Desenvolvimentos recentes em assistentes de escrita baseados em IA: eles podem beneficiar redatores humanos?

assistentes de escrita ia beneficiam redatores

Nas últimas semanas, o lançamento de uma nova ferramenta de escrita baseada em IA provocou um alvoroço na web com a comunidade de produtores de conteúdo. Estamos falando do Lex, o mais recente aplicativo de escrita baseado em IA, que surpreendeu os usuários.

Só que toda essa comoção reacendeu algumas controvérsias em torno desse tipo de ferramenta. Assim, fica a pergunta: o que podemos esperar do futuro do conteúdo gerado por Inteligência Artificial?

O que é um assistente de escrita baseado em IA?

Ao contrário dos softwares de criação de conteúdo mais antigos, os assistentes de escrita baseados em IA podem desenvolver habilidades avançadas por meio da Inteligência Artificial, propondo tópicos ou até textos completos a partir de inputs fornecidos pelo usuário. Esses recursos existem desde o início de 2010 e vêm se desenvolvendo cada vez mais por meio do aprendizado de máquina (Machine Learning), reconhecimento de rede neural, análise cognitiva e processamento de linguagem natural.

O Lex, a solução mais recente do mercado, foi desenvolvida e lançada pela Every em 16 de outubro de 2022. Conforme demonstrado por seu criador, Nathan Baschez, o Lex oferece usabilidade amigável com um layout muito semelhante ao Google Docs, mas com recursos que impressionam até mesmo os mais experientes.

Dois dias após o lançamento, Justin Jackson, responsável por dois blogs voltados para desenvolvedores e produtores de conteúdo, postou um vídeo testando o Lex em sua conta no Twitter; suas reações foram emocionantes! O vídeo mostra como Justin ficou impressionado com a qualidade dos textos oferecidos a partir de seus poucos inputs.

O especialista mostra um exemplo simulando a produção de um artigo para seu blog, fornecendo sua ideia inicial de “como gerenciar a retirada de uma equipe remota” e uma breve contextualização sobre sua reunião com o time remoto.

Com um simples comando (como digitar “+++”) a magia acontece: a ferramenta mostra um parágrafo bem estruturado e rico em detalhes, além de deixar uma sugestão de tópicos iniciais para que o usuário possa continuar desenvolvendo a ideia. Incrível, não é?

Aproveito para destacar um detalhe importante: a Every lançou esse produto com o seguinte slogan: “Lex: Desbloqueie sua melhor escrita”. Lembre-se dessa informação, pois a retomaremos em breve.

Agora, vamos abordar o lado negativo desse lançamento, que são as polêmicas geradas em torno de soluções criadas a partir da Inteligência Artificial.

Os assistentes de escrita baseados em IA vão substituir os redatores humanos?

A preocupação com a possibilidade de as máquinas substituírem os humanos data da Revolução Industrial. Vimos máquinas substituindo humanos em infinitas atividades operacionais, assim como hoje temos robôs aspirando casas ou mesmo enfrentando (e até vencendo) mestres de xadrez.

Por outro lado, essas mudanças geraram novas demandas que dependem da mente humana, e tanto as máquinas quanto os robôs continuam precisando de uma ajudinha dos humanos, seja para dar os primeiros comandos ou para refinar os resultados.

No caso da escrita baseada em IA, o robô fornece insights de acordo as ideias elaboradas por você. Assim, você vai dar o “toque final”, com uma perspectiva humana, que é o que permite despertar as emoções desejadas nos leitores. Isso porque, apesar de a IA conseguir interpretar e reproduzir muitos comportamentos humanos, dificilmente terá a capacidade de compreender nossas emoções. Concorda?

Qual é a opinião do Google sobre os assistentes de escrita baseados em IA?

Da mesma forma que a Inteligência Artificial acelera os recursos de escrita, ela trabalha para ajudar o algoritmo a reconhecer a autenticidade e originalidade do conteúdo.

Sobre esse ponto, a edição do English Google SEO office-hours de algumas semanas atrás, em outubro de 2022, respondeu à seguinte pergunta sobre traduções automáticas.

“Um site usa traduções automáticas. O conteúdo é revisado por tradutores humanos e eles ficam geralmente satisfeitos com a qualidade após pequenos ajustes. Isso é bom para o Google?”.

Observamos que a preocupação do Google não é sobre você usar recursos que agilizem seu processo de produção, e sim com a qualidade das informações disponibilizadas por meio da produção de conteúdo.

Da mesma forma que os assistentes de escrita, as ferramentas de tradução baseados em IA geram conteúdo a partir de comandos do usuário com uma qualidade aprovada pelos profissionais de tradução. E mesmo que essas ferramentas tenham toda essa inteligência, a validação humana ainda é necessária para garantir o melhor significado para um determinado contexto.

Se você testar agora no Google Tradutor inserindo um parágrafo de conteúdo complexo, vai perceber que precisará fazer vários ajustes para fornecer o tom adequado para a mensagem desejada. É por isso que a localização é tão importante hoje em dia.

Este conteúdo que você está lendo, por exemplo, foi escrito originalmente em inglês com auxílio do Grammarly, uma ferramenta gramatical com recursos de IA. Depois, ele foi traduzido para o português com auxílio do Google Translate. Mas, para garantir que todo esse universo de palavras faça sentido para você, foram feitas diversas edições, além de revisões por nativos em cada idioma.

Com base nesses elementos, a resposta dos especialistas do Google é bastante objetiva:

“É bom saber que os tradutores humanos estão felizes, e isso é muito bom para o Google, desde que haja um humano envolvido no processo de revisão. Essa é a chave.

O que você deve fazer é garantir que a qualidade continue boa e que isso funcione bem para as pessoas que estão lendo o conteúdo.”

Seguindo essa lógica, o mesmo vale para os textos produzidos pela IA, pois também é preciso que haja uma validação humana para que as informações satisfaçam às expectativas e desejos dos leitores humanos. Assim, você deve garantir que seu conteúdo seja original, confiável e “escrito por pessoas para pessoas”, conforme recomendado pelo Google Helpful Content Update.

Como a criatividade humana pode se beneficiar dos assistentes de escrita baseados em IA?

Se você trabalha com redação, certamente conhece o famoso bloqueio criativo, que é quando você tenta colocar suas ideias no papel, mas nada sai da mente. Isso costuma causar frustração e cansaço, podendo até provocar uma crise existencial persistente em que você acaba acreditando que não tem capacidade para escrever.

É aqui que vale relembrar o slogan do Lex: “Desbloqueie sua melhor escrita”. Sinceramente, como profissional de SEO, vejo as ferramentas de escrita de IA como aliadas dos redatores, proporcionando uma produtividade significativa.

Devemos usar a Inteligência Artificial como aliada em nosso processo de escrita. Porém, não se esqueça de que você precisa garantir a satisfação dos seus leitores. Além disso, tenha em mente que o conteúdo é da sua autoria; o robô apenas vai atuar para que você possa aproveitar sua criatividade, tornando sua rotina um pouco mais leve.

Quer continuar atualizado com as melhores práticas de Marketing? Então se inscreva na The Beat, o boletim interativo da Rock Content. Lá, você encontrará todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!