Por Autor Convidado

pela Rock Content.

Publicado em 7 de outubro de 2020. | Atualizado em 7 de outubro de 2020


A transmissão ao vivo é um recurso que pode ser utilizado de maneira estratégica para impulsionar ações de Marketing Digital. Mas como usá-lo? Este artigo responderá as dúvidas mais comuns sobre o universo das lives.

Quando falamos de Marketing Digital, muitos recursos podem ser utilizados de maneira estratégica para impulsionar os resultados. Entre eles, vale ressaltar a transmissão ao vivo — afinal, as lives se tornam cada vez mais populares.

Neste contexto, não se deve esquecer o fato do público ter um nível de exigência maior e quererem participar ativamente do conteúdo — o que chamamos de consumidor 4.0. Assim, é necessário proporcionar uma experiência ao vivo proveitosa para sua ação ter sucesso.

Mas como atingir este objetivo? É necessário adotar soluções que permitam dar uma cara mais profissional às suas transmissões ao vivo. Existem opções para todos os orçamentos e que se adequam a cada estratégia de Marketing Digital.

Pensando nisso, pedimos para os nossos parceiros da Netshow.me darem algumas dicas valiosas sobre como o universo da transmissão ao vivo é simples de ser explorado.

Neste artigo, falaremos sobre:

Como escolher uma plataforma de transmissão ao vivo?

Essa é a dúvida mais comum quando o assunto é live vídeo. Existem muitas opções de plataformas de transmissão ao vivo que podem ser usadas para exibir o seu conteúdo. Mas qual delas escolher? Não existe uma fórmula exata porque todas possuem seu valor estratégico.

Para tomar essa decisão, é necessário conhecer a sua persona. Dessa forma, você saberá quais as necessidades destas pessoas e poderá estabelecer os objetivos que deseja atingir com a sua live — pode ser aumentar o alcance de um evento, captação de leads e até a venda de um serviço ou produto.

Essas informações permitirão que você defina qual tipo de live vídeo utilizar. 

Ufa! Muita coisa, não é mesmo? Agora podemos falar sobre as principais opções de plataformas de transmissão ao vivo disponíveis no mercado. Todas as informações acima te ajudarão a escolher qual faz mais sentido para a sua estratégia.

Entre as opções gratuitas podemos ressaltar redes sociais como Instagram, Facebook, Twitter e LinkedIn. Aqui, o acesso à sua experiência ao vivo é grátis e aberto ao público geral. Nelas, não existe monetização direta e o foco está na visibilidade.

Ainda nas ferramentas grátis, vale ressaltar sites de vídeos como YouTube e Twitch. A dinâmica é semelhante às redes sociais e seu diferencial é o fato de permitirem a monetização do conteúdo. Claro, seguindo as regras e algoritmos determinados pela plataforma.

E se você desejar investir em soluções com maior profissionalismo? Vale a pena usar um software de transmissão ao vivo profissional. Com ele, você poderá definir quem tem acesso à sua live e terá maior controle sobre a monetização.

Além disso, essa opção lhe permite captar leads e dá mais informações sobre o público.

Outra possibilidade é fazer a sua transmissão ao vivo diretamente na sua própria plataforma OTT — também conhecida como plataforma de conteúdo. Nela, é possível utilizar conteúdos como vídeos, podcasts, e-books e, é claro, lives.

Essa opção pode ser um braço importante para a sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

Checklist para webinarsPowered by Rock Convert

Como garantir o engajamento numa live?

Entre os principais pilares de uma boa transmissão ao vivo está o engajamento do público. Quanto mais interessados os seus espectadores estiverem, maior será o sucesso do seu stream.

Para isso acontecer, é necessário se atentar às ferramentas de interação disponibilizadas pela plataforma. Por quê? Quanto mais recursos neste departamento, melhor será a experiência do usuário, e maior será a facilidade para estas pessoas participarem.

Entre elas, a mais comum é o chat interativo. Nele, os usuários podem conversar entre si a até enviarem perguntas.

Toda plataforma oferece este recurso, embora o software de live profissional ofereça possibilidades de customização como o uso de emojis personalizados, bloqueio de palavras negativas e até destacar mensagens específicas.

Além disso, o compartilhamento social é uma opção para incentivar seu público a divulgar a live em outras plataformas, sejam elas redes sociais ou até o WhatsApp. E, dependendo da plataforma, é possível usar a gamificação para oferecer recompensas para quem mais divulgar.

Outro recurso que permite interação é o uso de links na descrição. Você pode usar essa opção para direcionar o público para materiais complementares e até a venda de produtos. Nas soluções pagas, é possível até personalizar os banners para a mesma finalidade.

Você tem todos estas ferramentas na mão, mas não se esqueça da importância de incentivar as pessoas a participarem. Para isso, converse com o público e dê espaço para perguntas.

Dependendo do porte da sua live, tenha alguém da sua equipe monitorando o chat para repassar as perguntas e medir a aceitação de seu stream online.

O que é um encoder profissional?

E como o objetivo é proporcionar uma experiência ao vivo com uma cara profissional, é necessário olhar para todos os aspectos técnicos.

É importante ter uma câmera com uma qualidade de imagem boa, microfones de alta qualidade para a captação de som, dar atenção à iluminação e ter uma conexão de internet estável.

Mas não é só isso! Para dar uma cara profissional à sua live, você precisará usar um encoder profissional.

Ou seja, um software responsável por receber todos os dados gravados pelos equipamentos, convertê-los e repassar para o programa de transmissão ao vivo — isso é possível ao pegar a chave de stream disponibilizada e colocar nas configurações da ferramenta de live escolhida.

E por que ele é útil? Você terá maiores possibilidades no campo criativo por poder usar mais de uma câmera, colocar trilha sonora e até adicionar elementos visuais como QR Code, motion graphics e banners.

Além disso, é possível incorporar uma videoconferência para ter participantes à distância.

Existem muitas opções de encoders no mercado. OBS Studio, Vmix e Wirecast são as mais recomendadas não só pelo fato de serem gratuitas, mas também por possuírem uma interface bastante intuitiva e de fácil uso.

Como fazer transmissão ao vivo em mais de uma plataforma?

Caso você tenha lido todas as opções de plataformas mencionadas acima e se interessado por mais de uma, como proceder? Existe a possibilidade de transmitir a sua live em vários lugares simultâneos e aumentar ainda mais o alcance da sua transmissão graças ao que chamamos de multistreaming.

Para isso é necessário usar o encoder profissional de sua preferência e procurar a chave de stream fornecida pelo software. Este código deve ser colocado nas configurações da transmissão a ser feita em todas as plataformas escolhidas.

Será necessário ter uma conexão de internet robusta ou até um servidor dedicado que suporte o fluxo de dados. Caso contrário, a transmissão poderá ser comprometida por eventuais instabilidades na rede.

Outra opção é o uso de serviços de multistreaming. Com eles, sua live é transmitida para o servidor deles e redistribuída para as plataformas, o que exigirá menos da sua conexão.

Algumas opções interessantes e gratuitas são Restream.io e Streamyard, embora seja necessário pagar para usar todas as funcionalidades.

Você já está planejando sua live depois de descobrir como fazer uma transmissão ao vivo em mais de uma plataforma?

Não se esqueça de considerar o fato de ser mais desafiador manter o engajamento com o público em mais de um canal – afinal, sua equipe precisará monitorar mais chats.

Qual a diferença entre live e videoconferência?

Com cada vez mais empresas olhando para a digitalização de eventos como uma solução, uma dúvida muito comum veio à tona: qual a diferença entre live e videoconferência?

Ambas são abordagens diferentes da tecnologia live streaming e possuem utilidade para diferentes objetivos.

Quando falamos de videoconferência, uma abordagem chamada one-to-one ou few-to-few. Também conhecida como webmeeting, nela todos os participantes interagem e compartilham informações em tempo real, seja por vídeo, áudio e chat.

Como a qualidade da imagem não é a prioridade, ela é mais usada para ações de comunicação interna e reuniões. Entre as principais ferramentas usadas estão o Zoom, Skype, Google Hangouts e até o WhatsApp.

Já a live tem uma abordagem distinta chamada de one-to-many ou one-to-millions. Ou seja, um dispositivo transmite para os espectadores e o público interage somente através de um chat interativo disponibilizado na plataforma — sejam redes sociais, software de transmissão ao vivo profissional ou plataforma de conteúdo.

Mas e quando você quer fazer uma transmissão ao vivo com pessoas em diferentes localidades?

Nesse caso, é possível incorporar a videoconferência à sua live com o uso de um encoder profissional, afinal, será como se você estivesse usando mais de uma câmera.

Lembre-se: para isso, deve-se garantir boa conexão para todos os participantes.

Este conteúdo foi produzido em parceria com o blog da Netshow.me.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *