Conheça 7 tendências de marketing digital para 2022

Aqui estão 7 principais tendências que vão dar forma às estratégias de marketing digital em 2022.

Conheça 7 tendências de marketing digital para 2022

As mudanças desafiam profissionais de agência e plataformas de marketing digital a criarem experiências verdadeiramente envolventes para os usuários.

A evolução das formas de marketing digital está acelerando, por exemplo, com a inteligência artificial (IA) ficando mais sofisticada e os consumidores passando mais tempo nas redes sociais, interagindo entre si e com as marcas.

Estar à frente das mudanças do marketing digital não significa apenas aplicar princípios básicos, mas também acompanhar o que está mudando.

Em 2021, o mundo ensaiou uma recuperação da pandemia do COVID-19, enquanto vários setores se viram diante de mudanças severas no comportamento dos consumidores e novas tecnologias que incentivam, principalmente, os profissionais de marketing.

Em 2022, espera-se que as indústrias continuem se adaptando à retomada de uma certa normalidade e busquem compensar as perdas dos últimos 2 anos.

Aqui, veremos 7 tendências de marketing digital que podem se destacar nesse período. Confira!

1. Entender a identidade da persona como interseccional

A pandemia evidenciou e intensificou estruturas de desigualdade que já eram uma realidade para parte da população desde muito tempo, o que aumentou a pressão sobre como as empresas participam efetivamente de ações de diversidade, equidade e inclusão.

Pensar na particularidade de um público e na maneira como as suas identidades estão refletidas no mercado passou a ser uma prioridade para muitas empresas. Isso passa por entender que a identidade é interseccional.

O impacto da discriminação e da desigualdade social tem efeitos diferentes entre as pessoas, porque cada uma delas possui particularidades que a tornam sujeitas, por exemplo, ao racismo, ao machismo ou à homofobia. É sobre essa ótica que as empresas são desafiadas a pensar sobre a diversidade das suas personas.

A interseccionalidade tem a ver com a sobreposição de formas de opressão que atravessam a identidade das pessoas. Esse conceito mostra que nos relacionamos de maneiras diferentes com um sistema de opressão e podemos nos conectar com as marcas na medida em que vemos essas nuances refletidas nas suas estratégias.

2. Garantir a privacidade do usuário é fundamental

As pessoas estão falando mais sobre privacidade de dados no mundo digital. No Brasil, esse é um tema quente principalmente desde que a LGPD (Lei de Proteção de Dados) entrou em vigor em 18 de setembro de 2020.

A lei estabelece normas para os processos de coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais dos usuários, inclusive com penalidades para quem não cumprir as diretrizes.

Para continuar usando os dados a fim de segmentar estratégias e melhorar a experiência dos usuários, as empresas em 2021 tiveram que colocar como prioridade a necessidade de repensar métodos para moldar suas ações e conquistar a confiança dos usuários.

Em 2022, a tendência é que essas práticas se fortaleçam não apenas com o objetivo de manter as estratégias de marketing atualizadas com as normas da LGPD, mas também a fim de usar a garantia de privacidade como uma vantagem competitiva.

Isso envolve princípios na comunicação com clientes e potenciais clientes que colocam a privacidade como um direito inalienável, como a transparência, a autonomia e a livre escolha.

3. Ficar atento com as lacunas no monitoramento

Quando falamos sobre estratégias de marketing digital, automaticamente nos vem à mente a possibilidade de metrificar ações, isto é, mensurar os resultados com exatidão a partir de ferramentas específicas.

Diversas fontes de interação com os usuários estão sujeitas a metrificações exatas e em tempo real, como as redes sociais, sites e outros canais, o que é ótimo para acompanhar o andamento de ações e prever resultados.

No entanto, os diferentes canais de comunicação podem gerar um turbilhão de dados que, objetivos definidos na análise, podem gerar lacunas no monitoramento.

Para 2022, o que vale para as estratégias de marketing digital é uma tática que sempre foi crucial para obter insights, que é o cruzamento de dados. A análise de fontes de forma independente pode fazer com que dados importantes aparecem isolados e sem utilidade.

Cruzar informações demográficas com os hábitos de compra dos clientes pode mostrar, por exemplo, quais grupos estão mais propensos a comprar determinado produto, quanto eles costumam gastar nas compras, qual é o tempo da jornada de compra de cada um, entre outras informações relevantes.

4. Buscar relevância é tão importante quanto buscar alcance

Mais do que um simples conjunto de palavras, um conteúdo relevante se destaca dos demais por comunicar bem os seus valores e ser realmente útil para os usuários que o recebem.

Um conteúdo relevante tem um posicionamento claro, não fica em cima do muro, assume o ponto de vista que defende, mas nem por isso deixa de trazer dados verídicos e baseados em fontes confiáveis.

E claro, conteúdos relevantes também trazem informações aplicáveis. Após ler, ouvir ou assistir ao conteúdo, o usuário consegue transformar o que aprendeu em algo prático, que realmente seja capaz de gerar uma mudança.

Mas, para buscar relevância na entrega do conteúdo, é preciso criar estratégias de marketing baseadas nas necessidades da sua persona e usar essas informações para personalizar a experiência de compra.

Os usuários buscam mais do que nunca conteúdos e interações que conversem diretamente com as suas necessidades e desejos.

É preciso ir além dos dados mais básicos solicitados por eles, como nome e e-mail, e monitorar o comportamento dos usuários em sites e aplicativos para dar a eles o que mais desejam e fazem com que eles avancem no funil de vendas.

5. Produzir conteúdo comprável

Nas suas campanhas de marketing digital para 2022, considere as oportunidades para tornar seu conteúdo mais comprável, isto é, conteúdos a partir dos quais as pessoas podem fazer compras diretas. Essa é uma tendência que se fortalece com a possibilidade de fazer compras sem sair das redes sociais.

Conteúdos compráveis levam os usuários a uma página de um produto para realizar uma compra, sem precisar fazer uma pesquisa por conta própria em outra plataforma. Isso diminui o número de cliques que o usuário precisa para ver o produto e finalizar uma compra.

Um dos melhores exemplos de conteúdo comprável acontece no Instagram Shopping, que permite a compra de produtos diretamente das postagens feitas nas redes.

Além de uma jornada do cliente mais curta, os conteúdos compráveis oferecem uma experiência de compra descomplicada e simples, o que permite às marcas alcançar um número maior de pessoas.

6. Criar storytelling digital

As marcas já perceberam que a arte de contar histórias é uma ótima maneira de engajar as pessoas e convencê-las, no final de uma jornada, de que a decisão mais lógica é comprar um produto ou aderir a um serviço.

É nisso que se baseia o storytelling, uma técnica usada em diversos meios, inclusive no marketing digital. A partir dela, você consegue tornar as outras estratégias da nossa lista de tendências mais eficientes, como a relevância e os conteúdos compráveis.

Uma dica para não errar no storytelling é apostar na jornada clássica para criação de histórias, baseada em padrões reconhecíveis em filmes, séries, romances, contos etc. São elementos básicos como conflito, ambiente, missão, clímax e mensagem.

Esses são alguns padrões reconhecíveis em estratégias que usam o storytelling em vários formatos de conteúdo no mundo digital.

7. Não apostar todas as fichas no mesmo formato

Quem nunca fez uma pesquisa no Google esperando ler um conteúdo escrito, mas acabou encontrando o que deseja em um vídeo no YouTube, ou vice-versa? Esse é um apenas um exemplo de que é importante diversificar a produção de conteúdo online.

Ainda que os conteúdos do seu blog sejam bem escritos e relevantes para o público, dificilmente eles vão se sustentar sozinho. Os usuários querem mais dinamismo, consumindo infográficos, vídeos, podcasts e outros formatos de conteúdo sobre determinado assunto.

Por isso, considere apostar em formatos inovadores e criativos de conteúdo se você tem informações específicas e detalhadas para compartilhar com uma audiência em 2022.

Os resultados são vantajosos tanto para a marca, que pode aumentar o alcance dos seus produtos e serviços, quanto para o público, que terá mais opções que atendam suas necessidades.

Além da produção de conteúdo, diversificar é um valor que pode ser útil para definir mais de uma persona, criar mais de um perfil nas redes, criar campanhas para diferentes segmentos do público, etc.

Chegamos ao final e esperamos que você tenha gostado de conhecer 8 tendências de marketing digital para 2022. Como vimos, é importante ter atenção às notícias e ficar sempre por dentro das novidades, que são muitas, para conseguir se comunicar bem e colocar seus serviços atualizados.

Gostou do conteúdo? Quer ampliar sua atuação no marketing digital? Desfrute das melhores oportunidades de trabalho na plataforma Rock Content: cadastre-se aqui no banco de talentos!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail
Raphael Alves
Briefing

Luciana Ribeiro Rodrigues

Raphael Alves
Copyeditor

Thiago Murça

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.