6 razões para criar um site durante um momento de crise no Brasil

A crise no Brasil provocada pelo COVID-19 tem motivado empresas a recorrer ao Marketing Digital, tendo como primeiro passo a criação de um site corporativo. É o momento de fazer adaptações ao seu negócio para sobreviver a esse momento de incertezas.

crise no brasil

    A pandemia do coronavírus pelo mundo vem causando preocupação tanto para as pessoas que precisam seguir as orientações de saúde quanto nas empresas, que devem adaptar os seus negócios para esse cenário. Sobretudo porque a situação antevê uma crise no Brasil. A criação de um site é uma das ações fundamentais para essa adaptação.

    De acordo com pesquisa Datafolha, 79% das pessoas no país creem que a COVID-19 poderá afetar a economia e isso tem feito as empresas migrarem para a internet. Para que você saiba as razões que corroboram isso, neste artigo, abordaremos os seguintes pontos:

    • Como um site pode gerar um bom retorno de investimento?
    • Quais os 6 motivos para sua empresa investir na internet em momentos de crise no Brasil?

    Vamos começar?

    Como um site pode gerar um bom retorno de investimento?

    Para que você veja, na prática, como um site pode beneficiar o seu negócio em termos financeiros, levantamos antes um exemplo de como o ROI funciona. Como você sabe, essa é a sigla de Return On Investment, ou seja, retorno sobre o investimento. Portanto, ele representa, nesse caso, quanto a sua empresa está faturando a partir do seu site para, assim, saber se os resultados estão sendo positivos.

    A manutenção da página na internet requer custos, como domínio e servidor. Mas, neste exemplo, vamos considerar também um analista que o mantenha em funcionamento. Vamos supor que que isso totalize R$5 mil por mês.

    Por outro lado, em nosso exemplo, os produtos oferecidos no site têm um ticket médio de R$500,00 e geram 15 vendas por mês, R$7.500,00 no total. Vamos fazer os cálculos? A fórmula do ROI é essa:

    ROI = [(Receita – Custo) / Custo] x 100

    Assim, ao inserirmos os números na fórmula, ela fica assim:

    ROI = [(7.500 – 5.000) / 5.000] x 100

    O resultado é 50, o que significa que o negócio teve um retorno de investimento de 50%, ou seja, foi positivo! Esse tipo de resultado é essencial em tempos de crise no Brasil, pois, em virtude do isolamento domiciliar e fechamento de negócios físicos provocados pelo coronavírus, a internet se tornou um canal ainda mais forte para fechamento de negócios, o que reforça a necessidade de um site.

    Confira também estes conteúdos:
    Atingido pela crise? Aprenda a criar um site para ganhar dinheiro
    Trabalho de home office: como gerenciar seu site ou blog durante a quarentena
    Conheça o Stage, a solução para criação de sites focados em resultados

    6 razões para sua empresa ter um site durante um momento de crise no Brasil

    Para que fiquem claros os motivos pelos quais você deve ter um site, levantamos aqui os principais.

    1. Um site cria presença online para a sua empresa

    A primeira razão para a sua empresa ter um site é fazer com que ela tenha presença na internet. Assim, poderá começar a fazer negócios não apenas nos meios offline, mas também, digitais.

    Como existem outros canais online, tais como plataformas de vídeo e redes sociais, é comum que alguns donos de negócio se perguntem se realmente precisam de um site. Afinal, se a produção de conteúdos em vídeo no YouTube ou postagens no Instagram e Facebook continuam em alta, por que fazer esse investimento a mais?

    A resposta é simples: o site é o principal canal em uma estratégia de Marketing Digital. Por mais que as pessoas possam encontrar a sua empresa em outros canais, quando ela precisar procurar produtos ou serviços como o seu, elas recorrerão a motores de busca como o Google. Portanto, seu site precisa estar lá.

    2. Um site atrai o seu público certo

    Não basta apenas ter um site bem construído, com design bonito e que traga informações sobre a sua empresa. Ele precisa ser parte integrante de uma estratégia digital para que consiga trazer resultados para a sua empresa. Ela é formada por dois pilares: a criação da persona e a composição do funil de vendas.

    Também chamada de buyer persona, ela é uma representação semi-fictícia do seu cliente ideal. Assim, todos os conteúdos produzidos no seu site ou blog devem ser voltados para ela de acordo com as etapas do funil.

    O funil de vendas também é conhecido como jornada do cliente, pois suas três etapas (topo, meio e fundo) representam o caminho que as pessoas fazem para comprar o seu produto ou serviço. Ao compor o funil, você passa a saber as razões que fazem com que comprem de você, e consegue fazer as ofertas no seu site da maneira correta.

    Dessa forma, o site passa a atrair o público certo por meio da internet. Se você ainda não tem uma persona criada, pode usar o nosso gerador de personas. Caso, tampouco, tenha o seu funil estruturado, este material pode ajudar a criá-lo.

    3. Sites têm um bom custo-benefício de marketing

    Quando uma empresa desenvolve um plano de marketing tradicional, muitas ações devem ser feitas, como anúncios em revistas, jornais, rádio e, até mesmo, panfletagem. Porém, todos esses canais requerem um orçamento alto, o que acaba sendo um obstáculo para as pequenas empresas, sobretudo em épocas de crise no Brasil.

    Por isso, optar pelo Marketing Digital, em vez do tradicional, pode ser mais vantajoso nesse momento. O investimento inicial para a construção de um site envolve a contratação de um domínio e um servidor de hospedagem. O domínio é a URL do site e existem diversas empresas que oferecem esse serviço. O preço da anuidade de um domínio costuma ser a partir de R$40,00.

    Já o servidor de hospedagem é o espaço na internet em que os arquivos do seu site — tais como textos, imagens, vídeos, documentos e afins — são guardados. O preço da contratação depende do tipo de hospedagem, que pode ser compartilhada ou dedicada. Há outras soluções, como o Stage, sobre o qual falaremos mais adiante.

    4. Sites geram oportunidades de negócio

    A partir do momento em que pessoas chegam até o seu site, elas podem ser convertidas em clientes. Claro que a forma de fazer isso depende do seu modelo de negócios.

    Empresas que operam com serviços cuja venda requer contato com um representante comercial, por exemplo, devem ter um site focado em conversão de leads. Portanto, a inserção de botões e formulários convidando os visitantes a falar com um consultor é essencial.

    Por outro lado, empresas que vendam produtos devem ter um site no formato de loja virtual. Você pode usar plugins, como o WooCommerce, para criar o seu e-commerce de maneira descomplicada e sem a necessidade de conhecer programação.

    5. Sites geram receita para a sua empresa

    Conforme você pôde ver acima, o site é um canal de captação (e até mesmo retenção) de clientes. Contudo, existem outras formas pelas quais ele pode aumentar o faturamento da sua empresa. Vamos apontar duas.

    A primeira é a oferta de infoprodutos que não precisam ser unicamente seus, mas também de terceiros. Uma vez que você se junta ao programa de afiliados de plataformas como a Hotmart, pode oferecer os infoprodutos de lá por meio do seu site ou blog e ganhar uma comissão a cada venda feita.

    Outra maneira de monetizar é por meio do Google Adsense. Esse é um meio mais utilizado em blogs do que em sites. O processo é muito simples: seu blog passa a exibir anúncios do Google em pontos estratégicos, como barra lateral e no meio do conteúdo.

    Esses anúncios estão relacionados a buscas feitas por cada visitante. Por exemplo: se um deles, recentemente, acessou uma loja virtual para conferir tipos de geladeira, os anúncios do Adsense no seu blog exibirão para ele ofertas de geladeiras.

    Assim, cada visualização e clique desses anúncios rende a você centavos de dólar. Quanto mais acessos o seu blog tiver, mais dinheiro terá na sua conta do Adsense. Para que você tenha uma ideia, ele é o mesmo utilizado para a exibição de anúncios no YouTube e representa a renda principal de alguns youtubers.

    6. Você precisa de um site porque seus concorrentes já têm um

    Não importa qual seja o seu nicho de atuação, uma coisa é certa: seu concorrente tem um site e está, nesse exato momento, obtendo resultados. Sobretudo porque, quando falamos de digital, existem dois tipos de concorrência: direta e indireta.

    A concorrência direta se refere às outras empresas que oferecem produtos ou serviços similares aos seus. Se eles têm sites com maior autoridade de domínio e que já tenham conquistado boas posições nos resultados de busca do Google, eles devem estar conseguindo clientes que poderiam ser seus.

    Eles não são os únicos, pois existe ainda a concorrência indireta, que pode ser representada até mesmo por um blogueiro. Afinal, se ele tem um blog que rankeia para palavras-chave pertinentes ao seu nicho de negócio, ainda que a ideia dele não seja conquistar os seus clientes, o seu público pode estar chegando a ele, em vez do seu site.

    Assim, por conta dessas seis razões, você precisa ter um site e aplicar nele as estratégias e técnicas de Marketing Digital para beneficiar o seu negócio. Por falar nisso, lembra-se de que mencionamos uma solução para criação de sites chamada Stage? Vamos a ela!

    O Stage foi desenvolvido para a criação de sites em WordPress com foco em resultados. Nele, você pode escolher o plano que melhor se adeque às necessidades da sua empresa no momento.

    Portanto, agora que você sabe como um site pode ajudar a lidar com a crise no Brasil, que tal conferir como o Stage pode auxiliar o seu negócio? Basta solicitar o contato de um consultor.

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Posts Relacionados

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!