O que é Escrita Criativa: conheça 16 dicas para melhorar os seus textos!

A escrita criativa é toda produção original, não técnica e que gere interesse e engajamento no leitor. Quer saber como melhorar sua escrita? Veja as dicas que preparamos para você!

Escrita criativa

Todos nascemos criativos. Se pensamos nas crianças, ou até em nós mesmos nessa fase da vida, fica claro que nossa imaginação não tinha limites. Porém, o que acontece conforme vamos crescendo?

Acontece que nós cultivamos velhos hábitos que prejudicam a natureza do fluxo imaginativo. Exemplos disso são: ler as obras de um único autor, percorrer o mesmo trajeto todos os dias de casa para a padaria, entre outras ações que “viciam” o nosso cérebro.

Daqui por diante, vamos explicar como funciona cada um dos exercícios de escrita criativa. Mas, primeiro, você entenderá mais sobre o conceito de escrita criativa e quais são os seus tipos.

Para ajudar você sair do piloto automático e aperfeiçoar o seu talento em escrever, nós abordaremos:

Confira!

O que se estuda em escrita criativa?

Ao estudar a escrita criativa, você terá que ler textos e reconhecer padrões que ajudam a cativar o interesse dos leitores. A prática também será uma parte importante: afinal, será necessário tirar proveito das técnicas para produzir textos autorais e buscar um estilo próprio.

As pessoas que já trabalham de alguma forma com redação, seja ficcional, publicitária ou jornalística, encontram na escrita criativa uma oportunidade de dominar novas técnicas que podem aperfeiçoar (ou mudar completamente) os seus processos narrativos. 

Para os profissionais de outras áreas, a escrita criativa também pode ser útil, pois a necessidade de escrever (bem) pode aparecer em diferentes momentos da vida.

Para quem busca um hobby, a escrita criativa pode ser vista como uma incrível forma de expressão artística e até uma prática terapêutica.

Em resumo, é isto que você aprenderá ao estudar a escrita criativa:

  • leitura e interpretação — aprender a como analisar textos dos diversos gêneros e reconhecer padrões na escrita;
  • técnicas tradicionais de escrita — conhecer técnicas de construção narrativas de vários gêneros textuais de ficção e não ficção;
  • busca por um estilo próprio — com base nas técnicas tradicionais, é possível percorrer o seu próprio estilo de escrita com base nos seus interesses.

Você pode recorrer a cursos livres, cursos de extensão ou até uma pós-graduação de escrita criativa. Nada impede que também se torne autodidata, estudando as técnicas e colocando em prática os exercícios para melhorar a escrita.

Quais os tipos de escrita criativa?

Podemos colocar os principais tipos de escrita em uma única lista, embora outras mil formas de escrever usando a imaginação estejam sempre por aí: à espera de você. Os principais exemplos, todavia, são:

Confira, a seguir, mais sobre cada um desses tipos!

Diários

Mais que uma forma de registrar os acontecimentos do dia, o diário pode ser um tipo de escrita criativa. Isso é especialmente verdadeiro quando você mistura as suas emoções com as experiências pessoais sobre um evento.

As principais características do diário são a constância no ritmo de escrita e o relato de experiências pessoais.

Cartas

A principal característica da carta é o fato de que ela é escrita para alguém. Por isso, geralmente são escritas na primeira pessoa do singular (“eu”) e parecem se voltar para o leitor na segunda pessoa do plural (“você”).

As cartas dependem de como você usa a criatividade para transformar emoções e experiências em linguagem.

Isso é especialmente verdadeiro quando as cartas discutem emoções ou opiniões fortes. As cartas de amor, por exemplo, podem ser bastante criativas.

Scripts

Roteiros ou scripts, desde comerciais de TV e programas de rádio até filmes, são outra forma de escrita criativa que você pode exercitar.

A principal característica do roteiro é que ele existe para ser convertido em um produto audiovisual, ou seja, o texto será interpretado por atores e gravado em uma mídia.

