Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 12 de março de 2020. | Atualizado em 13 de julho de 2020


A segurança digital deve ser uma preocupação do seu negócio. Para isso, é preciso fortalecer as boas práticas e conhecer as ameaças que podem afetar o site. Entenda o que fazer para proteger as informações da sua empresa e por que isso é importante.

Você acredita que a segurança digital do seu site está boa? Ou ainda tem coisas a melhorar? Por mais que você ache ser suficiente usar a plataforma WordPress, saiba que é preciso pensar na proteção das informações, seja para conquistar a confiança dos clientes, seja porque é uma obrigação devido à implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

É isso mesmo. A legislação brasileira já determina que as empresas sigam algumas regras para impedir vazamentos e usos indevidos dos dados de clientes, fornecedores e colaboradores. Como organizar essas questões e evitar problemas com a lei?

Esse é um dos aspectos que veremos ao longo do artigo. Além disso, mostraremos a importância da segurança digital e as ameaças que podem afetar seu site. Que tal saber mais? Veja o que vem a seguir:

  • O que é segurança digital?
  • Qual é a importância da segurança digital para o site de uma empresa?
  • Quais ameaças podem afetar a segurança digital?
  • Como fortalecer a segurança digital do seu site?

O que é segurança digital?

O termo segurança digital refere-se à proteção das informações no ambiente virtual. Para isso, são usadas ferramentas para preservação da identidade e garantia de confidencialidade, integridade, disponibilidade e autenticidade de documentos e dados pessoais.

Para criar um site, a segurança está relacionada à proteção dos dados de clientes e fornecedores, assim como das informações do negócio. Assim, é possível garantir escalabilidade, mobilidade e dinamicidade.

Para chegar a esse patamar, a segurança da informação, como também é chamada, é baseada em 3 pilares. Eles são:

  • confidencialidade: tem relação com a privacidade dos dados da empresa. Garante que as informações sensíveis e confidenciais sejam preservadas contra roubos e invasões;
  • integridade:consiste na garantia de consistência, precisão e confiabilidade dos dados e dos sistemas durante a realização dos processos ou o ciclo de vida. Também sinaliza que os dados devem ser armazenadas da maneira como foram criados, ou seja, sem interferências;
  • disponibilidade: refere-se ao tempo e à acessibilidade aos documentos e aos arquivos da companhia, já que precisam ser consultados a qualquer momento.

Qual é a importância da segurança digital para o site de uma empresa?

A proteção das informações abrange desde ativos digitais — isto é, arquivos, documentos, softwares, perfis nas redes sociais e sites — até hardwares, como dispositivos de armazenamento, servidores e outros equipamentos. Além disso, o trabalho é amplo.

Mais que preservar contra invasões e ameaças externas, é preciso impedir vazamentos e adversidades. É assim que sua empresa evita problemas, cumpre o que a LGPD determina e garante sua reputação e confiabilidade perante os clientes.

Para ter uma ideia, 6 em cada 10 pessoas sofreram com o vazamento de dados no Brasil. O principal fator foi a falta de segurança digital nas empresas, que ainda não estão preparadas para a LGPD. O mesmo relatório apontou que 5 em cada 10 usuários sabem que suas informações são sempre ou na maioria das vezes compartilhadas.

Outro dado importante é que 81% dos consumidores relataram ter perdido o controle de uso de suas informações pessoais. Esse dado, inclusive, mostra que uma empresa que age de acordo com as melhores práticas de segurança ganha vantagem competitiva.

Por isso, essa é uma das boas práticas para qualquer empresa em 2020, especialmente no que se refere ao site. Um estudo do Gartner destaca que os investimentos neste ano devem chegar a 64 bilhões de dólares só no Brasil, uma alta de 2,5%.

Mais do que isso, uma pesquisa da Deloitte na América Latina e no Caribe divulgou que 89% das empresas dizem ser muita alta a importância para a gestão dos riscos cibernéticos. Isso acontece porque 4 em cada 10 companhias sofreram um incidente nos 24 meses anteriores ao levantamento.

Outra questão preocupante é que 70% delas não sabem se o processo de resposta adotado foi eficaz. Por isso, é importante manter a segurança digital do seu site fortalecida, qualquer que seja o segmento de atuação ou porte.

É como a proteção física do seu negócio. Afinal, você nunca sairia à noite e deixaria a porta aberta, certo? É a mesma ideia, com a diferença de que está voltada para o ambiente digital. De quebra, você evita problemas para os seus clientes.

Quais ameaças podem afetar a segurança digital?

Conhecer as ameaças digitais é uma forma de fortalecer a proteção do seu site. É mais ou menos aquela ideia de entender seus “inimigos” para identificar seus pontos fracos.

Nesse caso, saber quais malwares — termo correto para todos os possíveis invasores — tendem a impactar seu negócio é importante para se precaver. Por isso, vamos apresentar os principais a seguir. Veja!

Backdoor

É um software malicioso que abre brechas para a entrada de outras ameaças e oferece acesso remoto ao hacker. É perigoso porque atua em segundo plano e é difícil de ser identificado.

Apesar disso, o invasor tem autonomia no computador. Em uma empresa, isso significa que ele pode acessar todos os dados confidenciais, entrar na área de login do site e modificar as informações.

Ainda pode destruir arquivos, apagar programas e sistemas e captar senhas. O backdoor é muito difícil de ser tirado manualmente. Precisa de um bom antivírus para proteger.

Phishing

Consiste em mensagens fraudulentas em e-mails, sites e mensagens de texto, que coletam informações dos usuários que clicam nelas. Geralmente, são bem estruturadas e parecem verdadeiras. Por isso, é preciso atentar a detalhes para evitar problemas.

O phishing pode ser instalado a partir de um backdoor ou de outra ameaça que permita ao hacker acessar o sistema. Por isso, é recomendado que os usuários só comprem em sites com certificado de segurança.

Nesse caso, há um cadeado no canto superior esquerdo da barra de endereços. Isso significa que o site está protegido.

Powered by Rock Convert

Ataques DDoS

São ataques de negação de serviço, que causam a queda do funcionamento do site ou de seu servidor. Podem ocorrer devido a uma sobrecarga na largura da banda ou esgotamento dos recursos de sistema de um equipamento.

Na prática, vários computadores zumbis acessam o site ao mesmo tempo até seu serviço cair. Como diferentes pedidos chegam ao mesmo tempo, o serviço fica instável ou indisponível.

Spyware

É um software que vigia o comportamento do usuário. Em uma empresa, acessa a rede e consegue acompanhar todas as ações realizadas.

Costuma estar em botões falsos de download e é instalado de forma automática, sem o conhecimento da pessoa. Por exemplo, ao baixar um livro.

Worm

É um programa que não causa danos ao computador, mas se replica em grandes quantidades para transferir informações pela internet ou para outra máquina. Com isso, diminui a velocidade do equipamento devido ao disco rígido ocupado.

Trojans

São cavalos de troia, ou seja, um software malicioso que se disfarça como legítimo ou se integra a ele. A partir do momento em que é executado, consegue alterar e excluir informações, atacar outros computadores a partir dessa máquina e até fazer espionagem.

Ransomware

É um dos mais comuns e que causa mais danos atualmente. Ele sequestra os arquivos do computador a partir do bloqueio dos dados. Quando o usuário percebe, o acesso está impedido e aparece uma mensagem para pagar um resgate.

Ainda assim, mesmo que você repasse o valor solicitado, o bloqueio continua existindo, na maior parte dos casos. Em outros, o acesso é permitido, mas os arquivos estão corrompidos.

Essas e outras ameaças causaram prejuízos significativos às empresas brasileiras. Somente nos primeiros 3 meses de 2019, houve 15 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos. O custo médio foi de 1,35 milhão de dólares, o que representou uma alta de 18,93%.

Por esse motivo, o País está na 70ª colocação no índice de segurança cibernética da União Internacional de Telecomunicações (ITU), órgão da ONU.

Como fortalecer a segurança digital do seu site?

A melhor forma de ter um site seguro é adotar boas práticas. Você já entendeu que é importante cuidar de vários fatores e sabe que essas ações são válidas para manter a reputação do seu negócio.

Agora, também é uma maneira de cumprir a LGPD e evitar multas e sanções a partir de agosto de 2020, quando as diretrizes começam a valer. O que fazer? Confira as recomendações!

Crie uma política de segurança da informação

A elaboração desse documento deve incluir métodos, regras e práticas a serem seguidas para garantir a boa gestão dos dados. É importante atentar aos pilares da segurança digital.

Junto a isso, é necessário definir as políticas do usuário, isto é, quais serão as restrições de acesso para cada colaborador. O ideal é que cada um deles visualize somente os arquivos necessários para sua função.

A política de segurança da informação também deve determinar como os backups devem ser realizados. Aqui, é preciso considerar a realidade da sua empresa para definir a frequência.

A cópia de segurança também deve ser feita de forma automática e, de preferência, na nuvem. Dessa forma, os arquivos se mantêm criptografados e só podem ser acessados por pessoas autorizadas.

Use um antivírus e um antimalware

Os dois softwares monitoram, detectam e eliminam as ameaças do computador antes de elas infectarem os arquivos. Devem ser usadas soluções específicas para empresas, que oferecem suporte.

Use um firewall

Esse recurso constrói uma barreira de segurança para garantir que somente dados e informações autorizados trafeguem pela rede da empresa. Para isso, é preciso criar regras de transmissão para assegurar a confidencialidade.

Armazene seu site em uma plataforma de confiança

A segurança das informações deve ser prioridade para a plataforma de armazenamento do seu site, especialmente com a transformação digital. O ideal é que ela seja inteligente e tenha uma infraestrutura que reforce a proteção dos dados à medida que é usada.

Além disso, é preciso fazer análises constantes para conferir o tráfego e evitar a infecção de ameaças. Entre os recursos necessários, estão:

  • web application firewall, para fazer o monitoramento do tráfego de dados;
  • proteção contra ataques, por meio de tecnologias de ponta, que fazem a verificação em tempo real e garantem a disponibilidade contínua do site;
  • certificado SSL, que aumenta a segurança e passa confiabilidade aos usuários, já que mostra que o site está protegido.

Uma plataforma que cumpre todos esses requisitos é oRock Stage. Mais que esse foco na segurança das informações, também atenta à velocidade de carregamento das páginas e suporte com equipe especializada para ter um site estável e seguro.

Com todas essas dicas, você garante a segurança digital e evita problemas para o seu negócio. Também preserva os dados dos clientes e conquista todos os benefícios dessa prática, inclusive vantagem competitiva.

Agora que você entendeu melhor sobre proteção das informações, que tal aumentar seus conhecimentos? Entenda como o plugin Really Simple SSL pode deixar seu site seguro.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *