Tráfego fake no Google: sites estão recebendo acessos de spam de República Tcheca e Seychelles. O que fazer?

Você lembra de quando era criança e achava que tinha recebido um presente incrível mas, na verdade, era um par de meias?

Bem, o equivalente a isso na vida de um profissional de SEO é abrir o Google Analytics, ver um aumento no tráfego orgânico e, na verdade, descobrir que era tudo mentira.

Foi exatamente o que aconteceu com o blog da Rock Content.

Praticamente da noite para o dia, começamos a receber uma enorme quantidade de tráfego de dois lugares que nunca apareceram em nossos rankings: República Tcheca e Seychelles.

Após investigar, percebemos que isso estava acontecendo com vários outros sites na internet. E então concluímos: o trádego era, na verdade, falso.

Uma história triste cheia de expectativas quebradas e metas não cumpridas, certo? Mas uma história que trouxe lições valiosas para toda a equipe – e que quero compartilhar com vocês agora.

Neste post, saiba como foi nossa investigação e o que fazer quando seu site recebe tráfego falso.

Como a República Tcheca e as Seychelles entraram em nossas vidas?

Tudo começou no dia 4 de agosto, quando o tráfego em nosso blog nos EUA (que permaneceu constante durante todo o mês de junho) cresceu 37% de um dia para o outro.

No dia 8 de agosto, já estávamos recebendo quase o dobro de tráfego em relação a um dia de junho.

A primeira coisa que fiz foi identificar a origem desse tráfego na seção Relatório de Aquisição do Google Analytics. Talvez tenha sido um pico no tráfego pago vindo de alguma campanha. Talvez tenhamos viralizado nas redes sociais, quem sabe? 

Mas não, na verdade foi um aumento no tráfego orgânico. Isso já me pareceu estranho, porque o tráfego do blog da Rock Contento nunca se comportou dessa maneira.

Então fiz algo que sempre faço: coloquei “País” como uma dimensão secundária no Analytics. E esse foi o resultado:

Os Estados Unidos saíram do primeiro lugar como o país que mais acessa nosso blog, perdendo sua coroa para dois países que nunca haviam aparecido em nosso ranking.

O mais estranho foi Seychelles, um arquipélago na África com uma população de menos de 95.000 pessoas que, há dez anos, tinha menos de 2.000 cidadões com acesso à internet, segundo a Wikipedia. Se você gosta de desenhos animados, fica perto de Madagascar

Isso nos intrigou: como um pequeno arquipélago que tem turismo e pesca como suas principais atividades econômicas se interessou tanto pelo Marketing Digital de repente? 

A investigação continua…

Uma vez que eu sabia de onde vinha o tráfego, eu precisava entender o porquê.

Primeiro, identifiquei como o tráfego na República Tcheca e Seychelles se comportou de junho a agosto. Foi um crescimento mais ou menos natural, ou algo mais parecido com uma explosão de sessões?

Basta olhar as porcentagens para entender que a segunda opção venceu:

Este comportamento também foi contra tudo o que vinhamos observado no blog em seu histórico.

Meu próximo passo foi identificar as páginas que estavam recebendo mais tráfego desses países (com a ajuda da seção comportamento do Google Analytics).

O ranking foi bastante variado, mas algumas páginas estavam recebendo mais atenção nas duas regiões, como nossos posts sobre:

E foi aí que as coisas ficaram ainda mais estranhas. 

Apesar de ganhar muito tráfego, as páginas mais visitadas na República Tcheca e Seychelles tiveram uma taxa de rejeição incrivelmente alta. Além disso, a duração média das sessões praticamente não existia.

Tudo isso apontava para a presença de bots em nosso site. 

O que eu precisava saber agora era se esse ataque estava acontecendo apenas com a Rock Content ou com outros sites também.

No fim, é problema geral. Mas o que o está causando?

Em uma simples pesquisa online encontrei outras pessoas relatando o mesmo problema.

Fonte: Reddit

Alguns profissionais compartilharam possíveis causas em sites e fóruns, mas o motivo exato do aumento no tráfego orgânico é desconhecido.

Uma hipótese é que os sites afetados sejam vítimas de um ataque DDos. Basicamente, é um tipo de ataque que consiste em inundar um servidor com tráfego para impedir que os usuários o acessem.

Por quê? De acordo com Kinsta, existem alguns motivos, como:

  • Seus concorrentes podem derrubar seu site para roubar tráfego enquanto você estiver offline.
  • Talvez a natureza do conteúdo do seu site seja controversa o suficiente para que as pessoas queiram bloquear o acesso a ele.
  • Ou talvez uma empresa derrube seu site para mostrar que o serviço de internet que eles oferecem é melhor do que o que você tem.

Embora esta hipótese seja válida, sites de diferentes segmentos foram afetados da mesma forma. Portanto, não parece ter sido um ataque DDos coordenado com uma intenção específica. 

Isso nos deixa com a segunda hipótese: é um problema do próprio Google Analytics, que por algum motivo não consegue filtrar os bots.

Como chegamos a essa conclusão? 

A NameHero fez um experimento interessante para ver como o tráfego deles estava se comportando no Google Analytics 4 (GA4) e descobriu que seus números estavam bem próximos da realidade – em outras palavras, a plataforma não identificou tráfego vindo da República Tcheca e Seychelles.

Portanto, verifique seus dados no GA4. Talvez isso esteja acontecendo com você também. 

República Checa e Seychelles: o que fazer com todo o tráfego falso?

A solução mais comentada online é bloquear o tráfego falso usando Cloudflare.

Há relatos de pessoas usando este serviço e vendo o tráfego da República Tcheca e Seychelles sendo interrompido (confira um exemplo no Mighty Gadget)

Mas também há chances de que este tráfego falso simplesmente termine naturalmente. Foi o que aconteceu conosco no dia 16 de agosto:

Qualquer que fosse o problema, pode ser que o Google já o tenha corrigido. 

E felizmente, depois de analisar nossos dados no SEMrush, parece seguro dizer que os bots não prejudicaram nossas estratégias de SEO.

O que podemos aprender com isto 

O que aconteceu foi bem bizarro e não trouxe respostas definitivas, mas deixou ainda mais clara a importância de sempre analisar os dados em profundidade. 

Quando ocorrem picos de tráfego, é melhor desconfiar e conter a empolgação. 

Pode ser que você realmente esteja colhendo os frutos da sua estratégia de conteúdo, claro, mas também pode ser algo completamente fora de seu controle influenciando seus números.

Então investigue primeiro, comemore depois. Esta é a vida de um profissional de SEO.

Deseja continuar atualizado com as melhores práticas de SEO? Eu sugiro fortemente que você assine a The Beat, a newsletter interativa da Rock Content. Lá, você encontrará todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!