Isso traz algumas particularidades para o roteiro: evita figuras de linguagem, foca na ação dos personagens e faz indicações dos locais onde se passam as cenas.

Peças

Assim como o roteiro, as peças são escritas para serem interpretadas por atores. Contudo, a encenação acontece na frente de uma plateia.

O texto de uma peça geralmente é dividido em três atos, embora peças curtas de um ato também sejam populares.

A principal característica das peças são os diálogos. É nas conversas que os personagens resolvem os grandes conflitos que conduzem a história para o seu final.

Romances e contos

O escritor argentino Júlio Cortázar dizia que o romance é como ganhar uma luta por pontos, enquanto o conto é ganhar uma luta por nocaute.

Em romances, é comum ver o desenvolvimento de vários personagens e eventos. Já nos contos, há uma quantidade mínima de personagens e o desenvolvimento de um único evento (um único gancho no adversário que termina a luta, por exemplo).

Se você tem o interesse de escrever ficção, pode ser interessante começar por relatos pequenos e, em seguida, adquirir a confiança para escrever o próximo Moby Dick.

Poemas

Para o escritor chileno Roberto Bolaño, o poema é como um gás que se dispersa poucos segundos depois de ser lançado ao ar.

Faz todo sentido, porque uma das principais características do poema é a sua brevidade: é a escrita ideal para quem deseja exercitar a escrita criativa usando poucas palavras. Outra característica central desse tipo é o seu caráter lírico.

Muitas formas de poema também têm a estrutura de versos, como os sonetos, as trovas e baladas, mas nada impede que você também escreva poemas em prosa.

Ensaios

Uma das principais formas de não ficção é o ensaio, em que você pode explorar suas próprias experiências de vida ou opiniões de uma forma livre.

A principal característica do ensaio é o desenvolvimento aprofundado de ideias. Você pode explorar diversos aspectos sobre um assunto no ensaio, trazer citações e até inserir pequenas histórias para embasar argumentos.

Copywriting

O copywriting é a arte de vender com palavras. Assim como os outros tipos de escrita criativa, aqui também é preciso transformar emoções em linguagem.

As principais características do copywriting são a persuasão, os gatilhos mentais e a concisão do texto — seja em anúncios publicitários, seja na produção de conteúdo para web, você quer passar muitas ideias com o mínimo de palavras.

Você também pode se interessar por estes conteúdos:

Quais as melhores dicas para melhorar sua escrita criativa?

Agora, vamos à prática. Selecionamos um compilado de dicas, sugestões de referências e atividades para melhorar a escrita nos itens desta lista:

  1. cultive o hábito da leitura;
  2. tenha mais curiosidade e explore o desconhecido;
  3. não espere a inspiração chegar para ter uma escrita criativa;
  4. encontre tempo para escrever diariamente;
  5. faça anotações das ideias que surgem durante o dia;
  6. escreva sempre para o leitor;
  7. observe a construção das frases ao revisar o texto;
  8. faça exercícios de escrita criativa;
  9. teste estilos diferentes;
  10. treine escrita livre;
  11. coloque o texto de lado por um tempo;
  12. escute e observe o mundo à sua volta;
  13. use mentiras para comunicar verdades;
  14. leia livros de escritores sobre o processo de escrita;
  15. escreva sobre o que é difícil escrever em voz alta;
  16. não tenha medo de revisar.

Veja mais a seguir!

1. Cultive o hábito da leitura

Isso pode parecer óbvio, mas nos dias de hoje não é fácil ser disciplinado a ponto de ter um horário fixo para se dedicar à leitura. Afinal, são muitas distrações: a continuação daquela série que você começou a ver na Netflix, os vídeos no Youtube, o grupo da família no WhatsApp e por aí vai.

Habituar-se a ler não é tão difícil, desde que você realmente queira melhorar a sua capacidade criativa. Leitura e escrita são irmãs siamesas.

Se você não tem o hábito, comece aos poucos, afinal, 5 páginas por dia é mais que 0 páginas por dia, né? Depois, conforme você for se habituando, aumente o número de páginas por dia. O segredo é ter uma meta que você possa atingir de forma constante.

Como consequência do anterior, você entra em contato com a ideia dos autores, conhece outros estilos de textos, desenvolve o espírito crítico e amplia o seu vocabulário.

2. Tenha mais curiosidade e explore o desconhecido

Não se prenda apenas a um tipo de informação. Procure se interessar também por assuntos que você não domina.

Em termos mais práticos, ao explorar assuntos diferentes, trabalhamos de forma ativa na construção de um vocabulário mais vasto e rico, que é essencial na escrita criativa. Quanto mais você lê, mais bagagem adquire para trazer novos pontos de vista, evitar repetições de palavras e melhorar os seus textos.

Que tal, por exemplo, ler artigos sobre técnicas de negociação para corretores de vendas? Ou assistir um vídeo sobre Machine Learning? Uma informação desconhecida possibilita novas construções no campo do pensamento e ajuda no processo de criação, porque as ideias podem vir das áreas mais diversas.

3. Não espere a inspiração chegar para ter uma escrita criativa

Criatividade definitivamente não é um dom e nem algo que surge “do nada”. É um processo que se origina da concentração e, principalmente, da inspiração.

Esse estímulo, por sua vez, precisa ser buscado. Nesse ponto, muitos produtores de conteúdo cometem o erro de “esperar a inspiração chegar”.

Não caia nessa! Esse impulso é que nem o amor da sua vida: ele não baterá na sua porta, é preciso ir atrás dele.

Se for necessário, crie um ambiente propício, ouça uma música suave e pesquise mais sobre o tema. Fazer exercícios físicos também ajuda.

Da mesma forma, fazer uma lista de palavras e frases sobre o assunto que você pretende escrever vai ajudar a diminuir os bloqueios criativos, já que com as palavras e frases que você quer usar no texto é mais simples dar sequência ao processo. Finalmente, ter recursos mais poéticos é sempre bom! Ter uma lista das figuras de linguagem mais usadas pode ajudar muito na hora da criatividade.

4. Encontre tempo para escrever diariamente

O que acontece com uma máquina que fica muito tempo parada? Ela trava, dá defeito, enferruja, fica obsoleta…

A escrita, como qualquer habilidade, passa por fenômeno similar. Ela precisa estar em constante movimento para que você desenvolva uma redação criativa. Portanto, também é importante escrever diariamente sobre diferentes artigos.

Imagine que você é um atleta, que só melhora ao praticar de forma constante a habilidade que quer dominar com maestria. Com a escrita, a situação é similar. Investimento em tempo é algo necessário.

Porém, quanto é necessário investir para melhorar a escrita? O mais simples é sempre pensar no tempo disponível e em uma meta atingível. Você só tem 20 minutos por dia para escrever? Perfeito! Não precisa ser mais do que isso, desde que seja uma atividade constante.

Se você não acredita nestas palavras, o filósofo Aristóteles (384 a.C. — 322 a.C.) já dizia: “Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito”.

5. Faça anotações das ideias que surgem durante o dia

Todos nós temos insights valiosos que merecem sobreviver ao esquecimento. Por isso, não hesite em anotar as suas ideias. Você pode utilizar um bloquinho de anotações, um gravador digital, um aplicativo no celular ou qualquer outro recurso.

Como resultado, você sempre terá referências de boas ideias ao seu alcance, o que aumenta a sua produtividade e a agilidade para desenvolver os conteúdos.

O importante é cultivar a prática de registrar. No início pode parecer estranho. Você pode ter a sensação de ter voltado no tempo em que escrevia no seu diário… Mas, depois que se acostumar, vai ganhar mais agilidade e fluência para desenvolver os conteúdos.

6. Escreva sempre para o leitor

O leitor é a pessoa mais importante nessa história toda.

Por isso, é fundamental conhecê-lo para saber qual a linguagem mais apropriada. É formal ou mais despojada? Quando você sabe que estilo agrada mais o público que vai ler o seu texto, se torna muito mais fácil prender a atenção dele.

Então, antes de começar a digitar qualquer palavra no seu editor de texto, pense nas características do leitor e tente materializá-lo na sua frente. Ao fazer isso, você vai criar as condições necessárias para promover mais engajamento, curtidas e compartilhamentos nos seus artigos.

7. Observe a construção das frases ao revisar o texto

Uma frase bem estruturada é entendida facilmente pelo leitor. Além disso, ela é curta, objetiva e, de preferência, na ordem direta do sujeito.

Quando construir uma oração, faça isso como se estivesse conversando com a pessoa. Não se limite às referências da pauta: se for para enriquecer um conteúdo, sinta-se livre para expor a sua bagagem cultural sem medo de ser feliz!

A escaneabilidade é um conceito que ajuda muito na hora de estruturar as frases e textos. Seguir as boas práticas desta técnica vai garantir que os textos que quer escrever sejam claros, desde o ponto de vista do conteúdo e visual.

Uma vez que você finalizou com redação, o ideal é dar um tempo entre a escrita e a correção para ter um olhar mais imparcial.

É claro que, na correria do dia a dia, nem sempre isso é possível.

Mas quando der, faça uma pausa para refrescar a cabeça antes de conferir se sua redação está em ordem. Quando voltar, coloque-se no lugar de quem vai ler o seu texto.

8. Faça exercícios de escrita criativa

Já passou da hora de nos livrarmos da figura do escritor nato e perceber que é possível aprender a escrever. Grandes profissionais, de todas as áreas passam a vida inteira exercitando as suas habilidades. Na escrita criativa, não é diferente.

Algumas simples atividades para melhorar a escrita incluem:

  • exercício de concisão — teste explicar algo em até 100 palavras com um texto de início, meio e fim, prezando pela coesão e coerência textual, para saber como você se sai na tarefa de produzir algo com o máximo de concisão;
  • brincando com as perspectivas — escreva um evento simples narrado pelo ponto de vista de vários personagens diferentes (pode ser pessoas, animais, objetivos ou até comidas: que tal narrar uma festa do ponto de vista do bolo de aniversário?);
  • da janela — qual é a imagem que você vê da sua janela? Você pode descrever essa imagem em um pequeno relato. Veja como você se sai ao tentar colocar em palavras uma imagem comum do seu dia a dia.

9. Teste estilos diferentes

Existem tantos tipos de escrita criativa para explorar que faz sentido experimentar todos eles. Com certeza, você encontrará um (ou vários) que você ama.

Arrisque-se a compor novos estilos. Não custa nada tentar algumas novidades para desbloquear talentos que moram em você.

10. Treine escrita livre

A escrita livre, ou escrita automática, é uma técnica inventada pelos surrealistas. O seu objetivo é permitir que você escreva por meio de um fluxo de consciência.

Para facilitar a revisão posterior, é possível delimitar com antecedência um tipo de escrita, como um conto ou ensaio, e um assunto para o texto.

11. Coloque o texto de lado por um tempo

Dar tempo ao tempo, embora a frase seja um clichê repetido à exaustão, faz algum sentido quando falamos sobre produzir um texto, seja de ficção, seja de não ficção.

O tempo de espera pode variar dependendo da situação e do tamanho do texto. Se você tem um prazo de entrega, que tal revisar o seu texto no dia seguinte.

12. Escute e observe o mundo à sua volta

“Para ser universal, começa por pintar tua aldeia”. A frase, de Leon Tolstói, diz muito sobre a possibilidade de expressar sentimentos universais retratando a sua própria realidade.

Então, experimente narrar o que acontece dentro do seu quarto, na sua casa ou na sua rua. Tudo pode ser interessante quando narrado do ponto de vista certo.

13. Use mentiras para comunicar verdades

O que é ficção senão a arte de usar mentiras para comunicar verdades? Os escritores estão o tempo todo criando personagens, lugares e dilemas para comunicar pontos de vista ou experimentar o limite de emoções que todos nós sentimos.

A escritora norte-americana Susan Sontag, em uma entrevista sobre o seu romance In America: a Novel, explica que a ficção é isto: criar dilemas (situações contraditórias).

Em um dilema, a necessidade de uma escolha entre alternativas A e B resulta em uma conclusão C, que deriva tanto de A quanto de B.

Você pode fazer a mesma coisa. Teste colocar personagens em dilemas que dependem de emoções ou necessidades do mundo real para serem resolvidas.

14. Leia livros de escritores sobre o processo de escrita

Talvez você tenha percebido que todo escritor de sucesso é, sobretudo, um leitor voraz. Para seguir o mesmo caminho, você pode encaixar livros teóricos que tratam do próprio processo criativo de escrever.

Aqui vão algumas sugestões:

  • Story: Substância, estrutura, estilo, Robert Mckee;
  •  Sobre a escrita, Stephen King;
  • A Jornada do Escritor, Christopher Vogler;
  • Manual do Roteiro, Syd Field;
  • 100 ways to improve your writing, Gary Provost;
  • Confissões de um Jovem Romancista, Umberto Eco;
  • Escrevendo com a Alma, Nathalie Goldberg;
  • Os Segredos da Ficção: um guia da arte de escrever, Raimundo Carrero.

Os livros sobre “como escrever” compõem uma lista enorme e praticamente infinita. Mas, para se introduzir nesse universo, a lista acima é um bom ponto de partida.

15. Escreva sobre o que é difícil escrever em voz alta

Em uma das entrevistas mais icônicas de David Foster Wallace, o escritor norte-americano explica que a maioria dos escritores escreve romances por que muitos assuntos soam tolos ou redundantes em voz alta.

Portanto, pode ser uma boa ideia criar personagens, dilemas e cenas que ainda não existem para explicar o que você não conseguiu dizer em uma conversa casual.

16. Não tenha medo de revisar

Ao revisar seu próprio texto, procure estar confortável. De preferência, faça isso em um ambiente calmo e com uma iluminação boa.

Se o texto estiver impresso, a experiência pode ser ainda melhor. A leitura impressa permite a você um distanciamento útil para identificar erros com maior facilidade.

Mas o mais importante é não temer esse momento. Caso sinta-se confortável, busque um revisor autônomo ou alguém de confiança para ler o seu texto e dar um feedback.

Todos podemos ser criativos?

Sim, afinal — como você viu aqui —, a criatividade não é uma característica exclusiva das pessoas que possuem superpoderes. Ela pode ser trabalhada, lapidada, aperfeiçoada. Isso significa que podemos ser profissionais melhores.

Para desenvolver uma escrita criativa é preciso ter curiosidade, ler bastante, praticar a arte de escrever e manter a mente aberta para o novo. Mas, como dar conta de fazer tudo isso? Criando uma rotina produtiva!

E não se preocupe, por mais desafiador que pareça, conquistar a produtividade diária é algo simples e que você pode começar a fazer agora mesmo. Quer saber como? Então baixe este material completíssimo para não ter mais dúvidas sobre isso!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail
Copyediting

Thiago Murça

Briefing

Luciana Ribeiro Rodrigues

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

À Toa, Atoa ou À-toa: qual a forma certa? Escreva bem!

alt Leandro de Barros
abr 9, 18 | Leitura: 3min

Como escrever em qualquer lugar com 9 dicas

alt Renato Ribeiro
set 4, 18 | Leitura: 5min

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.