterior, mas é um ponto tão importante que merece seu próprio tópico. Não é interessante criar um mídia kit muito engessado e arbitrário, que não leve o cliente em conta na hora de sua organização.

Uma ideia interessante é partir de um conteúdo principal, que demonstre com clareza todo o seu potencial, seu valor e suas propostas. Mas, a partir daí, pense em variações possíveis dependendo do tipo de parceria que você almeja conseguir.

O que é mais relevante para cada segmento? Busca por engajamento? Parcerias com influenciadores digitais? Número de visualizações em peças publicitárias? Potencial de fidelização? Quando você mira em parcerias específicas, é interessante dar prioridade aos números que importam mais para essas empresas.

4. Insistir com conteúdos irrelevantes

Agora, um erro que é comum não só no mídia kit, mas também no currículo, na proposta de orçamento, no site da empresa e até na prova de redação da quinta série. É inchar um conteúdo com muita informação irrelevante, achando que a quantidade vai impressionar mais do que a qualidade.

O mercado sempre prefere objetividade. Profissionais responsáveis por buscar parcerias já estão cansados de analisar mídia kits com muitos dados e pouco conteúdo.

Portanto, não tenha medo de apresentar um material sucinto. Se ele contém todas as informações importantes sobre seu valor e seu serviço, será suficiente para chamar a atenção.

E, ainda mais importante, não tente usar esse volume de dados para confundir e influenciar decisões. Primeiro porque esse tipo de tática é muito fácil de ser percebida na forma como o mídia kit se apresenta. Além disso, se você não puder entregar o que foi apresentado, pode criar uma mancha para a sua marca.

5. Exagerar na quantidade de dados

Uma extensão do tópico anterior, mesmo os dados relevantes não precisam ser todos jogados de qualquer jeito no mídia kit. Basta imaginar que profissionais com o papel de buscar parcerias precisam analisar dezenas de materiais para selecionar os prospectos mais interessantes.

Pois é, como todo ser humano, não terão paciência para analisar tantos números assim. É você que tem que fazer esse trabalho.

Para não cair nesse erro, uma dica é pesquisar sobre arquitetura da informação. São técnicas para apresentar dados de maneira simples e intuitiva, e que são interpretadas em uma passada de olhos.

Um exemplo disso são os infográficos. Usar elementos visuais para demonstrar informações facilita a compreensão, cria uma experiência agradável de descoberta e deixa seu kit mais enxuto, direto ao ponto. Investir em UX design para agências pode ser o primeiro passo nesse sentido.

6. Não dar atenção ao layout do mídia kit

Nas dicas para montar o mídia kit perfeito, já conversamos sobre a necessidade de buscar um designer e investir no layout do material. Agora, vamos reforçar falando sobre o outro lado: o que acontece com quem não toma esse cuidado? E fique sabendo que muitas empresas caem no mesmo erro.

O maior prejuízo para a captação de novos clientes está naquela frase antiga e que até hoje é correta: a primeira impressão é a que fica. Seu kit precisa chamar a atenção em um segundo, mas não estamos falando da estética em si. Um layout atraente mostra de imediato a proposta de uma empresa por meio de sua identidade visual.

Com as escolhas certas de cores, fontes e formatos, você dá dicas sobre o público-alvo relacionado, diferenciais do seu trabalho e atrativos para uma parceria. Parece muito, mas é verdade. Uma marca bem trabalhada se destaca só de se colocar os olhos nela.

7. Não citar seus serviços

Para terminar, um deslize bobo mas que acontece com muita frequência em vários materiais como o mídia kit. Às vezes, nos preocupamos tanto com a apresentação do nosso trabalho que esquecemos de informações sobre o que realmente vai fechar o negócio.

Sim, é a parte de negociação propriamente dita: informações sobre quais serviços você presta, preços, condições de contrato, propostas de valor para parcerias, retorno esperado e parâmetros para a aferição do desempenho.

E, é óbvio, não dá para esquecer das informações de contato, o máximo delas possível. Esteja disponível para conversar por email, telefone, redes sociais e até por chamadas de vídeo. Com todos esses cuidados, você não perde clientes.

Se for bem planejado, construído e distribuído, o mídia kit pode abrir muitas portas e alavancar as atividades do seu negócio. Portanto, concentre seus esforços para produzir um documento diferenciado e que represente todo o seu potencial.

Que tal encontrar meios de tornar seu mídia kit ainda mais recheado e que impressione mais clientes? Então confira nosso kit essencial para aumentar a sua produtividade!

Baixe o Kit de Produtividade!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *