Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 5 de novembro de 2020. | Atualizado em 5 de novembro de 2020


Alguns sites abrem muito devagar e você não quer que esse desempenho ruim afete sua estratégia de SEO e a experiência dos visitantes na sua página? Muitas vezes, é possível resolver esse problema com ações rotineiras, como trocar a sua hospedagem, otimizar imagens e alterar o limite de memória do WP.

Alguns sites abrem muito devagar e essa lentidão acontece em razão de elementos de fácil resolução. Mas antes de explicarmos como aumentar a velocidade das suas páginas, você precisa entender como esse desempenho afeta o posicionamento do site que você criou nas SERPs.

O Google prioriza a experiência do usuário quando faz sugestões em seus resultados de busca. O principal objetivo da ferramenta de pesquisa é prover informações confiáveis, relevantes e em tempo hábil para suprir a demanda do usuário.

Entretanto, quando os algoritmos percebem que o site tem uma taxa de abertura lenta, automaticamente, penalizam a URL com um posicionamento ruim nos resultados de busca. Além de ser um fator crítico de sucesso em estratégias de SEO, a velocidade também está ligada à indexação das páginas. Quanto menos o buscador puder rastrear, menos ele poderá incorporar páginas nesse processo.

A lentidão do site também pode gerar uma alta taxa de abandono dos visitantes e isso também reduz o tráfego para o domínio. Segundo o Google, 40% dos usuários abandonam sites que levam mais que três segundos para carregar. Então, agora que você sabe por que alguns sites abrem muito devagar, veja os principais motivos e como resolver essa situação:

Confira, em detalhes.

Alguns sites abrem muito devagar porque têm hospedagem compartilhada

Se você escolheu uma hospedagem compartilhada para economizar no investimento do site, saiba que isso pode estar diretamente relacionado ao desempenho do carregamento das páginas. Por isso, o primeiro passo para resolver o problema é contar com uma empresa de hospedagem gerenciada confiável, que tenha uma estratégia consistente de otimização de SEO, como o Stage.

O provedor de serviços de hospedagem é responsável por grande parte desse desempenho, porque em um host compartilhado, todos os recursos do servidor também são divididos entre os clientes. Por isso, escolha um provedor de hospedagem que ofereça serviços de otimização de desempenho incluídos no preço do pacote.

As imagens não são otimizadas

Imagens de alta resolução compõem as boas práticas de design web. Apesar disso, a impressão de qualidade que você tenta transparecer no conteúdo visual do seu site jamais deve contrapor a velocidade de carregamento, ou cada vez menos visitantes esperarão até o final para conferir o que você quer mostrar.

Um grande volume de imagens não otimizadas consome uma largura de banda muito grande durante o carregamento, por isso, você precisa otimizá-las antes de incorporá-las ao seu conteúdo. Outro fator importante a ser considerado é o formato da imagem.

Por exemplo, imagens em JPEG são menores, se comparamos com outros formatos, como PNG ou GIF. Então, sempre priorize esse formato em detrimento dos demais. Escolha o formato PNG apenas quando for incluir gráficos no conteúdo. Veja outras dicas importantes quanto à otimização de imagens:

  • imagens acima de 1 MB estão fora do padrão;
  • utilize sprites de CSS para criar ícones e botões;
  • opte por softwares especializados, como o Photoshop, para compactar as imagens.

Os códigos contêm espaços ou elementos desnecessários

Outro culpado pela lentidão do site é o código usado para criar as stylesheets. Ele não deve conter espaços em branco, estilos embutidos e comentários desnecessários, pois isso aumenta o tamanho da folha de estilo.

Por isso, remova todos esses elementos desnecessários por meio da compactação do código. Esse processo é conhecido como minimização, que inclui a redução do CSS, JavaScript e HTML no código em cada um desses elementos de composição do site.

Se você não entende de codificação, não se desespere! Existem plugins que executam esse trabalho, como o Yoast SEO ou qualquer outro plugin de SEO disponível no repositório do WordPress.

Powered by Rock Convert

Além de eliminar comentários e partes desnecessárias, essas ferramentas criam sitemaps em XML, realizam a compressão de arquivos, entre outros elementos que incrementam a velocidade da página. Tudo isso, provavelmente, melhorará o desempenho do site quanto à estratégia de SEO.

O conteúdo dinâmico foi adicionado excessivamente

A grande popularidade e facilidade de operar os plugins de jQuery contribuíram para que os administradores de site soubessem como adicionar conteúdo dinâmico às páginas e abusassem dessa possibilidade. Independentemente da importância de manter recursos que ajudam a despertar a atenção dos visitantes, incrementam a usabilidade e promovem a interação do usuário, isso também interfere no desempenho do site.

O JavaScript onera o carregamento, pois demanda tempo até ser devidamente interpretado e executado pelo servidor. Portanto, tenha cautela ao adicionar conteúdo dinâmico.

O redirecionamento e as requisições em HTTP exigem muito do servidor

Cada redirecionamento de página, ou seja, páginas que o visitante precisa acessar para chegar até o seu objetivo no site, demanda uma resposta do servidor. Se a infraestrutura precisa resolver várias solicitações, em algum momento, ele ficará sobrecarregado, principalmente, se o número de visitantes simultâneos do site for grande.

Além disso, ter muitos arquivos JavaScript, CSS ou conteúdos visuais pode demandar muitas solicitações HTTP. Por esses motivos, não sobrecarregue suas páginas com elementos visuais ou dinâmicos e tente manter conteúdos semelhantes em uma mesma página.

O site tem muitos anúncios

Certamente, você quer monetizar o seu site, mas saiba que a quantidade excessiva de anúncios também pode fazer com que alguns sites abram muito devagar. Se as páginas demoram para carregar, em algum momento, você não ganhará mais nada com os usuários, porque pouco visitantes não vão gerar tráfego suficiente para isso. Então, não sacrifique os seus esforços de SEO pela possibilidade de monetização.

Os anúncios de rich media, como pop unders, ou de downloads automáticos, criam muitas solicitações HTTP. Como já abordamos, isso exige muito do servidor que pode ficar sobrecarregado e demorar para dar as devidas respostas.

O site não tem um plugin de armazenamento de cache

Se o seu site está em WordPress e você ainda não cogitou a adição de um plugin de cache para otimizar o desempenho de carregamento das suas páginas, faça isso agora mesmo. As extensões mais usadas para essa finalidade são o WP Super Cache, o W3 Total Cache e o WP Rocket.

Os plugins de cache, assim como o nome sugere, armazenam em cache o CSS, JS, stylesheets, imagens e todos os demais elementos que mais atrapalham o tempo de carregamento do site. Dessa forma, em uma próxima visita à página, a solicitação do servidor é reduzida, uma vez que os elementos mais pesados já ficam armazenados.

O limite disponível de memória foi atingido

O limite de memória é predefinido para não sobrecarregar a capacidade do WP nos casos em que o site tem poucos elementos e funcionalidades. Entretanto, quando o limite é atingido, o desempenho de carregamento das páginas também pode ficar comprometido.

Para resolver o problema, basta acessar o FTP, abrir o diretório raiz e, no arquivo wp-config.php, digitar na seção pertinente o código:

define ('WP_MEMORY_LIMIT', '256M');

Viu como é fácil resolver o problema? Alguns sites abrem muito devagar porque o administrador não tem conhecimento sobre essas boas práticas de otimização de desempenho. Agora que você já sabe tudo isso, que tal tomar a primeira atitude e trocar a sua hospedagem compartilhada para uma gerenciada?

Conheça agora o Stage, fale com um especialista e veja como podemos ajudar você em seu projeto!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *