Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 10 de agosto de 2020. | Atualizado em 8 de setembro de 2020


Saúde mental e trabalho são duas coisas inseparáveis. A eficiência e produtividade de qualquer colaborador depende não apenas de suas habilidades, mas também da estabilidade e inteligência emocional. Saiba como sua gestão pode trabalhar esses fatores.

Uma das atividades mais importantes de qualquer empresa é a gestão de equipes, responsável por garantir a produtividade e eficiência do corpo de colaboradores. Isso envolve não apenas a distribuição e supervisão de tarefas, mas também a construção de um ambiente adequado, o que inclui a saúde mental e trabalho.

Um clima organizacional positivo eleva os níveis de motivação e aprimora a moral da equipe, gerando as condições necessárias para que cada membro da equipe entregue o melhor de si. Contudo, antes de pensar no profissional, é necessário dar atenção ao ser-humano.

Hoje, a relação entre saúde mental e trabalho é clara. Como sociedade, observamos o crescimento de problemas como ansiedade, stress, burnout etc, muitas vezes impulsionados por situações no ambiente profissional.

Por isso, a discussão sobre o papel dos gestores nessa questão é fundamental. Neste texto, vamos abordar:

Continue lendo e confira!

Saúde mental: qual o papel dos gestores?

O que um profissional precisa para exercer bem suas funções? Sem dúvidas, experiência e habilidades técnicas são fatores determinantes, contudo, ninguém é produtivo fora do ambiente adequado. Quando falamos nesse ambiente, não falamos apenas do conforto ou da qualidade das ferramentas oferecidas pela agência.

É necessário focar no bem-estar dos colaboradores, que precisam estar felizes e motivados para alcançar bons níveis de eficiência. Em um cenário como o atual, em que problemas de saúde mental como ansiedade e depressão são considerados o mal do século, o papel da liderança nessa questão é fundamental.

O estado emocional dos colaboradores deve ser visto como um elemento central na estratégia da gestão de RH. Contudo, é fundamental ressaltar que os esforços não devem partir apenas dos recursos humanos, mas de todos os departamentos. Em outras palavras, deve fazer parte da cultura organizacional da agência.

A partir disso, a preocupação com a saúde mental pode se fazer presente em todos os processos de decisão, evitando, por exemplo, a sobrecarga dos profissionais. Quando os gestores se reúnem para definir metas e, depois, passá-las às equipes, devem questionar se os objetivos são realistas, evitando frustrações.

Uma liderança que tem esse tipo de preocupação no planejamento estratégico gera funcionários menos desgastados e, logo, mais produtivos. Tais cuidados devem estar presentes, também, na própria comunicação com os colaboradores.

Profissionais de marketing e publicidade costumam lidar com situações de pressão, em que precisam desenvolver processos criativos ou cumprir alguma deadline. Assim, quando os gestores precisam abordá-los, mesmo que seja para fazer uma cobrança, devem ponderar sobre a melhor forma de fazê-lo.

Membros com pouco tempo de casa, por exemplo, tendem a sofrer mais com a pressão do ambiente de trabalho. Sabendo disso, o gestor pode adotar uma abordagem mais compreensível, passando a confiança necessária para o desenvolvimento do profissional.

Antes de cobrar a entrega de resultados, a gestão deve se mostrar comprometida em ouvir o que o funcionário tem a dizer e garantir o melhor ambiente possível para o seu trabalho.

Como a saúde mental e trabalho afetam os seus resultados?

Já está claro que a saúde mental dos colaboradores deve ser um dos pontos centrais da gestão de uma agência, não é? Agora, vamos entender melhor como, de fato, essa questão pode afetar os seus resultados. O fator que mais chama atenção é a taxa de produtividade.

Quando está com a saúde mental em dia, o colaborador realiza suas tarefas com maior motivação, tornando suas rotinas de trabalho muito mais proveitosas. Isso significa, também, a redução na ocorrência de erros humanos, o que diminui a necessidade de retrabalhos.

O aumento da produtividade é um benefício que pode ser observado em curto prazo, mas que também tem efeitos positivos em um olhar mais amplo. Funcionários felizes e produtivos se sentem bem com suas rotinas, o que ajuda a reduzir a taxa de absenteísmo e a taxa de rotatividade.

Com a retenção de talentos e a preocupação com o bem-estar deles, sua empresa tem a oportunidade de criar um ambiente organizacional satisfatório, com profissionais que trabalham juntos há algum tempo e se relacionam positivamente. Esse tipo de clima é crucial até mesmo para a criatividade individual e coletiva agência.

Outro ponto afetado pelo estado de saúde mental de seus colaboradores é a participação deles nos processos de decisão. Seguros com suas posições, os profissionais tendem a dar feedbacks mais relevantes, contribuindo para a proposição de ideias e soluções para a agência.

Como avaliar o ambiente corporativo e garantir melhores soluções?

Agora que você sabe a importância da saúde mental para os seus resultados e entende o papel da gestão nesse aspecto, é hora de entender como avaliar o seu ambiente corporativo. Para tal, é interessante ter uma noção de uma realidade mais ampla, como o cenário brasileiro.

Um levantamento feito pela Vittude apontou que 37% dos brasileiros apresentam quadro de stress extremamente severo. É um cenário preocupante, especialmente no país em que, de acordo com a OMS, há o maior número de pessoas ansiosas no mundo.

