Estrutura do ERP: entenda quais são os módulos que fazem parte dele

A estrutura do ERP representa a arquitetura modular do sistema de gestão, ou seja, corresponde ao conjunto de funcionalidades e setores que são atendidos pelo sistema.

estrutura do erp

Precisando de conteúdo para sua empresa? Encontre os melhores escritores em WriterAccess!

A estrutura do ERP representa o conjunto de funcionalidades e setores de negócio que o sistema abrange. Em outras palavras, ela corresponde aos módulos disponíveis na solução, que podem ser utilizados em uma empresa, de acordo com a necessidade do negócio.

Basicamente, o ERP é um sistema de gestão integrado, pois seus módulos conversam entre si. Isso proporciona inúmeros benefícios à empresa, como redução de custos, maior agilidade na realização de tarefas, diminuição de erros operacionais e muito mais. Para demonstrar como esse sistema funciona, preparamos este post com os seguintes tópicos:

    Vamos lá? Boa leitura!

    O que é um ERP?

    Um ERP — Enterprise Resource Planning ou Planejamento de Recursos Empresariais — é um software de gestão de processos que funciona de forma integrada. Ou seja, ele contém uma série de módulos que conversam entre si e atendem aos vários setores de uma empresa. 

    A venda de um produto ou serviço, por exemplo, gera informações para diversas áreas do negócio, como dados para o fluxo de caixa, para o controle de estoque, informações contábeis e registros para o setor de contas a receber.

    Ao utilizar um ERP, todos esses lançamentos interligados são feitos automaticamente, sem a necessidade de intervenção manual. Isso representa um enorme ganho em produtividade para a empresa.

    Quanto mais módulos de um ERP utilizar, maior será a automatização desses processos. Dessa forma, mais fácil e ágil será a realização de tarefas diárias, e a compilação de informações necessárias para a tomada de decisões pela gestão.

    O software ERP também é classificado de acordo com o tipo de tarefas e finalidades. Confira quais são eles:

    • módulos operacionais: são aqueles que oferecem funcionalidades comuns para a realização de tarefas rotineiras em praticamente qualquer tipo de empresa. Fazem parte desse modelo os módulos de contabilidade, controle de estoque, contas a pagar e receber, entre outros;
    • módulos estratégicos: são aqueles que contêm recursos necessários para a tomada de decisões pela gestão. Fazem parte desse modelo os módulos de gestão de processos, gestão de cadeia de suprimentos, gestão de relacionamento com o cliente etc.;
    • módulos táticos: são aqueles destinados a tipos de negócios mais específicos. Por isso, também são chamados de sistemas ERP verticais. Alguns exemplos sã: gestão de plano de saúde, gestão de transportadora etc.

    Quais são os módulos do ERP?

    Como mencionamos, o software ERP oferece diversos módulos, e cada um contém funcionalidades para determinado setor da empresa. Confira alguns deles, a seguir, e saiba qual a sua importância.

    Gestão de finanças

    O módulo de gestão financeira faz a compilação de diversas informações sobre os recursos da empresa e apresenta o resultado em diferentes formatos para a gestão, como em relatórios ou no dashboard do sistema.

    Para realizar essa tarefa, o módulo de gestão financeira faz uma coleta de dados de outros módulos, como o de contabilidade, de vendas, de contas a pagar e receber, entre outros, conforme o tipo de informação desejada.

    Na prática, o módulo financeiro faz a organização de todo fluxo de dinheiro do negócio. Dessa forma, a gestão consegue identificar com facilidade o que é mais lucrativo para ela e quais pontos precisam de mais atenção.

    Gestão de vendas e faturamento

    O módulo de gestão de vendas oferece funcionalidades para o controle de todas as tarefas relacionadas ao setor, como emissão de notas fiscais, gestão de propostas, captação de clientes e muito mais.

    Além disso, por ter ligação com outros módulos, as informações geradas são processadas de forma interligada, como a realização de lançamentos contábeis quando uma venda é realizada, a baixa de produtos no controle de estoque e o abastecimento de informações para outras atividades e controles relacionados à área.

    Gerenciamento da cadeia de suprimentos

    A gestão da cadeia de suprimentos envolve o controle de atividades e processos de diversos setores da empresa e fora dela. Por exemplo, uma empresa de e-commerce pode gerenciar a vendas de seus produtos em diversas etapas, como a entrada no estoque, a compra realizada pelo cliente, o envio das mercadorias para a transportadora e, finalmente, a entrega na casa do consumidor.

    Também é possível ampliar ainda mais a cadeia e integrá-la com os fornecedores de produtos. Dessa forma, a partir de determinada quantidade de mercadoria em estoque, por exemplo, o fornecedor é notificado e saberá que é o momento de enviar uma nova remessa daquele item, o que permite a ele ter o tempo apropriado para a produção.

    Na gestão de gerenciamento de cadeia de suprimentos, todas essas tarefas e processos são controlados pelo ERP, que também está interligado aos agentes externos, como fornecedores e empresas de logística.

    Gerenciamento de estoque

    O módulo de gestão de estoque é responsável por realizar diversas atividades relacionadas ao controle de produtos e insumos. Para isso, contém funcionalidades de análise variadas, como a gestão de estoque por meio da Curva ABC, em que as mercadorias são classificadas de acordo com a sua importância para o negócio, e a reposição é monitorada quando a quantidade disponível atinge determinado nível.

    O controle de estoque também pode ser integrado a outros módulos, como o de compras. Dessa forma, sempre que um item atinge a margem mínima, diversos processos são iniciados nesse módulo, como a notificação da necessidade de reposição de estoque, o controle sobre o preço de compra e muito mais.

    Gestão de recursos humanos

    A gestão de pessoas é uma atividade complexa em uma empresa, pois é preciso gerenciar diversos processos. Entre eles, o de recrutamento e seleção de pessoas, o controle de cargos e salários, a realização de pagamentos, a gestão de benefícios e muito mais.

    O módulo de recursos humanos permite a realização dessas atividades de forma centralizada, ou seja, dentro de um único sistema. Dessa forma, além de a empresa ter o controle sobre o setor, terá acesso a relatórios gerenciais para a análise de custos que auxiliam na tomada de decisões.

    Gerenciamento de produção

    Esse módulo é essencial para realizar a gestão de processos que envolvem as atividades da linha de produção em uma empresa. Na prática, ele auxilia na fase de planejamento para assegurar que todos os insumos necessários à produção estarão disponíveis, e acompanha as etapas de fabricação para fornecer informações sobre os estágios desse processo.

    Além disso, ele também trabalha em conjunto com outros módulos, como o de gestão de vendas e o de gerenciamento da cadeia de suprimentos. Dessa forma, todo o fluxo de produção e vendas pode ser acompanhado a partir de um único sistema.

    Quais são as vantagens de utilizar um ERP?

    Com a transformação digital, a realização de atividades operacionais e a coleta de dados para a tomada de decisões estratégicas ganharam muito mais agilidade. O software ERP é uma das ferramentas que proporcionam esses benefícios. Mas não é só isso. Confira, a seguir, outras vantagens de utilizar esse sistema.

    Escalabilidade

    Quando a empresa passa a utilizar um ERP, nem sempre ela optará por todos os módulos disponíveis ou fará integração com outros sistemas, como com um CRM — Customer Relationship Management — para gerenciar o relacionamento com o cliente. Entretanto, conforme a necessidade e crescimento do negócio, essa condição pode se modificar.

    Portanto, uma das vantagens do ERP é a facilidade para realizar essa ampliação. Na prática, se houver a necessidade de integração, isso pode ser feito de forma simples e rápida.

    Redução de custos

    Outro benefício de utilizar um ERP é a redução de custos, que é bem abrangente. Isso porque a automatização de diversos processos permite à empresa ter uma equipe mais focada nas atividades principais do negócio, e não apenas na realização de atividades operacionais e repetitivas.

    Além disso, por ser um sistema único, a empresa elimina a necessidade de utilizar um software diferente para cada setor, e ainda desenvolver sistemas de interfaces entre eles. Isso aumenta consideravelmente as despesas com softwares e com pessoal especializado em TI.

    Melhora no gerenciamento

    Como mencionamos, o ERP é um sistema integrado. Dessa forma, os setores da empresa conseguem compartilhar informações por meio dos módulos interligados. Isso facilita o gerenciamento do negócio como um todo e possibilita à gestão obter informações compiladas sobre diversas áreas.

    Para que uma empresa possa se manter competitiva no mercado, precisa contar com informações atualizadas e realizar processos com agilidade. A utilização de um sistema com a estrutura do ERP é essencial nesse momento, pois atende a essa necessidade e oferece diversos benefícios, como a redução de custos, a facilidade de integração com outros sistemas e muito mais.

    Quer saber como aproveitar todos os benefícios de um ERP em sua agência? Agende uma demonstração para conhecer o Studio e confira todas as funcionalidades desse sistema para a gestão do seu negócio!

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    CONTEÚDO CRIADO POR HUMANOS

    Encontre os melhores freelancers de conteúdo no WriterAccess.

    CONTEÚDO CRIADO POR HUMANOS

    Encontre os melhores freelancers de conteúdo em WriterAccess.

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Compre conteúdo de alta qualidade com a WriterAccess.

    Tenha acesso a mais de 15.000 freelancers especializados em redação, edição, tradução, design e muito mais, prontos para serem contratados.

    Fale com um especialista e amplie seus resultados de marketing.

    A Rock Content oferece soluções para produção de conteúdo de alta qualidade, aumento do tráfego orgânico e conversões, e construção de experiências interativas que transformarão os resultados da sua empresa ou agência. Vamos conversar.