Aprenda a fazer CTAs estratégicos para converter seus visitantes em clientes

O grande segredo de como converter visitantes em clientes com CTAs é criar pontos de conversão estratégicos, atrativos e otimizados. Quer saber como fazer tudo isso? Então confira este post!

Aprenda como converter visitantes em clientes

    Você provavelmente já sabe que o Marketing de Conteúdo é uma das estratégias mais promissoras no escopo do marketing online para empresas que querem conseguir mais clientes por meio de seu site e blog.

    E, claro, esse não é o único benefício que o conteúdo pode trazer para um negócio. Dentre eles podemos citar o aumento do brand awareness, o fortalecimento do relacionamento com o cliente e a geração de autoridade.

    Mas quando estamos falando sobre resultados numéricos, o que mais interessa é a possibilidade de gerar vendas, certo?

    É por isso que a conversão é um assunto tão importante quando falamos em Marketing de Conteúdo. Afinal, a estratégia vai muito além de criar posts!

    É preciso criar conteúdo para atrair visitantes, mas buscar formas que eles comecem a fazer parte da base de leads, para que possam ser nutridos e convertidos em vendas.

    Nesse processo, os CTAs (call-to-actions, em português, chamada para a ação) desempenham papel fundamental. Eles são pontos de conversão que convidam diretamente o usuário a tornar-se um assinante.

    Então, como converter visitantes em clientes com CTA e conseguir resultados cada vez melhores?

    Esse é o tema deste post! Vamos lá?

    Como inserir CTAs?

    Antes de começar, é importante deixar claro que não basta inserir inúmeros CTAs no seu blog e esperar que eles gerem uma grande taxa de conversões. Embora isso seja possível, as chances são bem menores.

    Se o CTA não está de acordo com o que o usuário espera, com a etapa do funil de vendas e alinhado com os objetivos do conteúdo, ele dificilmente vai trazer resultados consistentes.

    Assim, é preciso pensar de forma estratégica na hora de usar os CTAs. É sobre isso que falaremos no próximo tópico.

    Qual a importância de CTAs estratégicos?

    Um CTA estratégico é aquele que segue alguns pontos, objetivos e planejamento.

    Como falamos, não basta apenas inserir pontos de conversão aleatórios pelo conteúdo, é preciso que ele tenha impactos positivos para a estratégia da empresa.

    Assim, é importante que o CTA:

    • tenha relação com a temática do conteúdo;
    • esteja posicionado em momentos estratégicos do conteúdo e do blog;
    • pensar qual CTA terá melhores resultados;
    • adequar o CTA a etapa do funil.
    Kit Planejamento do Funil de Vendas

    Como criar bons CTAs?

    1. Definir o objetivo

    O primeiro ponto essencial de um bom CTA é o planejamento e isso significa definir qual o objetivo de uma chamada para ação.

    Isso é relevante porque é de acordo com as conversões que você começará a construir uma base de contatos, que posteriormente será nutrida a fim de gerar vendas.

    Assim, entender de onde esses contatos vieram ajuda a criar um diálogo coerente nesse processo.

    Alguns dos principais objetivos de um CTA são:

    • aumentar a base de assinantes da newsletter;
    • gerar leads;
    • obter mais informações dos leads já gerados;
    • qualificar leads;
    • segmentar leads já existentes.

    De acordo com esses objetivos, você pode criar diferentes CTAs que encaminhem os contatos gerados para diferentes fluxos de nutrição.

    Para aumentar a eficácia dos fluxos, você pode já criar algumas opções diferentes de cadastros no seu CTA, que encaminhem para diferentes fluxos de acordo com o interesse do usuário.

    Uma forma simples de fazer isso é separar de acordo com o assunto do material que você ofertou.

    Por exemplo: uma agência de marketing que criou CTAs para pessoas interessadas em Instagram, Facebook e LinkedIn pode coordenar todos os contatos gerados em uma lista para pessoas interessadas em Redes Sociais.

    No fim, as chances de conversão quando o fluxo é bem estruturado aumentam gradualmente.

    No blog, usamos essa estratégia com as Hello Bars. Mesmo não sendo para oferta de material, e sim assinatura da newsletter, a segmentação é baseada no tema da Hello Bar.

    Isso inclui uma Hello Bar mais geral, uma de redes sociais, outra de SEO e por aí vai.

    2. Escolher em quais páginas e momentos usar o CTA

    Depois de definir o objetivo, é preciso determinar onde seu CTA vai aparecer.

    Existem várias opções, como a home do blog, as postagens (no começo, meio ou fim), no header e footer, na barra lateral…

    Isso sem falar em pop ups e Hello Bars, que também atuam como pontos de conversão.

    Definir as páginas e melhores momentos para usar um CTA é importante, pois atua como elemento de convencimento para o visitante.

    Se o visitante tem uma dúvida, por exemplo, e você convida-o a saná-la por meio de um CTA, a chance de ele converter será maior do que em CTAs “soltos” e não relacionados ao tema.

    Assim, escolha assuntos relacionados, dúvidas estratégicas e pontos de destaque dentro do conteúdo.

    Já no blog, você pode usar CTAs mais gerais no footer, header e home, e dependendo pode inclusive usar os materiais mais baixados nesses pontos.

    3. Definir o tipo de CTA

    Um CTA pode ser usado em vários formatos: texto, vídeo, gifs, imagem, formulário incorporado ao post, box… Então é preciso definir qual o melhor formato para sua estratégia.

    Para entender isso, você deve entender o que é possível fazer com os recursos que você tem e quais tipos de CTA trazem as melhores conversões para você.

    Inserir um CTA no formato de texto, por exemplo, é fácil, mas será que a sua taxa de conversão é a mais interessante?

    Por outro lado, usar gifs pode chamar a atenção do visitante e trazer maior taxa de conversão. No entanto, é necessário encomendar a peça a um designer.

    Assim, busque a relação entre o que é viável e o que traz bons resultados.

    Aqui no blog, as imagens e formulários são usados com maior frequência, e os resultados são positivos. Boxes de conteúdo e CTAs em texto também são bem explorados nos conteúdos.

    4. Criar um copy que converte

    Independente do tipo de CTA, um dos principais segredos é o copy, ou seja, a forma como você redige o convite a ação.

    O copywriting é essencial para uma estratégia de conteúdo, já que é uma escrita focada em conversão.

    No CTA, ele assume o papel de convencer ainda mais o visitante da importância da oferta e, claro, gera mais conversões para a empresa.

    Pode parecer bobo, mas uma simples mudança de “clique aqui” para “confira o material exclusivo” pode gerar mais cliques, assim como pensar em palavras que despertem o senso de urgência, exclusividade e necessidade.

    Isso tudo sem esquecer, é claro, de uma boa estrutura do que está escrito. Use negritos, organize a informação de maneira escaneável, chame atenção para palavras estratégicas. Isso faz toda a diferença!

    Ebook Copywriting

    5. Definir os elementos visuais

    Outro “detalhe” essencial é a definição de cores e imagens a serem usadas. Elas devem ser visualmente harmônicas com o visual do blog como um todo.

    Assim, a paleta de cores e estilos devem ser respeitados, bem como as imagens devem ter uma identidade em comum.

    Também é importante pensar em como os elementos visuais do CTA coordenam-se entre si. Ou seja, escolha um elemento de atenção (geralmente o botão de clique) e pense em como os outros elementos podem harmonizar.

    E lembre-se de sempre deixar o texto legível! As cores não podem atrapalhar nisso.

    Veja como é feito aqui no blog:

    Como organizar seu departamento de marketing sem gastar dinheiro

    6. Testar

    Agora que você já sabe como pode ser o seu CTA e entendeu os pontos necessários de observação, é importante desenvolver formas de otimizar a conversão nele cada vez mais.

    Por isso, os testes são fundamentais.

    Growth hackers já estão habituados com a rotina de testes. Eles são essenciais para otimizar seus esforços.

    Afinal, testes são essenciais para entender o que funciona melhor para a sua persona.

    Os mais usados são os famosos testes A/B, em que é modificado apenas um parâmetro, mantendo-se o restante. Assim, é possível entender o que de fato funcionou.

    Vários elementos podem ser testados em um CTA, como cores, copy e imagens, como já mostramos aqui.

    E não se engane em pensar que esses testes são bobos e não trariam resultados! Mudar a cor de um simples botão pode ter efeitos bastante positivos.

    O uso estratégico de imagens também é uma técnica bastante usada e com resultados que podem ser surpreendentes. Você sabia que a maior empresa de streaming do mundo usa essa técnica?

    Isso mesmo, a Netflix adota diferentes previews de imagens em seu catálogo a depender dos hábitos do usuário, e também para testar quais tem mais cliques.

    Na imagem abaixo, por exemplo, das 6 versões criadas, a marcada com a seta verde teve a melhor performance:

    Exemplo da Netflix de como converter visitantes

    É isso que permitiu que a empresa criasse um padrão de display dos títulos que tivesse mais cliques e, assim, as métricas da empresa se tornaram mais elevadas.

    7. Metrificar

    Por último, é necessário mensurar os resultados. Mostramos aqui que melhores taxa de conversão estão relacionadas a uma boa compreensão do potencial de conversão, e para isso é preciso observar o número de conversões e a taxa de conversão.

    Afinal, é isso que vai permitir que você faça ajustes na estratégia e direcione melhor os seus esforços.

    Se você quer começar a investir mais na otimização das conversões do seu blog, matricule-se agora no curso de Otimização das Taxas de Conversão, da Universidade Rock Content (viu o CTA aí? ).

    [rock_performance]

    Compartilhe

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!