No que diz respeito ao ambiente de trabalho, estima-se que 20% dos funcionários estão ativamente trabalhando sob níveis de pressão emocional considerados elevados, enquanto 32% apresentam sintomas que podem ser relacionados à síndrome de burnout.

Sendo assim, é preciso entender que a possibilidade de um desses problemas afetar seus colaboradores existe. Com essa visão, você pode notar mudanças de comportamento ou até mesmo de performance que possam indicar a existência de um desequilíbrio.

Isso só reforça a necessidade de manter um canal de comunicação aberto com os seus colaboradores, deixando claro que eles podem procurar um dos gestores sempre que precisarem. Muitas vezes, a mera possibilidade de diálogo é suficiente para que um colaborador externe suas preocupações.

Mas é importante não depender apenas disso. Fique de olho nos indicadores de desempenho, na taxa de retenção de talentos e no volume mensal de faltas. Mudanças abruptas não acontecem por acaso, são sintomas de um problema maior.

Outra ação importante é realizar pesquisas de satisfação. Falaremos delas no próximo tópico, em que abordaremos as melhores medidas para cuidar da saúde mental em sua agência.

6 medidas para cuidar de seus colaboradores

Vamos direto ao assunto. Como cuidar de seus colaboradores e proporcionar um ambiente de trabalho adequado? Aqui vão 6 dicas!

1. Realize pesquisas de satisfação

Ninguém melhor do que o próprio colaborador para avaliar as condições de trabalho. Por isso, se você quer se comprometer a cuidar de suas equipes, ouça o que elas têm a dizer. Passe pesquisas periódicas focadas na satisfação do funcionário com o ambiente de trabalho.

É importante que o documento seja anônimo, de modo a incentivar a participação de todos e não gerar qualquer tipo de constrangimento. Durante a realização da pesquisa, deixe espaço para que os profissionais falem sobre suas próprias experiências e apontem ideias para melhorar o ambiente.

2. Organize eventos corporativos de integração

Eventos corporativos são excelentes oportunidades para reunir colaboradores de diferentes equipes e promover a integração dentro da agência. Além de possibilitar a geração de relações positivas, esse tipo de atividade gera um senso de pertencimento, importante para a saúde mental de qualquer um.

Você aproveitar a oportunidade para trabalhar ainda mais essa questão. O evento pode assumir a forma de uma palestra sobre saúde mental, por exemplo. Muitas companhias aproveitam o mês de setembro para realizar tais ações, já que a data marca um esforço nacional de prevenção ao suicídio.

3. Estabeleça metas claras e alcançáveis

Como já mencionamos, metas inalcançáveis podem ser extremamente frustrantes para as equipes. Alguns gestores acreditam que lançar objetivos muito desafiadores é uma forma de motivar os profissionais. Só que o efeito pode ser reverso. Ao notar que não é capaz de cumprir a meta, o funcionário pode cair de rendimento.

Além de alcançáveis, as metas devem ser claras. Por isso é tão importante constar com um bom sistema de comunicação interna. Os gestores devem ser capazes de transmitir aos colaboradores exatamente o que esperam deles, de modo que eles possam se sentir seguros na realização de suas tarefas.

4. Dê autonomia aos colaboradores

É claro que é importante monitorar o desempenho de suas equipes. Contudo, é preciso alcançar certo nível de equilíbrio. Muitos profissionais podem se sentir intimidados com um gerente olhando por cima de seus ombros enquanto realizam suas funções.

Em vez disso, experimente dar certa autonomia a eles. Afinal, se o seu processo de recrutamento for bem conduzido, você deve contar com colaboradores eficientes e, logo, é preciso demonstrar alguma confiança.

5. Respeite o horário comercial

Vivemos em tempos marcados pela conectividade. O trabalho à distância não para de crescer, especialmente depois da necessidade de isolamento social causada pela pandemia de COVID-19. Com isso, é cada vez mais comum a comunicação remota entre gestores e colaboradores.

Contudo, é preciso tomar cuidado para não deixar que essa facilidade de comunicação sobrecarregue uma das partes. Os gestores devem evitar se comunicar com os funcionários sobre assuntos profissionais após o fim do expediente. Isso pode gerar um stress desnecessário e, em longo prazo, prejudicar o clima organizacional.

6. Trabalhe a comunicação interna e ofereça ouvidoria

A comunicação interna não é importante apenas na hora de comunicar metas e delegar tarefas. É importante construir uma cultura de feedbacks, valorizando os méritos dos profissionais e indicando pontos que podem ser melhorados. É importante, também, encorajar o colaborador a contribuir para esse diálogo.

A forma como o contato é realizado também importa. Em vez de recorrer a meios como aplicativos de mensagens, você pode centralizar a comunicação em um software especializado, como o iClips. Dessa forma, você torna o processo mais profissional e organizado.

É natural, contudo, que nem sempre o funcionário esteja disposto a abrir certos diálogos com os gestores, especialmente quando são seus superiores imediatos. Por isso, ofereça um canal de ouvidoria interna. Assim, você pode mediar conflitos, ganhar a confiança dos funcionários e otimizar a satisfação geral das equipes.

A relação entre saúde mental e trabalho é muito claro. Quanto mais satisfeito estiver o colaborador, melhores serão seus níveis de produtividade e eficiência. Ao cuidar desse aspecto, sua agência pode alcançar melhores resultados e, acima de tudo, garantir o melhor clima possível para seus funcionários.

Quer aumentar os índices de desempenho das suas equipes? Confira este post e descubra 8 dicas para manter seus colaboradores motivados e produtivos!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *